cloefenix.com
Cultura japonesa - Mangá e anime - Cloe Fenix
Mangá ou anime, são termos desconhecidos para muita gente, mesmo estando presentes no nosso dia a dia. Mais especificamente, no dia-a-dia das nossas crianças e adolescentes. Cada vez mais esta é uma cultura que chega a nossa casa, de várias formas, sem nem sabemos o seu nome ou origem. A cultura japonesa é uma cultura diferente da nossa, uma cultura rica em tradições, superstições e educação. O seu olhar sobre o mundo, pode ser chocante, pelo abismo que existe entre as duas, mas também interessante e cativante. Mangá Basicamente um mangá, é uma banda desenhada ao estilo japonês. existem vários mangá que dão origem a versões animadas, chamados Animes. O mangá é uma forma de leitura, que existe para todos os gostos e idades. Ao contrário da banda desenhada, que estamos habituados, o mangá tem uma cultura mais abrangente. Simples romances, histórias de amor proibido, vida escolar, histórias sobrenaturais, militares, de temor, fantasia, desporto, demónios, magia, super-poderes, vampiros, Artes marciais, jogos, aventura, infantis, culinária, erótica, gays… existe de tudo um pouco, pois tal como eu tinha mencionado anteriormente, a culta japonesa é muito extensa e abrangente. E os seus mangás adaptam-se perfeitamente a sua cultura, representando-a de uma forma diferente. Outra grande diferença é a qualidade do desenho, normalmente um mangá é apresentado a preto e branco e poucos são os coloridos ou possuem 1 ou 2 páginas a cores, para além da capa. Já os seus desenhos são extremamente ricos em detalhes e expressões, não só nas personagens, como também nos fundos. Os olhos grandes das personagens são também uma característica dos mangás, introduzida para reforçar as expressões das personagens. A cor dos olhos, mas sobretudo a cor dos cabelos, são influências da cultura ocidental. Muitas vezes usada para representar a rebeldia dos jovens japoneses, como também a mistura de culturas. A utilização de símbolos, linha e onomatopeia, são normalmente usados para expressar sentimentos, sons ou movimentos. Tornando de certa forma, a imagem mais viva e realista, prendendo a atenção do leitor ao mínimo detalhe. O mangá teve uma enorme evolução ao longo dos anos, influenciado pela cultura, as crenças, a guerra, a ocupação americana… tudo contribuiu, não só para a riqueza das histórias, mas também na influência da qualidade dos desenhos. A Walt Disney por exemplo, inspirou a revolucionar os desenhos e expressões, que dão vida aos mangais modernos. Surgindo assim em 1946, os personagens com características faciais semelhantes aos desenhos da Disney, com expressões mais vivas, devido ao uso exagerado dos olhos, boca, sobrancelhas e nariz. Da mesma forma que usaram os planos e os enquadramentos usados no cinema, para dar mais vida, movimento e realidade as histórias. O aumento do número de páginas por mangá, o aparecimento dos capítulos, tudo contribuiu para o crescimento e tonar mangá na importante fosse editorial do Japão. Representando em 2007 um mercado aproximadamente de 3,6 biliões de dólares e aproximadamente um mercado de 5,5 biliões de dólares em 2009. Tendo posteriormente ganho adeptos no médio oriente e Europa, antes de se espalhar pelo mundo. O artista de mangá, também conhecido como mangará, normalmente trabalha num pequeno estúdio, com os seus assistentes e com o apoio de um editor criativo de uma editora. No Japão os mangás são publicados originalmente em revistas antológicas, ou seja, uma compilação de várias histórias de diversos artistas. Impressas em papel-jornal parecido, parecido com listas telefónicas, publicadas periodicamente por semana ou trimestre. Esta por norma tem cerca de 300 a 800 páginas e cada capítulo, contém entre 10 a 40 páginas. Os mangás que se tornam populares e contém um número de páginas em torno de 160 a 200 páginas, podem ver as suas histórias publicadas em versões encadernadas. Estas versões