te odeio e te amo

Eu vou ter sede da sua atenção. Eu vou querer seu “mas, eu te amo” quando eu disser “eu te odeio, e não quero mais te ver por aqui”. Eu vou querer um beijo roubado no meio daquela briga. Eu vou querer seus elogios quando o espelho estiver de mal comigo. Eu vou querer sua sinceridade quando for necessário e a sua doce mentira quando minha vaidade precisar. Eu vou querer surpresas no meio do dia, ligações inesperadas. Eu vou respirar você. Eu vou amar você.
—  Tati Bernardi.
Ando te enxergando em todos os lugares, tua ausência agora me assombra e me persegue mais do que nunca. É um alívio saber que não te esqueci mas, ao mesmo tempo, te lembrar é um fardo grande demais.
Quando penso que consegui te deixar no passado, o vazio da tua ausência me consome e sou obrigada a te trazer de volta ao caos dos meus pensamentos. Quem disse que relembrar é viver só disse isso porque não te tem na memória. Relembrar você, e perceber que isso é tudo o que resta da sua existência, é morrer. É morrer e ir para o mais cruel dos infernos: continuar vivendo sem você.
Eu te odeio e te amaldiçoo por ter me deixado, mas também te amo e suplico o teu retorno porque a culpa me corrói, me esmaga e você é a única que pode tirar esse peso de mim. 
Heathcliff disse “o mundo inteiro é uma terrível testemunha de que um dia ela realmente existiu, e eu a perdi para sempre.” e creio que ele é o único que me entende nesse momento. Tudo me lembra você, tua ausência está estampada no azul do céu, nas ondas do mar, na brisa fria e no calor do sol; sinto tua falta até nos olhares curiosos, nos toques desconhecidos, nas vozes alheias. E eu corro, fujo e me escondo, mas nada adianta e você sempre está lá, a lembrança constante de tudo o que eu perdi, tudo o que eu não soube cuidar. E eu saio, me distraio, coleciono momentos e banalidades só pra tentar esquecer esse vazio que me cerca, mas todos os meus esforços são inúteis porque o vazio maior está dentro de mim, e esse só pode ser preenchido por você.
Eu sei que te falhei, mas o maior crime quem cometeu foi você, que não me deu a chance de tentar outra vez. Mas como eu posso te culpar por ter se jogado, se fui eu que te levei à beira do abismo? Eu ainda sinto o peso da tua desistência no meu colo, teus olhos opacos me encaram no escuro e o vermelho da tua vida se esvaindo perturba os meus sonhos, e minha garganta queima ao lembrar meu grito desesperado te pedindo pra ficar, implorando o poder pra te salvar…
Você encontrou a paz que tanto precisava e me deixou sozinha no meio dessa tempestade que é viver sem você. E eu não sei se você foi egoísta em ir embora sabendo que assim acabaria com a minha paz, ou se a egoísta sou eu, que queria que você ficasse mesmo sabendo que eu era a causa do teu tormento.
E o tempo passa, passa mas tua partida não cicatriza, eu tento seguir em frente mas nada é completo sem você. Tento fugir da dor da tua lembrança mas o meu subconsciente te procura em todos os lugares porque eu fui, sou e sempre serei tua. Dói pertencer a quem decidiu ir embora.
—  Anna Maia. November 19th.

“Eu me odeio depois que o efeito de você passa. É otima a sensação que você me da, quase um alívio “ufa, salvou meu dia” mas depois você some, desaparece, e eu não sei se odeio mais a você ou a mim, porque toda vez que você decide se distanciar, automaticamente eu te espero, com aquela certeza absoluta que você volta.
Eu te odeio, soube desde a primeira vez que me beijou e partiu. E essa noite não foi diferente.
Eu me odeio por que a todo momento desejo ouvir aqueles absurdos saindo da sua maravilhosa boca só pra me conquistar. E eu me odeio por que você, canalha, sempre consegue.
Te odeio e te amo, preciso admitir. Porém, há um equilibrio entre o amor e o ódio, não pense que te odeio mais do que te amo. E não pense que te amo mais do que a mim. Seria idiotice demais, descontrole demais, acerto demais, e eu não te permito acertar, não de primeira assim.“
- Ray Dias

Eu sou assim, eu vou sumir quando você menos esperar, eu vou surtar com você, vou querer que você sinta medo, orgulho, paixão, tesão, fome de mim. Eu vou ter as vontades mais loucas, eu vou sentir inveja até da sua sombra por estar perto de você de dia, e do seu travesseiro por estar com você a noite. Eu vou aparecer só pra você me perceber, eu vou sumir e aparecer milhões de vezes pra você me notar. Eu vou ter sede da sua atenção, eu vou querer o seu “mas eu te amo” quando eu disser “eu te odeio, e não quero mais te ver por aqui”, eu vou querer um beijo roubado no meio daquela briga, eu vou querer seus elogios quando o espelho estiver de mal comigo, eu vou querer sua sinceridade quando for necessário, e a sua doce mentira quando minha vaidade precisar, eu vou querer surpresas no meio do dia, ligações inesperadas, eu vou respirar você, eu vou amar você.
—  Tati Bernardi. 
Eu te amo e te odeio. Te amo porque toda vez que falo com você, borboletas aparecem no meu estômago; te amo porque você tira de mim os sorrisos mais sinceros; te amo porque eu sonho com você e acordo a pessoa mais feliz do mundo; te amo porque você me faz acreditar que existe algo bom nesse mundo.
Mas eu também te odeio. Te odeio porque me pego pensando em você em todos os momentos; te odeio porque você está tão longe e eu não posso sentir o seu calor; te odeio porque te quero tanto e não posso te ter. Te odeio por que te amo tanto, e meu Deus, como eu amo te amar.
—  Anna Maia

Quando eu era mais nova eu sempre parava para assistir os filmes da Disney, as princesas sofriam, lutavam, dançavam e no final sempre encontravam os amores de suas vidas, suas almas gêmeas. Eu cresci com essa ideia na cabeça, de que algum dia alguém ia aparecer e me completar de uma forma tão intensa e abundante que eu nunca mais ia sequer olhar para outras pessoas. 

