te afastando

verbo sentir

sinto muito, sinto muito o tempo todo. sinto muito por você nunca me entender, sinto muito por ser essa bomba relógio. sinto muito por nunca te passar pelos olhos a imagem que quero que veja. sinto muito por te machucar/magoar/ignorar, sinto muito por te fazer me odiar, sinto muito. não sou uma boa companhia agora, não tenho sido uma boa companhia nesses últimos meses. e eu tô te afastando, eu sinto, e sinto muito. teus olhos cor de caos inibido, intimidam os meus, a se atirar no abismo que é sentir. e eu sinto muito, sinto tanto.

Depois desse distanciamento entre nós, a única coisa que eu penso quando penso em você é de um dia quem sabe te encontrar por acaso para conversar, frente a frente, olho a olho e com a tal da coragem que ando criando depois que você se distanciou. Incrível como até depois de você ter se afastado da minha vida continua sendo uma pessoa inspiradora para mim. Foi esse afastamento que me fez, hoje, criar coragem e não perder mais tempo. Hoje sempre que penso em não fazer alguma coisa, me lembro do quanto me arrependo por não ter feito valer a pena quando você fazia parte da minha vida, por sempre ter deixado o “medo” me dominar. Cara, por mais que eu queira te esquecer de determinada forma, por outro lado eu já não quero te apagar da minha vida jamais, mesmo que me doa hoje sermos apenas duas pessoas que um dia já foram conhecidos. Eu admito que eu rezo para o futuro trazer você de volta para minha vida, não importa a forma, sinceramente não importa. Eu só quero ter a oportunidade de fazer diferente dessa vez. Não quero te conquistar, apenas quero te mostrar o quanto você é importante para mim. Quando penso no meu sentimento por você, é tudo tão intenso ao nível de não conseguir explicar a sua importância em minha vida, simplesmente não dá. Apenas consigo sentir e sei o quanto é intenso, forte e verdadeiro. E principalmente, o quanto é necessário ter você na minha vida. E é por isso que eu rezo para que a vida não seja tão cruel e não nos distancie tanto ao ponto de jamais nos encontrarmos mais. Ninguém nunca me marcou tanto quanto você me marcou. Nem outros amigos, nem outros amores, nem ninguém. Pessoas antigas, pessoas novas, nenhuma consegue me marcar tanto quanto você. Cara, você é incrível. E nada do que eu tentar escrever aqui vai conseguir explicar o quanto sou encantada pela pessoa que você é. E não, eu não estou falando de amor. Estou falando de um encantamento de sempre querer que você esteja por perto. De querer conversar. De querer te entender. De querer que você se sinta especial, entende? Você fez diferença e continua fazendo diferença. Sim, continua. Pode parecer exagero, mas você se tornou uma das minhas fontes de inspirações. Você é um grande exemplo. Seja para correr atrás, seja para quebrar o orgulho, seja para demonstrar, seja para dá carinho, seja para perdoar, seja para insistir… São tantas coisas. Eu só te agradeço, apesar de tudo, você deixou bons exemplos e momentos especiais. Sou grata por você ter agido diferente comigo do que outro em seu lugar faria em determinadas situações. Obrigada por ter deixado um dia eu já ter feito parte de sua vida, mesmo não sendo uma pessoa tão importante. De verdade, você é e eu tenho a maior certeza do mundo que sempre será importante para mim. Mesmo que a gente nunca mais se fale ou até mesmo nunca mais se veja. Lamento todos os dias essa volta que o mundo deu que acabou te afastando de mim, mas eu espero de verdade que em uma dessas voltas, ela traga você de volta para minha vida. Você é o CARA, garoto.
—  Jessica Mikaela

daqui de dentro consigo escutar sons abafados. choros guardados, suplicas entaladas.
agonizantes, sufocantes, aterrorizantes.

quando seus passos foram te levando cada vez mais pra longe eu percebi que você estava levando uma parte de mim. a melhor parte.
eu senti depois de muito tempo medo. medo de você não voltar mais.

se for pra você ficar eu assumo:
eu não gosto das suas idas.
tudo em mim se esvai quando te vejo se afastando.
meu corpo percebe a falta da sua mão na minha, meu corpo percebe a falta que você faz aqui…
minhas pernas sacubem, mas eu tenho que ir também. então eu corro, quando na verdade eu queria correr mesmo para seus braços.

e eu vou.
sorrindo. tentando não gritar teu nome pelas ruas.
e eu vou.
orando. para que as horas passem rápido para que eu te veja de novo.

