vontade de ouvir sua voz

Mas que porra é essa?
Pensei
Cadê o amor?
Cadê aquele calor da juventude?
Onde foi parar a paixão?
Tive o desprazer de nascer na pior geração
Sinto falta de amar
De ter o nosso lar
Mesmo que esse lar
Se chame calçada.
Sinto falta
Da paixão desenfreada
Da ligação na madrugada
- só queria ouvir sua voz
Eu dizia.
Cadê a vontade de ver?
De estar perto?
Mesmo que seja 30 minutos.
Não precisa ser muito
Alguns minutos de ti
Por dia
Seria alegria insana
Surreal
E ideal
Para a felicidade
—  A geração fria, onde o amor por vez, morria dia a dia, Rubens Miranda.
Mas não parou pra pensar? Eu quero ser pra você o que nenhuma garota foi antes. Quero ser o seu porto seguro, aquele alguém que você conta quando qualquer coisa dá errado e você não sabe ao certo o que fazer. Quero ser aquela que permanece ao seu lado, quando ninguém mais está. Quero ser quem te fazer sorrir, quando a sua única vontade é chorar. Quero ser aquela que te liga de 10 em 10 minutos para saber se anda tudo bem na sua viagem, com a desculpa de estar preocupada e com ciúmes, quando na verdade só quer matar a vontade de ouvir a sua voz. Quero ser aquela que vai implicar com o seu videogame, por estar querendo 5 minutos de atenção. Quero ser aquela que vai te dar horas de dor de cabeça, após gastar todo o dinheiro das nossas compras no supermercado em guloseimas e porcarias. Quero ser aquela que te faz querer sair cedo do trabalho, só pra vir ao meu encontro. Quero ser aquela que te acorda durante a madrugada após um sonho ruim e te abraça, porque além de um calmante, você é um ótimo refúgio. Quero ser aquela que te amou sem medidas, sem barreiras, sem esforços, sem ilusões. Aquela que te amou todos os dias que passaram e que vai continuar te amando pelos próximos dias que virão, e assim, juntos, construiremos o nosso próprio infinito.
—  Tickets of Cassie.
Eu olho tanto meu celular que já decorei de quanto em quanto são cinco minutos. Eu tenho vontade de jogar meu celular numa parede qualquer. E me libertar da vontade de ouvir sua voz. De novo, de novo, eu não canso. De novo fazendo romance em cima de um conto breve. Se você não ligar, nunca mais, eu vou ficar triste, igual fiquei semana passada porque outro não ligou, igual fiquei semana retrasada porque outro sumiu. Igual eu vivo ficando chateada e vive passando. Liga, vai, me dá uma chance. Me dá uma chance de ser extremamente sensual apesar do meu braço torto e das celulites da minha bunda. Ser extremamente sensível apesar de todas as ironias que eu te falo pra você não achar que pode me ganhar.
—  Tati Bernardi.
Eu olho tanto meu celular que já decorei de quanto em quanto são cinco minutos. Eu tenho vontade de jogar meu celular numa parede qualquer. E me libertar da vontade de ouvir sua voz. De novo, de novo, eu não canso. De novo fazendo romance em cima de um conto breve. Se você não ligar, nunca mais, eu vou ficar triste, igual fiquei semana passada porque outro não ligou, igual fiquei semana retrasada porque outro sumiu. Igual eu vivo ficando chateada e vive passando. Liga, vai, me dá uma chance. Me dá uma chance de ser extremamente sensual apesar do meu braço torto e das celulites da minha bunda. Ser extremamente sensível apesar de todas as ironias que eu te falo pra você não achar que pode me ganhar.
—  Tati Bernardi.
3

- Deu uma vontade de te ter aqui, vontade de um abraço apertado, um beijo demorado e ouvir a sua voz… vontade de te fazer sorrir e rir junto, vontade de deitar com você, falar sobre o futuro, e deixar o tempo passar, uma vontade tão grande, de que seja só eu e você.