Eu cresci e vi minhas amigas se apaixonando e desapaixonando com a mesma facilidade, falarem “eu te amo” e “eu te odeio” em um intervalo de um mês. Minha alma de criança não queria aceitar. O conceito do amor para mim era tão puro que só a concepção de que ele poderia não ser eterno me frustrava. 

Outro dia procurei o significado de “alma gêmea” no dicionário, e o que eu achei foi “pessoa que completa o outro” e então eu entendi, entendi o porque das pessoas se apaixonarem e se desapaixonarem, pessoas completam pessoas de maneiras diferentes.

Hoje você me disse que nós podemos gostar de mais de uma pessoa por vez, eu dei risada, ainda com aquela ideia infantil de que o amor é exclusivo, mas talvez ele não seja.

Eu te completo e você me completa, mas alguém pode te completar de uma maneira diferente e alguém pode me completar de uma maneira diferente, o mundo é muito grande e as pessoas muito diversas, e eu com o meu coração apaixonado e com as minhas ideias infantis finalmente entendi que um amor não anula o outro.

Mas amar é uma escolha, e eu ainda escolho a ideia de me dedicar a alguém que se dedique a mim também, que eu queira e que me queira também, que me ame ao ponto de querer estar só comigo, mesmo que as outras pessoas sejam interessantes e engraçadas.

Mesmo que o amor seja amplo demais. 

Eu sinto tanto a sua falta, mas você nunca vai saber disso. Não por mim. Nunca vai saber o quanto eu já chorei todas as noites, nunca vai saber como meu coração pula e como as borboletas do meu estômago acordam todas as vezes que te vejo, é como se seu sorriso fosse um combustível para que elas acordem novamente, nunca vai saber como me sinto vendo que nossas vidas seguiram rumos completamente diferentes, não vai saber o quanto ainda penso na gente em todos os momentos. Porque até quando durmo sonho com você, e isso é horrível. É indescritível a sensação de saber que não estou mais em seus planos, que nossas vidas seguiram outros caminhos e que infelizmente eu estou sofrendo mais do que você. Você nunca vai saber que a saudade é tanta que as vezes sinto até raiva de mim por te amar tanto e me preocupar tanto quando ninguém mais se importa, inclusive você. Eu te amo e te odeio o tempo todo, mas te odeio só por meio segundo, e volto te amando ainda mais… Caramba ! Como pode? Como pode alguém amar tanto outra pessoa cujo não tem mais nada entre vocês ? Como ainda posso te amar sabendo que terminamos antes mesmo de começar ? Como te amo sabendo que se não estamos juntos é por algum motivo ? Como posso te amar sabendo que sua vida está seguindo sem mim ? Acho que é por isso que dizem que o amor é cego. Mas duvido muito dessa frase. Nós enxergamos tudo, o problema é que nós nos fingimos de cego.
Por mim você nunca saberá a falta que me faz, nunca saberá o quanto ainda oro para que demos certo, e nunca saberá que eu quero te dizer que te amo todas as vezes que falo que te odeio para alguém. Não quero que saiba que sou um fracasso quando o assunto é esquecer alguém, que não sou feito todo de orgulho quanto pareço. Nunca saberá que ainda te amo, na falta que me faz, e no quanto ainda penso na gente, não saberá de nada disso. Não por mim.
—  O amor é bom, mas costuma machucar.

“Eu vou ter sede da sua atenção. Eu vou querer seu “mas, eu te amo” quando eu disser “eu te odeio, e não quero mais te ver por aqui”. Eu vou querer um beijo roubado no meio daquela briga. Eu vou querer seus elogios quando o espelho estiver de mal comigo. Eu vou querer sua sinceridade quando for necessário e a sua doce mentira quando minha vaidade precisar. Eu vou querer surpresas no meio do dia, ligações inesperadas. Eu vou respirar você. Eu vou amar você.”
— Tati Bernardi.

Eu sou assim, eu vou sumir quando você menos esperar, eu vou surtar com você, vou querer que você sinta medo, orgulho, paixão, tesão, fome de mim. Eu vou ter as vontades mais loucas, eu vou sentir inveja até da sua sombra por estar perto de você de dia, e do seu travesseiro por estar com você a noite. Eu vou aparecer só pra você me perceber, eu vou sumir e aparecer milhões de vezes pra você me notar. Eu vou ter sede da sua atenção, eu vou querer o seu “mas eu te amo” quando eu disser “eu te odeio, e não quero mais te ver por aqui”, eu vou querer um beijo roubado no meio daquela briga, eu vou querer seus elogios quando o espelho estiver de mal comigo, eu vou querer sua sinceridade quando for necessário, e a sua doce mentira quando minha vaidade precisar, eu vou querer surpresas no meio do dia, ligações inesperadas, eu vou respirar você, eu vou amar você.
—  Tati Bernardi