te amo louis

•Pedido

•Faz um do Louis q os amigos dele não gostem da (s/n) e o Lou chama eles pra casa dos dois so q os amigos ficam implicando ela mas depois fica tudo bem.

• Como ontem eu não postei, está ai o imagine! Meu irmão estava doente, então não teve como eu mesma escrever, então a Kah fez pra mim!

• Espero que gostem!


Hoje resolvi chamar alguns amigos para um pequena reunião aqui em casa, fazia alguns meses que não nos encontrávamos, então hoje seria o dia perfeito.

Minha namorada havia saído para comprar algumas coisas enquanto eu avisada todos, (S/N) nunca teve uma boa convivência com meus amigos, o que sempre me deixou chateado, eles não gostam dela por que acham que ela não é boa para mim é sim minha ex mas isso já deve ser águas passadas, afinal, já estamos juntos há três anos.

(S/N) estava se arrumando e eu na sala conversando com meus amigos, até eles tocarem no assunto que não esperava ser comentado. -E a sem sal da sua namorada Louis, está aqui?- Calvin perguntou rindo.

-Se você está falando da (S/N), sim ela está!- respondi seco.

-Qual é Louis, não fica com essa cara vai!

Conversamos bastante sobre nossas vidas, já que éramos todos amigos de infância, assunto era o que não faltava, senti duas mãos deslizarem por minhas costas é minha namorada se sentar ao meu lado.

-Oi gente!- ela sorriu animada.

-Olá…- a única pessoa a responder foi a namorada do Oliver. 

Então sn se abalou fechando um pouco o sorriso. Sky, minha ex, chamou a atenção de todos para um assunto deixando o clima menos tenso. Passou um tempo e como foi deixada de lado, minha namorada pegou o celular e fez disso um escape para a situação. 

-Ela não vai nos dar atenção? - Jennifer sussurrou para Calvin, como resposta ele apenas revirou os olhos e disse que minha namorada não tinha educação

. Sn percebeu que todos a encaravam isso me fez ficar nervoso, porque eles simplesmente não podem aceitar ela? 

-Olha Calvin, você está na minha casa, por favor me respeite. - Sn se mantinha calma, ainda.

 -Sua casa que o Louis comprou, certo? 

-Sim, se ele tem condições para…

-É só isso que você pensa? Nas condições dele? 

 -Claro que não, eu não ligo para isso.

 -Sn antes de conhecer o Louis, você estava noiva…. Sabe, são evidências. 

-Você não me conhece Dave, não sabe do meu passado. 

 -Tem razão, ninguém te conhece.Louis, acho melhor irmos. - Levei meus amigos até a porta, porém evitei contato com todos eles.

 -Hey, Louis, podemos conversar um pouco? - concordei com a cabeça e segui Sky ate a cozinha.

 -Louis, você pensa em mim antes de dormir? - essa pergunta me deixou totalmente sem ação, nós terminamos a muito tempo, o que ela quer?

 -Desculpa, eu acho que não entendi Sky. - Ela pegou minhas mãos e suspirou.

 -Se eu fosse apenas uma garota qualquer eu teria vergonha de perguntar mas…. Eu sei que não sou. - eu revirei meus olhos e retirei minhas mãos dela.

 - Não! Deixa eu continuar, eu ainda gosto de você, Então me ligue quando não estiver muito ocupado pensando nela. - Ela levou o olhar para a Porta, claramente querendo falar sobre sn. Sky chegou mais perto e me deu um beijo, apenas um selinho, Eu a afastei rapidamente. 

-Você não entende Sky? Eu amo a sn, não não temos nada a ver um com o outro para com isso. - Indiquei a porta para ela e bati com toda minha raiva.

 Fui até o quarto e a sn estava colocando algumas peças de roupa dentro de uma bolsa. 

-Sn…

 -Não Louis, não dá! Seus amigos me odeiam, volta para sua ex, vocês pareciam bem felizes enquanto se beijavam. 

-Não. Você entendeu errado. Foi ela quem me beijou, mas eu não deixei

. -Louis, não dá! Por favor, me dá um tempo, você foi o melhor para mim, mas eu sou o melhor para você? Sn saiu e me deixou lá sozinho.

 Algumas semanas se passaram e eu estava destruído. 

-Louis, você tem que sair dessa. 

-Me deixa em paz Calvin. 

-Não Louis, você não percebe que ela não merece que você fique assim? 

-Cala a boca, ela merece, merece tudo… A culpa é de vocês seus idiotas, afastaram ela de mim eu nunca mais quero ver vocês.

-Nós queríamos o seu bem. 

-Vocês querem me ver bem? Ele é quem me faz bem! Agora saia da minha casa. 

Recebi uma mensagem de Oliver me pedindo para ir até uma praça, ele precisava falar comigo me arrumei e fui. Me sentei em um banco esperando aquele idiota.

 -Posso me sentar? - 

-Sn, o que você está fazendo aqui?

 -Seus amigos me chamaram, Louis eu sinto tanto a sua falta. 

-Eu também. - Tomei ela em meus braços - por favor não me deixe, não mais.

 -Eu nunca mais vou fazer isso.

 -Eu te amo.

Preference!

Ele está estressado/chateado por alguma razão e você o mima um pouco!


Harry:


Dou leves batidas na porta e escuto um ‘entre’. Abro a porta e Harry me encara com um sorriso nos lábios. 

- Obrigada! - diz quando coloco um copo de suco em cima da sua mesa. 

- E como está indo? - encaro todas as folhas que estão ali em cima, com letras começadas; mais nenhuma acabada. 

- Péssimo. Não consegui finalizar uma música se quer. - ele bufa. - Se eu não fizer essas músicas até a próxima reunião na semana que vem, eles arrancam meu couro. - ele estava irritado e chateado.

- E porque você não descansa um pouco? Ficar aqui não vai te ajudar em nada…

- Eu não posso. Eu tenho que terminar isso. 

Me aproximei dele, ficando atrás da sua cadeira e comecei a fazer uma massagem. Ele estava completamente tenso.

- Eu acho que você deveria tomar um banho relaxante, tomar um pouco de ar puro, comer alguma coisa, sair desse estúdio e, claro, ficar um pouco comigo! - ele ri. - Estou falando sério, amor. Você está aqui faz horas. Você precisa relaxar um pouco; se não, não vai escrever um única música. - ele me puxou para sentar em seu colo.

- O que seria de mim sem você?! - sorri e o beijei. 

Ele foi para o banho enquanto eu pedi alguma coisa para comermos. Ele volta para a sala e nos sentamos no sofá. Ficamos assistindo alguns filmes enquanto comíamos. Depois, ele deitou a cabeça em meu colo e fiquei fazendo um cafuné nele. Lá pelas tantas, quando o olhei, ele já dormia tranquilamente, sua respiração estava suave e sua feição não estava mais cansada. 


***

Liam:


A porta é fechada com certa força e vou até a sala, vendo Liam com um semblante nada bom, estressado e bufando. Ele tira seu paletó e joga sua pasta no sofá. 

- O que houve? - só então ele percebe que estou ali.

- Tudo. Tudo aconteceu hoje. - sela meus lábios. - Eu preciso de um banho. 

Ele sobe as escadas e vai para o banheiro do nosso quarto. Eu não sei o que houve, mas coisa boa não foi. 

Já percebendo que ele não está nada bem, vou até a cozinha e preparo algumas coisas pra comermos. Pego duas taças e um bom vinho. Abro o vinho e coloco tudo em cima de uma bandeja. 

Sinto um beijo ser deixado no meu ombro e uma mão segurar minha cintura. 

- Mal falei com hoje quando cheguei. Me desculpe. - sua voz sai baixa. 

- Não tem problema! - sorrio e selo seus lábios. 

Vamos até a sala e nos sentamos no chão. Nos sirvo se vinho e começamos a conversar. 

Evito ao máximo tocar no assunto do seu stress mais cedo. Quando ele fica assim, é melhor deixá-lo na dele. Numa oportunidade mais conveniente eu pergunto o que aconteceu. Falamos só sobre coisas banais e idiotas, que nos rendeu boas risadas. Já era tarde, seus olhos estavam vermelhos e inchados. 

- Vamos dormir? - ele assente.

- Obrigada. - o encaro. - Por me distrair um pouco e por ser essa mulher incrível que você é! Por ser o meu porto-seguro! - sorrio e o abraço. - Eu te amo!


***

Louis:


- Como pode existir tanta gente incompetente nesse mundo? - escuto Louis resmungar e vou até a sala. 

- O que foi?

- Só tem gente incompetente naquele hospital. Aqueles enfermeiros me tira do sério. - disse nervoso. - Você acredita que hoje eles queriam dar uma medicação para um paciente sabendo que ele não poderia tomá-la, pois tem alergia? Por pouco eu consegui impedir. Se eu demorasse mais 5 segundos pra entrar no quarto, sabe Deus o que poderia ter acontecido. 

