uma das minhas cenas favoritas

youtube

“Harry e Destiny em: A Primeira Ligação.

(Um momento patrocinado por The Drifters – Up On The Roof)

Destiny: Não, espera! Não tem problema. Tá tudo bem. Eu só… Não estava esperando pela sua ligação.

Harry: É. Eu pensei em ligar antes, mas… (Confessar que não tive coragem? Não. Melhor mudar de assunto.) Que horas são em Los Angeles?

Destiny: Pouco mais de 1h da manhã. Que horas são na Inglaterra? (Preciso de água com açúcar. Preciso agora.)

Harry: 4h da manhã. Quero dizer, não. Eu não estou na Inglaterra. Eu tô em Nova Iorque. E aqui são 4h da manhã.

Destiny: (…)

Harry: (…)

Ambos: O que você está fazendo? (Risadas nervosas). Pode falar primeiro. (Mais risadas nervosas).

Destiny: (Nós estamos tão conectados).

Harry: (Isso foi… Legal.)

Destiny: Ok, eu começo. Eu estou em casa, sentada no parapeito da minha janela, com o violão no colo e me perguntando o porquê de Harry Styles resolver me ligar às 4h da manhã. (Huuum, olhe para você, Destiny! Tomando a iniciativa. Arrasa, garota!)

Harry: Tocando violão, no parapeito da janela, à 1h da manhã?

Destiny: Eu estava fazendo releituras de grandes canções da Whitney Houston - que descanse em paz. E é a sua vez de responder a pergunta.

Harry: Verdade. Eu estou na sacada do apartamento de alguém que eu não conheço, enquanto pessoas bêbadas dançam lá dentro. E resolvi te ligar às 4h da manhã porque recebi um sinal do universo.

Destiny: Sinal do universo?

Harry: Lose My Breath das Destiny’s Child começou a tocar. E enquanto as doces vozes de Kelly, Michelle e Beyoncé ecoavam pelo salão, eu só conseguia me perguntar: O que minha amiga Destiny’s Child estaria fazendo agora?

Destiny: Uau, tão dramático. É uma ótima história. Eu já estava achando que você precisaria da minha banda para um Bar Mitzvah. (Então nós somos amigos agora?).

Harry: Ah, claro! Eu não me esqueci disso. Pode ser que um dia eu precise.

Destiny: Hmmm. Você é judeu?

Harry: O quê? Não.

Destiny: Ok. Curiosidade. (Não consegui achar uma resposta confiável no Google.)

Harry: Então… Qual música?

Destiny: O quê?

Harry: Você estava tocando. Você sabe, antes de eu ligar.

Destiny: Ah, sim. How Will I Know. Sabe?

Harry: Sim, um clássico.

Destiny: Viva Whitney!

Harry: Viva! Que descanse em paz. (Por que eu estou sorrindo feito um imbecil?). Então… Você também compõe?

Destiny: Sim! Mas faz tempo que eu não escrevo nada. Bloqueio criativo, sabe como é.

Harry: Ô, se sei . Posso ouvir alguma música sua?

Destiny: Ahm… Não sei, acho que sim? Mas não agora. Agora não dá.

Harry: Não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje.

Destiny: Eu não posso fazer hoje. Não dá.

Harry: O amanhã não existe, Destiny. E se eu morrer hoje e meu último desejo foi negado por você?

Destiny: Ah, você tá, tipo, zoando com a minha cara. Entendi. (Pare. De. Sorrir. Feito. Uma. Idiota.).

Harry: Eeeei, eu quero ouvir de verdade. Que tal daqui cinco dias?

Destiny: Ok. Daqui cinco dias você pode me ligar, e eu cantarei para você uma das minhas magníficas canções. (Em cinco dias eu consigo me preparar mentalmente).

Harry: Quem falou alguma coisa sobre ligar? Eu vou estar em Los Angeles daqui a cinco dias. A gente pode se encontrar e aí você canta pessoalmente. Pode ser? (Cedo demais?)

Destiny: (…)

Harry: Destiny? (Definitivamente cedo demais.)

Destiny: CLARO! Er… (Controle-se, Destiny) Claro! Haha. Pode ser. (Caramba. Caramba. Caramba.)

Harry: Então tá marcado. Em cinco dias a gente se encontra. Eu já tô indo, cara, calma.

Destiny: Oi?

Harry: Desculpa, vieram me chamar. Acho que eu tenho que ir. (Droga, eu não quero me despedir.)

Destiny: Ahm. Okay… Até mais? (Mas já?)

Harry: Até mais. Foi bom conversar com você, Destiny.

Destiny: Foi bom conversar com você também, Harry.

Harry: E desculpa pelo horário. Eu tô um pouco bêbado. Culpe a bebida.

Destiny: Ei, sem problemas. (De verdade. Sem problemas.)

Harry: Então… Nos vemos em cinco dias?

Destiny: Fechado. Nos vemos em cinco dias.

Harry: Okay. Até lá. Boa madrugada?

Destiny: Até lá. Boa madrugada. E Harry?

Harry: Oi.

Destiny: Pode me chamar de Des.”