rceliamendonca.com
Inédito – J.G. de Araujo Jorge
INÉDITO Relendo o último verso que compus pouso entre as mãos maquinalmente o rosto, e o olhar deixo vagar para o sol posto onde o céu é um borrão de sombra e luz… Um sossego interior, em mim, prod…