- Eles não são incompetentes, são irresponsáveis. Mas pensa no que aconteceu de bom. Você conseguiu impedir que isso acontecesse, e ficou tudo bem. - acariciei seu rosto. 

- Isso não vai ficar assim. Eu estou puto da vida com esse idiotas. Já pensou se o paciente morre? 

- Mas não morreu, amor! - ele respirou fundo. - Olha, por que o Doutor não pendura seu jaleco e esquece Hospital, enfermeiros, pacientes e relaxa um pouco?! Se concentra em mim! Nós podemos fazer algumas coisas que você gosta… - ele me encarou com um sorriso pervertido nos lábios e me abraçou pela cintura. 

- Tipo o quê?

- O que você quiser… Mas, acho que poderíamos começar por um banho bem quente e relaxante. - envolvi meus braços em torno do seu pescoço. 

- Eu acho a ideia ótima! - beijou meus lábios com vontade, me apertando contra seu corpo. - Você realmente é bem mais interessante! 


***

Niall:


Niall entrou em casa vermelho e cuspindo fogo. Ele tinha acabado de chegar de uma partida de golfe, que, pelo visto, não foi muito agradável. 

- Oi, amor! - selei seus lábios. - Como foi o jogo?

- Uma porcaria. Acredita que o Josh estava perdendo e, para não fazer mal na frente da sua namoradinha, começou a roubar no jogo? Toda tacada que eu ia dar, ele dava um jeito de ver algum erro e dizer que não valeu o ponto. Veja se tem cabimento uma coisa dessas. 

Enquanto ele falava, eu fazia uma massagem leve em seus ombros. Quando se trata de golfe, Niall vira uma fera. Ainda mais se tentam roubar ou passá-lo para trás. 

- E, pra fechar com chave de ouro, o dono no clube veio dizer que teremos que pagar uma multa por um estrago no gramado que um outro sócio fez. Sócio esse que é amigo do Josh. E todos os outros pagam o pato. Onde já se viu?! Nunca fui com a cara de Josh, mas o Justin dizia que ele era gente boa… Tão gente boa que ferra com todos os outros. Eu nunca mais jogo com esse cara. - ele fechou os olhos e respirou fundo.

- Amor, eu sei que esse cara foi um idiota. E o dono do clube mais idiota ainda por cobrar de vocês algo que não fizeram. Mas esqueça isso. Eles não valem a pena. - selei seus lábios. - Eu fiz torta! 

- Eu não quero torta, quero acabar com aquele idiota.

- É de maça… - ele me encarou por alguns segundos e levantou, indo correndo até a cozinha, me fazendo gargalhar alto. - Imagine se você quisesse! 


***

Zayn:


Zayn estava uma pilha de nervos nos últimos dias e completamente irritado. Algumas pessoas, ridículas diga-se de passagem, começaram a criticar os desenhos dele. 

Eu realmente não entendo o porquê as pessoas fazem isso. Num primeiro momento ele ficou super nervoso e irritado. Xingou todos de todos os nomes possíveis. Mas depois, a raiva passou e ele ficou mal. 

Não pegava em mais nenhum spray ou qualquer outro material que ele usava para desenhar e fazer suas obras de arte. 

Eu também fiquei mal. E pior ainda por vê-lo dessa forma. Eu odeio vê-lo triste. Pra tentar animar ele um pouco, sai e fui em uma de suas lojas favoritas. Comprei várias e várias coisas que ele gosta de usar para desenhar. Coloquei tudo em uma sacola bonita e voltei para casa.

Ele estava sentado no sofá vendo TV.

- Oi! - me sentei ao seu lado. 

- Oi! - ele selou meus lábios. - Onde estava?

- Eu fui comprar umas coisas… Pra você. - lhe entreguei a sacola.

- O que é isso?

- É um mimo… - esperei ele abrir e ver tudo que tinha ali. - É só pra dizer que eu amo todos os seus desenhos, sem exceção alguma. E que você é o melhor no que faz. Eu não quero que você desista de uma coisa que você gosta por causa de algumas pessoas idiotas. Eles não merecem sua atenção! - ele me encarou e sorriu.

Colocou as coisas no chão e me abraçou apertado. 

- Obrigada! Você é a melhor namorada desse mundo! - o beijei com carinho.

- E você é o meu melhor artista!


[…]


Espero que tenham gostado!

  • Part 1

20 de Dezembro.  

- Não quero voltar para o sistema. -sussurro deitada em seus braços.

- Você não vai -ele me garante olhando em meus olhos.

- Daqui a um ano farei dezoito, preciso pensar no que fazer!

- Como assim?

- Não posso ficar aqui para sempre..

- E porque não? Minha família e eu te amamos!

- Eu amo vocês, Louis, jamais serei capaz de recompensa-los por tudo que fizeram por mim.

- O que eles fizeram por você não foi em troca de recompensa, eles te amam S/n!

- E eu os amo também, mas eu tenho planos. -Louis se senta na cama assim que escuta isso.

- Isso quer dizer que não faço parte dos seus planos?

- Louis -sinto um bloqueio em minha garganta, então apenas suspiro-

- Parece que não, né.. -ele sobe o tom de voz-

- Nossos pais vão acordar, fala baixo! -peço.

- E isso importa mesmo? você vai nos deixar, não importa se eles souberem ou não!

- Eu te amo, Louis, mas isso nunca daria certo, nunca! Nós somos irmãos.

- Engraçado você dizer agora, isso nunca pareceu te impedir!

- Não fala assim comigo.

- E porque eu falaria de outro jeito? você está sendo ridícula! Sabe o quanto meus pais lutaram por você? Por longas noites eu escutei minha mãe chorando por você ter que ficar mais um dia naquele orfanato imundo, eu sacrifiquei tudo por você, S/n. Minha liberdade, minha vida, meus pais. E é com isso que você quer recompensa-los? Com dor e sofrimento?

Fiquei dez anos em um orfanato, os meus atuais pais ficaram três longos anos tentando me tirar de lá e quando finalmente conseguiram eu já tinha onze anos, duas passagens na policia, uma cicatriz na barriga e muita muita saudade da minha mãe, aquela que eu só conheço por uma carta velha.  Nada disso foi planejado, Louis e eu nos apaixonamos a cada dia que passava e o sentimento foi ficando cada vez mais forte, eu tentei resistir pois sabia que isso poderia me jogar novamente em uma família qualquer mas ele me tranquilizou. O seu amor puro me fez perder medo dos homens, sua generosidade me fez ver que nem sempre as pessoas querem te usar. Sou eternamente grata a minha família, eles me acolheram, me deram um lindo lar, um lindo irmão e Tobby nosso amado anjo com patas.


- Saber que você e eu estamos apaixonados quebraria nossa mãe, você não entende?

- Ir embora e nos deixar aqui é o que vai quebrar nossa mãe!


Louis se levanta e veste sua camisa do Seattle Sounders, o mesmo se vira para mim e parece querer falar mil coisas mas ao invés disso sai do quarto e fecha a porta.  Assim que ele atravessa o corredor sinto uma dor enorme no peito, me sinto cruel e suja por ter deixado as coisas chegarem a esse ponto.


[…]


A claridade faz com que meus olhos se fechem novamente, me deito de lado e pelo canto do olho vejo minha mãe abrindo as janelas. Seu sorriso é irradiante e hoje ela veste um lindo vestido amarelo com algumas flores na barra, sorrio assim que a mesma vem até a cama com uma xícara de chocolate quente.


- Bom dia mama -digo e beijo sua bochecha.

- Bom dia minha flor! -ela diz e me entrega a xícara.

- Dia especial? -pergunto e ela faz cara de braba-

- Esqueceu? -assinto- seu pai e eu vamos fazer uma pequena viagem esse final de semana.

- Ah sim, a viagem.. como esqueci?!

- Estava me perguntando isso agora. Escuta; sem festas, sem garotos, sem maconha.

- Eu não fumo maconha -digo com os olhos arregalados.

- Mas já fumou!

- Mama -digo chateada- quer me punir pelos atos do passado?

- Jamais, meu anjo -ela segura minha mão- só não quero que cometa o mesmo erro!

- E eu não cometerei.

- Cuida da casa e do seu irmão.

- Tá bom!


Antes de sair do carro mama beija minha testa, tomo um gole do meu chocolate quente e me levanto atrás de uma roupa para passar a manhã.


- Querida? -escuto batidas na porta.

- Pai, pode entrar!

- Estamos saindo -ele vem até mim e me abraça.

- Aproveitem bastante.

- Faremos isso -ele sorri e recebo o segundo beijo na testa da manhã.


O barulho da garagem se abrindo é tão alto quanto o sino da igreja ao lado, assim que ela se fecha sei que eles já não estão em casa. Desço os degraus com minha toalha e condicionador em mãos e entro no banheiro, mesmo estando no quente a água que cai é fria e faz meu corpo se arrepiar durante todo o banho.

