tati!!!!

5

Martine’s holiday with windows. (Mr Hulot’s Holiday, Tati, 1953)

Portrayed by Nathalie Pascaud.
Pascaud’s real name was/is Jacqueline Schillio and besides being a friend of a friend of Tati, she was a so called neophyte - a beginner. I doubt she took acting lessons of some kind, never read info on that one. Pascaud did act in one or two others movies afterwards, so it seems.
Her husband received a role -as Monsieur Schmutz- because Pascaud did not want to part from her husband during the filming of Les Vacances, and Tati did want her for the role.

Quando tá tudo indo bem, eu sempre tenho a sensação de que alguma coisa, no fundo, tá muito errada. Sei lá, é como se um relacionamento saudável fosse impossível no meio dessa merda toda, e quando eu não posso ver os erros, eu fico com essa certeza de que estou sendo enganada. E fico procurando, investigando, revirando o mundo pra encontrar os vacilos, mentiras, motivos pra terminar. Percebe a loucura? É como se ninguém pudesse me amar e ponto, de tanto colarem o adesivo de ‘trouxa’ na minha testa, qualquer carinho me parece suspeito. Percebe a tortura?
—  Tati Bernardi
6

Les Vacances de Monsieur Hulot, on set photography.

Jacques Tati, 1953

"Mr. Hulot is full of grace; he is a kind of angel, and the disorder that he brings is one filled with freedom and exuberance as well as compassion."
Bert Cardullo on Les Vacances de Mr. Hulot

Macho pra mim é aquele que cumpre sua palavra. O fodão é aquele que tem várias opções de mulheres e escolhe todos os dias a mesma. E o bonzão, é o que sabe o valor de uma mulher. Esse resto que fica aí andando pela rua achando que é homem, típico “menino”, pra mim não serve.
—  Tati Bernardi
Tenho medo de terminar sozinha. Tenho medo de ser sempre amiga, irmã e confidente, mas nunca o ‘tudo’ de alguém.
—  Tati Bernardi.
À propósito, te agradeço. Não por ter me magoado e ido embora como se nada tivesse acontecido, mas por ter me ensinado a ser mais forte. E menos tola.
—  Tati Bernardi. 
Para me agradar não é preciso um anel de diamantes, jantares caros, sapatos de grife, carro do ano, cobertura com vista para o mar ou viagens para o exterior uma vez por mês. Para me agradar não é necessário abrir a porta do carro, beijar a minha mão ou me enviar 200 rosas colombianas. Para me agradar não é necessário fazer declarações de amor em redes sociais, escrever poema romântico ou cantar uma música embaixo da minha janela. Para me agradar só é necessária uma coisa: me perceber.
—  Clarissa Corrêa.
2

#alex turner: a summary