the-cantos

Loucura

Ela evitava espelhos. Não apenas por consequência do descaso com o externo, mas também por puro horror à ideia de ver o reflexo da sua alma, podre e exposta, marcado para sempre em suas retinas. Os demônios beliscavam seus ouvidos, recitando cantos do passado que a faziam querer fugir para não mais voltar, mas isso não era possível, estava presa a eles por maciças correntes translúcidas. Os habituais pensamentos ensurdecedores batalhavam entre si e os escombros de sua mente eram mais uma vez o pano de fundo para essa sangrenta guerra psicológica.

Suas mãos trêmulas pressionavam as têmporas doloridas, seu corpo apático deixava-se levar de um lado a outro naquele quarto inóspito por seus pés enérgicos. O caos fez morada há tempo na psique atormentada. Imaginava como seria o silêncio, tão pacífico e harmônico. Ela sabia como calar as vozes e por um momento cogitou a ideia de fazê-lo. Arfava tão rapidamente como se nem todo o oxigênio do mundo fosse suficiente para satisfazer seus pulmões. Sua visão lhe mostrava visitantes correndo em sua direção com corpos desformes, chamando-a com suas falas hediondas, mas antes que eles pudessem alcança-la sumiam, deixando-a sem chão e com um permanente grito de horror estampado em seu rosto. Seu coração encolhia a cada hora que passava naquele inferno barulhento.

A última chama de perseverança dissipou-se e a escuridão finalmente se apossou de cada canto de sua existência. A prata reluzente acariciava seu pulso. Uma, duas, três linhas vermelhas. As vozes excruciantes escapavam libertas. Silêncio enfim.  

10 dicembre 2010

-Fede
Ricordo che quel giorno sono tornato a casa dopo aver giocato a calcetto: prima di cena mi sono messo al computer, in sala, e sono andato su Facebook per vedere un po’ la situazione. Un amico di Benji aveva condiviso su YouTube un video in cui suonava la chitarra con altri due ragazzi. Uno di loro, Wagner, lo conoscevo perché faceva lezione di canto con me. Di Benji invece avevo già visto qualcosa perché comunque se ne parlava un po’ a Modena: faceva le magliette, suonava, giocava a calcio… ma non lo conoscevo di persona, allora sono andato sul profilo per saperne di più. Quella sera ho letto un po’ la sua storia, ho visto che tipo era - per quanto potessi capire da un profilo - e anche che sarebbe dovuto partire per l'Australia, essendo lui australiano, perché voleva provare qualcosa di nuovo. Però ho deciso di mandargli un messaggio lo stesso, pensando che magari sarebbe tornato presto, e gli ho scritto su Facebook se gli andava di fare un duo. Lo vedevo molto simile a me e se ci fossimo messi a lavorare insieme avremmo spaccato…
Lui ha risposto chiedendomi se avevo postato qualcosa su YouTube che poteva vedere o sentire. Io avevo solamente un video vecchissimo, ma non rappresentava quello che ero, e allora siamo rimasti un po’ in stallo fino a quando ci siamo incontrati per la prima volta.

-Benji
La sera in cui Fede mi ha scritto per la prima volta anch'io ero a casa, ho letto il messaggio e all'inizio, non sapendo chi fosse, ho detto: «Chi è ‘sto qua?». Sono andato sul suo profilo ma non c'era niente, perché era su Facebook da pochissimo tempo: per quel che ne sapevo poteva essere benissimo un fake… Comunque sono stato cortese e gli ho chiesto: «Hai un video, qualcosa di te che canti, visto che sei un cantante?» dato che l'unica cosa che potevo vedere nella sua bacheca era un tipo con il ciuffo che sembrava un piccolo Zac Efron o Justin Bieber.
Ma lui non aveva video da farmi vedere, quindi non l'ho preso neanche sul serio e la mia risposta è stata: «Sì, ma devo andare in Australia, ora non ce n'è».
Stavo partendo, anche con Josh ci eravamo detti: «Ok, rimandiamo», pensando sarebbe stato impossibile continuare così a distanza con gli Skye Breath.
La prima volta che io e Fede ci siamo incontrati di persona è stato nel bagno di una discoteca, pochi giorni prima che io mi trasferissi in Australia. Mi aveva scritto via Messanger qualche giorno prima, poi una sera alla Crepa ero in bagno e l'ho visto entrare. Me lo ricordo benissimo: maglioncino azzurro con scollo a V, cappellino tipo cuffie (in discoteca ci saranno stati 150 gradi ma lui aveva il cappello a cuffia!), pantaloni bassi, larghi, tamarri, con delle Timberland altre così… Mi sembrava un miraggio, forse avevo anche bevuto un po’… Quindi lo guardavo e non capivo se era proprio lui, perché l'avevo visto solo in foto su Facebook. Gli ho detto: «Ah vabbe’, ma allora esisti!».