Quando estou entrando no quarto vejo Louis saindo do seu, o mesmo me olha e então abaixa a cabeça e continua seu caminho até o banheiro, pego meu chinelo e um casaco e desço novamente encontrando ele na cozinha.


- Então vai ser assim? -pergunto me referindo ao seu silêncio.

- Não importa o que eu falar sei que não vai considerar ficar!

- Aquilo foi só um pensamento que eu transpus para você, Louis. Não vou embora!

- Não precisa falar isso para eu me sentir melhor, eu me viro sozinho é sério.

- Eu estou aqui -pego sua mão- não precisa se virar sozinho.

- S/n

- Vocês são tudo que eu tenho, não vou deixa-los.

- Promete?

- Prometo.


Ele sorri e em seguida me agarra pelas pernas, assim que nossos corpos se tocam sinto a eletricidade que existe em nós aparecer novamente.


- Porque fazemos isso? -ele sussurra com seu polegar em meus lábios.

- Não sei.. -respondo de forma sincera e mordo o lábio inferior.

A boca de Louis toca meu queixo e meus olhos se fecham de imediato, o mesmo beija meu pescoço e deixa uma mordida em minha orelha. Não faço ideia do que podemos ser, mas com certeza nunca seremos apenas, irmãos.  Nossos lábios se tocam e damos inicio a um beijo cheio de sentimento e incerteza, seus lábios se moldam aos meus e minhas mãos passeiam por suas costas. Seus quadris se chocam com os meus e eu gemo baixinho, o mesmo respira fundo enquanto seu lábio contorna centímetro por centímetro do meu.


- Eu sei que você.. é virgem -ele diz e eu sinto um pouco de vergonha- não quero apressar..

- Eu quero!
- Você quer?

- Sim.


Ele acaba com o pequeno espaço entre nós e então me acaricia por cima da calcinha, aperto os lábios e jogo a cabeça para trás, o mesmo vem ao meu encontro e beija meu pescoço novamente me arrancando suspiros. Um pouco mais de pressão é aplicada então eu solto um grunhido e arqueio as costas no balcão do banheiro.


- Não quero que nossa primeira vez seja na cozinha -digo no seu ouvido.

- E não será -ele diz e me pega no colo indo para o quarto.


[…]


Louis beija minha testa e então se deita do meu lado, encaro o teto e uma ponta de culpa parece transparecer em meu rosto.

- Foi ruim?

- Não, eu só estou com vergonha!

- Olha pra mim, babe. -ele pede-

Quando olho para Louis vejo sua vulnerabilidade, sei que ele deu tudo de si para mim desde que cheguei e continua dando, eu o amo, como jamais amarei alguém mas a culpa pouco a pouco me corroí.

- Eu ainda tô bravo com você. E não sei se posso confiar em você. Eu quero, mas eu não sei se confio então eu vou apenas tentar, vou tentar e confiar em você. Porque eu acredito que podemos ser extraordinários juntos, melhor do que ser comuns separados!

Ele coloca suas mãos grandes em meu rosto, suas palavras fazem meu estomago revirar e eu não consigo parar de sorrir, feito uma boba. Louis tem razão, somos extraordinários juntos!

Pedido: Que os dois são virgens e perdem juntos (Vc escolhe com quem) muito obgdo!!! Bjsss😙

 

Doncaster, Reino Unido, 2009.

           O céu se punha e o clima frio de Londres deixa o clima ainda mais bonito e aconchegante. Olhava para o meu namorado Louis que matinha a cabeça apoiada nos meus ombros e olhava para o sol no horizonte com um sorriso nos lábios. Há cinco meses namorávamos, todos diziam que nosso relacionamento era apenas amor adolescente e que daqui alguns anos iríamos nós se esquecermos disso e teríamos nossa própria vida, mas eu tinha certeza que eles estavam enganados e que isso ainda iria durar muito tempo.

           Daqui mais ou menos dois anos irei entrar na faculdade e Louis ira seguir seu sonho de ser cantor, mas eu tenho certeza que isso não vai atrapalhar em nada, nos podemos manter um relacionamento a distancia. Louis se levantou e passo os dedos nos meus longos cabelos castanhos e olhou-me com um sorriso lindo, seus olhos misturado com a cor do sol podia ser a oitava maravilha do mundo, tudo nele é perfeito. Senti seus lábios finos tocando o meu e me beijando com desejo, tudo estava mais intenso, até mesmo o seus beijos se tornavam cada vez mais desesperados.

- Sabe por que eu tenho certeza que isso vai durar? –Louis disse tirando a mecha do meu cabelo que caia sobre o meu olho.

- Por quê? – Disse sorrindo.

- Porque a única coisa que eu quero vê quando eu acordo é o seu rosto. – Louis disse beijando a ponta do meu nariz.

           Em cima do telhado da casa o Louis o vento gelado batia contra o meu corpo, e fazia todos os meus pelos se arrepiar. – Vamos entrar. – Ele pegou minha mão e me guiou até o seu quarto.

           O quarto do Louis conseguia ser extremamente bagunçado e aconchegante ao mesmo tempo, em cima do criado mudo tinha uma foto nossa do ano de dois e seis foi o ano que a gente se conheceu, na sua estante alguns livros e CDs de artistas dos anos noventa. Sorri ao olhar que ainda depois de tantos anos ele guardava a primeira cartinha que eu tinha lhe dado.

- Você quer comer alguma coisa? – Louis se aproximou. Ele estava sem jeito, pois é a primeira vez que estamos em sua casa sem ninguém por perto, sua família estava em uma viajem e Louis não quis ir.

- N-não.

- Então nós podemos ficar apenas deitados aqui. – Louis tirou algumas blusas que estavam jogadas encima da cama.

           Sentei-me na cama e Louis puxou-me para o seu lado fazendo nossos corpos se chocarem na cama. Começos a rir sem jeito. Louis passou suas mãos por todo o meu corpo, assim que ele chegou à barra da minha calça ele puxou meu corpo para mais perto dele. – É estranho. – Disse.

- O que?

- Esse momento… A primeira vez que eu estou na sua casa sem ninguém por perto e nenhuns de nós sabem como reagir. – Assim que eu terminei de falar, Louis me olhava com um sorriso no rosto. – O que foi?

- Na verdade eu planejei tudo isso para nós dois, claro que não saiu como eu planejei, mas pelo menos minha mãe e minhas irmãs não estão aqui.

           Não consegui responder, fiquei olhando para ele e estiquei os braços para o abraça-lo eu só queria ter o se corpo próximo ao meu.  Senti suas mãos tocando minhas coxas. Louis subiu em cima do meu corpo e puxou minha blusa para cima revelando meus seios.

- Acho que a noite vai ser longa para nos dois. – Louis disse beijando meu pescoço e deixando algumas mordidas.

- Principalmente quando nós dois nunca passamos dos beijos.

- Podemos resolver isso.

           Ele voltou a beijar-me com vontade, minhas mãos foram para o seus cabelos e o puxaram, Louis soltou um gemido e continuou beijando meu pescoço até chegar nos seios e abri o meu sutiã deixando meus seios amostra, ele colocou eles na boca e começou a chupa-los, nunca imaginei que isso seria tão bom, senti meus seios duros e comecei a gemer.

- Lou…

- Você é uma menina muito safada – Ele disse passando suas mãos em volta do meu quadril e tirando minha calça.

           Assim que ele voltou a sua atenção a mim, senti minhas mãos suando frio. – Apenas confie em mim. – Disse ele deixando um selinho.

           Suas mãos desceram, tirando minha calcinha, fazendo-a parar do outro lado do quarto, fechei os olhos e respirei fundo. Ele beijou minha intimidade e logo em seguida passou a língua por toda a região me fazendo gemer alto e com vontade. Sempre imaginei que nossa primeira vez seria sem jeito e ruim, mas na verdade estava superando minhas expectativas, Louis sabia o que estava fazendo e eu estava gostando. Ele passou seus dedos no meu clitóris, massageando-p vagarosamente, fazendo com que eu perguntasse se aquilo era algum tempo de tortura, eu conseguia sentir como eu estava molhada, um liquido escorria para fora do meu corpo

           Agarrava as cobertas ao meu redor e tentava segurar meus gemidos. Seus dedos começaram a fazer movimentos de vai e vem e círculos e voltando ao clitóris, eu tentava controlar meus gemidos, mordendo meus lábios.

- Não precisa, eu quero ouvir você gemer. – Enquanto ele falava seus dedos faziam movimentos cada vez mais rápidos.  

- Lou… Eu… – Eu não sabia direito o que estava contendo, mas uma coisa gostosa estava acontecendo, antes que eu pudesse falar ele me interrompeu.

- Você gozou. – Ele falava no meu ouvido.