04:04 da madrugada e estou aqui tentando me controlar pra não te ligar, quero você aqui comigo. Estou desde as 2:30 em pé olhando o meu avô no banheiro, e queria você aqui, queria poder deitá-lo e em seguida ir pra cama e te ver lá, dormindo feito um anjo, queria poder abraçá-la de conchinha, beijar seus ombros, sentir o cheiro do seu cabelo todo bagunçado no meu rosto, poder deslizar meus dedos suavemente pelos seus braços e toda a lateral do seu corpo e logo abraçá-la mais forte. Você me acalma tanto, única pessoa que consegue me acalmar, tão facilmente. Posso estar morrendo de raiva, socando e quebrando tudo, que ao ouvir a sua voz, esse seu sorriso, tudo fica bem. Você consegue me tirar o sorriso mais bobo e longo enquanto soluço de tanto chorar. A minha vontade é de te ligar, ouvir a sua voz me xingando por ter te acordado. Eu babaria por longos minutos, ouvir sua voz de sono, tentando ser brava, e ao mesmo tempo sendo doce, oh eu quero ouvir… Mas tenho dó em acordá-la, que vou ficar apenas na vontade. E sei que quando chegar na porta do quarto, vou te ver deitada no canto da minha cama, pois sou louca, lembra? Eu te vejo sempre, em todos os lugares, os mais improváveis, você está lá, a mais bela, com o sorriso mais apaixonante, a minha princesa. E eu vou sorrir, feito uma boba, as pessoas ao redor não vão entender nada, mas quem liga pra elas? 
Amor, eu quero você aqui, estou manhosa, e só você cura isso, quero o seu abraço, o seu beijo, seus carinhos… Mô, vem cá? 
Eu te amo, minha princesa adormecida.

Ps: São 5:11 da madrugada, acabei de deitar e você estava dormindo feito um anjo no cantinho da minha cama.

Eu não preciso de dinheiro, não preciso de fama, não preciso mais dos meus vícios. Eu só preciso de você. Preciso do seu sorriso, do seu olhar, dos seus toques, do seu corpo. Preciso do seu cheiro junto ao meu, preciso de nossas almas fundidas a uma só. Saudade e a vontade de te ligar, apenas pra ouvir sua voz estão me deixando louco. Ficar imaginando teu sorriso, beijo, teu confortável abraço. Sentir a vontade de querer o seu calor. Querer você ao meu lado pra qualquer situação, gargalhando, chorando, ou até discutindo, mas que no final terminando em um belo momento. Te querer comigo, já se transformou uma extrema necessidade.
— 

UMA CARTA PARA O MEU AMOR ETERNO

Matt Oliveira.

Eu olho tanto meu celular que já decorei de quanto em quanto são cinco minutos. Eu tenho vontade de jogar meu celular numa parede qualquer. E me libertar da vontade de ouvir sua voz. De novo, de novo, eu não canso. De novo fazendo romance em cima de um conto breve. Se você não ligar, nunca mais, eu vou ficar triste, igual fiquei semana passada porque outro não ligou, igual fiquei semana retrasada porque outro sumiu. Igual eu vivo ficando chateada e vive passando. Liga, vai, me dá uma chance. Me dá uma chance de ser extremamente sensual apesar do meu braço torto e das celulites da minha bunda. Ser extremamente sensível apesar de todas as ironias que eu te falo pra você não achar que pode me ganhar.
—  Tati Bernardi.
Eu amo a chuva. Mas com a chuva sempre vem a nostalgia. E a nostalgia é a melhor amiga da saudade. E minha saudade tem o seu nome. E embora bata uma vontade descontrolada de ligar pra você no meio da noite para poder ouvir sua voz falando aquelas coisas aleatórias como se tudo estivesse bem, eu paro, e lembro. Lembro de tudo o que já se passou, os motivos pelo qual me afastei. E nem é preciso lembrar pra perceber, basta notar a situação em que meu coração está depois que você o partiu. Basta notar que você está vivendo muito bem sem mim. Não é preciso ser um gênio para se dar conta de que na gangorra eu sempre fui quem mais amou, sempre pesei mais, te coloquei lá no alto.
—  Esquina de lugar nenhum, Desiludiste.
Ontem senti uma vontade louca de falar com você. Peguei o celular, reli aquelas suas mensagens antigas que você nem deve se lembrar de que um dia me mandou. Reli também as nossas conversas no Facebook e repassei cada detalhe e cada conversa de quando estávamos juntos.
Lembrei do nosso primeiro beijo e de ter tido certeza naquele momento que eu deveria ter ti beijado antes. Lembro também do nosso último beijo e como eu não sabia que aquela seria a última vez que iria sentir os seus lábios nos meus e o seu cheiro se misturar ao meu.
E ontem, naquela noite fria e vazia, senti uma vontade louca de ouvir sua voz, saber mais sobre você e como foi o seu dia. Senti uma vontade repentina de você, do seu sorriso que tanto admiro e que há muito tempo não vejo.  Senti uma vontade de poder sorrir e te dizer tudo aquilo de bom que por ti sentia. Me deu uma vontade de poder te abraçar, te beijar, acariciar o seu cabelo, te dar as minhas mãos, vestir teu moletom. Ah, como ontem senti um desejo e uma saudade de você.
E por um momento de fraqueza cheguei a discar o seu número, mas recuperei a minha lucidez a tempo de não deixar completar a ligação. O que eu iria dizer? A velha e boa desculpa que havia discado o número errado àquela altura da noite, não iria colar. Talvez poderia ser sincera e dizer: “Ei, desculpa, é que ainda não te esqueci e tô sentindo muito a sua falta.”, mas o meu orgulho enorme e o meu amor próprio não iria permitir.
Então,  preferi me calar mais uma vez, engolir em seco as minhas lágrimas que estavam prestes a  se derramar e ir, em uma tentativa frustrada dormir, porque você, meu amor, não vale a pena, aprendi.
—  Thalia Gonçalves