e eu te escuto.
no meio de um temporal.
mas não te vejo e fico desesperada a sua procura.
onde você está?
ONDE VOCÊ ESTÁ?
eu grito pro nada e ele leva minha voz junto com a sua.
cadê você que é minha cura?
cadê você que não vejo mais?

estou a cair.

e em minha cabeça ecoa nessa queda:
eu amo um Caio.
e não tenho medo de cair outra vez.
pois seu abraço é afago e em suas pintas me encontro.
eu te peço, só te peço como naquela música.
“ fica. me queira e queira ficar”.  

e.c

Eu sei que vou acabar te afastando de mim. Vou usar minhas desculpas para construir um muro enorme entre nós. E assim que uma fagulha de insegurança aparecer novamente eu irei te empurrar para a saída mais próxima. Sinto muito desde já. Sinto pelas vezes que irei te decepcionar pela minha falta de confiança.
Eu sei que vou perder a cabeça milhões de vezes, do mesmo jeito que criarei milhões de motivos para desistir de você. Serei a maluca que irá fechar a cara e se zangar toda vez que você fizer uma escolha errada de palavras. Meus ciúmes irão te chatear e continuarei fingindo que a minha loucura não nos afeta. Me desculpe por isso. Por ser esse emaranhado de insensatez e pensamentos errôneos.
Eu sei que te amarei tanto a ponto de te sufocar. Que vou me culpar por sentir tudo à flor da pele. E sei que acabarei fugindo de todos os sentimentos que me cercam, sejam eles bons ou ruins. Me perdoe por isso. Por amar errado e não saber como te guardar sem te ferir. Prometo que farei melhor da próxima vez, mas não me deixe sair correndo pela primeira porta que aparecer. Então me agarra pela cintura, me abraça e me ensina um jeito bom de amar.

-Beatriz Andrade

Eu já te disse adeus.

Mas ainda olho seu status para ver a última vez em que você esteve online.

Nossa última conversa foi fim sem ponto final,

e apesar disso, eu ainda congelo quando um carro parecido com o seu se aproxima.

Venho dizendo adeus de domingo à domingo desde quando você foi embora.

E estou te dizendo adeus agora,

meio que esperando que você novamente me diga um olá.

Que me chame pra sair.

Que nós possamos tentar de novo.

Estou deixando você ir, pra tentar convencer todas as outras partes de mim que isso nunca funcionaria – esse lance de nós dois.

Estou me afastando querendo te chamar pra ver um filme,

Pra dar uma volta pela cidade. Pra tentar de novo.

Mas pra não doer tanto, estou enganando meu coração. Nós precisamos mentir pra ele algumas vezes.

Repetir todos os dias que está tudo bem – que é melhor assim, até realmente ficar.

Nós fomos uma bela conexão, mas não estamos prontos um para o outro.

E talvez seja uma questão de tempo, talvez possamos nos encontrar num outro amanhã,

Quando tivermos coragem de escolher um lado e descer do muro.

Quando formos decididos o suficiente para arriscar nós dois juntos,

mas por agora eu te disse adeus,

mesmo me segurando pra não te mandar uma última mensagem.

Me contorcendo pra te dizer pra voltar;

te olhar nos olhos mais um pouquinho,

e você se apaixonar de uma vez por mim.

Flagelos de um poeta.
[…] Mas, no fim do dia agitado, acabei encontrando aquela música do Oswaldo Montenegro, trilha daquele filme que eu te fiz assistir, e sem perceber chorei. Poucas lágrimas, mas um rio para quem estava seca há anos. Só então, constato a marca que deixaste em mim e a grande besteira que fiz te afastando.
—  A tua ausência é amarga essa noite, Bia Ribeiro.
Desculpe, mas não quero que venha falar comigo novamente. Não que eu guarde rancor ou algo assim, mas sei que, se voltar a falar contigo, vou me apaixonar novamente, e não é isso que eu quero. Digo isso porque, gostar de alguém como você, é como se eu estivesse em um campo minado. Nunca se sabe o que pode acontecer se eu der um passo. Pode não acontecer nada, ou pode ser que eu pise em uma bomba e, puf, destrua tudo. 
Não quero ter que me acostumar a conversar contigo todos os dias, e depois te ver se afastando sem nem me dizer o porquê. Isso me machuca, e muito, mesmo parecendo que não tenho sentimentos. É só uma fachada, vai por mim. E eu sinto. Sinto muito. Até demais. E por sentir demais, me machuco. E já me machuquei demais com você.
Agradeço por ter me feito tão feliz por um tempo. Mas já chorei muito também. E não quero mais ter que insistir em algo que não vai para frente. Que me faz feliz agora, e depois me faz derramar lágrimas. Quero alguém que me queira de verdade. Que não meça esforços para me ver, para demonstrar o que sente. E essa pessoa nunca vai ser você. Por mais que eu queira que fosse diferente. Mas aprendi a minha lição. As pessoas não mudam. Se fosse para mudar, tinham mudado na primeira chance. Se não mudou antes, não muda mais. É a verdade, por mais dura que soe.
- Te amo! - ela disse, afastando-se, depois de um beijo. Fiquei sem jeito. Sorri e voltei a beijá-la. Apertei-a contra meu corpo e, sem dizer uma palavra sequer, ela entendeu que eu a amava também.
—  Nessa Cross
Quando Dois Corações se Encontra 2ª temporada