           Louis ficou por cima de mim tirando o resto das suas roupas e colocou uma camisinha. Antes de tudo ele beijou meus lábios com vontade. – Se doer pode falar que eu paro.

           Apenas fiz que sim com a cabeça. Ele se posicionou na minha entrada e eu fechei meus olhos pronta para sentir a dor, e então meus olhos encheram de lagrimas e eu mordi os ombros dele tentando fazer com que a dor parasse. Louis fazia movimentos lentos e gemia no meu ouvido e isso me deixava feliz por esta dando prazer a ele. – Você é tão apertadinha. – Louis disse enquanto aumentava os movimentos. Eu começava a sentir a ponta do prazer com os seus movimentos rápidos.

- Vai mais rápido. – Disse gemendo.

- Você é tão gostosa. – Lou continuou com os seus movimentos ágeis as suas estocadas aumentava e já não conseguia controlar meus gemidos.

           Louis se deitou ao meu lado cansado e suado assim como eu, nossas respirações estavam aceleradas. Coloquei minha cabeça em seu peito e ele cobriu meu corpo com o lençol fino. – Eu te amo. – Louis disse beijando-me

El amor es sencillo, es así de simple | One Shot

Banner echo por Abdi :) Yo no puedo hacer ni una linea recta en Paint lol

Este One Shot no es de mi propiedad, pertenece a Olivia, yo solo hago su traducción con su permiso. Pueden encontrar el post original en ingles Aquí.

Sumario: “Amor” Harry dijo, y es una especie de rutina, por que ellos llevan juntos 3 años, y Louis tiene insomnio hace mas tiempo que eso “Vuelve a la cama”

Louis tiene insomnio y Harry tiene una gran cantidad de amor para Louis.

Notas: Hola! Creo que desaparecí por un tiempo? Solo que la semana anterior estuve LLENA de pruebas, por el fin de trimestre y eso, así que, aquí les traigo este OS lleno de Fluff para sus feels :) Espero que les guste. xx. -Cande*

Keep reading

eu vou viajar (sim, de novo) então não vai dar pra postar o especial do louis dia 24 E como eu já fiz os icons eu vou postar agora, espero que gostem

olha eu não postaria isso sem deixar meus parabéns a ele, mesmo sabendo que ele nunca vai ler eu gosto de escrever para ele VOCES NAO PRECISAM LER ISSO É PERCA DE TEMPO!!!!

bom, eu ainda nao to acreditando que ele vai fazer 23, tipo NÃO DÁ MESMO ele é tão crianção e eu amo esse jeitão muleque dele, o mais velho da banda, o mais engraçado, o mais…): eu não quero que ele cresça gente isso pode parecer infantil mas para mim ele ainda é um bebe, algo dentro de mim sabe que ele nunca vai mudar o jeito de ser brincalhão mas isso nao significa que ele nao vai amadurecer, e ele ja ta amadurecendo, ja amadureceu bastante inclusive.. (não que isso seja ruim porque de uma forma é até boa) não quero escrever algo muito grande então vou parar com isso antes que fique muito sentimental bleh

eu te amo louis, desejo tudo de bom para você e aproveite os 23, obrigada por tudo, mesmo.. PARABÉNS adiantado WILLIAM!! 

like ou jauredieta xjulia

Pedido: Faz um do Louis em que o pai da Sn paga para ele (Louis) se casar com ela e depois que eles já são casados passa um tempo e o Louis acaba se apaixonando de verdade só que a Sn descobriu o que o pai fez. Se puder com final feliz - natischmidt-1d

*Aqui nesse link http://hot-1d-imagine.tumblr.com/pedidos  vocês podem ver quais e a ordem que em os imagines vão ser postados, se o seu não estiver na lista é porque infelizmente não chegou, vou estar sempre atualizando a lista*
***

Imagine do Louis:

(POV Louis)
Eu tinha sido pago para me casar com a (S/n) e foi o pai dela que me pagou mais de dois milhões de dólares. Eu comecei planejando a maneira como ela iria me conhecer, que foi em uma festa que o pai dela deu. Começamos a conversar e percebi que ela era uma mulher maravilhosa, mas estava mais afim do dinheiro mesmo, eu PRECISAVA daquele dinheiro e talvez um sexo selvagem com ela, afinal não posso negar que a mulher é extremamente gostosa.

Mas quando finalmente depois de dois anos, nós nos casamos eu devo confessar que meus sentimentos por (S/n) estão cada vez me sufocando. Eu a amo, meu sentimento antes apenas de proteção aumentou e virou um amor, claro que eu já disse que a amo, mas era apenas da boca para fora para poder concluir minha missão que era me casar com ela, mas agora eu realmente me apaixonei por ela.

Agora eu estava terminando de fazer amor com minha mulher, quando eu atinjo o orgasmo eu encaro (S/n) bem fundo nos seus olhos lindos e que me conquistam a cada dia e vejo ela sorrir.

- Eu te amo muito – Digo com a sinceridade exalando da minha voz e ela sorri e me beija apaixonadamente .

- Eu também te amo muito Louis – Ela me responde e meu coração parece que para com suas palavras, mas volta a bater mais rápido ainda. Me deito e puxo seu corpo quente para perto do meu e dormimos juntos.

(POV S/n)
Eu estava bastante feliz com o meu casamento, Louis é o homem que eu amo e fiquei bastante surpresa quando ele me pediu em casamento, acho que aquele dia foi o mais feliz da minha vida, foi para ele que eu me entreguei de corpo e alma, foi com ele que tive minha primeira vez, com quem eu me apaixonei pela primeira vez.

Eu estava descendo as escadas e indo em direção ao escritório de Louis, queria falar com ele, mas acabei parando no meio do caminho quando escutei vozes vindas de lá. Me aproximo da porta e as vozes ficam mais claras de se ouvir.

Percebo que é a voz do meu pai e a de Louis.

- … Eu entendo – Louis diz calmo.
- Eu paguei para você se casar com a minha filha e para te ajudar, agora que já vez isso, eu posso descansar em paz sabendo que vou deixar a empresa em suas mãos – Meu pai diz e eu começo a me treme e meus olhos marejarem, Louis foi pago para se casar comigo, ele não me ama, ele é apenas ambicioso e interesseiro, e o meu pai um machista ridículo que acha que eu não posso ser uma CEO boa por ser mulher, estou com tanta raiva dos dois.

Entro no escritório com tudo, sinto as lágrimas descerem pelo meu rosto.

- SEUS MENTIROSOS, NOJENTOS – Grito e eles me encaram assustados.
- ENTÃO FOI TUDO UM PLANO, PAGAR ELE PARA SE CASAR COMIGO PARA ELE PODER ASSUSMIR AS EMPRESAS , SÉRIO ISSO? QUANTO FOI QUE EU VALI? ANDA ME DIGA, QUANTO FOI QUE MEU PAI PAGOU PARA VOCÊ ME TER? – Pergunto gritando encarando Louis com ódio.

Louis engole em seco e me encara com tristeza, como se estivesse sofrendo.

- Dois milhões – Louis responde e abaixa a cabeça .

Dou uma risada sarcástica e encaro meu pai.

- Você era o homem que eu mais admirei em minha vida, mas agora vejo que é um machista ridículo que acha que eu não sou capaz de comandar as empresas da família, você sabia o quanto eu estava me esforçando para manter elas, mas você nem ligou, me descartou na mesma hora de ser sua herdeira, preferiu me vender para ele para que ele assuma do que me deixar ser a CEO – Falei colocando todo o ódio que eu tinha para fora – EU QUERO O DIVORCIO – Digo e eles me encaram assustados .

- Pode ir, eu me resolvo com a (S/n) – Louis diz sério agora e meu pai o encara e depois me olha e se aproxima de mim .

- Não me toca – Falei me esquivando dele e nem o encarando .

Ele saiu de cabeça baixa do local e fechou a porta me deixando sozinha com o Louis.

O encaro e posso saber exatamente o que ele poder decifrar em meu olhar .

Dor, ódio, tristeza, ressentimento, coração partido, magoa , raiva e desilusão.

Louis se aproxima e eu me afasto.

- Você nunca me amou, todos aqueles “eu te amo” foram todos mentira, você me enganou, eu me entreguei para você, eu te amei, Louis, você me fez de uma completa idiota, eu me sinto tão burra, tão estúpida por acreditar que me amava – Digo e sinto as lágrimas voltarem a descer pelo meu rosto.

- (S/n) … – Ele tenta dizer, mas eu o interrompo.

- Eu quero o divorcio, amanhã – Digo e saio do escritório e vou correndo para o nosso quarto e arrumo uma mala rápida e saio direto para a sala arrastando minhas coisas .

Vejo Louis me encarando e ele entra em desespero .

- Você não pode me deixar, não pode pedir divorcio – Ele diz me segurando pelo braço e eu me viro e encaro ele .

- Me. Solta – Digo pausadamente e ele continua me segurando.

