mundotexto.wordpress.com
Por dentro da metalinguagem
Usar a linguagem para falar dela mesma não se restringe ao verbal, há lugar para o não verbal nesse “estar fora da linguagem” (FLÔRES, 2011, p. 258).