Capítulo 250:

 Jimmy: Que saudades que eu estava de você. — puxou ela pela mão e Camila caiu em cima dele. Ela não sorriu, apenas assentiu a cabeça e continuou olhando para ele, enquanto Jimmy a abraçava. — O que foi? — olhou para o rosto dela, após ver ficar dura nos braços dele.

Camila: Percebi sua saudade, nem me ligou. — revirou os olhos e Jimmy respirou fundo.

Jimmy: Achei que você quisesse me deixar sozinho um pouco, o que foi idiotice, porque você não me irrita, amor. — acariciou a bochecha dela e Camila continuou do mesmo jeito. — Camila o que foi?

Camila: Eu vi as fotos… — fechou os olhos, tentando controlar a raiva que vinha do fundo do coração. Jimmy olhou para ela sério. — Eu achei que me afastando, te ajudaria, mas na primeira oportunidade você foi para a balada. Isso não é justo…

Jimmy: Meus amigos me convidaram Camila, eu não fiz nada demais. Não fiquei nem uma hora lá, foi o tempo de conversar um pouco e beber. — segurou o rosto de Camila que começou a chorar. As variações de Camila o deixavam louco, não conseguia entender nada.

Camila: Você me traiu… — ela começou a chorar alto e enfiou a cabeça no pescoço de Jimmy, que não conseguiu deixar de sorrir com a atitude infantil dela.

Jimmy: É lógico que não, Camila. Eu te amo, lembra?

Camila: Mas você é você… — olhou para ele com o rosto completamente molhado pelas lágrimas. — Você fez isso a vida inteira, porque não faria comigo também?

Jimmy: Camila olha onde eu estou… Acha que lutei tanto pra nada? Para botar tudo a perder por causa de uma noite? Eu juro para você que eu só fui encontrar meus amigos. — dizia, enquanto consolava a mulher que chorava. — Não faz isso, Mila. Me dói ver você desse jeito.

Camila: Eu estou assustada. Pensei o pior assim que vi as fotos.

Jimmy: Você precisa confiar em mim, Camila. Eu não posso abandonar meus amigos também, amor. — dizia enquanto acariciava os cabelos dela. — Eu estou preocupado com você, faz dias que está tão estranha, chora por tudo, fica com raiva.

Está acontecendo alguma coisa? — perguntou olhando para a namorada que ficou calada, não sabendo muito bem o que fazer. Sabia que tinha que falar para Jimmy sobre a gravidez e que aquele momento seria propicio, mas não tinha coragem.

Camila: Estou nervosa por causa do campeonato. — esfregou os olhos e Jimmy sorriu e deu um beijinho nela.

Jimmy: Vai tudo dar certo, amor. E nós, daqui duas semanas estaremos relaxando nas Ilhas Maldivas e seu namorado será bicampeão e ai tudo volta ao normal.

Camila: Ilhas Maldivas? — abriu a boca surpresa e ele assentiu. — Isso é maravilhoso!

Jimmy: Pode me agradecer com uns beijinhos. — puxou ela para cima e Camila sorriu, passando as pernas pela cintura de Jimmy. — Não desconfia mais de mim, tá? Eu te amo muito, nunca te trairia, porque não sou louco. Promete? — olhou nos olhos dela e Camila sorriu. — Dá o dedinho aqui. — mostrou o dedo mindinho para ela e Camila riu, entrelaçando seu dedo ao dele. — Vem aqui sua ciumenta. — puxou ela pelos braços e a derrubou na cama novamente e começou a lhe beijar.

