tempestuoso

Leaving Tonight

Capitão de minha angústia
Alter ego se faz corpo de fuzileiros
Em oceanos tempestuosos
Torna um copo de meu amor e vomita sentimentos fuleiros
Anda sobre o convés, tantas opções
Nós de forca, cordas, afogar-se ao mar
Onde talvez encontre-se com as sereias a cantar

AS HORAS. - Então.

Esther Lucio Bittencourt

Então.

Num ano destes percorri de canoa a distância entre o pólo norte e o sul. Era ousadia Ímpar remar através de oceanos, geleiras, mar tempestuoso sem parar sequer para comer uma banana. Então?

Foi assim.
Não por isto tornei- me salgada ou cresci escamas.
Nada disto vem ao caso não fosse um sabor estranho de salsugem no céu da boca.
E o mais estranho foi que fiquei com os olhos cheios de areia.
Tudo isto era chato.


E então? 
Resolvi fazer o percurso ao inverso; do sul ao norte. Mas como estava cansada, um dia, bocejei.
Não é que uma baleia imensa pulou dentro da minha boca?
Eu a engoli num espanto e sua cauda, até hoje, saculeja no meu intestino.
Há arrotos de baleia violentos quando jorros de mar saem por minhas narinas.
Nada disto me desestimulou a conseguir verter o conteúdo do meu estômago no continente chamado mar.
Vez em quando preciso remar para colher sardinhas e peixes menores para alimentar a baleia que existe em mim.
Na volta de uma destas viagens soube que na América do Sul um grupo havia devorado a Presidente da República. 
É um paiseco de antropófagos, seres primitivos que ainda não descobriram o fogo.

Então.
Aí é que o fato se deu.
Havia outro paiseco do norte que programou derrubada contra minha canoa que viajava com o doce nome de wiki.
Com um tiro de canhão feriram-na de morte e precisamos , eu e a canoa, causar estranheza entre os mongóis.
Fui bem recebida por um cara chamado Ben-Hur que me levou numa biga até a Noruega onde uma avalanche de neve o pegou. Até hoje procuram seu corpo. Fui salva pela baleia dentro de mim que, com esguichos de água, derreteu a neve que me sufocou durante um tempo. Foi o suficiente para tirar o Atol de Bikini que ela havia engolido.

Então, deu tudo certo.
Não, não suponham que tenho uma barrigona para conter a baleia. Ela se espalhou por todo meu corpo por igual.
Ah, sim. Convivemos bem.
Exceto quando tomo muito café e ela reclama da úlcera. É um mimimi de exaurir os ouvidos.

Então.
Então,sei lá porque contei fato tão íntimo no qual eu sei que ninguém acredita.
Mas sabe? Não importa.
Foi um desabafo em cima da hora. Só isso.

O desenho de minha viagem eu perdi.