vai para frente

Ei você, é você mesmo, quais são os seus medos? Quais são os seus pensamentos antes de dormir? Quem é você? 
Senta aqui, me conta, eu não vou correr. Eu não sou como essas pessoas que fogem quando conhecem a fundo o outro. Porque eu também tenho medos, os meus pensamentos antes de dormir são os mais confusos. Eu sou a garota que te manda mensagem toda noite antes de dormir, porque se não, a insônia me visita. Sou a pessoa que te passa segurança quando vê em teus olhos que a tua vontade é correr. Sou quem te da a mão, quando você começa a me contar da sua vida, do seu interior, dos seus receios. 
Eu sou o poço de intensidade que ninguém quer conhecer a fundo, sou o caos que desmorona todas as noites antes de dormir. Também tenho medos, já te garanto que o escuro é um deles. Então vem cá, me dá a sua mão? Não precisamos rotular tudo isso, não precisamos fazer disso o que todas as pessoas fazem, não precisamos ser como eles. 
Vem, vamos passar uma tarde juntos, andar de mãos dadas, rir de coisas bobas e compartilhar músicas que gostamos até você me beijar. Vamos correr da chuva, sentar em uma pracinha, medir o tamanho das nossas mãos e você rir, porque eu sou muito pequena perto de você. Ah moreno, vamos passar a tarde conversando. Te faço um cafuné, te conto um pouco do meu passado, você pode segurar na minha mão e me convencer de que você também já passou pelas mesmas coisas e que não é tão ruim assim. É, me dá um beijo na testa, me conta do teu medo da sua rotina e diz que não quer me machucar, mas sabe, eu estou indo fundo nessa, estou me permitindo. 
Vem na segunda semana, me manda uma mensagem, dá asas para as minhas loucuras guardadas em um potinho dentro da minha alma e diz que eu preciso viver mais. Vem me ver, deita no meu colo, te faço um cafuné, enquanto você diz que está com sono e que não sabe como vai ser daqui para frente, okay, está tudo bem, confia em mim. Me pega pela cintura, me diz que te tiro o foco e me mostra que existe um lado bom em estar embarcando nessa loucura com você. Me pega no colo, brinca com o meu cabelo e na hora de ir embora, volta três vezes para me beijar, sorri e diz que quando chegar em casa vai me avisar.  Mas ai então você me mostra que eu não posso confiar literalmente em você, porque quando te conto dos meus sentimentos você se afasta e me diz que não sabe lidar. Se eu estou com medo? Sim, muito medo. Porque estamos oscilando entre o bom e mal humor. Estou com medo de te perder em alguma das linhas do nosso texto. Estou com medo de você não querer mais segurar a minha mão.  A nossa amizade nunca foi comum, sempre houve algo além da amizade, por favor não estraga isso agora. Não me deixa perder o carinho que eu tenho por você. Eu prometo que me encaixo na sua rotina, me encaixo no teu jeito. Não precisamos rotular isso. Apenas deixa ser. Apenas deixa rolar.
—  O primeiro mês com você.
A vida transborda o tempo todo, tire seus aprendizados, não destrua o futuro por problemas do passado.
—  Oriente
Um ano com a Palavra #94

Mateus 26:26-46
Deuteronômio 1
Deuteronômio 2
Jó 4

Até mesmo Jesus sentiu dor, ficou aflito e pediu ajuda a Deus, até Jesus quis sair da própria pele, mas o diferencial de Jesus de muitos de nós é que Ele não desistiu, Ele pediu a vontade de Deus ainda que fosse dor aquele momento, do mesmo jeito que Jó fez, mesmo em meio a dor e acusações falsas, Jó não pecou contra o Senhor, da mesma maneira que fez Calebe e Josué, que viam as complicações mas ainda assim preferiram ver as coisas boas e confiar nas promessas do Pai, confiar que Ele lutaria por eles não abrindo mão das promessas de Deus por lutas. A vida não é fácil, mas com Cristo ela vai pra frente, nunca para trás, mas cabe a nós confiar no Pai e continuar ou abrir mãos das promessas. Como sempre, Deus permite que façamos nossa escolha.

