sou's art

Ela pensa que sou revolucionário e interessante, francamente!
Esperar tais coisas de mim é bobagem. Sou lunático, excêntrico, visionário, quase um desastre, quero amores duradouros porém sou instável, amo pela arte da dedicação, pelo prazer.
Gosto de estar livre, bebendo em bares e esquinas, recitando sobre a vida que não conheço. Bastante fajuto.
Não possuo nem religião, apenas acredito em forças superiores, atrações mentais, almas predestinadas, forças sobrenaturais.
Escrevo sobre minhas paixões por detalhes, momentos e outras trilhões de insignificâncias, vivo com a cabeça nas nuvens e a minha essência emotiva em relação a vida é incurável.
Cara a cara sou inconveniente, quero falar sobre sexo, critico a política, faço piada interna e quando algo não me interessa me torno apático e sem sal.
Sou atrapalhado, leio as placas da cidade por onde ando.
As vezes esbarro em alguém enquanto caminho olhando pro céu.
Em meus surtos poéticos falo de amor com graça, na prática tento ser romântico e clássico, por outro lado gosto do que é impróprio, do que me parece convidativo e descomunal. Sou uma alma revertida pelo amor ao pecado.
Já fui idealizador de amores, atualmente possuo apenas uma lista de fetiches, vai de sexo a conversas intelectuais, tenho paixão por mentes dispersas.
Me deixo vencer pela curiosidade em entender os mundos submersos dentro de nós.
Essa é a minha maneira sutil de estar interessado. Pois gente vazia me gasta, me cansa, já o intenso, ele me extasia.


Ela também acredita que sofro escassez de sensibilidade.
Ah, 50% correto!

No entanto, eis a única verdade universal; o meu estereótipo de amor ideal foge de qualquer clichê. Tenho pavor da vida monótona, isso me desgasta, me consome e então a solução é simples, a gente se reinventa, eu me refaço, crio os roteiros do cotidiano de mil e uma formas distintas, saímos dos trilhos, em rumo a qualquer lugar e circunstâncias longe da mesmisse. Fazemos da vida, uma arte incansável.
Assim como qualquer outro já fui machucado, mas essas são as consequências de amores mal sucedidos, hoje eu carrego apenas o aprendizado, não sou desacreditado, certamente apenas agradecido. Agora dispenso promessas, sou um eterno apreciador de boas ações.
E após todas essas grotescas revelações, se ela não mudar de opinião, eu vou convida-la pra despir sua alma pra mim, tomando um café, ou até mesmo quem sabe, uma simples dose de vida.

HQ Rarepair Week - Day 2: Language
Inuhina

I took the idea that Hinata and Inuoka share their own language to another level. Here’s an alternative universe where Hinata and Inuoka are just two deaf volleyball kids. Now I’m not saying they’re the only ones who know sign language. I’m sure their team members have taken the opportunity to learn it as well. Its just nice for the two of them to be able to talk fast and as fluently as they can! ok bye.