violeta e

Não se importava com mais nada. Raramente chorava e nunca deixava transparecer sua dor. Dessa vez, porém, chorou descontroladamente. Conheceu a linguagem das lágrimas, a mais universal e penetrante de todas as locuções. Sentou-se numa mureta que contornava um belo jardim onde cresciam margaridas, jasmins e violetas multicoloridas. Seu mundo, no entanto, era destituído de cores e de flores.
—  Augusto Cury.
A casa de tijolinhos celestiais

Ele me contou que em sua casa, as flores cantam quando o veem. Revelou que podemos deitar por cima das nuvens e observar o majestoso voo das andorinhas. Me mostrou cometas, asteroides, estrelas e Saturno. Milhares de coisas que desconheci. Abriu meus olhos e disse que onde Ele mora, tudo pode ser tocado. Disse que os animais andam juntos e que nenhum mal se sobrepõe. Me falou da eternidade, da minha morada, dos prantos de alegria e dos reencontros. Eu vi anjos, artistas, poetas, harpistas. Ele me contou do seu amor e de como me acha bonita. Vez ou outra, uma gotinha percorria sua face. Revelou gramas, frutos, pontes e rios cobertos de vida. Me apresentou ao Salvador e ao Consolador. Falou de como meus passos poderiam viver sem tocar o solo e que ainda assim, eu escolheria correr todas as tardes. Vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, anil e violeta. Onde encontro o pote de ouro? (Espero que nos olhos dEle). Amado meu, Criador dos meus sonhos, me entrego a ti e sei que assim, tudo vai ficar bem.

Deixe Partir

No sábado, você me disse que iria embora. No domingo lhe comprei rosas amarelas e te escrevi um bilhete pedindo para que você ficasse. Na segunda, lhe comprei violetas azuis e lhe escrevi sobre o quão belo é o contraste dos seus olhos quando você usa uma dessa atrás da orelha, pedi para que você ficasse. Na terça, lhe comprei rosas vermelhas e escrevi o quão lindo é o teu sorriso quando eu conto aquelas piadas sem graça para você, pedi para que você ficasse. Na quarta, lhe comprei rosas, rosas  e pichei versos em cada muro de nossa rua, pedindo para que você ficasse. Na quinta, te comprei rosas brancas e lhe escrevi falando da paz que o seu olhar me traz, pedi para que você ficasse. Na sexta, lhe comprei ‘ dente de leão” e soltei-os ao vento com você no fim da tarde, pedi para que você ficasse. No sábado, caminhei com você pelo parque, te levei a sua lanchonete preferida e nadei com você na lagoa do bosque perto de nossa casa, pedi para que você ficasse. No domingo, você pegou o avião e partiu. Pensei por um momento que o problema talvez estivesse nas rosas, no parque ou até mesmo na lagoa que você amava, mas não o problema era eu, pois você não me amava o suficiente para ficar. Adeus.

Vou violando sentidos
Sentido o violão violar
Fazendo violeta cantar
E violenta, violácea
Tocar a valsa que embala
A textura de pele
Pelo texto intenso
E teso da paixão
Da tensão, do tesão
Sagrado, insano, infame
Profano, profundo
Que queime, inflame
E que no final de tudo
Esqueça do mundo
Do meu nome, da fome
Ao som de uma viola
Que me viola a paz
E que contumaz
Me faz querer mais


Edison Botelho

Poesia no ar

Encheu-se de ar
a nobre alma de um homem
que sem saber falar,
flutuava escrevendo.

Conheceu as rosas
“margarida e violeta”
deu uma volta na galáxia inteira.

Após um longo passeio
deleitou-se de uma alma poetisa
de aproximadamente 100 anos
que ficava cantarolando:

“São as poesias que eternizam o mundo
São as poesias que eternizam a alma
São as poesias que eternizam a vida
São as poesias que eternizam a fala…”

E o homem cheio de inspiração
declamou uma citação:

Somos poesia no comer e no andar
Somos poesia no ajudar e no falar
Somos poesia ao sentir e demonstrar
Somos poesia quando aprendemos a amar.

