ventania

Tenho que procurar até em palavras de dicionário o quão você vale pra mim. Você é tão indescritível. Preciso confessar que nunca pensei que encontraria, mas encontrei. Encontrei você que me faz rir na madrugada, aguenta minhas piadas chatas, você é o alguém que eu precisava que me amasse mesmo tomando metade da cama e se desatando do nosso nó(s) no meio de uma conchinha. Você é aquela ventania repentina que cai tão bem, ao mesmo tempo você é a estrela que mais brilha na minha noite. Eu juro que tento não embaraçar minhas palavras mas é impossível não me perder em você antes de terminar de falar. Você me deixa fora de mim com tanto sentimento que tenho pra te oferecer. Antes que eu me perca de novo, saiba que eu gosto tanto das pintinhas que você tem espalhadas pelo corpo e seu jeito de me deixar sem jeito quando me encara; amo esses olhos tão pequenos mas que teêm o poder tão grande de me envergonhar. Você não sabe, mas ganho o dia vendo esse teu sorriso, e me sinto com a missão cumprida quando eu sou o motivo dele. Com parágrafo final, quero dizer: obrigada por estar me fazendo feliz como nunca ninguém fez e por ter uma paciência de Jó. Ah, quase eu ia esquecendo! Você é tão linda, não me canso de olhar. E mais importante ainda: eu não canso de amar você.
—  Jéssica Alves.
Há sempre alguém que chora, por dentro ou por fora. Há sempre alguém que mente, outro que confessa. Há sempre alguém que desmorona, outro que se levanta. Há sempre alguém que chega, outros que demoram. Há alguém que beije, outros só desejem. Há alguém que tem dono e outros são órfãos. Há aquele que acalma e o outro lado que assusta. Há quem admire as estrelas, outros que nem conseguem vê-las. Tem gente que é primavera e hoje de alguma maneira foi inverno. Ontem foi dia de sol, hoje uma ventania com chuva forte. Ora para, ora volta. Sem previsão de mudança de clima. Hoje o temporal tava confuso e eu também.
—  Back at her, stupid.
Olhe para dentro do seu coração, e procure aquela parte esperançosa, que apesar das tragédias ainda acredita que tudo dará certo. Não se deixe abalar por palavras maldosas, afinal, elas nunca definiram o que você realmente é. Somente você sabe o quanto se esforçou, quanta dor teve que suportar até chegar onde está. Quantas noites de sono perdeu, aos prantos, por não ter uma única pessoa te apoiando em suas escolhas. E após passar por tudo isso sozinha, não será agora que desistirá, não mesmo! Esqueça o medo de desmoronar, muito pelo contrário, sinta-se livre para escorregar sobre os joelhos e chorar, está tudo bem, perca o ar no meio das lágrimas para em seguida senti-lo preencher seus pulmões de uma forma reconfortante, as coisas são assim mesmo, após a tempestade vem o arco-íris, após a ventania vem a calma e no equilíbrio perfeito que o mundo tem após a dor vem o alívio, a mente clareia e você tem mais uma chance de dizer “eu consegui”. O ser humano tem uma habilidade fantástica de recomposição e se discordar por um segundo me responda: Quantas vezes teve certeza que seu mundo estava acabando?
É, foi o que pensei, todas essas vezes e cá está você. Somos como uma fênix, quando estamos frágeis, morrendo, pegamos fogo para das cinzas renascermos mais fortes.
É sério! Perceba. Shh… Faça silêncio e vai ouvir a força que está adormecida em seu interior, está na hora de acordá-la; para levantar de mais essa queda. Lembre-se que o universo está à seu favor, mas você também precisa estar.
—  Phoenixes burst into flame when it is time for them to die and are reborn from the ashes. Fran Oliveira & Derek Whitle.
Minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem de grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite.
—  Clarice Lispector.
Você é calmaria em forma de gente. Já amei a ventania, o alvoroço, achei até que combinavam comigo. Mas chega uma hora em que nós só queremos sentar e observar o mar, mas o barco de sentimentos está sacudindo demais. Eu já estava quase me afogando quando você apareceu me trazendo equilíbrio, com esses seus olhos de quietação, com esse seu sorriso sereno, e esse seu cheiro de final de chuva. Com um passo de cada vez, me trouxe de volta pro chão, mas eu me sinto nas nuvens. Você é paz, você me dá paz. Estou em casa agora.
— 

No fim tudo vira pó, ou poesia. Baseado na história da Lorena.

Estou aqui, disposto a colocar um pouco do que eu sinto. Sei que usar as palavras não é o meu forte e nem tudo que eu sei usar para expressar tamanha felicidade é o suficiente. Logo de cara posso dizer que existe um eu antes de ti e um eu depois de ti. Confesso que o agora me encanta, me surpreende, me anima, me deixa em paz e me deixa totalmente segura das coisas que eu quero. Antes eu era uma pessoa fraca na qual qualquer ventinho me derrubava sabe? Posso fazer uma metáfora, você é a tempestade, a ventania na qual eu amo estar no meio, no qual eu não sinto medo de estar tão exposto assim. Gosto de sentir seus ventos, gosto de sentir a adrenalina de estar contigo. São coisas tão clichês que é inacreditável, quando penso que já sei alguma coisa sobre você, ploft, você me surpreende e me encanta mais. Sabe? Com você as coisas não caem na rotina, todo dia é um novo, é de uma maneira diferente, é um sorriso diferente, é um estar apaixonado por cada detalhesinho, tudo acrescenta, tudo aumenta, tudo se transborda, mas nunca se esvazia. Romantismo demais eu sei, chega a ser algo meloso e eu sinto muito. As vezes me indago porque eu? Porque entre tantos e tantas por aí, logo eu? Uma pessoa pequena e mimada. Eu não tenho muita coisa a lhe oferecer, mas tenha certeza, que tudo o que eu tenho é teu. A minha atenção, os meus sorrisos, minhas atitudes, meus carinhos, minhas risadas (que é escrota demais por sinal) e o principal, o meu amor. Logo eu que não queria saber de amar e nem me apaixonar estou aqui, amando e puta que pariu, a paixão me pegou e me levou junto. Aqui ou ali, lá ou cá, agora ou depois, amanhã ou dias depois, vai ser você, sempre e para sempre. Sei que o para sempre não existe e ele é constituído pelos agora. Então você é o meu agora, o meu para sempre.
—  Precarizou