cinematecando.com.br
Análise: 'Coisa Mais Linda' mostra como ser mulher é ser revolução | Cinematecando
“Uma mulher tem que ter Qualquer coisa além de beleza Qualquer coisa de triste Qualquer coisa que chora Qualquer coisa que sente saudade Um molejo de amor machucado Uma beleza que vem da tristeza De se saber mulher Feita apenas para amar Para sofrer pelo seu amor E pra ser só perdão” É citando Vinícius de Moraes que começa a série brasileira Coisa Mais Linda. Nela conhecemos Maria Luiza (Maria Casadevall), Lígia (Fernanda Vasconcellos), Adélia (Patrícia Dejesus) e Theresa (Mel Lisboa). Poderiam ser apenas quatro amigas saindo numa sexta à noite para tomar uns drinks e falar sobre suas experiências …