- Vamos conversar por favor – Ele pede e eu não respondo – Por favor, deixa eu falar – Louis pede mais uma vez e eu suspiro .

- Tem 10 minutos – Digo e me viro de frente para ele.

- Quando seu pai me procurou eu tinha apenas 16 anos, eu era apenas um aprendiz dele, ele me via como um filho e eu o via como pai, porque você sabe que eu perdi meu pai muito cedo, então ele viu que eu tinha futuro e pagou minha faculdade, porque eu nasci em uma família pobre, não tinha onde cair morto, então quando eu terminei  eu já estava com uns 22 anos e ele me deu um estagio na empresa e eu fiquei ali, mas acabou que uma de minhas irmãs ficou dependente de drogas e começou a dever muito para alguns traficantes, eu paguei todas as suas dívidas no maior sufoco, estava praticamente sem dinheiro e não tinha como colocar ela em um clinica de reabilitação porque era extremamente caro e isso me matava por dentro, até que eu cheguei á ficar totalmente no nulo e eu comentei por alto com o seu pai e ele me fez a proposta de me casar com você e junto disso me ofereceu dois milhões para eu poder colocar minha irmã na reabilitação e disse que queria que você fosse feliz livre dessa empresa, porque ele não queria ver você presa em reuniões e preocupações constantes que ele passa por ser o CEO, então disse que a empresa ficaria por minha conta, mas se você quisesse poderia assumir, eu não tinha para onde correr, eu precisava do dinheiro, cada dia eu estava com medo de ela ter uma overdose e morrer na minha frente, então eu nem pensei muito  e aceitei a proposta, conheci você, (S/n), você é maravilhosa, confesso que não me apaixonei de imediato por você, mas sentia algo diferente, um sentimento de proteção e carinho por você, mas depois que fomos nos conhecendo melhor e eu fui vendo o quão incrível você é, e a diferença que fez em minha vida, eu adiantei o plano e pedi você em casamento, depois que nos casamos eu senti, que aquele meu sentimento de proteção e carinho que eu tinha evoluiu e eu acabei me apaixonando por você, eu passei a te amar, porra, (S/n) eu te amo demais, eu fiz tudo isso por minha irmã que depois de 2 anos finalmente está bem e fazendo a faculdade de moda que sempre quis, mas eu acabei me apaixonando por você e eu não me vejo longe de você, me perdoa eu não quis que isso terminasse assim, eu fui um idiota por ter feito isso, mas eu não me arrependo porque eu salvei minha irmã e ainda conheci a mulher da minha vida – Louis diz e eu fico um momento sem falar nada, apenas absorvendo tudo o que ele me contou agora, é muita informação, eu sabia que a família do Louis tinha problemas e que ele veio da pobreza, mas eu não sabia que foi desse jeito.

- Eu … eu não sei o que dizer – Falo e me sento no nosso sofá e o encaro.

Louis se agacha na minha frente e me encara .

- Me perdoa, eu te amo, esse sentimento é verdadeiro, se eu não te amasse com certeza teria pedido divorcio assim que recebi os dois milhões, mas olha só, eu ainda continuo com você porque você é a mulher da minha vida – Ele diz e eu o encaro profundamente e vejo em seus olhos a sinceridade pura .

- Eu te perdoo – Digo e Louis sorri lindamente para mim – Mas eu não vou abrir mão da empresa do meu pai, Louis, eu me esforcei tanto para poder no final ser CEO – Digo e Louis assente .

- Eu nunca iria te privar de algo que você deseja, meu amor – Ele diz e beija meus lábios e eu dou um sorriso pequeno . – Espero que esqueça essa historia de divorcio porque não quero deixar minha mulher livre para outro homens, você é só minha – Ele diz subindo em cima de mim e eu vou me deitando no sofá e Louis beija meu pescoço e eu fecho os olhos. – Você é minha, (S/n) ? – Ele pergunta lambendo de leve meu pescoço .

- Sim – Digo arfante e sinto ele sorri lá .

- Ótimo, porque eu também sou seu – Louis diz e me beija .

Espero que tenham gostado, se sim, mandem uma ask me contando

Imagine Harry Styles - feito por Nath

Parte I - Parte II - Parte III

**

Paul a guiou até nós virou as costas e sumiu de novo no elevador, fez-se então um silencio constrangedor. “Tá legal, ela está aqui e agora?”

Eu podia só continuar sentado olhando o jeito como ela trocava o peso de um pé pra o outro, o jeito como ela estava descabelada e com cara de cansada, mas o sorriso e o vermelho das bochechas não saiam de lá. Mas acho que os garotos não estavam tão entretidos com a beleza dela quanto eu.

- Já que o seu Romeu está ocupado demais babando, eu vou ter que ser o cordial aqui - Louis se levantou, pegou outra cadeira de praia e a colocou ao meu lado fazendo uma reverência exagerada - Milady.

(s/n) corou violentamente, e eu achei que ela ia entrar em combustão espontânea a qualquer momento, acho que Niall pensou o mesmo porque começou a encher ela de perguntas e comidas. 

- Como foi o show?

- Maravilhoso - (s/n) disse com dificuldade, eu não tinha notado o quanto ela estava rouca pelo telefone. - Vocês são incríveis, todo mundo indo à loucura junto, foi muito especial. 

- Poderia ter sido melhor se alguém - Zayn me deu uma cotovelada - não estivesse com a cabeça no mundo das nuvens. 

Todos começaram a zoar e rir da minha cara. E das duas uma, ou a (s/n) sabe mentir muito bem ou ela não fazia a menor ideia de que era por causa dela. 

Passamos horas conversando e lembrando coisas. Ela parecia uma criança olhando para os presentes em baixo na árvore de natal, nós comentávamos algo sobre The X Factor ou nossa estrada até aqui e ela contava o lado dos fãs da historia. 

Quase morri engasgado com a minha caipirinha quando ela nos contou sobre a história da touca que as fãs levavam muito a sério. 

- Não riam, - ela dizia chacoalhando as mãos - Mas ouve um tempo que nós acreditávamos fielmente que quando o Harry usava touca, era por que ele tinha dormido com alguém no da seguinte. 

- Uhuuuuuuuuuuuum, então esperamos que faça frio amanhã né Harry? - Liam disse docemente, ah não, até tu Liam? 

- Por quê?- (s/n) disse sem entender nada. 

- Por que… - Niall ia começar a dizer, quando Zayn tapou sua boca. 

- Melhor a gente ir dormir, né Niall? - Zayn disse se levantando, quando percebeu que Niall não o acompanhou o deu uma cotovelada. - Vamos Horan, daqui a pouco você vai ter uma overdose de bolinhos de chuva. 

- Mas eu não quero ir. - Niall disse como uma criança - A (s/n) é muito legal.

- Mas a gente tem que descansar. - Liam se levantou e apontava discretamente a cabeça para (s/n) enquanto Louis a distraia.

- Eu amei te conhecer, principalmente porque você não é daquelas fãs escandalosas, mas parece tão animada com a gente. - Louis dizia enquanto puxava ela pra um abraço. 

- Se você ir agora eu te faço chocolate quente. - Liam disse dando um tapa de leve na cabeça de Niall. 

- Porque vocês sempre acham que podem me comprar com comida? - Niall disse bravo. 

- Porque você é uma baleia. - Louis gritou ao lado da (s/n).

- Não vai querer? - Liam disse fingindo tristeza.

- Eu não disse isso. - ele levantou as mãos se rendendo - tchau (s/n) foi um prazer enorme te conhecer.

(s/n) abraçou um a um, depois de Louis insistir que queria uma foto nossa de recordação. Não reclamei, foi uma ótima desculpa pra abraçar (s/n), mesmo estando no meio de quatro garotos que não paravam de discutir. Ela tinha um cheiro doce sutil. Era diferente, mas muito bom. 

Louis me abraçou por trás e colocou uma chave em meu bolso. 

- Vou dormir com o Zayn, caso… Você sabe. - ele disse em tom malicioso.

- Nós não vamos… Pare Lou.

- Por que eu não posso dormir com o Liam? - Zayn fazia birra - O Louis é insuportável, e ele tem chulé. 

- Também te amo magrelo. - Louis disse ironicamente.

- Porque quem vai dormir com ele sou eu. - Niall disse abraçando Liam - E vou ganhar chocolate quente.

Quando todos terminaram as discussões rotineiras e finalmente desceram pelo elevador, o silencio se fez, mas não era um silêncio ruim, estávamos ambos deitados nas cadeiras de praia olhando as estrelas, depois de alguns minutos (s/n) foi a primeira quebra-lo.

- Elas são mais bonitas no litoral de cidades menores - ela dizia em tom baixo e ainda rouco - Morei em frente à praia a minha infância toda, a onde tem menos poluição e centenas de turistas todos os dias.

- Deve ter sido bom. - foi tudo que consegui dizer.

