sorrir sem querer

Love Me One More Time

Zayn dirigia pelas frias ruas de Liverpool, seus pensamentos estavam tão bagunçados, ele não sabia se deveria ter paciência ou se deveria deixar ser tomado pela raiva que estava quase fazendo suas veias estourarem.

  Enquanto isso ao seu lado, S/n mantinha a cara fechada com a feição de poucos, bem poucos, amigos. Ela estava com tanto ódio que jurou a si mesma que se Zayn ousasse a abrir aquela maldita boca, ela iria joga-lo para fora daquele carro e não se importaria com as consequências.

  Eles estavam tão bravos um com o outro que se alguém visse poderia jurar que eram os maiores inimigos de todo o século. Zayn não se conformava que S/n havia o feito passar uma vergonha tão grande. Por sua vez, S/n não aceitava que ele havia ficado bravo com ela por ter ela ter “chamado a atenção"  da mulher que estava - segundo S/n - dando em cima de Zayn de forma descarada.

  - Você quer passar no fast food? - Ele perguntou grosso.

  Ela não o encarou, ao menos se deu o trabalho de responder, S/n apenas ponderava se deveria mesmo deixar Zayn naquele carro.

  - Tudo bem então.  -Zayn resmungou vendo que não iria ter uma colaboração.

  O restante do caminho foi mais silencioso que filmes antigos em preto e branco. S/n só pensava no quanto queria arregassar a cara daquela ruivinha sem vergonha, sua raiva dobrava o tamanho ao que ela lembrava que filho de uma mãe do Zayn havia a impedido.

  E Zayn?

  Zayn apenas tentava se controlar para não gritar com a namorada e acabar a magoando, apesar dele querer muito isso no momento.

  Ao exato demorou trinta e dois minutos para eles chegarem em casa e eles sabiam disso pois estavam, em suas mentes, contando os minutos para saírem de perto um do outro. Ao que Zayn guardou o carro na garagem, S/n abriu a porta de forma brusca a batendo da mesma maneira em seguida fazendo com que Malik perdesse totalmente sua paciência.

  - Qual é o seu problema? - Perguntou ele assim entraram na casa.

  S/n mais uma vez não respondeu e seguiu caminho para a cozinha como se Zayn não existisse.

  Que coisa de criança!

  Pensou ele.

  - O que você está refazendo é ridículo! - Reclamou vendo S/n se virar e se encostar na pia.

  Se antes ela tinha cara de poucos amigos, agora ela nem se quer os tinha. Seus braços cruzados deixavam claro que ela não iria deixar barato.

- Ridículo é você defender uma piranha sem vergonha! - Seu tom era tão frio que por um momento Zayn se estremeceu por dentro.

- Ela é amiga da minha prima, nós estávamos na festa dela e você não deveria ter feito aquele escarcéu! - Falou bravo vendo a sobrancelha de S/n se arquear de forma superior.

Mulher irritante!

Gritou em mente por odiar tal ato.

- Você gostou? - Aquilo não soava como pergunta, ela estava o acusando.

- O que? - Zayn perguntou desacreditado com o que saia da boca de S/n.

- Você gostou de ver aquela vagabunda dando em cima de você na cara dura, não é? - Elevou sua voz sentindo mais raiva por ver as coisas fazendo sentido.

Cretino!

A risada de Zayn era completamente sem humor e carregada de sarcasmo.

- Qual é S/n, você esta brincando comigo né? - Perguntou retoricamente e nervoso.

- Você acha que sou idiota? Você esta defendendo aquela ruivinha sem sal desde que saímos daquela porcaria de festa! - Praticamente gritou fazendo Zayn se exaltar também.

- Eu não estou defendendo ninguém caralho, você que fica fazendo merda e quer desviar o assunto! - S/n revirou os olhos segundo a fala do até então namorado.

- Fazendo merda Zayn? - Perguntou agora com o tom mais baixo e voltando a frieza de antes. - Ela estava rebolando pra você, eu vi! - Bateu a mão em seu próprio peito. - E você estava gostando porque não é possível…

- Eu já lhe disse quê não estava gostando de merda nenhuma, é difícil de entender? - Perguntou já cansado de ouvir tantas acusações.

- Eu dúvido e muito… - Ao que disse isso ela se lembrou de um antigo fato, mas sua raiva estava tão grande que achou que seria relevante joga-lo na rodinha. - …até porque você já traiu Perrie uma vez, o que me garante que não irá fazer o mesmo comigo? - Ao que terminou de falar viu a feição de Zayn se transformar em algo realmente raivoso.

