tempo feio

O que dizer quando me perguntam o que eu vi em você, que eu encontrei a pessoa perfeita e por esse motivo me apaixonei? Ou porque você não comete erros nunca e por esse motivo continuo te amando? Talvez fosse muito fácil amar alguém assim. Mas a pessoa que me apaixonei, não é perfeita, mas são as imperfeições que aprendi a amar com o tempo. Já cometeu erros feios, teve inúmeras falhas, mas também ja me mostrou sinceridade em relação ao que eu realmente preciso sentir. Ele é assim, todo complicado e cheio de marra, mas me faz ser uma pessoa melhor por estar ao meu lado, fazendo a diferença nos meus dias. É cheio de imperfeições, mas é a pessoa que me salva de mim mesma e me faz ver o mundo de um jeito mais bonito, através dos olhos dele.
—  Giulia S. - É sobre você
Aqui está nublado. Não demora a chover. E sabe , não estou falando apenas do tempo. Estou falando de mim , do meu interior. Quer um motivo ? As vezes não é o suficiente pra você entender. Não consigo explicar , nem eu sei o que acontece. Sinto que tenho apenas que esperar. Já li por aí que o sol sempre aparece depois da tempestade. Agora vou descobrir se é verdade. Mas confesso que está demorando. Enquanto isso , eu me acostumo com esse tempo feio e chuvoso. E quem sabe eu aprendo a gostar de me molhar.
—  Juliana Miranda
É normal sentir saudades, mandar mensagem e se arrepender depois. É normal querer fazer loucura por alguém, se doar tanto e no final perceber que a pessoa não te valorizou. É totalmente normal essas e tantas outras coisas que o amor nos “obriga” a fazer, estranho é não sentir nada, feio é ser vazio.
Nesse imenso céu azul procuro por astronautas que se perderam nos vôos de sua imaginação em busca de algo novo, para preencher o vazio que estava em seus corações. Porém, sorrio ao ver constelações que formam coisas que me lembram você; até os astros conspiram a favor do amor, quando este é para ferrar o coração alheio. Já não consigo mais continuar assim: tão longe do que faz bem, tão perto do que é banal. O céu me chama, porém, continuo com os pés fincados no chão, esperando e rezando para que ele venha até mim, como um pássaro que voa até uma flor.
Quando comecei a apreciar o céu, percebi que deveria, também, saber apreciar seus dias tempestuosos. Felizmente, isso não foi nada difícil para mim, que sempre soube ver o lado belo do caos. E quando chove, exponho minha alma à chuva, para que ela possa lavar as sujeiras que vêm se acumulando em mim com o passar desses dias feios.
O tempo passa, e nem sempre é fácil ser forte, pois, às vezes, a chuva não leva nossas dores quando parte, nem mesmo as estrelas ofuscam o brilho da dor que há em cada átomo do nosso corpo. Porém, aceitamos a vida como esta é.
Às vezes, nos tornamos pessoas frias e duras. Outras vezes, nos tornamos frágeis como uma pétala de rosa. Seja como for, seguimos em frente. Uns com o coração na mão, outros sem coração algum para carregar, mas sempre seguindo em frente, porque não ousamos desistir.
—  Regenciado.
Acho tão bonito casais que duram. Não importa o tempo, o que vale é a intensidade. Querer estar junto vale muito mais do que estar junto há 20 e tantos anos só por comodidade. Sei que estou falando obviedades, mas hoje vi um casal de velhinhos na rua. Acho que o amor, quando é amor, tem lá suas dores bonitas. A gente vê uma cena e o coração fica emocionado. Nos dias de hoje, com tanta tecnologia, com tanta correria, com tanta falta de tempo, com tanto olho no próprio umbigo e nos próprios problemas, com tanta disputa pelo poder, pelo dinheiro, por ter mais e mais, sei lá, acho bonito ver um casal de velhinhos na rua. A mão, enrugadinha, segura a outra mão. A outra mão, por sua vez, segura uma bengala. Falta equilíbrio, sobra experiência. Falta a juventude, sobra história para contar. Falta uma pele lisa, sobram marcas de expressão que contam segredos. Envelhecer não é feio. Em tempos de botox, a gente devia olhar um pouco para dentro. De si. Do outro. Do amor.
—  Clarissa Corrêa.
As pessoas hoje em dia vivem com medo de amar. Amar não é ruim quando sê é recíproco. Porque amar sozinho é sofrer em dobro. Mas apesar disso, é bom amar. Sentir que, nada no mundo pode acabar com aquela felicidade. O amor é um sentimento tão forte, e tão complexo e ao mesmo tempo simples. Que com algumas consequências no fazem desabar, mas também nos fortalece. Sou aquele tipo de pessoa que tem medo de dizer que ama, pelo simples fato de eu sempre ter dito antes, e sempre sofri e me lasquei. Eu admiro aquelas pessoas que não tem medo de amar intensamente, porque eu não sou assim, queria mas não sou, e acabo me prejudicando com isso. O amor é um sentimento tão lindo e ao mesmo tempo tão feio. Tao verdadeiro e ao mesmo tempo tão falso. O amor cura dores, e sara cicatrizes e ao mesmo tempo, machuca e cria novas cicatrizes. Temos medo por razões óbvias, mas ao mesmo tempo não deveríamos. Deveríamos viver, mesmo que seja dificil, porque nada é em vão, o que aconteceu se resultara em quem voce vai ser. Eu irei dizer que amo alguém hoje, porque eu amo, e tenho medo, mas preciso parar de sentir medo ou eu não irei viver. Faça o mesmo, faça uma loucura que voce ame e sempre teve vontade de fazer mas teve medo. Porque nos simples atos de bravura, é quem descobrimos quem realmente somos.
—  Entravar
Lua: O tempo ta ficando feio por aqui
Lua: Chuva, raios e trovões
Lua: E eu… igual.
Lua: Eu estava chovendo primeiro, ai pra não me deixarem só o céu resolveu entrar nessa comigo.
Martin Luh: As núvens nos invejam…querem mostrar que têm mais gotas do que nossos olhos, mas mal sabem elas que nossas lágrimas não são apenas salgadas, também saem amargas e sangram como nossos corações.
Lua: E rasgam nossa alma por inteiro.
—  Lua & M. Luh - Diálogos