E a poetisa e o homem flutuaram
como um balão sem rumo, sem medo e sem hora para voltar ao chão.


@luizmchd

Eu te sentia em tons de azul e violeta. Nas piores crises sinestésicas tu tinhas gosto de chocolate bem amargo. Talvez fosse coincidência passar pelas ruas e sentir cheiro de tu em todo lugar. Era como se eu estivesse enlouquecendo e tua presença me perseguisse enquanto teu amor me esquecia lentamente.
—  Um Coração Partido
Cidade cinza

Engraçado como o simples me atrai
Enquanto eu sorrio alguém chora com o que vai
Vejo crianças e borboletas
Vejo seu riso e flores violeta
Enquanto faço café sinto carinho no pé
Minha gata que mia baixinho
E se chama docinho
O sol se põe e tudo fica alaranjado
Eu me encanto com a beleza escondida atrás do céu acinzentado

- Devaneios

Nem sempre sou poeta
Leve de alegria aberta
Às vezes sou sisudo
Um bicho carrancudo
Que esqueceu o sorriso

Às vezes perco o brilho
Fico longe do equilíbrio
E me fecho tão duro
Num casulo obscuro
Sem a cor de poeta

Nestas horas incertas
Sem rosas e violetas
Me fecho num silêncio
Num vazio imenso
Sem ter nem a mim mesmo

Até que uma hora se desperta
Aquela voz de poeta
Com algum belo verso
Me ensinando um sorriso
Numa poesia de improviso


– Edison Botelho


“Dice un proverbio indígena, que hay que tener cuidado cuando se habla, porque con las palabras se teje un mundo a nuestro alrededor. Cuando escribo, creo universos, guaridas que me protegen si el ruido afuera es ensordecedor. Navego por mares dulces, cruzo continentes de algodón, extiendo mis alas y surco cielos amarillos. Hablo conmigo misma teniendo diferentes nombres, a veces soy grande y otras demasiado chiquita. Acaricio el sol y la luna es mi gran sillón. Cuando decido volver, veo las cosas de otra forma, o quizás tal como son. Sé que esos otros mundos siempre me ayudan a capitalizar experiencias, a transformarme, conocer la verdadera magia de la alquimia de la vida y siempre volver a empezar. A algunos de mis personajes pude hallarlos dando vueltas por ahí, mostrándome su peor rostro y otras veces diciéndome la palabra justa para no rendirme. Nunca supe si los creé o ellos me crearon a mí. Pienso que vivir es saber distinguir cuando es momento de luchar, momento de hablar, también de decir basta y aprender a callar. Regresar a casa para encontrar las respuestas. Romper las cadenas que alguna vez até en mis muñecas sin saberlo, soltar, dejar ir, vaciar, limpiar, entender que siempre estuve en mí. Estoy creando un nuevo horizonte, lleno de luz, donde siempre podré sentirme segura. Llegará el día en el que descubra que aquellos mundos son parte de mi piel, que me construyeron siendo mi sostén. Entonces, solo entonces, ya no estaré dividida entre el “allá” y el “acá”, porque serán solo uno. Mi mirada te lo dirá todo, todo, todo. En ella verás reflejadas las galaxias, estrellas azules también, tu esencia fundiéndose con mi alma que ya es luz y solo quiere brillar para despejar las tinieblas. Escribo, creo historias y fantasías, adonde quiera que vaya las llevo conmigo, y cuando el tiempo pase y algún día ya no me veas, me encontraras en ellas, danzando entre mariposas violetas e hilos de plata, donde la eternidad descansa, donde mi corazón es libre… ”

-Natalia Lewitan-

Pedido:Faz um que ela é apresentadora do x factor e o Zayn pede ela em casamento ao vivo. Bem romântico.

