elasdoavesso.com
Do mesmo produtor de borboletas no mundo
Chateia-me o amor roubado aos dias… o amor numa chávena de café… suja, fria no café que se desmembra sem corpo na minha língua… magoa-me o amor num jantar enrugado… de narizes fundos… de olhos crav…