sou criativa

USERS!!!!

jungkook:
junszgkook (???)
jkookz
jeonhurts

seokjin:
kzseokjin (???)
seokjineeds
seokjismine
jineedsluv

taehyung:
taehysvoice (??)
taehyungkiller
kimtaehurts

jimin:
jimineedz
pjiminex
jnimine
parkxzjimin (????)

hoseok:
hoseokisz (?????)
hoseokilled
hobismine
hobinluv

namjoon:
namjoonop
namjooneeds
kiminamjoon

rspmonzter
rspmoon

yoongi:
yoowzgi
minezyoongi
minxyoongz (?)
lovelyoongix
yoongihurts
yoongisfeel
sugaffair

se usarem ou salvarem pelo amor de min yoongi dêem like ou créditos, da muito trabalho principalmente pra mim fazer esses users porque eu não sou nada criativa então vamo me ajudar ae pessoal!!

please like if you use and credits sugarota

like or credit to @natwurlly

bios pra barbara, nao sou muito criativa mas espero que gostem

  1. protect barbara palvin at all costs
  2. to aqui pra enaltecer barbara palvin
  3. amor da minha vida pode entrar barbara palvin
  4. amar amo só barbara palvin vcs eu aturo
  5. I’ll always support barbara palvin
  6. amém barbara palvin
  7. eu e minha casa servimos a barbara palvin
  8. barbara palvin is my religion
Imagine Harry Styles - Pedido

Olá pessoinhas!! Então, meu coração se partiu escrevendo este imagine, pois não gosto de imaginar cenas assim - por motivos pessoais. Esse imagine é inspirado em fatos reais ( não completamente, mas boa sim, então já sabem como está meu psicológico, haha).

Espero que gostem bastante e venham me dizer o que acharam - POR FAVOR !! - AQUI <3

Boa leitura Xx


Suspirei cansada e quase socando o peru que resolvi assar para o jantar de hoje. Tantas comidas que eu poderia escolher e opto logo por essa? Peru assado? Eu realmente sou muito criativa. Claro que comprei as coisas de acordo com o que Harry mais gosta, como por exemplo, arroz á grega. O que eu não sou muito fã, mas para agradá-lo, o fiz.

Joguei os braços para cima, encarando o peru e ele me encarando, esperando que ele me dissesse como se cozinha, se tempera e essas coisas. Receitas da internet não funcionam, pois todas as vezes que já tentei reproduzir algo, ficou uma grande bosta! Bufo, ouvindo o meu celular tocar no balcão. O pego e atendo, metendo a mão no peru outra vez e enfiando cenouras e batatas em seu interior, como manda a receita que peguei.

- Alô? – falei, seca e grossa.

- Uau, nem parece que transa – uma voz fala, fina e estridente, me fazendo rolar os olhos – Ta tudo bem, honey?

- Não, não está tudo bem! – meio que grito, jogando sal, pimenta e tempero completo na ave, tentando cobrir todas as partes – Estou tentando assar um peru, mas não faço idéia de como fazer!

- Hum, peru? Por acaso é para o Harold? – pergunta Louis, segurando uma risada

- É sim, se fosse por mim, eu pediria comida italiana e ficaria tudo bem. Mas – digo, rodando o tabuleiro e vendo se não deixei nenhum espaço sem tempero – Quero agradá-lo, então estou fazendo o que posso.

- Uh, quer que eu faça “onwt”? – ele pergunta, já rindo escandalosamente – Você é tão fofinha às vezes, honey

- Tá ta – reclamei, pegando o peru e enfiando no forno – Me ligou para que?

- Escutar sua voz me deixa feliz – ele diz, com a voz transbordando sarcasmo – Não, não consigo mentir para você. Bom, só ia chamar você para a festa na casa da mãe do Fred. Vai ser no sábado.

