st.mary's-hospital

LOUIS TOMLINSON

  • Anônimo: Faz um com o Louis em que eles tem uma filha juntos (os dois são separados) e a Sn acha que a filha gosta mais da nova namorada do Louis porque ela preferiu passar o Dias da mãe com a namorada do Louis e não com ela. +
  • Continuação do pedio do Louis: Ai ela sofre um acidente e a filha se culpa por isso assim como o Louis (ele se separou mas ainda ama a Sn). Final feliz. Ps: Desculpe o pedido ser grande 🙈
  • Não sei se você queria a filha deles adolecente ou criança, mas eu fiz com ela criança, então espero que goste.
  • Boa Leitura!

12 de Novembro de 2011

Estava eu no altar dizendo sim para o amor da minha vida, o homem a qual eu escolhi para ficar ao meu lado pro resto da minha vida e eu o amo tanto.Logo depois de um ano de casados descobri que estava grávida foi o dia mais feliz das nossas vidas, nove meses se passou e veio ao mundo minha princesa Clairy, ela é a cara do pai não tinha como negar. Depois de uns meses eu e Louis começamos a brigar quase todos os dias, ele não estava dando atenção suficiente a Clairy e isso estava me deixando brava e estressada, pois ás vezes ela não queria ficar comigo e sim com o pai. Nos separamos depois de dois meses, cada um seguiu sua vida, conseguimos guarda compartilhada e dividimos os dias que cada um ficaria com a Clairy.

08 de maio de 2016

Hoje era o dia das mães e o dia de Clairy ficar com Louis, só que ele trocou comigo já que hoje é dia das mães e eu ia sair com a Clairy.

- Mamãe que horas o papai vai vim? – Ela aparece na escada com a mão na cintura

- Hoje ele não vem meu amor, hoje é dia das mães e nós vamos sair – eu disse e ela desceu a escada.

- Mas quero ficar com o papai e a tia Danielle hoje – Danielle é a namorada de Louis e ela e a Clairy sempre ficavam juntas quando ela fica com o pai.

- Mas meu amor hoje é nosso dia, eu marquei muitas coisas pra nós fazermos hoje -  abaixei pra ficar do seu tamanho

- Não mamãe, quero ir com o papai, não quero sair com você – ela saiu correndo para o quarto e uma lágrima teimosa escorreu pelo meu olho, ainda não acreditando que minha filha não queria passar o dia das mães comigo, liguei para o Louis e disse para vim busca-lá. Ele não entendeu nada e só concordou, depois eu cancelei todos os planos que tinha feito e subi pro quarto da minha filha.

- Se troca que seu pai e a Danielle estão vindo te buscar – ela abriu um sorriso e começou a pular de alegria, eu simplesmente fechei a porta e desci.

Quinze minutos depois Louis chega e Clairy corre pro colo da sua namorada, e ela começa a dizer o que as duas vão fazer a tarde toda. Louis percebe que estou estranha.

- Aconteceu algo (S/N)

- Não Louis, vá logo e não traga ela muito tarde tabom – sorri e ele concorda saindo com as duas pela porta.

Estava triste por conta de tudo isso, mas decidi seguir em frente. Já que iria ficar sozinha decidi sair, me arrumei peguei o carro e sai. Mas as palavras de Clairy não saiam da minha mente, ela dizendo que queria sair com o pai e namorada e não comigo, quando eu tomei conta de mim eu não vi a mureta e bati com tudo fazendo meu carro capotar duas vezes, depois disso eu apaguei.

LOUIS POV’S

Chegamos ao parque e Clairy estava muito animada para brincar, mas eu percebi que algo tinha acontecido entre ela e a  (S/N) então resolvi perguntar. Sentamos em um banquinho e Danielle disse que ia comprar sorvete.

- Clairy vem aqui - sentei ela no meu colo - o que você fez pra sua mãe? Porque não saiu com ela.