“Acho tão bonito casais que duram. Não importa o tempo, o que vale é a intensidade. Querer estar junto vale muito mais do que estar junto há 20 e tantos anos só por comodidade. Sei que estou falando obviedades, mas hoje vi um casal de velhinhos na rua. Acho que o amor, quando é amor, tem lá suas dores bonitas. A gente vê uma cena e o coração fica emocionado. Nos dias de hoje, com tanta tecnologia, com tanta correria, com tanta falta de tempo, com tanto olho no próprio umbigo…A mão, enrugadinha, segura a outra mão. A outra mão, por sua vez, segura uma bengala. Falta equilíbrio, sobra experiência. Falta a juventude, sobra história para contar. Falta uma pele lisa, sobram marcas de expressão que contam segredos. Envelhecer não é feio. Em tempos de botox, a gente devia olhar um pouco para dentro. De si. Do outro. Do amor.”
CAIO FERNANDO ABREU

Acho tão bonito casais que duram. Não importa o tempo, o que vale é a intensidade. Querer estar junto vale muito mais do que estar junto há 20 e tantos anos só por comodidade. Sei que estou falando obviedades, mas hoje vi um casal de velhinhos na rua. Acho que o amor, quando é amor, tem lá suas dores bonitas. A gente vê uma cena e o coração fica emocionado. Nos dias de hoje, com tanta tecnologia, com tanta correria, com tanta falta de tempo, com tanto olho no próprio umbigo e nos próprios problemas, com tanta disputa pelo poder, pelo dinheiro, por ter mais e mais, sei lá, acho bonito ver um casal de velhinhos na rua. A mão, enrugadinha, segura a outra mão. A outra mão, por sua vez, segura uma bengala. Falta equilíbrio, sobra experiência. Falta a juventude, sobra história para contar. Falta uma pele lisa, sobram marcas de expressão que contam segredos. Envelhecer não é feio. Em tempos de botox, a gente devia olhar um pouco para dentro. De si. Do outro. Do amor.
—  Caio Fernando Abreu