***
Hoje é a final do programa X-factor e como apresentadora a muitos anos sei que todos estão muito mais agitados que o normal. Eu entendo que é a final e que isso irá decidir a vida de um dos participantes, mas eles estão agindo tão estranhos e é comigo.
- Todos estão tão estranhos comigo.- Entrei na sala que meu noivo estava se arrumando para se apresentar na final.
Zayn olhou através do espelho para mim e deu um sorriso de tirar o fôlego de qualquer um.
- Deve ser apenas impressão amor, vem aqui. - Se virou ficando de frente para mim e bateu em sua perna pedindo pra mim se sentar alí. Quando me sentei ele começou a fazer um carinho na minha coxa e sua outra mão ficava subindo e descendo na minha costa. - É a final, o programa vai ser ao vivo e eles não podem cometer nenhum erro.
- Eu sei disso Zayn… - suspirei pensando no que ele disse. - … mas em todos esses anos trabalhando aqui, nunca vi eles agindo assim.
Zayn foi falar alguma coisa, mas alguém entrou na sala.
- Já achei ela. - Falou desligando sua escuta. - (S/N) vamos ao ar em cinco minutos.
Sai do colo de Zayn e arrumei minha roupa que estava um pouco amassada.
- Vamos? - perguntei andando em sua direção, minha assistente assentiu e começou a andar na minha frente.
Antes de sair completamente da sala que Zayn estava, ele me chamou.
- Você está linda.
Foi tudo o que ele disse e me deu uma piscadela.
Continuei o meu trajeto até estar no palco junto com um outro apresentador.
Até então não estava nervosa, mas quando começou a contagem regressiva para o programa começar senti um frio na barriga e conferi uma última vez meu vestido vermelho que ia até um pouco acima dos meus joelhos, no meu busto era mais apertado e chagando na cintura era soltinho.
- Quatro… Três…Dois
As luzes começaram a piscar e a platéia batia palmas e gritava.
- Boa noite, estamos no ar com a grande final do The x- factor. - Meu colega de trabalho começou falando muito empolgado.
-Os nossos finalistas estão se preparando para as apresentações que irão mudar sua vida completamente. - Fiquei aliviada quando consegui falar sem gaguejar ou travar. - E enquanto isso podem entrar nossos belíssimos jurados.
Os jurados entraram e o programa começou, tivemos apresentação, fizemos uma retomada dos participantes no programa e assim foi indo até que entrou no nosso último comercial antes do resultado.
Zayn e mais alguns convidados se apresentariam depois que saísse o resultado e o grande vencedor se apresentasse.
- Por quê eu não posso? - perguntei pra um segurança que não me deixava nem passar no corredor que o Zayn estava.
- A senhorita não pode entrar, são ordens.
Ele falou com a mesma postura e não olhou se quer na minha cara.
Sai daquele corredor bufando e pisando pesado,parecia mesmo uma criança fazendo birra,mas ainda não entendia o porquê de não poder ver meu noivo e lhe desejar boa sorte.
- (S/N)?
Ouvi a voz da mesma mulher que atrapalhou eu e o Zayn me chamando.
- O quê é? - Minha voz saiu ríspida e fria,me arrependi no minuto seguinte quando vi sua face decepcionada. - Desculpa, não queria ter soado má educada.
- Tudo bem. - assentiu - Eu só ia falar que estão te procurando porque o programa já vai voltar.
Não sei se era possível me sentir pior ainda,por ter tratado ela mal e enquanto ela apenas queria me ajudar.
Voltei para o palco e o último bloco começou.
- A votação foi encerrada. - Falei animada e um tanto ansiosa para saber quem ganhou. - Jurados querem dar uma última palavra?
