rafaeltoledo.net
Abram a Porta
Ímpar. Imperfeito. O ímpeto da insensatez. Já não controlo-me como deveria. Ou como queria. Sucinto, sinto como se mentisse na chatice do dia. Quem dera, quem sabe o dia em que eu pudera Sim, sorri…