Sabe qual é o verdadeiro problema? A hipocrisia. Diariamente, somos bombardeados com notícias de corrupção, seja no Brasil, seja no mundo. Escutamos pessoas criticando, dizendo que não há salvação, que todos os políticos são iguais; mas sabe o que é engraçado? A mesma pessoa que fala isso, é aquela que tenta subornar o guarda quando é pego em uma blitz. É a mesma pessoa que fura uma fila, que não devolve algo quando o acha na rua, afinal, achado não é roubado, né? Mas por qual razão o brasileiro seria honesto? Não é? Se os políticos roubam, por que você é quem tem que ser honesto? Por que você é quem tem que respeitar as leis? É por isso que a sociedade encontra-se insuportável, há mais críticas do que bondade, há mais ódio do que respeito. Apenas sua opinião está certa e quem não concorda com você, está errado. Deixem de hipocrisia, deixem de cobrar aquilo que vocês não fazem, deixem de achar que estão sempre com a razão. Essa sociedade só vai para frente quando deixarmos de procurar exemplos e começarmos a tornar-se exemplos.
—  Dan Saltzman.
Desculpa, mas nunca vou ser uma dessas pessoas que escolhe agradecer sobre algo do que reclamar. Acho meio absurda a ideia de que temos que agradecer por estarmos vivos ao invés de reclamar das dificuldades. Afinal, ninguém pede para nascer e nem conhece a morte. Tudo bem, é terrível reclamar de tudo. Mas se eu tenho um problema, preciso reclamar sim. Preciso me incomodar com ele e dar um jeito de resolver. Se eu for agradecer por tudo que me deixa insatisfeito e me acomodar, minha vida não vai para frente. É uma pequena questão de lógica. Se te incomoda, você procura mudar. Mas, não existe lei nenhuma que me proíba de fazer isso reclamando.
—  Cemitério dos sonhos
Sobre amor

Sabe quando a gente para pra pensar na vida? E a gente percebe o quanto as pessoas mudaram?
As pessoas são tão estúpidas, as pessoas de hoje em dia, digo, elas são interesseiras, não existe mais amor verdadeiro, não existe aqueles romances clichés estilo filme, porque agora somos uma geração aproveitadora, claro que ainda existem aquelas pessoas, ah, aquelas pessoas, são elas que fazem nosso mundo melhor, elas que nos mostram que já existiu o amor verdadeiro, o amor a primeira vista, e elas que nos lembram as flores, as caixas de bombom, os presentes mais simples, os gestos mais românticos.
É com essas pessoas que devemos aprender, é com elas que nosso mundo vai para frente.
É para elas que eu digo que são especiais.

Nunca fui de beber, de me embriagar. Mas puta merda, hoje eu só queria encher a cara e esquecer pelo menos por um minuto que não dói. O governo deveria distribuir um frasco de ‘VERGONHA NA CARA’, pra toda essa gente trouxa, igual a mim, que sofre, se tortura, se afunda na própria melancolia e se dói por alguém que não vai cicatrizar a dor. A partir de agora é assim, se quiser ir embora, tchau! Bate a porta e some, desapareça. Toma chá de sumiço e, por favor, por obséquio, VÊ SE NÃO VOLTA MAIS. Aqui não é casa da mãe Joana pra entrar e sair quando quiser. Tenho ânsia de vômitos por despedidas, elas me causam náusea, diarreia, dores de cabeça, me deixam totalmente doente. Não é fácil ver quem se ama partir, principalmente, quando promete que estaria sempre conosco e depois bate a porta, inventa uma conversa esfarrapada e vai embora, quer saber, melhor assim, vou medicar minha alma que está toda machucada e cuidar mais de mim. Li uma vez que o segredo é não se apegar, mas isso é impossível para quem tem um coração pulsando dentro do peito. Nem vem com esse papo de que quando se ama a gente tem que deixar a outra pessoa ir, porque fala sério, nenhuma dessas frases prontas, desses clichês de porta de botequim e de traseira de caminhão me convence. Podem dizer que sou neurótico, pirado, louco, lelé da cuca, maluco beleza, possessivo e mais de mil adjetivos, mas pra mim, o segredo é amarrar a pessoa no pé da cama e não deixa-la ir. Daqui para frente vai ser assim, então já fique avisado, pois a condição é essa, então se não concorda é simples, só não vir.
—  Gean Carlos. 
❀ Status: Fly ❀

Lembrei você, então sorri.

Todos pensamentos me levam à você.  

Imaginar como vai ser quando eu te encontrar.

Te ter de volta eu posso esperar.

O seu amor ainda é meu.

I love the way you make me smile. (Eu amo o jeito que você me faz sorrir)

Te confiei o meu destino mesmo ele sendo irreal.