- Adoro a mãe do Fred! Ela bêbada é a melhor pessoa do mundo! – digo, me lembrando da ultima festa que fomos a casa dele, em que ela bebeu uma garrafa de vodca inteira e começou a dançar com o Dj, dizendo que ela tinha idade para ser mãe dele mas que se rolasse uma química … Números são só números.

- Dona Ferdinanda é linda – Louis fala, rindo loucamente na linha – Enfim, porque está fazendo um jantar para Harry? É aniversario de vocês?

- Não não, nada muito importante – digo, lavando a louça que sujei e vendo se já preparei tudo – Eu só quero fazer algo especial para ele, sabe? Ele sempre trabalha até tarde, chega cansado e me dá carinho. Quero fazer algo que ele goste e retribuir um pouco do que ele faz para mim.

- Nossa, isso me deu até dor de barriga – ele diz, fazendo barulhos do outro lado da linha – Que lindo, honey. Tenho certeza que ele vai adorar!

- Tomara – eu digo, colocando as mãos na cintura e me apoiando no balcão.

- Bom, vou deixar você terminar o que tiver ai. Você ainda tem que ficar cheirosa e gata para ele – Louis diz, jogando beijinhos do outro lado da linha – Me conta depois o que ele achou.

 - Claro amiga – brinco com ele – Te conto tudo mais tarde!

- Hum, até os detalhes quentes? Sempre quis saber como ele é na cama! – cubro a boca para abafar a gargalhada, mas falho e Louis me segue, rindo igual uma zebra.

- Você é bem podre

- Também te amo, honey! – e desligou

Balanço a cabeça repetidas vezes, tentando apagar o sorriso do meu rosto. Louis é uma figura. Olho para o relógio, percebendo que tenho 30 minutos para tomar banho e me arrumar. Subo as escadas correndo e tomo o mais longo banho da minha vida, que duraram 10 minutos. Seco o cabelo como posso e coloco um vestido branco, rendado e simples. O comprei quando viajamos para Miami, e adorei tanto, pois posso usar em quase todas as ocasiões, por ser simples, bonito e até elegante.

Não passo maquiagem, pois eu não iria tirar antes de dormir. Só passo um gloss e vou para a sala, não sem antes ver se o peru já está assado. Confirmo e rezo para estar saboroso. Arrumo a mesa, com a toalha branca que Anne me deu esses dias, afirmando que achou a minha cara assim que entrou na loja. Com tudo pronto, sento-me na poltrona e aliso o vestido, esperando dar 19h e a porta se abrir.

{…}

19h35.

19h43.

19h57.

20h.

20h12.

20h24

20h37 – 20h48

21h

22h

23h

Toda vez que o ponteiro chega no 12, meu coração dói. Agora, nem fome mais tenho. A casa perdeu o cheiro maravilhoso do assado. A torta de morango no freezer nem está mais tão convidativa. As velas na mesa estão no toco, a toalha parece amarelada e minha alma parece em pedaços.

Não sei o motivo da demora de Harry, nem com quem está, já que Louis não me disse se estavam juntos ou não. Pensei varias vezes em ligar para um deles, mas desisti, percebendo que eu deveria confiar no meu noivo. Enviei apenas uma simples mensagem para ele, perguntando se tinha acontecido algo e se estava bem, mas não houve resposta. Não sabia se estava vivo, não sabia se estava bem.

Meus olhos estavam quase se fechando, tanto pelo cansaço de um dia inteiro de trabalho estressante, quanto pelo tempo em que demorei a preparar um jantar que não vai ser servido. Olho para meu vestido, agora amassado e sem graça. Apoiei a cabeça na mão, tentando reunir esperanças no fundo do meu ser, e então a porta se abre.

A primeira coisa que se manifesta no ambiente é o perfume que emana dele. Um aroma doce e barato. Harry está deixando a bolsa na pequena mesa quando se vira e me vê sentada na poltrona, arrumada. Ele arregala os olhos, olhando ao redor e provavelmente vendo a mesa posta. Seu semblante fica confuso e quando olha para mim outra vez, eu é quem estou de olhos arregalados.

