pstu.org.br
Entre armas e poesias, a luta das mulheres palestinas | PSTU
“Nas paredes da prisão, muitas mulheres deixam seus nomes como manchas de sangue. Seja com um delineador esquecido num bolso de mulher, ou um riscado de botão, ou com as unhas, elas arranham a dura face da verdade materializada pelas paredes da prisão sobre a qual a vida começa e termina. Ou talvez, elas simplesmente …
Soraya Misleh, de São Paulo (SP)