Talvez a gente tenha a vida inteira.

Nem sei pra onde foi nosso final feliz.

Mas essa noite a noite é só eu e você.

Tudo contigo fica tão lindo.

É tanta beleza, acabo ficando meio perdido.

Eu sei que você quer mais.

Vem aqui, mostro do que sou capaz.

Cê sabe que sou eu que te faço sorrir.

Esquece os seus problemas que hoje eu quero te levar daqui.

Traz esse sorriso que eu te mostro para onde ir.

Hoje eu não vou dormir, deixa a noite fluir.

Não importa o lugar pra ser feliz.

Se liga no meu flow.

Se der problema sei que você vai gostar.

De frente para o mar, eu quero estar com você.

Posso parar o mundo inteiro pra ganhar seu coração.

Sem você aqui, não consigo mais sonhar.

Não diz pra mim que esse é o nosso fim.

Reblog ou like se gostar! ♥

Não sinto-me contente com o mundo, do jeito que este está. Ele é medonho, é um absurdo. É errado, trágico, feio, frio e egoísta. As pessoas estão matando umas às outras, e às vezes nem mesmo percebem tais atos. A falsidade está impressa na cara de cada um cidadão. A tristeza está nos becos escuros, umedecidos pelas lágrimas de um beberrão – esse beco é o nosso coração, e os beberrões somos nós –. A alegria está com os tolos, e quase sempre é fingida. E há quem diga estar contente com vida, e isso só me indigna mais! É por isso que o mundo não vai para frente e tampouco para trás. Não vai para os lados nem para direção nenhuma. O mundo está parado, se auto-destruindo, e as pessoas aplaudem estupidamente esse cruel espetáculo.
—  Regenciado.
Eu gosto de tudo que começa. Eu gosto do número 1, do início, do começo. Gosto de tudo que nos tira do ponto 0. Tudo que anda, tudo que vai para a frente. Não gosto de ficar parado, é sedentarismo demais. Eu gosto de começar a correr atrás, de ir atrás. Por que ainda sismo em pensar que tudo que começa, nunca acaba.
—  Nando Reis
Almas Gêmeas - Capítulo 2

O barulho do despertador do meu celular me despertou e eu me praguejei mentalmente por ter colocado uma das minhas músicas preferidas como toque do alarme. Dica: Nunca façam isso, vocês irão odiar. Bom, mesmo com a revolta por ter que acordar cedo eu estava feliz e senti que o dia hoje seria um bom dia, assim espero. Tirei o braço de Ben da minha cintura com delicadeza para não acorda-lo, ele estava tão lindo dormindo, fiquei com pena de acorda-lo. Sentei na cama e me espreguicei, soltei um gemido de alívio quando senti meus músculos se esticando e alguns ossos estalando. Noite passada foi excelente, ri do pensamento. Coloquei meus pés para fora da cama e coloquei as mãos espalmadas no colchão, dei impulso para conseguir levantar. Dei uma última olhada para o meu amor deitado na cama e sorri com a cena, como uma boba apaixonada. É Aguilar, o que amor não faz com as pessoas né? É.

Tomei um banho rápido teria que ir para a faculdade, tinha que ver todos os horários, já que mudei de faculdade e espero me instalar rapidamente. Ben disse para nós alugarmos um apartamento perto da faculdade para ficar mais fácil, eu aceitei, só que vou passar a maioria do tempo sozinha já que ele ultimamente anda viajando e muito com meu pai, negócios.

Terminei minha higiene matinal e sai do quarto, ele ainda dormia calmamente e eu decidi não o incomodar, dei lhe um beijo casto na testa e fui em direção ao guarda-roupa para me arrumar. Coloquei uma calça preta colada, meus coturnos pretos, uma blusa branca com um desenho de bigode estampado e meu chapéu preto. Todo mundo ri do meu chapéu até mesmo Ben, meus amigos falavam que eu parecia uma caçadora de vampiros com ele, mas eu amo meu chapéu não sei explicar porque. Enfim, fiz uma make leve e peguei minha bolsa. Dei uma ultima olhada em Ben e saí para a faculdade. Peguei minhas chaves em cima da bancada da cozinha e saí em direção a porta.

