source: carol oliveira

As pessoas crescem, traçam planos e se decepcionam. Imaginam um mundo completamente diferente, pensam em seus sonhos e se enganam com a cruel realidade. Crianças pedem para crescer e assim poder comprar tudo o que quiser a hora que pretender, namorar, beijar, sair para diversos lugares. Crescem e percebem como alguém pode ser ingênuo até aquele ponto. Embora nos servissem com os sonhos e com a fé, a felicidade sempre vai embora e volta depois de dias, meses ou anos. O mundo se encarrega de bater a sua porta, mostrar-lhe que não é assim que a fila anda. Faz você aprender que lágrimas não são suficientes, que os sorrisos não resolvem tudo. Aprendemos, então, da pior maneira que em cada giro do mundo, um futuro estranho começa. Um destino sem carreira certa, sem período certo para felicidades e tristezas. Ganhamos as possibilidades – 365 ao total em um ano. Jogamos fora, ignoramos. Dizem que segundas chances são erradas, não servem para aqueles que erram porque o fizeram uma vez. Mas em algum lugar do céu há alguém que acredita que as pessoas vão melhorar. Este dá 365 novas chances, todos os dias. Mais 365 na virada de ano. Promessas são feitas, cumpridas e quebradas. A mentira nos ronda assim como a falsidade. Em quem acreditar? No que acreditar? Creio que ninguém viverá o suficiente pra saciar todas as suas dúvidas, vivendo assim em um mar de coisas desconhecidas. Mas, infelizmente, ninguém procura com toda sua força um modo para fugir daquilo de ruim, daquelas perguntas sem respostas. Só esperam que caia do céu, como mágica. Só esperam que outros peguem as oportunidades para melhorar. Só esperam que tudo mude, sem começar pela principal mudança: você.
—  Carol Oliveira (pronunciou)

A amizade é algo engraçado. Sempre começa meio superficial, meio boba. Mas depois ela muda. A gente fica mais íntimo. Tem umas conversas mais pessoais. E se conhece melhor.
Depois de um tempo, a gente pode até achar que aquela animação anterior sumiu, que não há mais aquelas risadas gostosas… Mas não. Aqueles momentos estão ali. E sempre estarão.
Você é o problema. Você pensa que talvez tenha superestimado a relação de vocês. Talvez ele(a) significa mais pra você do você pra ele(a). Você é inseguro(a) pra caralho. Você não podia estar mais errado(a). Vocês são amigos, porra. Você pode contar com ele(a) SEMPRE!
Passado mais algum tempo, você percebe que, agora que têm uma relação tão próxima e íntima, a amizade não poderia ser mais superficial. Vocês não se levam a sério. Riem das desgraças dos outros. São eternamente insensíveis enquanto não forem atingidos. E aí você pensa: “Caralho, o que eu faria sem ele(a)?” e percebe que não se lembra do que fazia para se divertir antes de se conhecerem.

Existe algo mais bonito que a amizade? Muitos podem dizer que o amor é bem melhor. Sinceramente, eu não sei. Minha quota amorosa não é exatamente boa. Então hoje eu afirmo que você é mais importante que qualquer coisa. Que estarei lá para você. Não importando o motivo: uma doença, uma briga, um porre, um coração partido. 
Amigo, eu te amo <3 

(Letícia Scandiuzzi)