One shot com Harry - Secretary 2 - Parte 1

Secretary 

————————————-

- Você não confia em mim. - Harry afirma enquanto eu ajeito sua gravata. Estamos em casa nos arrumando para o trabalho e discutindo sobre Harry ter uma nova secretaria.

- Eu confio em você, não confio nelas - Explico e terminando meu serviço com a gravata. Eu tento me afastar dele mas me puxa pela cintura.

- Você não precisa. Meu coração é seu - ele sussurra olhando em meus olhos, Eu derreto.

- Eu sei - sussurro de volta e lhe dou um selinho.

- Talvez se você voltasse para empresa …- Eu reviro os olhos.

- Nós já conversamos sobre isso, e minha resposta é não. - Harry sempre me pede para voltar a ser sua secretaria, mas eu sou uma ex-policial. Não dá.

- Posso te fazer uma proposta? - ele pergunta abrindo um sorriso. Eu suspiro.

- Pode, 

- Então você vai na delegacia pedir seu emprego de volta não é? - concordo. - Então, se você não conseguir você trabalha comigo, mas se você conseguir eu prometo não tocar no assunto. - Eu o encara pensativa. Seria uma boa ideia?

- Hmm - ele faz beicinho. Isso não vai prestar. - Ai, tudo bem. - Eu me dou por vencida e me solto dele. Ele pega meu pulso.

- Trato é trato. - diz e me puxa para seus braços novamente, ele ergue meu queixo e colo seus lábios no meu, abre um espaço entre os lábios para sua língua invadir minha boca, eu correspondo o seu beijo da mesma forma, no mesmo ritimo.

- Oh eu sei onde isso vai parar - eu me separo nossos lábios quando percebo o ritimo rápido que se torna. - Você é muito tentador, mas eu preciso mesmo do meu emprego de volta. - Lhe dou um selinho e me solto de seus braço mais um vez, pego minha bolça e dirijo-me até a porta. - Tenha um bom trabalho, senhor magnata. - Sorrio para ele que devolve na mesma forma.

- Se ver meu pai lá, mande-o para o inferno. - Ele diz em um tom de desgosto.

- Tenho certeza de que ele já está lá. - E assim saio. Desde que o pai de Harry foi preso que ele o simplesmente odeia. E agora ele se tornou o presidente da empresa ou seja…O magnata dos sonhos de toda mulher.

***

Eu ainda não acredito que eles não me aceitaram, eu fiz muito por eles e eles simplesmente jogam isso no lixo. Eu estou fervendo, preciso de Harry.

- (s/n), quanto tempo…- O ascensorista do elevado diz assim que eu entro. Eu não to afim de falar com ninguém então apenas lhe dou um sorriso falso. Ele me leva até o ultimo andar, eu saio do elevado andando as pressas e assim que chego na porta da sala de Harry dou de cara com a ultima pessoa que eu queria ver, sentada na minha antiga mesa.

- Susan? - eu rosno. - O que tá fazendo aqui? - Ela da o seu sorriso sínico e quando ela abre sua boca suja para se pronunciar Harry sai de sua sala.

