thiago diz

Imagine - Niall Horan

Eu fiz um clichezão por que eu amo “estórias” clichês Hoje é dia 01 de agosto e eu AMO esse mês, e por isso, mais uma mês de imagines todos os dias começou! Vou fazer esse mês especial por que ainda vou ter um mês de férias e depois só Deus sabe quando vou conseguir fazer isso de novo. Então, espero muito, mesmo, que gostem, do imagine e desse mês que começou! Beijos

Pedido: Pedidos abertos? OBA ! pode fazer um do Niall que ela acredita em contos de fadas, mas ela sofre uma desilusão amorosa e ele tenta demostrar a ela que contos de fadas existem sim ? Amo seus imagines


Desde que comecei a sair com Thiago, o mesmo costuma me esperar no corredor onde minha sala ficava. Ele estava um ano a minha frente e, por isso, estudávamos em prédios separados.

- Oi, Thiago! – Sorri, o abracei, mas quando fui beija-lo, o mesmo vira o rosto.

- Precisamos conversar. – Ele diz assim que me solto dele com brutalidade.

- Ah, não, Thiago. – Digo já com voz de choro.

- Eu sinto muito, (S/N). Mas não posso ser feliz com quem não amo.

- Mas, mas você me disse que me amava tanto quanto eu amava você! – Sentia minha voz falhar e lágrimas escorrerem pelos meus olhos.

- Eu menti, (S/N)! – Ele esbraveja. – Foi uma aposta, (S/N), todo nosso relacionamento foi uma aposta!

- Eu não acredito! – Balancei a cabeça diversas vezes.

- Acredite! Tenho quinhentos euros na minha mão graças ao mês que te aguentei. – Ele sai e me deixa lá, sozinha, em um dos longos corredores da escola.

Amar sempre foi a coisa que mais sonhei em fazer. Amar um alguém que me faria feliz e que retribuísse todo amor que eu sentia por essa pessoa.

Os contos de fadas sempre me ensinaram que o amor é capaz de tudo… de te fazer lutar, fazer feliz e realizada, construir companheirismo, afinidade, lealdade e cumplicidade. E era isso que imagine conquistar com Thiago, o capitão do time de futebol. Como eu fui tola!

Como pude, se quer, imaginar que ele seria capaz de me amar; tendo todas as garotas daquela escola aos seus pés… eu fui tão infantil me declarando, dizendo que seria capaz de ama-lo e que poderíamos ser felizes para sempre.

- Oi, (S/A)! – Niall diz ao passar por mim, mas para assim que vê meu rosto molhado pelas lagrimas. – O que aconteceu?

Niall me puxou para a escadaria próxima de onde estávamos e quando ele me abraçou, meu choro silencioso, se transformou em soluços altos.

- Shiiiu. Você precisa me dizer o que aconteceu para eu poder ajudar você. – Niall disse e fazia um carinho leve nas minhas costas e cabelos.

- Ele, Niall, ele. O Thiago. Ele mentiu para mim. – Disse entre soluços e lagrimas. Sem contar a coriza que devia estar saindo do meu nariz.

- Como assim? Vocês estavam tão felizes…. – Ele engole em seco. – Eu até ouvi as promessas de amor que ele fez a você.

- Eram mentiras, Niall. – O mesmo tira um pacote de lenços de papel do bolso do seu uniforme e me entrega. – Ele acabou de me dizer que tudo não passou de uma aposta. Eu acreditei que poderíamos ser felizes, como eu aprendi nos contos de fadas, sabe?! Mas fui uma iludida. E agora ele deve estar rindo da minha cara.

- Aquele cretino! – Niall em solta de qualquer jeito e sai pisando firme.

- Niall, não faça isso! – Tento segurar ele pelo casaco. Ele se vira rápido em minha direção.

- Um babaca desses merece um soco muito bem dado no meio da cara. E é isso que vou fazer. Uma dama como você não merece isso, e vou deixar bem claro que assim como você, nenhuma mulher merece. – Ele se solta de mim e sai para o pátio.

- Ei! Thiago! – Na hora em que Thiago se vira para ele com uma cara de deboche, Niall acerta um soco em seu maxilar que faz meu ex-namorado se desiquilibrar e cair para trás.

- A princesinha puritana foi se queixar, é? – Thiago diz sorrindo debochado se levantando e limpando o sangue de seus lábios.

- Seu imbecil! – Niall voa para cima dele.

Apenas o coordenador consegue separar os dois depois de um tempo; Thiago estava quase desacordado e Niall cuspindo fogo.

Os dois foram levados para a coordenação, e eu fui junto. Por mais que o estado de Thiago fosse grave, eu estava preocupada com Niall.

- Você não devia ter visto isso. – Niall me abraça.

- Você que não deveria ter feito isso! – O empurrei pelos ombros de leve o fazendo rir.

No final das contas, o coordenador me fez sair da sala dele e na saída não encontrei nenhum dos dois.

Fui para casa a pé pois queria pensar; absorver tudo que havia acontecido. Aquilo era demais para mim. Meu coração doía pelo término repentino; pela verdade arrebatadora e cruel; e por Niall que não deu notícias desde o mal-entendido.

Ao chegar em casa, minha mãe fez um fiasco ao me ver com os olhos inchados e a camiseta manchada de sangue – que, provavelmente, era da mão de Niall. Contei, com poucos detalhes, o que aconteceu na escola e disse apenas que estava preocupada com Niall.

Depois de almoçar com a minha mãe e ela sair para o escritório, subi para o quarto para fazer a lição de casa e assistir um pouco de televisão.

Eram quatro da tarde quando a campainha de casa tocou. Eu já havia terminado a redação de português e alguns exercícios de física e por isso, estava deitada assistindo Friends. Pausei bem na hora em que Rachel ai falar algo e por um breve momento quase apertei o play e deixei a campainha tocando.

Mas desci e abri a porta. Dando de cara com Niall.

- Niall! Que bom que você está bem! – Me joguei em seus braços e o ouvi rir.

O barulho de embrulho se fez incomodo entre nós e eu me afastei.

- O que é isso?

- Hoje eu enfrentei um dragão chamado Thiago, para salvar minha doce donzela. Um dos meus súditos conseguiu salvar o dragão da morte, infelizmente. – Niall tinha um sorrisinho sapeca nos lábios e eu mordi o meu lábio inferior para não sorrir também. – Mas eu consegui cada ouro que ele conquistou para fazer minha donzela sofrer. Um terrível cretino. Eu trouxe um buque de rosas a minha dama e também vim convida-la para passear comigo. Um lanche no Mc Donald’s talvez. Minha doce princesa aceita? – Niall estendeu as flores.

- Claro, meu querido príncipe. – Faço um leve reverencia sorrindo e Niall estica o braço para que eu enlace ao seu. -  Acho que meu príncipe merece uma recompensa por todas suas lutas do dia.

- É? – Niall perguntou sorrindo e me puxando para ele. – Eu não quero que faça nada a força, sabe, você terminou com ele a pouco tempo e

Antes que Niall continuasse seu monologo chato de que não queria me fazer mal, me joguei mais uma vez em seus braços e o beijei, com carinho, delicadeza e tudo que eu sempre desejei.

- Eu quero te fazer a princesa mais feliz. – Niall diz ainda de olhos fechado.

- Você sabe que estamos no século XXI, né?!

- Mas, se você acredita em contos de fadas, nada mais justo que transformar sua vida em um.