- Era sempre tinha um lugar pra onde fugir - ela parecia perdida em seus pensamentos - Sentir os pés na areia, ouvir o mar, sempre foram remédios pra qualquer male, era tudo muito calmo. 

Depois de mais alguns segundos de silêncio, foi a minha vez de quebra-lo, cheguei mais perto da cadeira dela, enquanto ela ainda observava o céu, e desenterrei um pouco de coragem.

- (s/n) - chamei, e quando ela virou, colei meus lábios com os dela, no mesmo instante, como se ela já esperasse por isso, ela deu passagem pra minha língua e começamos assim um beijo calmo e sedutor, que depois de um tempo virou algo avassalador e cheio de paixão.

- Harry eu – (s/n) ofegava - eu… eu… - ela tirou meu celular da cintura - Vim aqui devolver isso, não foi?

- Foi? Só isso?- foi a única coisa que eu consegui dizer, parecia que meu cérebro tinha congelado e eu só sabia que precisava beija-la de novo. 

- Achei que sim, só podia ser isso. - Ela disse olhando pras mãos. - Alguém como você não pode se interessar por alguém como eu, não faz sentido. 

- Você está ocupada de mais sendo você mesma, que não nota o quão maravilhosa é. - peguei seu queixo e a puxei para mais perto. 

- John Green?

 -John Green. - eu ri e a beijei, de novo e de novo. 

- O que vamos fazer amanhã de manhã?- ela perguntou com a cabeça enfiada no meu pescoço. 

- Bom se você aceitar dormir comigo, eu pretendo te encher de beijos. - ela me deu um tapa de leve na nuca. 

- Idiota, você entendeu o que eu quis dizer. - Ela riu e me beijou.

- Eu realmente não sei, eu estou fascinado por você. Mas também sei que relacionamentos a distância são complicados, ainda mais comigo sendo quem sou. - abaixei cabeça e esperei que ela fosse embora, mas ela me beijou de novo.

- Se hoje for tudo o que temos, acho melhor aproveitarmos. - Então ela me beijou intensamente e foi me guiando até a cadeira de praia. Seus lábios tinham gosto doce de limão, por causa das caipirinhas. Ela me sentou na cadeira e se sentou em cima de mim e foi suficiente pra eu perder o controle, comecei a passar a mão por seu pescoço, descendo as até seus seios aonde eu consegui alguns suspiros dela, descendo mais até a sua bunda. 

- Vamos… - tentei articular, mas ela beijava intensamente meu pescoço. - Pro me quarto… tudo bem?- ela respirou fundo e acenou com a cabeça. Os poucos minutos do elevador ir da cobertura até o meu andar foram torturantes, tanto que assim que o senhor que estava com a gente desceu, (s/n) voltou para os meus braços, me beijando intensamente enquanto saíamos do elevador e íamos até o quarto. 

Quando finalmente abri a porta do quarto, senti que ela tinha retomado os sentidos, por que agora voltava a ficar vermelha e com uma cara adorável de culpa, fechei a porta atrás de mim e peguei ela no colo, a levando até a cama grande de casal. Se for para fazer, então façamos direito. 

- Só o que você quiser ok? - ela acenou com a cabeça, a coloquei na cama e pus meu corpo por cima - Você não é…? - ela negou rapidamente com a cabeça - Aaah, tudo bem, quando quiser que eu pare é só dizer.

- Harry - ela me interrompeu - Cala a boca e me beija logo. 

Com isso voltei a trilhar seu corpo com as minhas mãos enquanto nos beijamos. Explorando cada curva, tirei sua saia e a joguei para algum canto do quarto, e ela tirou sua própria blusa, ficando só de sutiã e um short muito pequeno, era uma visão maravilhosa. 

Sem que eu percebesse ela desceu sua mão até minha calça, abriu o zíper e colocou a mão em meu membro, arrancando de mim um gemido alto.

Ela tirou minha camiseta e eu a ajudei com a calça, não resisti a toca-la também, arrancando gemidos misturados com sussurros dizendo meu nome. Depois de um tempo assim, ela inverteu ficando por cima de mim, desceu seus beijos pela minha nuca passando pela minha barriga dando chupões que se tornariam ótimas lembranças. 

Voltou pra cima de mim depois de tirar o resto de nossas roupas, sentou em meu pau calmamente, arrancando um suspiro meu e dela mesma.

- Você é tão linda - suspirei enquanto ela subia e descia devagar - Ela apenas riu indo um pouco mais depressa, ficamos por mais um longo tempo assim. 

- Fica por cima. - ela ronronou. 

Invertemos nossos lugares, e continuamos a nos amar por mais algum tempo, até que eu não consegui mais me segurar. Despenquei ao seu lado na cama, a abraçando fortemente com um dos braços enquanto sua cabeça descansava no meu peito. Adormeci com ela fazendo carinho no meu peito.

**

Acordei com a luz do sol batendo no meu rosto, e depois de alguns segundos de insônia matinal, me lembrei da noite anterior e automaticamente, passei minha mão sobre a cama. 

Estava vazia. 

Meu sorriso se desfez, levantei rápido procurando por qualquer sinal que me mostrasse que a noite de ontem não foi um sonho, foi então que eu vi um pedaço de papel branco em cima da mesa de cabeceira, a escrita era redonda e bem grande. 

“Eu não gosto de despedidas, ainda, mas quando o que eu tenho que me despedir for algo tão maravilhoso quanto à noite de ontem, você é especial Harry, eu sei que é. Então, se ainda quiser me ver, quando acordar vá se despedir de mim no quiosque, eu vou adorar, se não quiser ir, eu vou entender, não precisa se preocupar, de mim, ninguém saberá o que houve essa noite.

P.S. Levei uma de suas camisetas como lembrança, espero que não fique bravo.”

Tomei um banho o mais rápido possível e só parei para perguntar aos meninos que horas era nosso vôo, eu tinha 40 minutos, eu só precisava beija-la mais uma vez. Só isso.

Fiz nosso motorista correr como um louco, e mesmo indo tão rápido, parecia que as ruas não acabariam mais, foi quando vi o quiosque, desci da vã e pedi para que Paul me esperasse. 

Ela estava de costas colocando alguns guardanapos no suporte e eu a abracei e beijei seu pescoço. Ela se virou assustada, quando viu que era eu abriu um enorme sorriso. 

- Por que fugiu? - foi tudo que consegui dizer.

- Eu não fugi! - seu olhar ficou triste e eu a abracei forte - Só não queria te forçar a nada. 

Depois de alguns minutos apenas a abraçando forte e a beijando, meu telefone começou a tocar, eram os meninos. No mesmo instante, Paul começou a buzinar, era minha deixa.

- Eu preciso ir. - a beijei por uma ultima vez intensamente - mas eu quero que saiba que podemos tentar. Ninguém nunca morreu em tentar. - Fiz a mesma coisa de ontem, coloquei meu celular em seu bolso, parecia ter sido há tanto tempo. Me virei e caminhei lentamente até o carro, eu escolhi, agora é a vez dela, acabei de demonstrar que eu confio.

Senti mãos na minha cintura, ela tinha corrido a trás de mim.

- Ninguém nunca morreu por tentar. - então ela me beijou. 

Sem dizer mais nada entrei no carro que seguiu em direção ao hotel, depois de contar tudo para os meninos, seguirmos para o aeroporto. Eu não sei explicar, a cada metro que nos distanciava eu senti meu coração se partir, mas ao mesmo tempo, me sentia esperançoso.

Continua?

One Shot Louis Tomlinson

  • Pedido por @natischmidt-1d Queria um do Louis em que ele não assume o namoro deles mas sente ciúmes dela com outros caras até que ela se cansa e diz para eles escolher. Ou ele assumia o namoro ou eles terminavam de vez. Final feliz!! Desde já obrigada 😊 -Nati


As coisas nem sempre são o que pretendemos que seja, a minha vida está completamente fora do rumo que eu planejei quando completei os meus dezoito anos, nada que está acontecendo agora foi pensado, tudo é novo e inesperado. Em minha cabeça completar dezoito anos seria a coisa mais sensacional do mundo, eu soltaria me das amarras e viveria livre fazendo minhas próprias escolhas e tudo que viesse a minha cabeça. Realmente eu fiz minhas escolhas, mas elas nem sempre foram boas e pensadas antes, talvez a falta de preparo resultou em arrependimento como a primeira vez que fiz uma tatuagem.

Eu entrei no estúdio e peguei o álbum que continha vários e vários modelos de tatuagens para você tatuar onde quisesse em seu corpo e um escorpião me chamou a atenção, então eu o escolhi para tatuá-lo um pouco abaixo da nuca. No fim, o escorpião não tinha uma cauda, eu não aguentei a dor e pedi para parar.  

Essa foi uma escolha errada que com mais preparo eu teria evitado, eu deveria ter pensado em uma tatuagem menor ou estudado a ideia de ter uma coisa eterna em minha pele, mas não, agora eu terei para sempre a metade de um escorpião.

