vestido bordado

Não quero que se sinta uma pessoa capaz de ir embora sem causar nenhum estrago. Talvez ache que está perdido demais para continuar com a sua vida de apanhador de dores ambulante, e não posso culpá-lo, mas quero que saiba duas importantes coisas: Amo cada átomo que está dentro de você, até mesmo os que já morreram (juro), e se fosse possível, adoraria tirar cada um deles para dançar. A segunda coisa que você precisa saber sobre quem sou talvez o faça chorar. Ou sorrir. Deixe-me respirar antes de contar o meu maior segredo. Certo. Agora sei que estou nervosa. Desculpe por fazê-lo esperar, hoje o céu está lindo. Onde paramos? Ah. Sim. Estava prestes a dizer o quanto sou infeliz a maior parte do tempo. Sabe quando você apaga as luzes e está indo para cama, então deita, puxa o cobertor na altura do peito, pensa em como foi o seu dia e de repente sente os olhos arderem? Eu não sei o que é se sentir assim. Não. Não estou aqui para enaltecer que já estou mais fundo do que isso e que não consigo mais chorar porque a vida já despedaçou até mesmo minhas dores a tal ponto que tudo o que faço é respirar sem desejar acordar ou não amanhã. Estou aqui porque sou infeliz quando estou rindo de alguma piada, ouvindo uma música ou tomando sorvete de morango, e os minutos que gentilmente divide comigo é o que me faz ter um alivio por meu prazo de ser feliz não ter acabado uma manhã antes. Não ache loucura em como estou graciosamente jogando a minha vida em suas mãos. Minha primeira opção iria ser berrar em seus ouvidos, porém escrever em um papel que encontrei amassado a gratidão que sinto por não ter desistido torna tudo um pouco mais especial. E me pareceu a coisa certa no momento. Outro dia você disse que queria morrer e que está cansado de fazer o papel de bom homem que está sempre segurando as longas barras dos vestidos de sofrimento bordados a mão, enquanto leva várias pessoas ao mesmo tempo para o altar do amor próprio. Perdão, preciso sair, acabei de descobrir que ainda consigo chorar. Não é emocionante? Mesmo achando estar no fundo do poço, ainda sou capaz de sentir medo de perder. Preciso tirar uma foto e colocá-la no espelho para me lembrar todos os dias que ainda não sou totalmente infeliz. Ah. Perdoe, andei me distraindo muito. O que quero que saiba é o quanto sou ardorosamente feliz quando ouço a sua voz calma e ilusoriamente confiante. E com tristeza (espero que entenda que realmente não estou triste) digo nesse final de carta não bem escrita que você não pode ir embora sem causar nenhum estrago. Ninguém pode. Ao contrário do que pensa, há pessoas que amam estar ao seu lado e não te acham um lixo. Sinto muito.
—  Animicida. 

ENG: A Halis a day, keeps the sadness at bay.  I’m working on a thousand things right now, but one of those things is a serie of profiles for Theurgy comics, so you might get acquainted with them before the comic! 

[Description: A digital drawing of Theurgy comic’s Halis. She’s wearing an embroider dress over a skirt and blouse, and a headscarf. She’s  standing, with her hands to one side, together, resting her head over them. Flowers and leaves surround her. ]

ESP: ¡Una Halis! Estoy trabajando en mil cosas en este momento, pero una de esas cosas es una serie de perfiles de les personajes de Teurgia, así les van conociendo antes de que arranque el comic. 

[Descripción: un dibujo en tinta digital de Halis, del comic Teurgia. Está usando un vestido bordado sobre una pollera y una blusa, y el hiyab. Se la ve de pie, de la cadera apra arriba, con sus manos juntas, y la cabeza reposando sobre ellas. Flores y hojas la rodean.] 

coralhdz  asked:

Hola muchos saludos que encantan las publicaciones. Quiero saber ¿cómo crees que debe ser una boda con toque del folklór mexicano?

¡Gracias Coral! A ver…. déjame ver que imagino mientras respondo.

Creo que mi prioridad sería el vestido y el de las damas de honor o testigos. Podría ser bueno usar un vestido blanco o crema con un rebozo cubriendo la espalda; las damas de honor podrían llevar vestidos con bordados tradicionales mexicanos.

El peinado y el maquillaje me encantarían así:

El salón de fiestas, recuerditos, bebidas, comidas y decoración:

Si fuera mi boda el pastel tendría que ser blanco con flores de cempasúchil grandes y en la parte superior las figuras tradicionales del pastel serían dos calaveritas de azúcar, personalmente elegiría todo relacionado al día de muertos, de esa forma mis ancestros y los de mi pareja estarían presentes también pero a muchos les parecería morboso :p igual es una idea.

¡No te olvides de invitarme a la fiesta!

ENG: I was listening to some disco music and the colours came out so BRIGHT.

Anyways, here’s Sun Queen Sansa, as promised. I’ll paint Arya soon. And maybe some others. 

[Description: a brightly coloured digital piece of Sansa Stark from A Song Of Ice And Fire series. She has long red hair floating in the wind, and is wearing a feather cloak, a gray dress, a sheer overdress embroidered with flowers and leaves and birds, and a crown. She´s standing in front of a background with a sun and a laurel wreath. Light particles shine on her.]


ESP: Estaba escuchando música disco mientras pintaba esto y los colores salieron tan BRILLANTES, 

 De cualquier manera, he aquí la Reina Sol Sansa, como lo prometí. Pronto voy a pintar a Arya también. Y quizás algunas otras…

[Descripción: una pieza digital de colores brillantes de Sansa Stark, de la serie de libros Canción de Fuego y Hielo.  Su largo y rojo cabello flota en el viento. Está usando una capa de plumas, un vestido gris, un sobre-vestido transparente con un bordado de pájaros, flores, y hojas, y una corona. Está al frente de un fondo con un sol y una corona de laureles. Partículas de luz brillan a su alrededor. ]

Você é quem eu sempre tentei desenhar.

Hoje eu vi meu amor
Vestido bordado de flor
Carrega a vida nos olhos
Desfila pela passarela dos meus sonhos.

Hoje eu vi uma menina
Planta sorrisos, e os cultiva em minha bôca.
E seus admiradores, quando se sentam em silêncio e observam a paisagem
É ela, morena, que surge feito miragem.

Eu a desejo

Mantenho-me de pé, encostado num poste
E dentre milhões de corpos, meu pensamento
Amargura na infinita tristeza
De ter tua beleza somente em mal traçados detalhes duma folha de caderno…

Lembro-me de tua voz, ouço tuas musicas
E tuas gargalhadas gravadas
Fico em silêncio, e a adoro em devaneios

Porque tua luz me cega.

Anfiguri