Saí do apartamento de Ben um pouco cedo, então ainda teria tempo para conhecer um pouco mais da tão falada faculdade de Miami. Cheguei no campus em poucos minutos e aquilo era enorme, literalmente. Percebi que haviam muitas pessoas encantadas assim como eu e deduzi que fossem calouros. Por ser início do semestre estava cheio deles por aqui. Estava um pouco perdida olhando tudo em volta e procurando a secretaria desse enorme lugar, sempre fui um pouco tímida, principalmente quando elogiavam meus olhos. Estava andando um tanto quanto distraída e nem percebi quando esbarrei em alguém. Olhei pra frente e dei de cara com uma morena alta, corpo esbelto, olhos castanhos e um olhar surpreso no rosto, a encarei sem jeito por quase ter a derrubado no chão e ela sorriu quando voltou se endireitar em pé.

:— Cuidado aí, Van Helsing — Ela disse rindo e eu a encarei confusa.

:— Como?

:— Van Helsing, o caçador de monstros sabe, do filme?

:— Claro que sei, mas porque me chamou disso? — Perguntei confusa e ela riu antes de falar:

:— Seu chapéu parece o dele — Ela disse simples e deu de ombros.

:— Oh sim. — Falei sem jeito e ela sorriu de lado.

:— Me chamo Mayra Dias — Se apresentou me estendendo a mão.

:— Clara Aguilar — Apertei sua mão e ela sorriu. Bonito sorriso.

:— Você tem olhos lindos, Clara. — Ela falou com os olhos brilhando e eu corei, não sei reagir bem a elogios.

:— Obrigada, eu acho — Falei com a voz falhando e ela gargalhou.

:— Deveria se acostumar, além de olhos lindos, você é bonita e deve receber muitos elogios.

Ela falou rindo e eu dei de ombros sem jeito, ela me perguntou se eu era nova aqui e eu assenti, ela também cursava medicina mais já estava no terceiro ano de seu curso. Ela me acompanhou até a secretaria e me ajudou com os horários explicando onde seriam minhas aulas, como eu estava no segundo ano da faculdade antes de vir para cá, minhas aulas seriam no prédio ao lado do dela, ótimo, pelo menos já tenho alguém “conhecido” nesse lugar.

Como hoje só seria o dia de apresentações ficamos sentada no gramado conversando sobre banalidades e sobre nossas vidas para nos conhecermos. Mayra, ou May, como ela gosta de ser chamada, era extramente simpática e engraçada, fazia qualquer pessoa se sentir bem, até mesmo alguém tímida como eu. Ela me disse que a noite teria uma festa dos veteranos de Medicina para conhecerem os calouros, ela praticamente me persuadiu a dizer que iria, contei a ela sobre Ben e avisei que só iria se ele fosse ou pelo menos concordasse. Ela aceitou e ainda e me zoou de ser uma boba apaixonada, dei de ombros e concordei, afinal eu realmente era uma boba apaixonada.

May me disse que morava com umas amigas num prédio perto daqui e que o apartamento de frente ao seu estava desocupado, agradeci aos Deuses por tudo estar dando certo já no primeiro dia, e ela me avisou que iria segurar o apartamento para mim. No final da tarde liguei para Ben para falar sobre a festa, ele disse que não daria para ele ir e me avisou que eu poderia ir. Ficamos quase uma hora no telefone para ele me convencer a sair sem ele, ele disse para eu me cuidar e que me amava muito, e claro, para eu tomar cuidado com esses adolescentes tarados e blá blá, coisas que namorados falam. Depois de eu desligar o
telefone ainda ouvi um monte de piadinhas de Mayra, nem me importei acabei entrando na dela e rindo muito. May realmente era uma pessoa agradável e já deu para perceber que seríamos grandes amigas, vamos ver como vai ser daqui para frente.

Sem reconciliação. Sem volta. Quando algo acaba é porque não estava bom. Não foi bom. E a vida meu amigo, vai para frente, nunca para trás. O passado deve ficar no lugar dele.
—  Pê.

Quando você acorda e percebe que o mundo lá fora está um caos e que você tem que lutar para sobreviver, que o tempo de calmaria foi embora, que as preocupações de alguns anos atrás não são as mesmas de hoje, que o tempo da infância se foi, que compromissos e responsabilidades agora estão com você, que se não correr atrás nada acontece, se não houver força de vontade e garra nada vai para frente, acordei em uma realidade totalmente diferente e estou vendo que será assim daqui em diante, que matar um leão por dia será fundamental. Que em tempos como esse tenhamos Força para sermos nós mesmos e defender tudo que acreditamos e que sempre tenhamos fé.