Teve também o erro na minha primeira vez, eu estava apressada demais para deixar de ser a única virgem no meu grupo de amigos que apenas me dei de bandeja para uma garoto qualquer pelo qual eu não tinha nem um pouquinho de sentimento e nem ele por mim. Eu só queria apagar da minha mente esse momento e rebobinar a minha vida e fazer diferente. Quase todo mundo tem uma historinha bonita sobre a primeira vez, a minha é basicamente “ele me beijou e enfiou o pau de uma vez". Agora eu falo do assunto mais naturalmente, mas primeiros meses eu fiquei péssima.

Então eu comecei a pensar no quanto as nossas escolhas influenciam as nossas vidas, em quantos caminhos diferentes existem para você seguir e você nem sempre encontra o correto, mas suas chances são maiores se você estudar as possibilidades e não abrir uma porta qualquer e dar de cara no grande nada.

Eu achei que havia começado a fazer as escolhas certas e encontrado o meu caminho correto para percorrer, mas neste momento eu posso ver que eu ainda não fiz uma escolha que está a atrapalhar minha passagem. E eu acabei de fazê-la, só daria uma chance para a pessoa que eu amo me acompanhar e se ele não quiser, serei obrigada a deixá-lo para trás e seguir em frente.

Nesse momento Louis me encara sério enquanto Niall tem sua cabeça sobre minhas coxas apreciando o carinho que eu faço em seus fios de cabelo acastanhados. Eu me recuso a parar de mexer nos fios macios mesmo tendo meu namorado me olhando como se fosse voar até nós e me arrancar de perto do amigo.

Niall nunca escondeu seu interesse em mim enquanto Louis esconde nosso namoro, talvez se ele soubesse que eu tenho namorado perderia as esperanças de um dia ficar comigo, mas Louis apenas diz que está pronto para compromissos e que eu devo ficar longe de Niall e suas investidas. Eu não me afasto de Niall por ele ser meu amigo e porque ele não tem culpa de não saber o que acontece bem debaixo de seu nariz.

Louis fez um sinal para que eu o seguisse até a cozinha e se levantou do sofá do outro lado da sala caminhando em passos pesados até o outro cômodo, eu esperei alguns segundos para não deixar muito óbvio que queríamos ficar sozinhos na cozinha.

— Niall, espere um pouco que eu vou beber um pouco de água. — ele se sentou no sofá e me olhou.

— Posso ir pegar para você se quiser. — ele fez menção de se levantar e eu segurei seu pulso.

— Não, tudo bem… Eu já volto. — eu sorri para ele e me levantei.

Ao chegar na cozinha, Louis estava encostado na pia com os braços cruzados enquanto encarava a porta a minha espera. Eu apenas me aproximei e fiquei alguns passos a sua frente esperando o show de ciúmes.

— Você estava fazendo de propósito… Eu sei que estava, eu conheço você. — ele começou ainda na mesma posição.

— O que eu estava fazendo de propósito? Sendo legal com meu amigo e acariciando o cabelo dele como ele me pediu?  

— Não brinca comigo, eu já disse para você não ficar com essas intimidades com o Niall porque ele quer você. Você não sabe as coisas que eu tenho que ouvir ele falando.  

— E que culpa nós temos? Ele não sabe que eu tenho um namorado, pode ter certeza que ele não teria esperanças comigo se soubesse e eu não posso falar que tenho porque o “meu namorado" não está preparado para assumir um compromisso. — falo um pouco mais baixo para que ninguém além de nós escute.

— Está colocando a culpa em mim? Eu não mandei você praticamente deitá-lo em seu colo. — ele gesticulou com as mãos.

— Eu estou dizendo que se você parasse com a besteira de namorar escondido, nada disso aconteceria.

— Então você só está fazendo isso para me pressionar a dizer que namoramos. — ele disse e eu suspirei.  

— Não Louis, não estou. Não preciso fazer as coisas indiretamente para que você perceba, quando eu posso ser bem direta. — diz uma pausa de alguns segundos para escolher as palavras que eu diria a seguir — Ou você me assume como a sua namorada para todos, ou você esquece que um dia tivemos essa coisa que você chama de namoro.

— Você não está falando sério… Por que isso agora? — ele parecia surpreso e o incrédulo ao mesmo tempo.

— Eu nunca falei tão sério… Eu quero dar um rumo a minha vida, não quero fazer nada escondido quando não tem nada demais estar namorando… Então, ou você transforma esse namoro em algo real para todos ou você dá caminho para uma pessoa que esteja mesmo disposta a namorar sem poréns.

Demorou alguns segundos para que Louis digerisse minhas palavras, eu não voltaria atrás com a minha decisão de acabar tudo caso ele faça uma escolha negativa para nós dois. Eu estou cansada de ficar namorando pelos cantos como se estivesse cometendo algum crime e precisasse me esconder para não ser pega.

— Você diz que me ama e me joga na parede desse jeito?

— Eu te amo, Louis e é por isso que eu tomei essa decisão. Meu amor por você é tão grande que não cabe somente em mim, eu não me sinto bem tendo você pela metade e se não for pra ter você completamente, em frente de quem quer que seja, eu não quero mais.  

Louis pareceu pensar bastante durante alguns minutos que se manteve em silêncio e eu apenas fiquei o olhando sentindo meu coração bater mais rápido que o normal dentro de mim. Sua resposta mudaria tudo.

— Me desculpe… — ele deu os passos que faltava para me alcançar e beijou minha testa me abraçando em seguida — Eu não sabia que se sentia assim.

— Eu me sinto… — sussurrei retribuindo o seu abraço.

—  Não precisamos esconder mais… Me desculpe por ter sido egoísta. — ele se afastou um pouco para acariciar meu rosto e uniu nossos lábios iniciando um beijo calmo.

— É… O que está acontecendo aqui? — a voz de Niall nos fez separar nossas bocas para olhar seu rosto completamente confuso.

— Ela é minha, Niall. Minha namorada. Só minha. — Louis me abraçou possessivamente e Niall fez uma carinha fofa de decepção.

— Droga!




Oi amores! 💙

Espero que gostem. Deixem seu favorito e me faça feliz 💜

- Tay

Preference - Ele é muito dengoso e carinhoso.

Harry :

- Mas amor eu tenho que trabalhar - Falei para Harry.
- Eu quero você amor - Ele disse choramingando.
- Harry sua mãe vai vir daqui a pouco para cuidar de você.
- Mas eu quero minhaaa s/n. - Ele disse quase chorando.
- Harry !! meus deus, eu vou e volto amor. - Falei e beijei seu rosto antes que ele me convencesse a ficar.

Liam :

- Liam já falei que eu já estou indo. - Gritei no telefone.
- Eu estou doenteeeee, vem cuidar de mim. - Liam falou dramático
- Você está com dor dde cabeça.
- amor eu te amo. - Eu também te amo Liam - Falei dando um pequeno sorriso.
- Eu amo mais. - Ele falou eu sabia que ia começar aquela coisa super gay de quem ama mais.
- ok, estou chegando. - Falei e desliguei o celular me preparando para uma maratona de beijos.

Louis :

- Te amo - Louis disse me beijando.
- Eu também. - Respondi
- Eu que amo. - Ele falou totalmente gay.
- Você está tãooo carente ultimamente amor.
- Tira a minha carência meu bebê. - Ele falou dando um sorriso malicioso. Beijei seus lábios com desejo e Louis me abraçou totalmente fofo.
- S/n eu te amo. - Louis falou e eu ri.
- Já disse que te amo. - Respondi dando um suspiro.
- Mas eu amo mais. - Louis falou brincando com uma mecha do meu cabelo.
- ok Boo. - Dei um selinho nele e sai. Aquilo era muito gay.

Niall :

- Para de graça Niall.
- Maaaas amor. Fica aqui. - Niall disse manhoso.
- Eu vou tomar banho, custa esperar 15 minutos?
- Custa muitoooo
- Amor para. Eu te beijo muito quando voltar.
Entrei no banheiro e tirei toda a minha roupa, quando fui me virar para fechar a porta Niall estava lá dentro.
- Amor meu Deus, eu tenho que tomar banho.
- Mas ficar longe de você é um sacrifício. - Ele falou e eu ri entrando no chuveiro.

Zayn :

Cheguei o mais rápido possível eem casa. Zayn me ligou mais cedo pedindo pra eu correr pra casa.
Entrei em casa e estava tudo apagado.
- Zayn? - Chamei
- Amooooooor - Zayn desceu as escadas correndo e me jogou no sofá. - Que saudade, estava quase morrendo. - Ele falou muito manhoso.
- Zayn a gente se viu de manhã. - Falei rolando os olhos.
- Mas eu te quero o tempo todo, ficar longe de você é muito ruim. - Zayn falou e eu me entreguei aos seus beijos e carinhos.

