pedrasquegritam.com
Croniquinha
Que as palavras não me fujam. Que elas gostem da minha cabeça como os lábios de um bebê no seio da mãe. E que elas respirem pelo meu peito, brilhem pelos meus olhos e vivam pelos meus dedos.