Ele não estava acreditando no que acabará de ouvir, sua namorada não tinha confiança nele a ponto de achar que ele iria realmente a trair. O coração do Malik estava tão acelerado que por um momento achou que iria morrer ali mesmo, mas ele não poderia fazer isso antes de descontar a raiva que agora o dominava por inteiro.

- Eu deveria mesmo fazer algo para você ter toda essa desconfiança em mim, mas eu não preciso sabe por que? - Sorriu maldoso. - Você já é obrigada a sofrer sozinha por ser uma inútil que ao menos consegue me dar um filho. Por isso você deve ter tanto medo, não é S/n? - Ele a encarava de forma tão maldosa que por um momento achou melhor parar, mas a parte que estava com raiva falou mais alto e ele continuou. - Você morre de medo de eu encontrar uma qualquer que possa me dar o que você não consegue, você morre de medo de eu te largar para ter uma família não é? - Todas as palavras morreram na garganta de S/n. - Você está putona comigo porque aquela ruivinha lá que segundo você, “é uma vagabunda”, pode fude comigo e acabar engravidando. Você odiaria isso, não é mesmo? Odiaria saber que transamos milhares de vezes sem a porra da camisinha e você nem mesmo atrasou aquela merda de tabela, enquanto ela possivelmente em uma única noite poderia atrasar nove meses! - Ao concluir todas as teorias ele apenas teve tempo de sentir uma enorme ardência em seu rosto.

O rosto de S/n era molhado por grossas lágrimas que desciam silenciosamente. Aquelas palavras a afetaram de uma maneira que nem em um zilhão de anos ela acho que se machucaria tanto.

- Você é o maior filho da puta que eu já conheci! - Proferiu as palavras tentando transformar toda sua dor em raiva.

Mas de forma alguma ela iria conseguir fazer tal coisa.

Seus pés seguiram rumo para fora daquela casa e ela estava decidida que não iria voltar ali tão cedo. Enquanto isso, Zayn ainda tentava processar tudo o que acontecera, seu rosto estava um tanto dormente ainda, mas nada absurdo perto do mal estar que ele sentia em seu peito. Ele se sentou na bancada da cozinha e apoio seu rosto sobre as mãos gélidas, sua mente começou a refletir sobre todas as palavras que ele havia jogado ao ar. Ele havia sido tão cruel com S/n que por um momento pensou em ir atrás dela no mesmo instante, mas ele não saberia o que dizer então seria uma viagem perdida já que ele teria de ter ótimos argumentos para ela o perdoar.

- Filho da puta! - Gritou ele se auto xingando enquanto seu punho socava o mármore gelado.


Há alguns quarteirões dali, em um barizinho já bem familiar, S/n pedia uma garrafa de cerveja. Seu rosto inchado denunciava o fato dela ter acabado de ser despedaçada. Ela tentava focar na reprise de um jogo de futebol que passava, mas as duras frases de Zayn a perturbavam, ela sabia que não era a melhor namorada do mundo, mas ele mexeu em sua ferida e agora estava ardendo.

- Dia ruim hoje? - O senhor atrás do balcão perguntou chamando a atenção dela.

- Apenas uma noite péssima. - Resumiu sem querer muito papo.

- Aqui geralmente é o canto do desabafo. - Falou enxugando um copo qualquer. - Caso se sinta à vontade. - Sugeriu entregando o copo a S/n.

- Não sei se o senhor iria querer ouvir a história de uma garota que acabou de ser humilhada pelo rapaz que amava. - Disse melancolicamente se servindo cerveja.

O senhor com ralos cabelos grisalhos sorriu simpático.

- Querida jovem, estou acostumado a ouvir homens completamente bêbados reclamarem de seus chifres, da bolsa de valores ou da amante que tem outro amante, garanto que não irei me incomodar de ouvir uma linda moça falar sobre a briga com o namorado. - Falou com uma certa casualidade que fez S/n sorrir, mesmo sem querer.

- Quer que eu comece por onde?
 
(***)
 

A porcaria do relógio marcava 5h04am e Zayn já estava ficando desesperado. S/n ainda não havia voltado para casa e não tinha onde ele a procurar, seus pais moram no Havaí e sua melhor amiga está em lua de mel em Paris, ele não tinha um ponto de partida.

