vitoriam

Considero amor algo mutável. Às vezes pouco, às vezes um exagero, às vezes dividido. Amor é quando se acha a parte que estava faltando. Algo que te preenche, completa, une. Amor é ter paciência. Amor é ter respeito. E na real, amor não precisa ser sempre certeza. Mas é um sentimento tão único que se transforma em afirmação facilmente… Ele acontece quando se menos espera. (b-l)

Entenda que eu queria ser diferente do que sou. Eu queria ser mais segura, mais forte, mais madura… Sabe aquelas pessoas de personalidade forte, que tem a resposta para tudo? Então, eu não sou assim. Eu ainda vacilo muito, eu ainda não sei amar. Eu fraquejo imediatamente quando sei que corro riscos - que são tolos, eu sei; mas sou assim. Você pode me julgar, me condenar quantas vezes quiser: mas no fundo, no fundo, eu não ligo. Eu também faço isso indecentemente. 

(Vitória M)

Agora falando sério. Se eu tivesse que escolher realmente o que queria ser, eu já tenho uma resposta na ponta da língua: uma linda Barbie. Mas não qualquer Barbie - eu queria ser Barbie de menina pobre, cuidadosa, que fez sacrifício pra me ter. Que depois de ganhar no Natal, passou as férias comigo: penteou meus cabelos, alisou meu rosto, me deu comidinha, me trocou de roupinha, me apresentou aos amigos imaginários, e no final do dia, me colocou pra dormir abraçadinha com ela. A menina estaria me dando toda a sua atenção pueril e sonharia ser como eu quando crescesse. Meu sorriso sempre nos lábios a mostraria que devemos manter a pose sempre, independentemente do ocorrido. Eu nunca choraria, e assim, quietinha, a ensinaria a ser forte. Estaria muito feliz… Teria de verdade alguém que me amasse e que zelasse por mim. E o mais importante de tudo isso: me daria valor.
—  Vitória M

E quando eu tento ser forte, eu consigo. Desempenho bem o papel. Só que depois de tantos problemas, de tantas inseguranças, de tantas manias, de tantas cenas terríveis, é impossível manter a pose.
Eu sinto falta daquelas pessoas que se diziam meus amigos. Essas pessoas que prometeram-me amar para sempre, estão aí, me xingando pelas costas e se aproveitando de tanta coisa que eu construí… Eu sou tão vulnerável, tão apegada as vitórias. Eu não sei perder, não sei aceitar tudo facilmente, não sei viver fora do meu círculo. Sempre me sinto perdida e tenho medo do futuro. Não sei lidar com quase nada. Já tive uma auto-estima melhor. Antigamente eu sabia quem eu era, sabia o que eu gostava.. Hoje em dia estou xingando minhas preferências. Estou louca. Já cansei de escrever, de dar atenção, de gostar de milk-shake. Na verdade, desde que o preço do milk-shake aumentou, eu passei a ficar impressionada com as mudanças - ah, as mudanças! Eu daria todo o brilho dos meus olhos (o que ainda restou…) para que elas não me prejudicassem.
Eu sofro com minhas falhas. Odeio ser perfeccionista. Mas… você já viu uma perfeccionista preguiçosa? Então, essa sou eu. O que há de errado, há de mim. Eu sou tão contraditória a ponto de negar tudo o que eu acabei de escrever aqui. Me machuco o dia todo e levanto meus lábios toda hora. Eu gosto de sorrir pro mundo, mas às vezes eu me canso. Aliás, eu sempre estou cansada. Isso está mais do que claro e eu não poderei negar… Ou não.

(Vitória M)