- Amor, você …? – ele quase pergunta, mas o interrompo antes que perca a coragem.

- Você estava com uma mulher? – pergunto, sentindo um nó se formar na minha garganta. Harry ainda parece abismado com o ambiente, e engole em seco, não respondendo a minha pergunta – Me responde, Harry

- Com quem? Mulher? – ele pergunta, tentando ganhar tempo e parecendo nervoso, olhando para todos os lados da casa.

- Apenas seja sincero comigo – tento parecer o mais calma possível, mas minhas mãos já começaram a suar e tremer, pois o cheiro desse perfume feminino está me deixando completamente enjoada.

- Eu só … – ele começa, mas para, derrotado. Passa as mãos no cabelo a abaixa a cabeça, a balançando duas vezes. Sinto uma pontada no peito pela confirmação silenciosa, mas não me permito explodir. Respiro fundo três vezes e me levanto, indo em direção a cozinha.

Vou até a geladeira e pego a travessa de torta que fiz, sendo seguida por Harry, que arqueja quando vê a sobremesa em minhas mãos. Quase rio de suas expressões, pois não é possível ficar tão surpreso assim só por eu ter feito um jantar e uma sobremesa, a não ser que ele nunca tenha esperado isso de mim, o que me deixa ainda mais confusa sobre o motivo dele estar fazendo isso comigo. Será que não sou boa o suficiente para ele? Será que sou tão ruim? Enquanto corto um pedaço para mim, ele olha para os lados, vendo a panela do arroz preferido dele e se inclinando para perto do forno, sentindo o fraco cheiro do assado.

- Ah, amor, se eu soubesse que … – mais uma vez ele não termina, ficando atrás de mim.

- Não – digo, levantando um dedo e o fazendo calar, mesmo que nada mais fosse sair de sua boca – Se você soubesse que fiz um jantar para você, isso não te faria não me trair hoje – digo, com um bolo na minha garganta, que faz com que minha voz não saia normal. Balanço a cabeça, fisgando um pedaço da torta e o colocando na boca, sentindo o doce se dissolver na minha boca – Aliás, nem sei quantas vezes foram, muito menos se foi só hoje – digo, rindo secamente e parando de mastigar, me virando para fitar os olhos verdes de Harry – Já tem tempo isso? Desde quando?

O silencio dele acaba comigo duas vezes mais que a situação, pois seu arrependimento mostra o quanto ele não pensou no momento em que fez. Ou seja, não pensou na nossa relação, no quanto tempo estamos juntos, nos nossos momentos e muito menos em mim. Tento engolir, enfiando outro pedaço de torta na boca para me ocupar com algo, mas continuo o fitando, esperando suas respostas.

- O que você quer que eu diga, afinal? – ele pergunta por fim, me olhando e vendo o quanto estou chateada e confusa. Não sei interpretar sua postura, já que parece arrependido e ao mesmo tempo não muito. Não sei se, se arrependeu de ter feito hoje ou de ter começado com isso.

- De verdade? Não sei … – digo, me sentindo cansada de tudo. Largo o prato na pia ao meu lado, cruzando os braços e voltando a encará-lo – Quero saber desde quando, o motivo que o levou a fazer e mais um outro motivo para continuar a fazer. Quero só a verdade.

Harry morde os lábios, numa atitude nervosa. Lábios pelos quais sempre fui apaixonada, não só enquanto ele falava - com sua voz rouca e manhosa, como quando acorda todas as manhãs, não querendo levantar -, mas também quando os beijava, sentindo a textura macia e viciante. Agora, olhando para eles, percebo que além de mim, outras mulheres também os têm aproveitado.

