the (sis)tem

Sabe quando já virou um nó cego, daqueles bem difícil de tirar? A vida é assim, aperta daqui e afrouxa de lá. É preciso um meio termo entre apertar e soltar. Se algo é seu, não deixe à desdém, mas também, tenha cuidado, pois um nó cego, é capaz de te impedir de dar um laço. E lembre-se, o que une um ao outro é o laço que tem entre si.
—  Lidiane Guimarães.
amizade é isso

vez ou outra podemos confiar em alguém,
mas na maioria das vezes você só tem a si mesmo pra contar.

hiago gomes

é que ás vezes dá vontade de descansar o cansaço dessa vida e o peso de ter que ser alguém. abrir um zíper nas costas e sair um pouco de si. e isso não tem nada haver com você. não é culpa sua não, é neurose minha.

O amor em si tem lá seus bons sintomas, mas o que dói mesmo, o que devasta, o que tortura são as atitudes de quem diz o sentir, mas que pratica-o com medo e insegurança. O amor talvez doa, mas as pessoas doem mais.
—  Amsterdam, 1945.
Que tal passar o dia com você?
Desligar o celular, silenciar sua mente
Ler um livro, assistir seu filme favorito.
Tomar um banho e sentir seu corpo
Respirar a vida em seus pulmões.
Que tal ter uma conversa sincera consigo mesmo?
Se criticar, se elogiar, identificar o que você tem feito de bom para si.
Porque você tem medo da solidão?
Ela não existe! Você sempre sempre sempre terá você mesmo
E isto é maravilhoso!
Hoje é um ótimo para se reconciliar com você mesmo e se deliciar com a vida.
—  Helena Ferreira

tu me olha como quem quer se perder dentro de mim. e eu te olho na esperança de me encontrar dentro de ti.
“k, o que eu sinto por você pode até adormecer, mas nunca irá acabar. porque o amor é assim” quando tu abre a boca falando isso me parece ser com tanta certeza que mesmo que seja por apenas um segundo me sinto segura diante delas.
eu me sinto bem com você. mesmo que tu se sinta um fracassado e um merda. para mim, você é tão imenso quanto imagina. a segurança que tu não tem em si mesmo, você me passa de uma forma que não sei descrever e nem sei se é possível.
feels like we only go backwards.
tu me apresentou essa música logo no começo onde eu não sabia o que sentia ao certo por você. mas de alguma forma quando eu escutava ela eu sabia que tinha uma parte tua dentro de mim. eu podia sentir.
eu ainda me lembro das tuas mãos trêmulas e dos teus olhos gigantes cheios de nervosismo quando me olhava.
obrigada por me abraçar forte e dizer eu te amo de uma forma tão intensa que pôde estremecer cada lacuna do meu ser.
baby, a imagem que dilata através dos meus olhos é que você é um ser tão maravilhoso quanto pensa.
eu moro no teu céu da mesma forma que tu habita na minha pele. eu te transbordo quando abro a boca.

eu te inspiro quando respiro.


- para àquele quem é o mais novo motivo dos meu textos.

Ela mudou, mudou tanto que ninguém mais reconhece. Ela tenta lembra-se como era, mas sabe que mesmo que tente agir como se nada tivesse acontecido é impossível. A criança que um dia chegou a ser se se perdeu no tempo, agora tudo o que pode ser feito é aceitar as mudanças e tentar seguir em frente da melhor maneira que encontrar. Ela sabe que será questionada pelas pessoas por conta de tamanha mudança, mas também sabe que foi através destas mudanças que ela cresceu e aprendeu que nesta vida é cada um por si, e que sim pode se importar com outros, mas nunca se esquecer de si mesma, não tem amor mais bonito que o amor próprio.
—  Diário da Bella
como diz Caetano:

“cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é”, cada um é dono de si, com uma enorme diversidade de opiniões à se ter e, mais ainda, oportunidades de decisões tomar. Cada um se bem entende da maneira que é, deixando o outro ser da forma que quiser, também. Cada um tem em si os sonhos que deseja ter, ainda mais daqueles que tem coragem de sonhar e de correr o risco de viver os seus sonhos, não se pode ter medo de viver e se esquecer de sonhar.  Cada um sabe o que sente diante dos obstáculos que são colocados a frente, e a força que nos é dada pelo universo para conseguir ultrapassar. Todos temos fraquezas e diante de cada uma delas nos é dada a oportunidade de reviver, e fazer tudo diferente, de nascer a cada pôr do sol a nossa coragem, a nossa estimativa de andar de mãos dadas com o sorriso estampado no rosto, mesmo sabendo que nem tudo são flores, que tem sido dias de espinhos, e embora o mundo não se importe com as suas dores, embora você muitas das vezes tenha de chorar escondido, para não ser alvo de curiosos, embora a vida não dê moleza quando se trata de te dar sorte, a esperança ainda há de nascer, a cada novo dia, a cada amanhecer ainda há de ter dentro de ti a felicidade pra habitar e fazer morada, sem hora pra partir, sem dia pra ir embora.

- Escrito por Paula, Isadora G. e Giovana em Julietário

Liberte-se, desapegue-se, saia de tudo aquilo que te sufoca, que te suga a troco de nada.

Como qualquer toxina, você precisa limitar sua exposição a esses tipos de pessoas ou até mesmo cortar laços para se preservar. Conviver em sociedade exige exposição do nosso eu a todo o tipo de gente, não aceite mesmice, não aceite migalhas enquanto existem pessoas que querem se dar por inteiro. Não se acostume com quem lhe dá pouco, não se acomode com quem se importa mais ou menos.

Algumas pessoas são tóxicas, mas existem pessoas que são antídoto. E elas estão por ai, perdidas. Basta se libertar, há tantas flores a serem encontradas, tantas cores a serem descobertas, tantos céus para se observar, um mundo inteiro para descobrir, ele é muito maior do que aquilo que podemos ver. Você merece muito mais, livre-se de pessoas tóxicas.

Permita-se sair do cativeiro, permita-se buscar outros horizontes, seja aquilo que não foram pra ti, não se prive de nada que lhe traga felicidade, não omita à si próprio, permita-se se apaixonar por aquilo que realmente vale a pena.

Plante coisas que você tenha muito orgulho de colher futuramente, espalhe muito amor a quem tão livremente dá ódio a outros. Cada um oferece aquilo que transborda dentro de si, ofereça aquilo que tem de melhor dentro do seu coração.

Tem texto que sai de nós feito uma ferida que incomodava. É como espremer um corpo estranho no organismo. Por mais que você tente digerir não é esse o lugar dele. É fora de si.

Tem texto que sai de nós e ainda ficam as cascas. E precisamos arrancá-las pouco a pouco para que a dor não seja intensa.  

Tem texto que nos transforma em sobreviventes.