natale si avvicina come solo lui sa fare
silenzioso mica tanto
piuttosto luminoso
con tutti i suoi babbi natali
e tutti i suoi alberi in plastica colorata
e tutte le sue palle di natale
e i presepi
e i pacchi dono
e i servizi al telegiornale che raccontano gli italiani quanto consumano e cosa
e i cibi di natale
nel meridione mangiano tantissimo e sono grassi

io
dal canto mio
quest'anno
mi son fatto costruire dai muratori

un bunker anti-natale

a cento metri sotto terra
con una porta corazzata
ed una coibentazione d'acciaio inox diciotto-dieci
che manco con la lancia termica
che se un qualsiasi babbo s'avvicina
c'è tutto un ambaradan di mine anti uomo
e polpette avvelenate per le renne
e se mai si trattasse di gesù bambino
mi sono attrezzato con un fucile di precisione con pallottole dirompenti al mercurio

quest'anno, natale, vinco io
secondo me quest'anno vinco

anonymous asked:

Llegaste cuando menos te esperaba y te fuiste sin decirme ni siquiera adiós, me di cuenta que sin ti, no podía ser yo nadie, si me faltas tu mi amor, por qué vivir... sin conocerla le dije eres hermosa, me improvisa una sonrisa y se sonroja...🎶

esa es mi canción y la primera la canto cuando estoy cura dldjfkfk🙄❤
yo, te miraba hasta gastarte, no sabía que el deseo era inflamable, grave error, era una flor en el desierto de la angustia, la justificación de una vida tan injusta🎧🤔

É bem provável que você leia esse texto; por isso te peço encarecidamente que não morda os labios durante a leitura, ou fique rindo de canto, você sabe que isso tem um efeito enorme sobre mim. Eu tenho pensado em você enquanto vejo aquelas fotos “nada a ver” no Facebook. Combina exatamente com a descontração que emana de você. Você me acha um brutamonte e quase sempre me lembra que eu sou um ogro. E eu de fato gosto muito disso. É que meu jeito foi negado e o acesso tá restrito, e como você tem aos poucos decifrado a senha da minha alma me atinge de uma forma assustadora. Por isso lhe peço paciência, é tudo um mal jeito que aos poucos entra no eixo. Te garanto. É tudo mentira. Quando eu disse que sou o antídoto pra você eu estava mentindo, é tudo uma farsa porque você não sabe, mas eu sou sempre o vilão da história. Eu não sei muito bem, mas pelo menos por aqui, os vilões sempre morrem no final.
—  João Lima.
Muita coisa é resolvida em um simples abraço. Dentro dele o mundo fica mais seguro e bonito. Com ele surge a esperança e o encontro. O abraço protege, ampara, vibra, renova, acalma. O abraço manda embora as mágoas, angústias e falhas. E faz a vida ficar muito mais leve.
—  Clarissa Corrêa.
Parecia que eu tinha voltado a minha fase negra do ano passado. Aquela vontade de ir para o canto da sala, colocar os meus fones de ouvido e esperar o dia passar. Eu olhava para o relógio e dizia a mim mesma que faltam apenas alguns minutos para tudo melhorar. Mas não melhorou, estava longe disso. Imprevistos, novidades ruins, tudo em um mesmo dia. Eu finalmente entendi o que era aquela sensação ruim que estava dentro de mim desde a hora que eu acordei. Tentei acreditar que eu estava criando uma tempestade em um copo d’água, que tudo o que eu precisava era um pouco de ar e amanhã tudo ficaria bem. De fato era um pouco exagerado, mas um exagero natural, aquele que você apenas sente e não pode contar a ninguém. E conforme o dia passava, tudo apenas aumentava como se nunca tivesse um fim. Queria sumir, queria voltar, queria sair dali e correr para qualquer lugar que me fizesse bem. Mas eu não podia, estou presa a minha realidade.
—  Isabelle Nascimento.