- Não sei desde quando – ele se pronuncia, finalmente – Talvez depois daquela festa na casa do Fred, quando percebi que você podia muito bem viver e ser feliz sem mim por perto. Aquele dia foi bem ruim para mim, você sabe. Tínhamos brigado por um motivo besta, e a noite fomos para a festa. Fiquei surpreso por te ver lá, sabe, pensava que quando brigávamos você ficava em casa pensando e arrumando seus livros, como sempre faz. Mas você foi a festa, e parecia tão bem e feliz que fiquei me perguntando o que aquela briga havia significado para você, afinal – uma raiva sobe pelas minhas veias, percebendo que fazem quatro meses que ele vem me traindo, e tudo isso por um motivo idiota e egoísta da parte dele – Olha, sei que você não vai entender os meus motivos, nem eu mesmo os entendo, mas você sabe mais do que ninguém da minha dificuldade de conseguir ficar com alguém por muito tempo. Sabe que sempre faço alguma besteira ou acabo me decepcionando. Estamos juntos há anos, e sempre via que nossas brigas te afetavam da mesma forma que me afetavam, mas você lidava melhor com elas, porque sempre foi a parte pensante da nossa relação, a parte que não deixa tudo desmoronar. E eu sou a parte explosiva, que lido com nossos problemas saindo com meus amigos e às vezes bebendo – Harry faz uma pausa e se vira, agarrando o pescoço e respirando forte. Apenas balanço a cabeça e volto a comer meu pedaço de torta, quase tendo que pegar um copo d’água para conseguir engolir – E naquela festa você aparece como se nada tivesse acontecido, como se estivéssemos bem e normais. Riu, bebeu e dançou com meus amigos. Não perdeu a linha, nem se jogou para cima de ninguém. Você não precisou me mostrar e jogar na minha cara que estava bem, você apenas estava lá e eu não sabia o que pensar. Imaginei que a parte pensante de nós tivesse ido embora, que agora seríamos os dois sem rumo e sem responsabilidade.

- Acho que se você não calar a boca, vou te bater até você perceber o quão idiota está sendo – digo, rangendo os dentes e apertando o garfo na mão.

Harry se vira para mim e segura meus ombros.

- Você mudou! E eu não sabia o que esperar! Eu não queria que acabássemos daquele jeito, não queria que a melhor parte da minha vida se fosse! Eu não queria que deixasse de ser como era! Por minha causa, por causa das minhas babaquices! – ele grita, frustrado e com os olhos cheios de lágrimas.

- Olha que engraçado, não acabamos daquele jeito, mas sim de um jeito muito pior – eu digo, baixo e fracamente, me soltando de seus braços e andando em direção ao quarto. Sinto-o bem atrás de mim e paro, não querendo que a situação piore.

- Você? – ele não precisa terminar

- Só cansei, Harry. Cansei de ser a que pensa em tudo, a que fica em casa sofrendo por todas as merdas que você fala. Cansei de ser sua escrava, sua submissa. Amo você pra caralho e é por isso que estou aqui. Por isso fiz todo esse jantar para você, mesmo depois de um dia exaustivo no trabalho. Fiz tudo para você, mas ai você não chega, e quando chega … – balanço a cabeça, deixando que as lágrimas caíssem e que a tristeza me consuma – Descubro que vem me traindo, pois “mudei” – rio, pois falar uma coisa dessas é quase cômico – Eu não mudei, Harry! Eu só cansei de sofrer por nós dois! Cansei! – grito a ultima parte, cobrindo o rosto com as mãos e soluçando alto, não conseguindo conter mais todos esses sentimentos que me dominam.

- Não posso pedir desculpas por um ato não pensado – ele diz, francamente e com a voz carregada de culpa.

- Está certo – digo, limpando as lágrimas – Você não pode nem deve me pedir desculpas por isso – me viro para ele, olhando pela ultima vez em sua íris clara e avermelhada por conta do choro. Acaricio seu rosto e parece que estou tocando em espinhos, por isso faço cara de dor e retiro minha mão dele, que quase não suporta minha rejeição e desaba no chão, chorando desesperadamente.

