veraneio

Sua chegada não faz sentido, nem um pouco. Foi como chegar no fim da festa a fim de começar outra, você trouxe balões coloridos e guloseimas. Como se já não tivesse pouco sentido, você trouxe a bagagem para se aventurar, enquanto isso exige apenas algumas mudas de roupa, e uma escova de dentes, você veio se aventurar em um lugar onde tudo era silêncio e calmaria, e trouxe tudo que podia e cabia, seu exagero é o seu clímax. Além de tudo que já me surpreende, você bem sabe, eu sou morada para veraneio, e isso não te incomoda, você parece aproveitar esse verão como ninguém nunca saberia aproveitar. Seu sim é quase uma melodia, você é uma melodia, do tipo que eu sou capaz de ouvir mil vezes mais, sem rejeitar uma vez sequer, uma melodia explorada em dedilhados complexos e acordes precisos que nunca serão, por mim, modificados, talvez pela calmaria, pela comodidade de ser sempre a mesma, não importa se há outras versões, quando você vem, sou a morada perfeita, embora haja desencontros em “perfeição” é justo dizer que você precisa de mim como eu preciso de um lugar calmo para estar, onde eu possa apelidar de paraíso, e no momento, nada se encaixa nisso tão bem como seus olhos.
—  Certamente Perdida.