trilha do amor

Na trilha do amor, porém, não existe nenhum “se”. Não há condições. Amo você sem nenhum motivo, sem justificativas. Amo você do jeito que é, deixando-o livre para ser o que é. Se não gosto do jeito que você é, então é melhor eu procurar a companhia de outra pessoa, que seja do jeito que eu gosto. Não temos o direito de querer mudar quem quer que seja, e ninguém tem o direito de nos querer mudar. Se mudamos é porque desejamos essa mudança, porque não queremos continuar sofrendo.
—  Don Miguel Ruiz.
É que eu tenho a impressão que não viverei um romance como o nosso. Aquele de sentir frio na barriga, ficar duas horas ao telefone ou ter saudades logo após me despedir. Aquele em que os gostos são iguais, a conversa tem o mesmo nível e eu fico boba o tempo inteiro. Quando eu tinha você ou você me tinha, havia um tipo de conexão, algo que nos fazia parecer compatíveis. Eu sinto falta dessa compatibilidade. Sinto falta da parceria, porque não importava o que fosse, estávamos sempre juntos. Um pelo outro. Um para o outro. Porque independente dos problemas e apesar dos erros, eu sempre senti que podia contar com você e eu tenho a impressão que nada vai chegar ao nível de amizade e companheirismo que tínhamos e isso é frustante. Não que eu não tenha me relacionado com outra pessoa depois de você, não, mas, nada chegou perto do que éramos, nada foi tão intenso e meu coração nunca foi tão feliz como foi com você. Eu transbordo saudade porque sei que existe amor em algum lugar que eu ja pisei, é raro encontrar e quando acontece, é pra durar a vida inteira. Eu transbordo saudade porque não te esqueço, dentro de mim o que passou não morreu. Eu me lembro de cada boa sensação, de cada momento nosso e de todo amor que nos pertencia. Faz falta passear aos domingos ou ficar deitada em sua cama de solteiro te olhando, te ouvindo falar, me perdendo no seu perfume, me entregando aos seus carinhos, só pra você, sempre sua. Me lembro de roubar seu casaco em dias frios e ficar abraçada com você, conversando qualquer coisa, pensando no futuro. Nunca um sorriso me transmitiu a paz que você transmitia ao sorrir e é dessa paz que sinto falta. Eu lembro do passado com tanta frequência que nem parece ser um passado distante. Eu penso que um dia nós vamos nos encontrar e nesse dia, quando nossos olhares se cruzarem, teremos a mesma sensação e o sentimento que reside em nós, fraco ou forte, vai despertar, como a primeira vez em que você me beijou. Mas é claro que é só um pensamento meu. Eu ainda ouço todas as musicas que me fazem lembrar de você, até mesmo aquelas que um dia me fizeram chorar, pois, não desprezo a trilha sonora do nosso amor. Quando tudo acabou, eu perdi o rumo, me perdi no mundo e nada parecia fazer sentido. Eu levei um ano pra parar de doer, porque existia um vazio tão imenso em mim, que não só o peito doía, mas, eu inteira. Um ano em que eu repensei todos os nossos erros, encarei a realidade e decidi continuar a minha vida e muito depois eu me permiti ser de alguém novamente, o que não deu certo, pois, nada se equiparava a tudo que eu tive um dia. E ultimamente, depois de tanto tempo, depois de tudo o que aconteceu e apesar de toda a dor sentida, eu me pego em saudade. Saudade do passado, falta de quem a muito residia em meu peito e hoje, não passa de uma lembrança boa. Boa sim, porque eu não me lembro da parte ruim de nós e sei que muito aconteceu, mas, eu só guardei o que foi bom. Eu vivo na esperança de um dia amar alguém, como amo você, de sentir a paz, que você me transmitia, de ter a história, que nós tivemos e mais. Eu espero, que o futuro reserve pra mim uma vida, como eu planejava ao seu lado e de preferência, se for pra acontecer, que seja com você.
—  Luiza, com todo amor que ainda sinto.
é só rodopiar

entrelaço nossos dedos e coloco sua mão contra o meu peito. ali, acomodados com o silêncio, o admiro por ser tão belo. com a voz embargada, tento soltá-la e cantar alguma canção que te faça sorrir de orelha a orelha. não tenho uma voz tão doce e confortante quanto a sua, mas pra fazê-lo sorrir sem medo, dou-te as minhas inseguranças mais banais. cantarolei: ‘é só rodopiar em busca do que é belo e vulgar’. você sorriu constelações que refletiam em meus olhos apaixonados. te emendar no calor do meu corpo é reconfortante. acompanhar os seus passos firmes e singelos é como te guiar em cada trilha do nosso amor. cada detalhe seu é sublime, moço. contemplo-os como a inocência de uma criança. você me mantém enclausurada na harmonia que me transpassa a pele e acalma a minha insanidade sentimental. sinto-te dançando nos cômodos do meu interior. você sintoniza o seu coração ao meu que pulsa descontroladamente. que pulsa por ti. que dança em uma pulsação interminável por nós. 

[…] o dia vai raiar
pra gente se inventar de novo
e o mundo vai nascer de novo.

Então vamos. Vamos para um lugar só nosso, sozinhos, ao som de Ed Sheeran, ou pode ser até do 5 a seco, mas vamos ficar sozinhos, não importa qual música será nossa trilha sonora, o importante é que seja nossa trilha sonora.
—  Influência do amor. Circunscreva.