mundotexto.wordpress.com
Poesia de linguista
GIZ Não sou eu que escrevo. Escravo, lavro este chão que não semeio. Servo do verso, não o tenho — faço ele vir como me veio Não sou a luz. Espelho, espalho a de outro sol que em mim se escoa. Nem …