- Susan, eu preciso do relatório de sexta…- Ele termina a frase e vira seu rosto para mim, arregala os olhos meio assustado.

- Claro, chefinho. - Tenho vontade vomitar só de ouvir sua voz. Aperto meus olhos e respiro fundo. 

- Posso explicar…- ele tenta mas eu já estou batendo os pés para o elevador. - Você não vai fugir de mim! - ele corre atrás de mim e segura meu braço. - Vamos para minha sala! Agora! - ele fala firme e arrasta até sua sala, isso me dá medo mas não me faz perder a razão.

Harry fecha a porta atrás de si e passa a mão pelos cabelos. Eu fico em sua frente de braços cruzados esperando uma cabível para isto está acontecendo.

- Olha, eu sei o que está pensando. E não é isso! - ele tenta mas não me convence.

- Sério Sherlock? E o que estou pensando? - falo furiosa.

- Que eu não tive coragem de demiti-la. -  Eu semi cerro os olhos.

- E não é isso que está havendo? Por que está bastante claro pra mim. 

- Não, eu não tive oportunidade de escolher outra secretária. Meu pai deixou essa empresa ao fundo do poço. Eu não tenho tempo de ficar lendo cada ficha que mulheres deixam aqui. Eu não posso simplesmente demiti-la e ficar sem auxilio de alguém. Me entende? - Eu rio sem humor.

- Me deixe ir embora. - Eu o ignoro. Ele está de pé a frente da porta me impedindo.

- Não, você não vai - ele se aproxima de mim. 

- Se você não me deixar ir eu vou gritar. - dou passos para trás enquanto ele da para frente.

- Eu tenho certeza que vai. - Ele sorri maliciosamente. Será que ele não vê o quanto estou furiosa.

- Não! Fique longe. Estou fodendo de raiva de você e daquela… daquela cadela…

- Aqui está os relatórios chefinho. - Susan abre a porta. Seu tom é provocativo, eu to com vontade de voar no pescoço dela e nada vai me impedir. Eu vou pra cima dela mas Harry me segura.

- Não. - Ele segura fortemente meu braço. - Não vai machucar ela! - ele diz firme. Eu o olho incrédula, isso não está acontecendo.

Minha meta para o próximo ano, é poder segurar sua mão e dizer que tudo vai ficar bem. É poder te dar um abraço e sentir o conforto nos nossos corações. É poder dormir do seu lado e dizer pra não ter medo do escuro. É fazer nossos pés correrem juntos pra fugir daquela chuva. É realizar a vontade de se olhar não só pela tela. É ouvir a sua voz e poder sussurrar antes de dormir sem que a ligação fique ruim. É dar ou ter um ombro pra chorar quando precisar. É segurar sua mão e ver que foram feitas pra ser encaixadas. Minha meta para 2014 é estar com você, sorrir com você e nada mais.
—  B²
Então vem cá, sente aqui do meu lado e deixe eu te contar tudo o que eu sinto. É isso que você quer saber não é ? Pois bem, eu sinto uma alegria imensa em estar contigo, sinto um puto tesão quando você me abraça por trás, sinto minhas bochechas ficando vermelha quando você me elogia, sinto uma paixonite por você, paixonite não, paixão mesmo. Quer mesmo que eu continue falando o que eu sinto ? Ta bom. Sinto uma enorme confusão na minha cabeça e no coração, por não saber ao certo se você gosta ou não de mim, sinto que cada dia que passa eu me pego gostando de você cada vez mais, me sinto muito bem quando estou contigo, sinto que nossa boca se encaixa perfeitamente, e que sua mão foi feita pra ficar grudada na minha, ou às vezes na minha nuca, sinto um puto ciumes de você com suas amigas, sinto um medo enorme de te perder, sinto vontade de te ligar de meia em meia hora pra ouvir sua voz, de te mandar um sms dizendo o quanto eu gosto de você, sinto saudades quando a gente fica mais de 4 dias sem se ver, sinto vontade de ficar quando tenho que ir embora,ah cara, eu sinto tanta coisa por você. Sinto muito, mas se fosse pra falar tudo, ficaria aqui pro resto da vida. Você me faz sentir coisas que nunca senti antes.
—  Desconhecido.
Minha alma (Subitamente)