Você deve estar se perguntando: Por que o jumento não telefona ou manda uma mensagem?

Ele fizera isso treze vezes até perceber que o celular da namorada estava dentro da bolsa que estava no sofá juntamente com a chave do carro. O fato dela ter ido a pé apenas dificultava sua busca, já que caso ela tivesse ido de carro ele poderia facilmente rastrea-la.

- Por favor Deus, cuide dela para mim! - Clamou com as mãos juntas enquanto tentava eliminar toda e qualquer possibilidade de algo ruim ter acontecido com S/n, ele nunca se perdoaria.

Ele subiu para o andar de cima da casa e foi diretamente para o banheiro. Retirou toda sua roupa e ligou o chuveiro na temperatura mais fria que tinha. Assim que a água alcançou seu corpo, um gemido foi solto pelo pequeno choque térmico. Em meio todo o turbilhão de sentimentos, lágrimas começaram a cair de seus olhos, apesar de ser o típico cara forte, Zayn tinha sua fraqueza e ela tinha nome e sobrenome.

- Por favor Deus… - Pediu mais uma vez.

O barulho do boxe sendo aberto despertou Malik que não se moveu para olhar, mas já sentia a presença e sabia quem era. Atrás dele, S/n se encontrava nua e levemente alterada pelo álcool. Ela suspirou ao encarar o corpo de Zayn totalmente nú e levou sua mão até as costas do companheiro.

- Eu estava preocupado. - Zayn disse se sentindo ainda culpado por toda a grosseria.

S/n não usou a ironia como ele esperava, ao contrário, ela apenas abraçou seu corpo encostando a cabeça nas costas do mais alto. De uma forma bem delicada, ela começou a depositar beijos na pele morena e sorriu vendo a mesma se arrepiar.

- Você…

- Shiu. - Ela o cortou e continuou a trilhar beijos até a nuca, onde ela sabia que era um ponto fraco dele.

Zayn jogou a cabeça para trás deixando com que ela fizesse o trabalho molhado enquanto se sustentava nas pontas dos dedos.

Ele gemeu e ela sorriu com isso.

Suas mãos faziam carinho em seu peitoral todo tatuado mandando mensagens para o membro já duro. Aquele banheiro havia ficado pequeno demais para os dois e agora parecia uma sauna.

A esperta boca caminhou até a orelha de Zayn onde lambeu e mordeu fazendo o moreno rosnar de excitação enquanto sentia seu membro ser acariciado de forma lenta pelas pequenas mãos.

Assim mesmo, uhm.

Gemeu em seus próprios pensamentos.

Antes de atacar totalmente o namorado, sorriu singela e proferiu as palavras que iria mudar tudo no dia seguinte:

- Me ama só mais uma vez, por favor.

/Brubs

Estou cansada

Cansada de pensar que as coisas vão mudar

Cansada de deitar minha cabeça no travesseiro e imaginar coisas que nao vão acontecer

Cansada de chorar todas as madrugadas

Cansada de acordar todos os dias querendo morrer

Cansada de fingir ser alguem que eu nao sou

Cansada de sorrir sem querer

Cansada de esconder o que sinto

Cansada de dizer que estou bem quando na verdade estou destruída

Cansada de ver as pessoas se afastando de mim

Cansada de desistir de tudo que eu gostava

Cansada de ser intensa demais

Estou cansada de mim mesma, eu queria sumir, queria desaparecer, dar um tempo das pessoas, dar um tempo de mim mesma, ou talvez desaparecer para sempre, porque eu…

Estou cansada de viver.

(Via: @sadsuicidalgir-l )

✿ Status: Olhares ✿

Eu olhei, você olhou, sorrimos.

Lindo é ver o teu sorriso e o ciúmes nos teus olhos.

É bonito por que, tem olhares que
parecem abraços.

Quantos beijos um olhar pode dar?

Posso até não falar nada, mas meus olhos me entregam. É um brilho diferente, uma sensação que acalma de repente, é difícil explicar.

A gente se beija com os olhos.

Não deixe de olhar nos meus olhos. Eles vão te dizer sempre tudo aquilo que não consigo expressar com palavras.

Eu adoro quando nossos olhares se cruzam, e por um momento, parece que você sente algo por mim.

Aí eu olho pra ele, ele olha pra mim, a gente se encara e rola aquele clima.

Nunca troque um coração que te ama, por vários olhares que te desejam.