~~——~~~~

Na manhã seguinte, Camila acordou completamente dolorida pela noite anterior, talvez Jimmy devesse saber mesmo que ela estava grávida para pegar mais leve com ela, porque seu pique não era mais o mesmo que a dois meses atrás.

Virou para o lado e viu Jimmy na cama dormindo tranquilamente, deu um sorriso e acariciou o rosto do namorado. Era difícil pensar que Jimmy tinha mudado tanto da água para o vinho em tão pouco tempo. Não era a primeira vez que Jimmy saia sem ela, muito menos seria a última que ele aparecia em fotos comprometedoras, mas ela teria que aprender a lidar com aquilo, ou então entraria em paranoia, coisa que não a agradava nem um pouco.

A campainha do apartamento tocou e Camila franziu a testa, estranhando que o interfone não havia tocado. Suspirou e foi colocar uma roupa para atender a porta.

Saiu correndo pelo apartamento até chegar ao hall de entrada, onde abriu a porta com um sorriso, mas ao ver uma morena alta dos olhos verdes, parada em frente da porta, este se fechou.  

Camila: Quem é você? — perguntou, com a cara fechada. Olhou na cabeça aos pés para a morena, que estava vestida com um short curto e uma batinha. Aquilo lá era roupa de se aparecer na casa dos outros?

— O Jimmy está? — a morena perguntou e Camila respirando fundo. Daquela vez sabia que não eram os hormônios da gravidez que estavam a deixando irritada e sim a ousadia de uma mulher daquele tipo vir atrás de Jimmy.

Jimmy: Quem é amor? — a voz dele ecoou pelo apartamento e fez as duas olharem para ele, que vinha pelo corredor apenas com uma cueca preta. Ele terminou de coçar os olhos e quando os abriu, olhou para a mulher parada em frente da porta. Ela não lhe era estranha, mas não sabia nem nome nem da onde a conhecia.

Camila: Quem é você? Como chegou aqui? — engrossou a voz ao falar com a mulher, que a ignorou e olhou para Jimmy.

— Jimmy, que bom que está acordado, querido! Preciso muito falar contigo. — entrou na casa, empurrando Camila para a parede, que ficou perplexa.

Jimmy: Quem é você? — arregalou os olhos ao ver a morena parar bem em sua frente.

— Como não se lembra de mim? Sou a Lia, não lembra? A modelo brasileira! — disse, com um sorriso e Camila já estava vermelha de raiva, bateu a porta e foi até os dois, ficando ao lado deles. Jimmy apenas franziu a testa. — GP do Japão! — falava meio em códigos e aquilo irritou ainda mais Camila.

Camila: Ele não se lembra de você, agora por favor, se retire do meu apartamento. — apontou a porta e a garota a olhou debochadamente. — Você disse GP do Japão? — franziu a testa e a morena assentiu. Camila olhou para Jimmy com os braços cruzados. — Faz pouco mais de um mês o GP do Japão, Jimmy…

Jimmy: Eu não sei quem essa mulher é! — falou, já temendo outro ataque de Camila. Repassou em sua mente o que fez durante a corrida e não fez nada muito anormal. Apenas saiu para beber com alguns engenheiros e acordou no outro dia com dor de cabeça, sem ninguém ao seu lado.

Lia: Jimmy, por favor… — revirou os olhos. — Nós tiramos várias fotos juntos, olha. — tirou da bolsa algumas fotos reveladas e antes que Jimmy as pegasse, Camila pegou e começou a ver algumas fotos dos dois juntos, uma delas, em um ambiente escuro e no meio de várias pessoas, Jimmy estava abraçado com ela. Camila fechou os olhos com força e quando abriu, olhou para Jimmy o fuzilando.

Jimmy: Eu estava bêbado e acordei sozinho, juro por Deus!

Lia: Claro amor, você apagou após o motel, sorte que o taxista te ajudou a ir pro seu hotel. — abriu um sorriso e Camila ficou ainda mais vermelha.

Jimmy: Amor, não é verdade… — tentou segurar o braço de Camila, mas ela se afastou. — Eu nem conheço você! — gritou com a morena.

Lia: Não é isso que as fotos dizem. — revirou os olhos.

Camila: O que você veio fazer aqui sua vagabunda? Acabar com o meu namoro, é?

Lia: Não, querida, não é minha intenção fazer isso. Quero apenas saber como vai ficar minha situação e a do meu filho também. — colocou a mão na barriga e deu um sorriso. Camila e Jimmy congelaram e olharam para a mão da morena em sua barriga.