——-…——

Meloso dms? Chato dms? Dê sua opinião.

/Bea

Cuando te conocí eras un bebe, que no conocía el mundo en el que ahora te manejas.
Estoy sumamente orgullosa de vos de lo que lograste y lo que lograrás a futuro.
Es tan lindo tenerte como ídolo, como ejemplo a seguir, como “mi amor imposible "como mi todo.
Me acuerdo del 3 de mayo cuando los vi salir a los 5 mi corazon se detuvo y escucharte cantar tus solos en vivo fue una de las mejores cosas que me paso en la vida.
Me acuerdo cuando recién empezaba a ser fan de ustedes y me confundía a Liam con vos y era tipo:"El de remera rayada es Louis no Liam”
Y saber que hoy cumplis un año mas y que yo sigo aca amandote como el primer dia que te conocí, es lo mas lindo.
Cuando vi la hermosa persona que eras supe que no me confundí al elegirte como ídolo.
Te amo, estoy sumamente orgullosa de vos.
Felices 23 años, Louis te amo ♡

Pedido: “Amores,vcs podem fazer um preference que ele ta carente e fica todo meloso e tal”


Harry

- Você vai chegar que horas? - Ouvi a voz manhosa de Harry ecoar pelo meu carro.

- Daqui a pouco.

- Onde está?

- Indo para a casa da minha mãe.

- Ah não (s/a), vem pra cá. - Pediu me fazendo revirar os olhos. - Vem.

- Tudo bem, tudo bem… - Falei sendo vencida por seu tom tão adorável. - Chego em dois minutos. - Fiz o retorno e rapidamente cheguei à sua casa. - Oi. - Eu disse com um breve sorriso no rosto sendo surpreendida pelo abraço apertado de Harry.

- Senti sua falta.

- Mas nós nos falamos há dois, três minutos.

- Estou falando de você fisicamente. - Continuou a me abraçar com força, mas de forma gostosa.

- Mas nos encontramos há algumas horas.

- (s/n), já chega não é? - Ele pareceu se irritar, mas logo após separou-se um pouco de mim para me olhar. - Você é tão linda.

- Está doente? Sério, você nunca é tão…

- Estou com saudades, apenas. - Me interrompeu. - Vem, vamos assistir um filme, comer alguma coisa, podemos preparar alguma comida, qualquer coisa contanto que nós façamos ela juntos. - Me puxou até a cozinha.

- Você está engraçado.

- Culpa sua que me deixa sozinho o tempo todo.

- Olha, eu achei que quem fosse reclamar de carência nessa relação fosse eu, não você. - Ri debochando dele.

- Se você parasse seria muito melhor. - Estreitou os olhos pra mim e eu ri mais ainda.

- Vamos fazer algo juntos sim, mas é outra coisa. - Retirei a panela de suas mãos e puxei-o pela camisa para um beijo.

Louis

- Bom dia, amor. - Ele disse com o rosto praticamente sobre o meu.

- Bom dia. - Ri empurrando-o para o lado. - Assim eu me assusto, Louis.

- Sou tão feio assim?

- Não foi isso o que eu quis dizer. - Ele envolveu seus braços em torno de mim me mantendo presa na cama.

- Sabia que eu te amo?

- Sabia.

- E você me ama?

- Eu amo.

- Muito?

- Sim.

- Mas muito mesmo? - Encarei-o de olhos cerrados.

- Claro.

- Você não é sempre seca assim.

- E você não é sempre grudento assim.

- Por que diz isso? - Riu fraco.

- Olhe suas mãos, sua cara de psicopata e o que você está me perguntando. Eu realmente estou assustada, você não é desse tipo.

- Passamos dois dias sem nos ver e nos falar, você queria o quê? - Encheu meu rosto de beijos. - Diz que me ama.

- Eu te amo, Louis. - Falei exausta, ele já me apertava.

- Muito?

- É, eu já disse porra. - Consegui retirar seus braços de mim e levantei-me da cama. Ele veio atrás.

- Vem cá, me dá um abraço, só um abraço e um beijinho. - Me puxou pela cintura e eu gargalhei.

- De fato você não combina com esse comportamento, fica um boboca. Odiei, troca. - Ele riu e eu o beijei.

Liam

- Já chegou? - Liam perguntou ao telefone.

- Não. - Respondi olhando o caminho através da janela do táxi. - Estou na rua.

- Está me vendo? - Ele acenava e eu pude vê-lo na frente do restaurante.

- Sim.

- São pra você. - Me entregou um enorme buquê de rosas vermelhas.

- Obrigada. - Sorri e dei um selinho em seus lábios.

- E isso aqui também. - Era uma caixinha de bombons.

- Obrigada. - Ri sentando-me na cadeira à sua frente.

- E isso. - Outra caixinha, dessa vez era um lindo colar. - Posso colocar?

- Claro. - Coloquei o cabelo para o lado e ele posicionou-se atrás de mim. - Eu me sinto uma péssima namorada, não trouxe nada pra você.

- Você estando aqui é o que importa. - Colocou o colar e me deu um beijo no pescoço. - Ficou linda.

- Eu imagino, graças a esse colar.

- Aliás, você fica linda com qualquer coisa. - Sorri sem graça. - E está mais linda agora com vergonha.

- Para Liam.

- Se você fosse menos linda eu até pararia. - Riu. Sério isso? Eu já estava me irritando.

- Eu estou falando sério.

- E eu também. - Sorriu e tocou meu rosto, eu rapidamente retirei sua mão. - Até com raiva você fica fofa.

- Porra, para! - Praticamente gritei. - O que há de errado com você? Foi mordido por um bicho da chatice?

- Hã?

- Onde está o Liam que eu conheço? Porque esse certamente não é o meu namorado.

- Eu só… Só… Ah (s/a), você passou quase um mês longe de mim… - Encarou a taça à sua frente e eu ri fraco. Aproximei-me dele e dei um beijo casto.

- Depois você terá toda a atenção que merece, mas pare com isso, por favor. - Ele sorriu abertamente e eu fiquei mais aliviada.

Niall

- Amor, cheguei! - Gritei quando entrei em casa.

- Oi. - Niall apareceu sem camisa com um avental branco, mas na verdade estava amarelo. - Que cara é essa?

- O que você fez com o coitado do avental, Horan? - Ri colocando a minha bolsa no sofá e retirando meus sapatos.

- Fiz almoço pra nós dois.

- Sério?

- Sim. Você merece!

- Olha só! - Ri e o beijei. - Que marido perfeito eu tenho.

- Perfeita é você, só retribuo tudo o que recebo, que não anda sendo lá essas coisas, mas hoje…

- Oi? - Interrompi-o.

- Você trabalha muito, amor.

- Tudo bem, vamos comer?

- Vamos. - Fomos até a cozinha, Niall retirou o avental e colocou a comida nos pratos. Ele havia feito omeletes, entre algumas coisas.

- Está ótimo.

- Bonequinha, você está linda hoje. - Parei de mastigar e encarei Niall de canto de olho. Bonequinha? Oi?

- Juro que se você me chamar assim de novo eu jogo esse prato na sua cara. - Ele riu e levantou-se pra tocar meu ombro.

- Vou fazer uma massagem em você, minha bone…

- Ah Niall, vá à merda! - Falei irritada e me levantei. Se mulher melosa era chato, homem pior ainda.

Zayn

- (s/n)?

- Estou no banheiro.

- Fazendo o quê?

- Não interessa, Zayn. - Ele queria mesmo saber o que eu estava fazendo? Necessidades fisiológicas não devem ser compartilhadas.

- Vai demorar muito aí?

- Por quê? Vai usar também? - Ri.

- Não, estou sentindo sua falta. - Até achei fofo.

- Já vou. - Terminei o que estava fazendo e voltei até o quarto onde Zayn me esperava deitado na cama.

- Demorou.

- Nem tanto.

- Pra mim foi uma eternidade.

- Exagerado.

- Vem cá. - Levantou um pouco a coberta para que eu deitasse ao seu lado e assim eu fiz. Zayn me beijou e depois deixou selinhos em minhas bochechas, pescoço e ombros. - Você está com cheiro de morango.

- Um hidratante novo que eu comprei. Gostou?

- Gostei tanto que vou te chamar de moranguinho.

- Ah não Zayn, que broxante. - Ri achando graça e ele arqueou a sobrancelha.

- Faz carinho em mim, moranguinho.

- Zayn… - Ele riu.

- Faz?

- Só se você prometer não me chamar mais assim.

- Prometo.

- Ótimo. - Sorri sentando-me para que ele pusesse sua cabeça em meu colo e em seguida eu fiz carinho em seus cabelos como ele pediu. - Está bom assim?

- Está maravilhoso, moranguinho. - Gargalhou puxando minha mão e beijando-a. Ele ficava uma fofura quando estava carente, mas ninguém merecia o próprio marido chamando você de “moranguinho”.