Minha alma se apaixonou
Pela sua
Foi amor a primeira vista
Se conheceram através
De palavras compartilhadas
Escritas
Conversar contigo
Me desperta sentimentos
E eu amo sentir
E eu só quero ouvir
Sua voz
E tenho vontade de compor
Como eu e você
Deveria virar nós
Você me cativou
Se tornou,
Alguém que quero por perto
Eu não sei ao certo
Da vontade de não ter teto
Ficar sem telhado
Porque olhando pro céu
Quase me sinto ao seu lado
Quando posso entender
O que sente
É que me sinto próxima,
Entende?
Mas quero ver seu sorriso
Poder te dar um abraço
Apertado, como o laço
De cadarço do meu All Star
Sim, eu queria estar
Contigo agora
Pra poder sugerir
Que qualquer hora
A gente saia por aí
Podíamos viajar
Ou ficar pra tomar um café
Você sabe como é
Fraco ou forte?
Açúcar ou adoçante?
Quem sabe nesse instante
Enquanto me responde
Eu perceba nos seus gestos
Distraídos e despercebidos
Alguma coisa que faça que eu
Te goste ainda mais
Espero que quando leia
Não fique espantado
Ou ache exagerado
Já não disfarço
Que gosto de você
E me desculpe
Mas não vou guardar
Também tenho algumas incertezas
Que não guardo na gaveta
Ficam em cima da mesa
Não queria que encontrasse
Essa bagunça
É que tem muita coisa avulsa
Pra juntar
Sei que aos poucos
Vai tudo pro lugar
Temos tanto pra compartilhar
Se você resolver ficar,
Apesar do meu jeito
Vou fazer tudo que tem direito
E cada poesia minha
Minha alma
Encantada com a sua
Vai fazer que meu lápis
Escreva quer que
Que você se atreva
Subitamente.

~~~Thayna Rangel

(Angel)
Poderia ter sido tanta, mas tanta coisa. Poderia ter sido aquele abraço pra me proteger, o assunto na mesa de bar com as amigas. Poderia ter sido o nome, pra quando todos perguntassem quem era o canalha que eu mais amei na vida. Poderia ter sido aquele que não aguentou a minha dor existencial, e chorou comigo. Poderia ter sido a minha vontade de voltar à igreja, a minha felicidade em comprar um livro novo, a cura pra minhas agorafobias. Poderia ter sido o despertador adiado todas as trinta vezes seguidas, aquela tatuagem idiota no antebraço esquerdo, aquela pisada no pé quando insistisse que arriscasse alguns passos de dança. Poderia ter sido aquela pessoa que me ensinou a gostar mais de cachorros do que das próprias pessoas. Poderia ter sido o motivo de voltar a ouvi Caetano, de escrever versos em agendas já rabiscadas, de voltar a desenhar meus horrorosos cavalos-marinhos. Poderia ter sido as minhas horas perdidas em frente ao espelho, tentando vomitar do interior, alguma beleza que chegasse à beleza dos teus pés. Poderia ter sido as minhas buscas ao chão, de tentativas de sobrevida. Poderia ter sido o colo que ninguém soube dar, e que você como ninguém, soube entender que precisava tanto. Poderia ter sido o motivo da minha insônia na madrugada, o motivo de não levantar da cama num dia frio. Poderia ter sido minha companhia quando não existisse posição no mundo confortável pra mim. Poderia ter sido minha vontade de aplaudir o sol, de contemplar a mudez das estrelas, de continuar a ouvir os ecos de nossas vozes pela cozinha. Poderia ter sido minha vontade de parar de fumar, e não meus dois maços de cigarros baratos por dia. Poderia ter sido as risadas que sobraram pelo tapete, a vontade de pegar o telefone só pra ouvir aquela sua voz meio gasguita. Poderia ter sido inimigo da minha mãe, amigo dos meus inimigos, parente dos meus irmãos, pai dos nossos filhos. Poderia ter sido um porta-retrato empoeirado na estante antiga. A falta de espaço na gaveta de meias. Poderia ter sido a única chance que sempre tive e precisei de tentar a cada dia ser uma pessoa melhor. Por mim. Por nós. Poderia ter sido você. Todas as saudades grifadas nos meus livros do John Green. Todas as flores que reguei no canteiro da esquina. Todo o amor que sonhei na vida. Poderia ter sido tanta, mas tanta coisa. Poderia ter sido tão leve, tão sereno, tão démodé. Poderia ter sido tudo, mas não foi. Preferiu ser mais um.
—  Michael Letto