trilha do amor

Na trilha do amor, porém, não existe nenhum “se”. Não há condições. Amo você sem nenhum motivo, sem justificativas. Amo você do jeito que é, deixando-o livre para ser o que é. Se não gosto do jeito que você é, então é melhor eu procurar a companhia de outra pessoa, que seja do jeito que eu gosto. Não temos o direito de querer mudar quem quer que seja, e ninguém tem o direito de nos querer mudar. Se mudamos é porque desejamos essa mudança, porque não queremos continuar sofrendo.
—  Don Miguel Ruiz.
é só rodopiar

entrelaço nossos dedos e coloco sua mão contra o meu peito. ali, acomodados com o silêncio, o admiro por ser tão belo. com a voz embargada, tento soltá-la e cantar alguma canção que te faça sorrir de orelha a orelha. não tenho uma voz tão doce e confortante quanto a sua, mas pra fazê-lo sorrir sem medo, dou-te as minhas inseguranças mais banais. cantarolei: ‘é só rodopiar em busca do que é belo e vulgar’. você sorriu constelações que refletiam em meus olhos apaixonados. te emendar no calor do meu corpo é reconfortante. acompanhar os seus passos firmes e singelos é como te guiar em cada trilha do nosso amor. cada detalhe seu é sublime, moço. contemplo-os como a inocência de uma criança. você me mantém enclausurada na harmonia que me transpassa a pele e acalma a minha insanidade sentimental. sinto-te dançando nos cômodos do meu interior. você sintoniza o seu coração ao meu que pulsa descontroladamente. que pulsa por ti. que dança em uma pulsação interminável por nós. 

[…] o dia vai raiar
pra gente se inventar de novo
e o mundo vai nascer de novo.