Camila: Filho? — sussurrou, com a voz embargada pelo choro que se aproximava.

Lia: Eu estou grávida de você Jimmy. — disse as palavras que Camila nunca esperava ouvir de outra mulher. Jimmy ficou branco e não disse nada, enquanto Camila começou a chorar. — Se duvidar, aqui está o exame de sangue. — tirou da bolsa um papel e entregou a Jimmy, que pegou e leu o enorme positivo no final da folha. — Se duvidar, podemos esperar até o quinto mês e fazer o exame de DNA, mas eu tenho certeza que é seu, porque não me deitei com nenhum outro homem nesse período, apenas você. — ela explicava o que fazia chorar mais. Aquela vagabunda estava grávida com o mesmo período de tempo que ela.

Jimmy: Camila… — olhou para a namorada sem saber o que dizer. Ver Camila daquela forma acabou com o seu coração. Tentou tocar nela, mas Camila lhe empurrou.

Camila: Não encosta em mim. — murmurou cheia de ódio, logo depois olhou para Lia. — Meus parabéns espero que seja muito feliz com esse bebê e também como esse infeliz que você escolheu como pai. — disse a morena que não falou nada, apenas viu Camila se afastar batendo o pé no piso com força. Jimmy olhou Camila se afastando e se desesperou.

Jimmy: Volta aqui depois que eu converso com você. — empurrou a modelo para fora do apartamento e fechou a porta na cara dela.

Camila não conseguia controlar sua raiva dentro do quarto, chorava de ódio por ter sido tão idiota. Por acreditar em alguém que não valia um centavo e agora ter que arcar com as consequências. Jimmy berrava e esmurrava a porta do quarto desesperado com todos os barulhos que Camila fazia dentro do quarto. Ouvia do lado de fora tudo sendo quebrado e os soluços dela.

Dentro do quarto, ela tentava esvair a raiva quebrando as coisas contra a parede, o que não adiantava, pois ficava mais irada ao ver cada caco de vidro de quebrando. Foi até o closet, puxou todas suas roupas de uma vez só do armário e jogou tudo dentro da grande mala, que há pouquíssimos meses tinha chegado naquele apartamento cheia de roupas e novos sonhos.

Jimmy: Camila abre essa porta, pelo amor de Deus! — berrou enquanto esmurrava a porta. Aqueles barulhos, só faziam Camila chorar ainda mais. Era um pesadelo.

Camila: Some daqui! Me deixa em paz! — gritou de volta, indo para o banheiro e pegando todas suas coisas que estava em cima da bancada do banheiro. Do mesmo jeito que pegou, jogou tudo dentro da mala e a fechou. Pegou todos os seus documentos e enfiou dentro da bolsa. Ao olhar para o criado mudo e ver uma foto dela com Jimmy, pegou e jogou contra a parede, para logo depois abrir a porta e dar de cara com Jimmy.

Ele a olhou e não reconheceu Camila, a pele branca dela estava completamente vermelha, assim como os olhos; os cabelos estavam completamente bagunçados e ela parecia não ter mais força para dizer alguma coisa.

Jimmy: Não faz isso Camila. — tentou segurar ela, mas Camila o empurrou. — Eu juro que eu não fiz isso.

Camila: Não fez? — arqueou a sobrancelha. — Você estava bêbado. — ela o olhou e derrubou mais uma lágrima. Jimmy negou com a cabeça. — Não sei como eu fui tão idiota por acreditar em você. Burra! — ela tampou o rosto e puxou os cabelos, evitando que ele a visse chorar. Jimmy se aproximou e a segurou pelos braços.

Jimmy: Eu posso não lembrar o que eu fiz naquela noite, posso não ter como te provar, porque a mulher tem mais provas que eu… Mas eu queria que você ficasse comigo, eu nunca pensei em te trair Camila, eu te amo. — ao ouvir a voz dele embargada, Camila o olhou e viu que Jimmy chorava. Ela nunca tinha o visto chorar.

Camila: Mas você traiu e ainda engravidou a mulher. — ao dizer isso, ela soluçou. Seu peito doía tanto por ter que falar aquilo em voz alta. Ela estava grávida dele, não era possível que tivesse que viver aquilo. — Eu nunca vou te perdoar por isso.