são publicadas em edições de bolso e contém apenas histórias de uma série. Ao contrário do que estamos habituados, os mangas são escritos da direita para a esquerda e não da esquerda para a direita. Mesmo a leitura de um livro é feita da forma inversa a ocidental, ou seja, o que para nós é a capa do livro, para eles é a contracapa e vice-versa. A procura de um mangá, pode ser feita através de uma demografia: Kodomo – para crianças de terra idade; Shonen – para rapazes adolescentes Shoujo – para raparigas adolescentes Seinen-para homens jovens e adultos Josei – para mulheres jovens e adultas A procura por género é mais extensa e de difícil busca, uma vez que um mangá pode contemplar vários genros. Nekketsu – contém várias cenas de ação, onde os personagens defendem os valores da amizade e do treinamento Spokon – mangá esportivo Gekiga – mangá adulto e dramático Magical Gril – mangá onde o personagem tem objetos mágicos ou poderes especiais Yuri – histórias de amor, entre meninas Yaoi – história de amor entre homens Harém – histórias de rapazes cercados por raparigas Mecha – história com robôs Hentai – Seijin mangá ou Ero-mangá, com histórias Ecchi , sexuais, pornográficos na maioria heterossexuais (partes intimas censuradas) Aniparo – paródias de animes, mangais, entre outros. Jidaimono – Mangá histórico Jôhô – mangá educativo Anime Anime ou Animé, são os “desenhos animados” japoneses, muitas vezes baseados em mangás populares. Apesar que por vezes, também pode acontecer o contrário, um anime dar origem a um mangá. A indústria do anime consiste em 430, estúdios de produção e estes são um sucesso internacional. Principalmente após a ascensão das dobragens em exibição televisiva. O resultado do aumento da popularidade resultou em produções não-japoneses, ou seja, versões ocidentais com o uso do mesmo estilo de arte. Como exemplo de animes temos vários bastantes populares em Portugal, tal como: Capitan Tsubasa ou Oliver e Beiji Os cavaleiros do Zodíaco A Cinderela ou Cinderella Monogatari Detective Conan Digimon Doraemon DoReMi Dragon Ball InuYasha Kimba, o leão Branco Medabots Mermaid Melody Mew Mew Power Monster Rancher Nadja Naruto Ninja scroll One Piece Pokémon Sailor Moon ou Navegantes da Lua Sakura Card captors Samurai 7 Samurai X Sonic X Yu-Gi-oh! Zorro ou A Lenda de Zorro Características Tanto os mangás, como os animes possuem características, bem distintas. Marcados pelo uso da arte ágil, enquadramentos ousados e pelas diversas abordagens. O uso de metáforas visuais de forma exagerada, como forma de expressar sentimentos. Gota de água ao lado do rosto da Personagem – constrangimento Diminuição subi a do personagem – Vergonha ou medo Nervos esterizados, dentes ou chifres aparecendo – raiva ou maldade Olhos grandes e expressivos – admiração, suplica, entre outros Também existem vários ternos, que são mantidos em japonês, em vez de serem usadas as “traduções similares”, tais como: Lolicon – é uma gíria para “pedófilo” Moe – é geralmente considerado agradável, inocente, ingénuo, fofo ou adorável. Okama – Homem que pratica cross-dressing, usa maquilhagem, fala como uma mulher, etc Onee-Chan ou Onee-sama – Irmã mais velha Onii-chan ou Onii-sama – Irmão mais velho Osananajimi – amigo de infância Otaku – Pessoa com obsessão por anime, caracterizado por ter tendências antissociais, com uma grande atração por personagens 2 D Otenba – menina moleque Oyaki – papai Ones hot – mangá que só tem 1 capítulo, curto e que não faz parte de nenhuma série Bishoujo – termo usado para caracterizar jovens bonitas e geralmente abaixo da idade universitária Honoríficos -san: Tratamento respeitoso, não tem intimidade com a pessoa. “senhor”; “senhorita”; “senhora”. -senpai: “veterano” -sama: “vossa senhoria”, tratamento respeitoso externo -kun: próprio para garotos, equivalente ao ” -San”. Onii-tan: forma mais fofa e carinhosa de chamar o irmão Onii-Chan: modo carinhoso Onii-sama: modo respeitoso