Queria muito saber o que você pensa quando me olha.

Trocaram olhares profundos e nunca mais se viram.

Eu gosto daquela paz que vem daquele olhar.

Eu amo esse lance de troca de olhares.

Talvez nossos olhares se cruzem em alguma esquina do infinito.

Tantos sorrisos por aí, você querendo o meu. Tantos olhares me olhando e eu querendo o seu.

Me apaixono por sorrisos e olhares, as palavras me seduzem, mas são as atitudes que me conquistam.

Sou fã das coisas simples… sorrir sem querer, conversar por olhares, dizer sem medo, elogiar sinceramente.

Nosso amor não surgiu de uma primeira troca de olhares. Nosso amor se desenvolveu no passar do tempo e é isso que o torna forte.

Sorrisos bobos, abraços longos, e olhares sinceros.

Tantos olhares me olhando e eu querendo o seu. E eu não duvido não, que não foi por acaso, se o amor bateu na nossa porta, que sorte a nossa.

Status/Ficantes

“Estranho seria se eu não me apaixonasse por você.”

“Meu coração enlouquece só de pensar em estar do seu lado.”

“Eu só queria te falar que você foi o melhor presente que a vida me deu.”

“Te quero por inteiro. Por que quem gosta de migalhas é passarinho.”

“Cada um sabe a falta que o outro faz.”

“Sua boca combina perfeitamente com a minha.”

“Entre a minha felicidade e ficar com você, escolheria você, que me leva ao mesmo caminho.”

“Quando eu te vejo, eu começo a sorrir.”

“E sem querer, eu te quis…”

“Mas o amor é assim: Quando dois querem, um não larga, outro não desiste.”

“Ultimamente já não tenho mais mandado em mim, foi só você que fez com que eu ficasse assim…”

“Teu cheiro só me dá prazer, eu tô doidinho pra roubar teu beijo, e nos teus braços pra sempre viver.”

● Se pegar dê like ou reblog

Com o tempo percebemos que o que não mata não nos deixa mais fortes; torna-nos mais sensíveis. O poder dos venenos diários é preenchido pelas irresponsabilidades da falta do que fazer. Não fazer nada é ocupar o tempo com coisas perdidas. Perder tempo é não viver. Sorrir sem querer é pior do que verter lágrimas. Amar sem amar é pior do que cavar a própria cova. Viver e não viver, literalmente, é o mesmo que morrer e continuar vivo. O que mata mesmo é passar pela estrada da vida sem olhar pelos lados. É seguir caminho sem dizer adeus. É pedir para parar sem ao menos ter tentado. As irresponsabilidades que cometamos com a vida são imperdoáveis. Temos  tão pouca vida para não vivê-la. Com o tempo, passando cada mais rápido, percebemos que viver é tão grandioso que com um piscar de olhos tudo muda. Aproveitar cada segunda do nosso glorioso tempo é uma dádiva. O rio da vida corre e não recua jamais.
—  Túlio Santos. 
Sabe, essa sensação bonita, de querer fazer o bem, de querer sorrir, sem olhar pra quem, de querer amar, e pro passado não mais olhar, sensação que vem do céu. Sensação, que vem de Deus, eu sei que vem.

Uma espécie rara em extinção,
do tipo que te chama pra assistir um filme
sem qualquer intenção,
que te chama pra beber uma cerveja,
um café,
um vinho que seja,
só pra te ouvir,
te fazer sorrir,
sem querer nada em troca,
apenas algumas horas de sua companhia,
e sentir a sua alegria
em estar comigo.
Sim esse sou eu.
Mas você prefere um outro tipo qualquer,
que trata mulher
como trata dinheiro,
que esta com você
só pra falar pros “parceiro”,
que só pensa em status,
quantidade,
e fama,
faz de tudo pra te levar pra cama,
e depois te descarta,
como uma lata de comida barata.
E quando você perceber,
que o bem que eu fazia a você,
hoje faço a outra pessoa,
que por livre escolha
preferiu,
minhas cervejas,
minhas risadas,
meus abraços e carinhos,
o gosto dos meus beijos,
e dos meus vinhos,
que poderiam ser seus,
mas agora
por escolha tua,
que não sabe se vive ou atua,
são de quem eu quiser,
pode ser,
da loira,
da japonesa,
da morena,
ou da ruiva,
mas teus não são mais,
e nem vão mais ser.

Pedro Siqueira. Papo reto.