susan jenkins

Don’t you want to share the guilt? | Susan & Jock

Sem o álcool, a única outra maneira que Jock possuía para se distrair era tentar manter uma conversa amigável com algumas pessoas da festa. Como sempre, fazia de tudo para evitar aqueles que menos prezava e até aquele momento não trocara uma palavra que fosse com algum agente da Primera. Trocara olhares desafiados e furtivos com Mitchell Grimmes, mas nada além disso. Para que pudesse disfarçar sua expressão de quem gostaria de estar em qualquer outro lugar do mundo, decidira servir-se com uma taça de coquetel de frutas não alcoólicos. A única vantagem de crianças serem bem-vindas na festa era poder usufruir das bebidas próprias para elas.

Pelo salão, estavam distribuídas diversas mesas com toalhas lilases e, sobre elas, gigantescos lustres provavelmente feitos de cristais. Tudo ali parecia ser roxo, roxo e roxo. Madge poderia apostar que a ideia para aquela festa viera da sra. Arcade, tão falastrona como o seu marido, e a mulher mais desprezível que a DNI já conhecera. Tinha ciência de no mínimo oito ou nove situações em que a outra fora pega traindo o marido. Isso não seria nada, é claro, não fosse o fato de que ela adorava fingir-se de santa diante do pobre Joseph Arcade. Às vezes, Jock tinha vontade de entregá-la da maneira mais dramática que conseguisse, mas não podia deixar de ignorar as consequências que aquilo traria na mídia. Além do mais, ela não podia deixar de contar com as doações anuais de Arcade, de modo que seria melhor mantê-lo longe de outras preocupações.

Ainda fitando o ambiente ao seu redor, Madge foi atraída para uma das únicas mulheres que não optara por um vestido roxo. Susan Jenkins, alguém que a diretora conhecia bem até demais, estava perambulando entre as mesas com uma roupa colorida. Instintivamente, Jock revirou os olhos para aquela cena. Ainda que pudesse continuar no seu lugar, não tivera oportunidade naquela noite de arranjar alguma intriga e aquela parecia a deixa perfeita. Um desperdício seria não aproveitá-la. Caminhou pelo piso liso em passos lentos, o seu tão conhecido e provocador sorriso cruzando seus lábios carnudos. “O tema da festa é roxo, Susan.” Sibilou, quando já estava perto o suficiente para que a outra pudesse ouvi-la. “Não ‘vista-se como uma cortina de banho’.”