dasculturas.com
Poema | Maria Isabel Fidalgo
Múltiplo e vário sobrou o enigma do ser que sou. Não sei se, fingindo, Fui o que senti, estilhaço de outros que dentro vivi. maria isabel fidalgo ( tela de Júlio Pomar sobre Pessoa).