Eles começaram a confortar e incentivar os competidores para nunca desistir do seus sonhos e essas coisas, até que o resultado saiu.
- E quem venceu, essa edição do The x-factor foi…
Abrimos o envelope e gritamos.
-Louisa Johnson! - Eu e Carlos falamos ao mesmo tempo.
A platéia aplaudiu e gritou,podia ver a festa que a família de vencedora fazia e como a vencedora estava emocionada. Consolaram os que perderam durante algum tempo ,e começou as apresentações.
Primeiro quem se apresentou foi vendedora com seu nova música.
Depois entramos no intervalo para arrumar o palco para apresentação de Adele com “Hello” e por último era a vez do meu noivo se apresentar.
Podia ver as pessoas cochichando quando me viam passar( porque não deixaram ninguém ficar no palco enquanto eles arrumavam ).
Faltando um minuto para voltar fui orientada a ficar no lado do Simon na bancada e Carlos no outro lado.
- Voltamos com a final de The x-factor com a última apresentação da noite. - Carlos falava sorrindo pra câmera. - E com vocês Zayn Malik.
Todos aplaudiram quando uma luz azul iluminou uma única parte do palco aonde estava Zayn.
- She got, she got, she got
Her own reasons
For talking to me
She don’t, she don’t, she don’t
Give a fuck… - Zayn começou a cantar minha “ It’s YoU”,olhando diretamente para mim, como se não houvesse mais ninguém lá. Apenas eu e ele. - About what I need
And I can’t tell you why
Because my brain can’t equate it
Tell me your lies
Because I just can’t face it
It’s you, it’s you…
Nessa hora as luzes acenderam e eu consegui ver toda a decoração.
Tinham algumas violetas espalhadas pelo palco e uns balões no ar escrito “Marry me?” Enquanto no telão passava nossas fotos juntos.
A emoção era tanta em mim que eu não aguentei e comecei a chorar,chorar de felicidade por que eu sempre sonhei com esse momento e agora finalmente estava acontecendo.
Quando Zayn estava acabando de cantar a música ele veio para perto de mim e me guiou até o meio do palco junto com ele.
- It’s you, it’s you
It’s you
It’s you, it’s you
It’s you… - Ele se ajoelhou e tirou uma caixinha vermelha e abriu ela me deixando ver o anel com um diamante lindo no meio. - (S/N) esses cinco maravilhosos anos em seu lado só me fez ver a mulher incrível que você é. Não tenho nenhuma dúvida que é com você que quero passar o resto de meus dias. Quero envelhecer ao seu lado e mesmo com todos os anos que nós iremos ter de casado te amar da mesma maneira de quando te conheci. Você aceita ser amada por mim por toda eternidade?
(S/N) (S/S) você quer casar comigo?
Minhas lágrimas escorriam pelo meu rosto borrando toda minha maquiagem,devia estar horrível,mas Zayn ainda me olhava como se fosse a mulher mais linda do mundo. A platéia estava em silêncio esperando ansiosos pela minha resposta.
-Zayn…- Soluçava alto e ainda chorando. - É lógico que aceito.
Nessa hora a platéia explodiu em aplausos e e gritos.
Os jurados que antes estavam sentados,agora se encontravam de pé batendo palmas e sorrindo para nós dois.
Zayn tirou o anel da caixa e colocou em meu dedo.
-Eu juro te fazer a mulher mais feliz desse mundo. - sussurrou próximo ao meu rosto.
-Disso eu não tenho dúvidas Malik, até porque você já faz isso.
Quando terminei puxei ele para um beijo apaixonado, podia sentir toda a suavidade e paixão apenas pelo seu beijo.
- E encerramos essa edição do The X-factor em um clima de romance.- A voz de Carlos foi ouvida e todos, incluindo eu e Zayn começamos a rir. - Eu espero que vocês tenham gostado e até a próxima.