- Papai.. eu só queria ficar com a Danielle

- Eu sei, mas hoje é dia das mães e tenho certeza que ela tinha preparado várias coisas pra vocês - disse e ela ficou pensativa

- Será que eu magoei a mamãe vindo pra cá?

- Eu não sei, mas pelo que percebi eu acho que sim

- Eu quero voltar pra casa agora e me desculpar com a mamãe - ela sai do meu colo e começa a me puxar e logo vi Danielle voltando com dois sorvetes.

- Onde estão indo? - Danielle pergunta

- Clairy quer voltar pra casa, me desculpe - ela fica meio enfurecida

- Então porque ela ficou chorando pra querer vim e não ficou com a mamãe dela? - olhei pra ela incrédulo

- Olha aqui, você não se meta aonde não foi chamada, eu vou levar ela de volta.

- Se você for, acabou tudo - ela diz

- Então acabou - digo e saio andando com Clairy no meu colo quando meu celular toca.

Ligação ON

- Alô

- Alô? Aqui é do hospital St.Mary e queria dizer que a (S/N) entrou aqui agora pouco, você poderia vim até aqui.

- Eu vou, mas o que aconteceu? - vou andando pro carro e coloco Clairy no banco de trás

- Chegar aqui nós te explicamos

Ligação OFF

- Tudo bem, estou indo - desliguei o celular e dei partida no carro, acelerei o máximo que eu pude - Papai  que houve?

- Mamãe tá no hospital - ela começa a chorar - Não chora, vai ficar tudo bem

Cheguei no hospital e logo perguntei onde (s/n) estava, o médico vem falar comigo e diz  que foi um acidente de carro mas que ela estava bem só teve alguns arranhões e estava descansando e perguntava toda hora pela Clairy.

- Eu posso vê-lá?

- Sim, claro - ele me levou até o quarto em que ela estava e vi ela dormindo serena, sem nenhum aparelho já que não foi grave e logo Clairy correu para abraça-lá.

Ela acorda e abraça a filha.

- Desculpa mamãe eu não queria te deixar triste

- Tudo bem meu amor, você não fez por mal - e elas se abraçam, e eu percebi que cometi um erro em deixar as duas, não era pra nada disse ter acontecido, e agora que estou livre de novo, posso concertar as coisas.

- (S/N), fico feliz que você esteja bem - sento do seu lado e seguro sua mão, e ela dá o sorriso mais que lindo e que eu senti muita falta

- E fico feliz que você esteja aqui

- Eu queria esperar mas não dá, eu quero voltar com você (s/n), eu fui um burro de ter deixado vocês e eu sinto sua falta

- Eu também sinto sua falta Louis, e eu também quero voltar com você - eu vou pro lado dela e lhe dou um abraço e sinto Clairy nos abraçando também, eu não poderia estar mais feliz em ter minha família de volta.

LEMBRE-SE: PLÁGIO É CRIME!

Imagine Louis Tomlinson


  •    anna-luisa11 :Vc poderia fazer um Louis em que ele abusa na bebida e no cigarro por que eles brigaram e vai para no hospital? ?😻
  • Espero ter acertado, me digam o que acharam é muito importante para mim. Obrigado e bom imagine :)

Já se passaram duas horas desde que Louis saiu de casa, nós tivemos uma briga feia.

Flash back on

Eu e Louis estávamos em uma sorveteria quando escuto alguém me chamar.

 - (S/N)? Quanto tempo

- Mike quanto tempo – sorri e o abracei – Como você está?

- Estou bem e você? Continua mais linda do que a última vez que nos vimos.- Sorri corada.

- Ah obrigada, esse é meu.. – olho pro meu lado e não vejo Louis do meu lado e vejo ele sentado em uma mesa bem afastada de mim. – Bom quer dizer aquele que está sentado ali é meu namorado Louis.

- Eu até iria lá dar um oi, mas tenho que ir – ele me abraça – Tchau a gente se vê por aí.