A dor que sinto é imensa, e olhar para ele desse jeito me destrói mais ainda. Nunca gostei de vê-lo sofrer, mesmo quando as merdas eram feitas por ele. Ninguém é perfeito, e sempre aceitei seus defeitos, mas isso é demais para mim. Não posso continuar com uma pessoa que me trai há meses e mesmo assim chega em casa e me abraça, me beija e fala que me ama. Não posso viver assim.

- Queria que meu amor tivesse sido o suficiente para você – digo, deixando a melhor parte de mim para trás.

/Larry

Eu apaguei tudo. Fiz aquela faxina, lembra? Apaguei tudinho: fotos, contatos, lembranças. Todas as certezas de antes, não tenho mais. Não sei mais. Nem quero pensar. Se tem uma coisa que eu não sei é sobre o dia de amanhã, portanto crio metas e vivo o hoje. Eu quero o agora. Cansei de ficar pensando no que pode ser.
—  Não sou criativa

Lixo tóxico, lixo tóxico doce, lixo tóxico disfarçado de algo saudável… Ah, aqui estão as frutas! Então, o que você prefere? Morangos ou uvas? Eu pessoalmente gosto dos dois, então o que você decidir está de bom tamanho pra mim contanto mas não pense nem em voltar o olhar para as frutas em calda enlatadas, por favor.

Eu não sou penetra e também não estou bêbada. Na verdade, nesse exato momento poderia estar com uma taça de vinho na mão, mas não, estou participando de uma simulação de estupro. Ao menos deveria ser mais discretx me colocando para fora.

Quando um post meu não dá notes: ok isso n faz do meu tumblr um tumblr ruim, eu sei que sou criativa está tudo bem o importante é que eu gostei do meu post || Quando meu post dá mais de 100 notes: EU SOU A RAINHA DESSE SITE GLORIOSA E PODEROSA, NGM BRILHA MAIS QUE EU ISSO SÃO FLASHES??
Pois olhe, chega. Chega de escrever sobre alguém que não é palpável nem mesmo aos olhos. Quero escrever agora sobre o que sinto, sobre algo que é, sobre o real. Acabou o mundinho imaginário, desde quando cai na realidade de ser mais adulta. E é foda acordar com um peso nas costas e tentar ser melhor pra si mesmo. Mas me diz aí, se eu não tentar, vou fazer o que? Sigo em frente.
—  Não sou criativa
Eu queria ter um dicionário na minha cabeça pra poder ter uma palavra nova a todo instante, uma palavra legal, mesmo que com um significado não tão legal, tipo anticonstitucionalissimamente. Eu queria ter palavras assim pra poder demonstrar meu amor por você de uma forma diferente a cada hora, talvez a cada minuto, nos intervalos dos beijos. Eu me sinto tão perdida por não ter palavras novas. Comecei a achar o amor monótomo, quem pensa assim? Passei a pensar quando tive apenas dias memoráveis ao seu lado. Eu queria poder descrever como meu coração bate disparado quando te vejo, como um médico diria isso? Bom, eu não sei. Por isso escolhi a escrita, ela pelo menos é o espelho da alma, apesar de decifrar-me ser algo que ainda não consegui, gosto disso, gosto de pensar que é algo maravilhosamente torturante. Eu pensei até em criar um dicionário novo, com palavras só minhas, palavras que descreveriam o que sinto por você, não sou tão criativa, desculpa. Bom, eu tenho tantas palavras presas na garganta, as vezes elas saem em disparada, outras vezes elas ficam presas como um bolo preso em minha garganta, é insuportável. Geralmente eu gosto de você, as vezes eu te odeio, mas sabe, eu te amo o tempo todo, talvez esse seja o grande problema, meu amor por você é imensurável. Como diria Clarice “Muinto.” seria o suficiente pra dizer que eu te amo daqui até a eternidade.
—  Bianca Autran