Jimmy: Me perdoa amor, por favor. Eu não sei se aquela mulher está mesmo grávida de mim, mas eu peço perdão por fazer você passar por tudo isso. Você não merecia…

Camila: Na verdade eu merecia, eu também trair, eu fui uma cachorra com quem sempre me tratou bem. Por sua culpa eu perdi tudo. — disse a última frase entre dentes e Jimmy chorou ainda mais. — Faz um favor por mim, nunca mais apareça na minha frente. — o empurrou e pegou sua mala, correndo até a porta. Jimmy foi atrás dela e a puxou.

Jimmy: Por favor, fica comigo. — segurou o rosto dela e Camila ficou parada, olhando para ele chorando. A raiva que sentia era tanta, que não conseguia se concentrar em nada que não fosse sair daquele apartamento o mais rápido possível.

Camila: Ficar com você e aceitar o seu filho com outra mulher? Você sabe o que é isso? Você não faz ideia do que é imaginar essa probabilidade para mim, não na situação que eu me encontro. Quero distância de você. — puxou a mala novamente, esta que passou por cima do pé de Jimmy, o que fez com que ele se afastasse dela. Camila abriu a porta e antes de sair olhou para Jimmy novamente, ele segurava a porta e a olhava de um modo que se fosse a outro momento, em outra situação que ela não estivesse grávida e tivesse que ouvir que ele tinha engravidado outra mulher no mesmo período, ficaria por ali mesmo.

Jimmy: Não faz isso, por favor… — implorou olhando nos olhos dela. Camila olhou para ele.

Camila: A única coisa que eu quero fazer é esquecer que um dia te conheci. — dito isso, fechou a porta e chamou o elevador, que para sua sorte estava no andar. Antes que a porta se fechasse, ela viu Jimmy parado no corredor. Aquilo doeu mais do que tudo que um dia já sentiu. Tinha passado os melhores momentos de sua vida ao lado dele, tinha o amado como nunca amou ninguém e tudo aquilo tinha acabado em tão pouco tempo, pelo motivo que ela mais teve medo. Sabia que Jimmy não era um santo, mas acreditava na palavra e no amor dele.

Mas quem era ela para falar algo de traição, só estava com Jimmy por uma traição, tinha dado o exemplo para ele fazer igual.

Desceu no estacionamento e colocou suas coisas na porta malas do carro e depois entrou e em segundos, estava em dirigindo como uma louca pelas ruas da cidade. Descontava toda sua raiva no acelerador do carro e ouvia as buzinas dos outros motoristas ao passar por eles quase colidindo.

O que faria da sua vida agora? Era a única coisa que passava por sua cabeça. Estava grávida de um filho de um homem que ela não gostaria mais de ver na frente, não tinha mais emprego e nem poderia por um bom tempo voltar a trabalhar, por sua condição. Não tinha mais casa, pois vendera seu apartamento no México para ajudar na compra do apartamento com Jimmy, não tinha dinheiro para cuidar de si própria e de uma criança; mas tudo isso eram apenas detalhes, o que mais a preocupava era o que aconteceria consigo a partir dali.

Acontece que eu estou sentido você se afastando de mim! E a cada segundo te abraço com mais força, porque não quero que você vá, eu tenho medo de saber o que pode acontecer sem você aqui... Mas é isso que ta te afastando... quanto mais eu abraço, mais você se afasta. E eu não sei o que fazer, pq 1 cm longe de você e eu me sinto acabada por dentro .
O que você está esperando para abandonar aquilo que está te afastando de Cristo? O que tem te impedido de viver da maneira como Jesus gostaria que você vivesse? Não adianta chorar para Ele e amanhã voltar a fazer as mesmas coisas. O arrependimento é demonstrado a partir da mudança de atitudes. E talvez você precisa exatamente disso: Tomar uma atitude.
—  Sabrina Adriane
Me perdoa? Sério, me perdoa por agir assim. Eu sei que estou sempre agitando pra você ficar com outras pessoas, mesmo tudo apontando, inclusive você, que sou eu que queres. O problema é que mesmo tudo indicando isso, não consigo crer que seja real. Eu confio em você, não me leve a mal por favor, mas toda noite me questiono o que de bom conseguiu ver mim. Aos poucos vou te afastando, não é por mal, mas eu tenho tanto medo. Eu quero permitir que entre na minha vida, mas não consigo. Parte de mim diz que será bom, mas a outra tem certeza que assim que entrar e ver que não é isso que quer, irá embora. Adivinha qual lado está ganhando? Eu vou acabar te perdendo por medo de tentar.
—  Ártemis Lemaitre