 Vou até a mesa onde Louis está sentado

- Porque saiu do meu lado? Eu ia te apresen… – ele me interrompe

- Pro seu amiguinho né, porque não foi embora com ele

- Porque você é assim? Poxa ele foi meu amigo da faculdade – segurei na mão dele mas ele soltou

- PARA (S/N) – ele se levanta e a atenção é toda para nós

- Aqui não, vamos pra casa – me levantei e fomos até o carro.A viagem toda até nossa casa era silenciosa.

Chegando em casa a briga ficou mais feia ainda.

Ele segurou no meu braço com força e me levou pra dentro de casa

- Louis me solta tá me machucando – eu tentava me soltar mas era em vão, ele era mais forte que eu.

- Namorada minha não fica conversando com macho nenhum você tá me ouvindo? – ele me soltou com tudo no sofá.

- O que? Seu idiota, eu falo com quem eu quiser você é meu namorado não meu dono.

 - Você é uma péssima namorada (S/N), nem me dá um filho você presta

- O que? O que uma coisa tem a ver com a outra?  – Uma lágrima escorre pelo meu rosto – Louis olha o que você tá falando.

- Já que é pra falar eu vou falar o que tá engasgado aqui, eu quero um filho mas você diz que é muito cedo que somos novos que precisamos nos casar, quem precisa seguir os padrões da sociedade? Me diga (S/N) você tá me traindo e por isso não quer filho? – ele vem chegando perto de mim

- VOCÊ QUER SABER MESMO LOUIS?? – Me levantei e fiquei o encarando – EU SOU ESTÉRIL,EU NÃO POSSO TER FILHOS !! AGORA  VOCÊ SABE PORQUE!!  – subi pro meu quarto sem esperar alguma reação dele e lá eu desabei.

Flash back off 


Depois eu ouvi a porta batendo e deduzi que ele tinha saído mesmo, e já se passaram duas horas desde que ele saiu, eu estava com raiva e triste mas estava preocupada porque quando ele está de cabeça cheia ele bebe e ele saiu de carro.

 Fui na cozinha e ouvi me celular tocando era número desconhecido então resolvi atender.

- Alô

- Você é a (S/N)? – não reconheci a voz – Sim sou eu quem é?

- Aqui é do hospital St.Mary e só te ligamos pra  te avisar que seu namorado Louis sofreu um acidente de carro – E minhas lágrimas começaram a rolar novamente, eu não conseguia nem responder.

- (S/N)?

-Oi.. é eu estou indo ai – desliguei o celular e pedi um táxi já que Louis que estava com o carro, eu não conseguia pensar mais em nada nem na briga nem nas coisas ruins que o Louis me falou só me preocupava a saúde de Louis.

Cheguei no hospital e fui para a recepção e ela logo me informou que ele estava no quarto 201.Fui com pressa até lá e o médico estava com Louis e pro meu alívio ele estava acordado e estava tomando soro.

- Louis, meu Deus – abracei ele – nós precisamos conversar – dissemos juntos.

- Bom eu vou deixar vocês conversarem mas antes que eu saia. O Louis bebeu muito e saiu dirigindo e ele bateu de frente numa árvore, poderia ter sido mais grave mas ele só ficou com alguns arranhões, depois que ele terminar o soro ele está com alta para ir pra casa – o médico ia saindo – com licença.

- (S/N) me desculpe eu não deveria ter falado aquilo e nem agido daquele jeito com você – ele acaricia minhas bochechas.

- Louis me desculpe também por não poder te dar um filho, eu quero muito mas já consultei o médico e ele disse que é impossível

-(S/N) nós ainda podemos ter um filho, não do nosso sangue mas podemos adotar e seremos uma família – sorri

- Sério? Eu quero muito

- Sim estou falando muito sério – ele me puxa para um selinho – eu te amo.

- Eu também te amo muito meu amor.