***
N/A: A música desse one shot é It’S You do próprio Zayn.
Caso vocês não saibam tá aqui o link dela: https://youtu.be/1seDBXvGYcc

Desculpa qualquer erro ortográfico e espero que vocês gostem , beijo de luz 😘

Mah xx

Tentei me distanciar de tudo, de todos… procurei por um mundo de pura solidão, procurei os becos mais escuros atras de uma solução. Mas um dia quando acordei, vi a violeta que tinha em meu jardim, que eu amava e regava todos os dias, ela tinha morrido, mas por um descuido meu não a vi renascer. Ela renasceu mais bela, mas forte, mais pura. Eu tinha uma forte atração por essa violeta e quando ela morreu todas as minhas esperanças morreram junto a ela, mas quando ela renasceu, uma chama em meu peito se acendeu e eu por fim vi que o que eu amava não mudou, não morreu, não se foi, não desapareceu, não se perdeu, não se suicidou, apenas o dia virou noite e não pude mas vê-la, pensando que tinha morrido, mas quando a luz apareceu, meus olhos se abriram e viram o que eu achava que tinha ido, ficou e nunca me esqueceu eu por fim pude ver que o meu amor só se engrandeceu […]
—  Remanejei 

eu lavrei o nosso amor para fertilizar o solo dos nossos corações em expansão, estiquei os meus braços e o peito para um plantio direto que foi vindouro. também esperei a Lua certa presságio e um pouco de superstição nunca fizeram mal a ninguém, para que cada semente germinasse e esperasse uma safra cheia e com a ceia sempre farta. quando o sentimento então vingou não seria de todo eterno, certo que é humano. coube a mim, deitar a mão à enxada e firmar os meus olhos no horizonte. lavrar o amor, para que a cada estação ele venha florido. a noite murcha como uma violeta mal cuidada e assim seca o rio num verão sem chuva. você pode se recolher depois de se queimar ao Sol ou enxugar uma lágrima que nem sequer caiu. as lágrimas do passado foram engavetados friamente como um livro não lido. e os sorrisos de agora, tão soltos como bicho envolto do campo. alguns dos sentidos fatigados cogita um sutil sofrimento mas enxerga o amor em sua totalidade.  

18-10-2017

Thomas Teodoro

em minha alma muda: dó menor

meu caos é um jazz
embalado em um céu
de violetas e cetim.

minha dor é um blues
tão melancólica e bela
que não cabe em mim.

teu olhar é um tango
estranho, cigano,
pendulando no abismo.

o teu cheiro é um soul
um vinho seco envelhecido
num bálsamo de delírios.

Yawk

No mistério do sem-fim equilibra-se um planeta. E no planeta um jardim e no jardim um canteiro no canteiro uma violeta e sobre ela o dia inteiro entre o planeta e o sem-fim a asa de uma borboleta.
—  Cecília Meireles.

GRATUIDADE DAS AVES E DOS LÍRIOS

Sempre que a gratuidade ousa em minhas palavras,
elas são abençoadas por pássaros e por lírios.
Os pássaros conduzem o homem para o azul,
para as águas, para as árvores e para o amor.
Ser escolhido por um pássaro para ser a árvore dele:
eis o orgulho de uma árvore.
Ser ferido de silêncio pelo vôo dos pássaros:
eis o esplendor do silêncio.
Ser escolhido pelas garças para ser o rio delas:
eis a vaidade dos rios.
Por outro lado, o orgulho dos brejos é o de serem escolhidos
por lírios que lhes entregarão a inocência.
(Sei entrementes que a ciência faz cópia de ovelhas, que a ciência produz seres em vidros -louvo a ciência por seus benefícios à humanidade, mas não concordo que a ciência não se aplique em produzir encantamentos.)
Por quê não medir, por exemplo, a extensão do exílio das cigarras?
Por quê não medir a relação de amor que os pássaros tem com as brisas da manhã?
Por quê não medir a amorosa penetração das chuvas no dentro da terra?
Eu queria aprofundar o que não sei, como fazem os cientistas, mas só na área dos encantamentos.
Queria que um ferrolho fechasse o meu silêncio,
para eu sentir melhor as coisas incriadas.
Queria poder ouvir as conchas quando elas se desprendem da existência.
Queria descobrir por quê os pássaros escolhem a amplidão para viver
enquanto os homens escolhem ficar encerrados em suas paredes.
Sou leso em tratar com máquina; mas inventei, para meu gasto,
um Aferidor de Encantamentos.
Queria medir os encantos que existem nas coisas sem importância.
Eu descobri que o sol, o mar, as árvores e os arrebóis são mais enriquecidos pelos pássaros do que pelos homens.
Eu descobri, com o meu Aferidor de Encantamentos, que as violetas e as rosas e as acácias são mais filiadas dos pássaros do que os cientistas.
Porque eu entendo, desde a minha pobre percepção, que o vencedor, no fim das contas, é aquele que atinge o inútil dos pássaros e dos lírios do campo.
Ah, que estas palavras gratuitas possam agora servir de abrigo para todos os pássaros do mundo.

Manoel de Barros