sorrie e acene

Imagine - Harry Styles

Pedido: Queria um do Harry q ele n dá muito moral pra ela e ela faz de tudo pra agradar ele, e um dia ela descobre q ele tem outra, final feliz


—————


Meu casamento com Harry estava acabando aos poucos. Sinto que o fim está próximo de acontecer.


Estamos casados há 4 anos. Bastante tempo não é?! E parece que o amor que ele sentia por mim, acabou .

Não me lembro a última vez que ele me disse um “eu te amo”, ou saímos juntos como fazíamos antes. Não sei qual foi a última vez que ele me beijou com vontade. Eu não reconheço mais o meu marido


Todo dia ele chega, come algo e vai dormir. Ou às vezes nem vejo ele chegando do trabalho porque estou dormindo , ele chega tarde e quando acordo ele já saiu para o trabalho. Às vezes acho que ele não dorme em casa. Suspeito que ele possa estar me traindo. Harry disse que nunca me trairia, ele odiava traição, sempre me dizia isso e então descartei essa possibilidade.

Está semana fiz de tudo para ele me notar , não me deixar de lado, voltar a ser quem ele era.

Na segunda Fiz sua comida favorita e ele disse que não estava com fome e nós discutimos. Ele dormiu na sala. Terça deixei a casa super organizada e preparei um banho na banheira pra ele com aroma e tudo mais e quando ele chegou disse que estava muito frio para tomar um banho de banheira, mas não discutimos. Na quarta-feira comprei um presente para tentar agrada-ló e quando entreguei Harry disse que o presente era uma merda e que para agradar ele
Era para parar de encher seu saco. Fiquei muito indignada com que ele disse. Foi totalmente grosso comigo e eu como não sou idiota revidei, com mais grosseira. Brigamos novamente e dessa vez ele não dormiu em casa. Eu fiquei preocupada com ele , chorei, foi uma noite complicada. De manhã ele me mandou uma mensagem se desculpando e disse que estava bem, o que me fez ficar tranquila.


Havia acabado de chegar do trabalho. Estava cansada, exausta, precisava relaxar, mas tudo que eu pensava era um jeito de salvar meu casamento.

Então, tomei um banho e no momento que estava no chuveiro pensei em como agradar meu marido.


Fazia muito tempo que nós não tínhamos uma noite só nossa, me entendem?


E era isso o que iria fazer. Sai do banho, vesti minha melhor lingerie, passei creme em meu corpo, coloquei um shorts que destacava minhas pernas, uma camiseta e um moletom, ajeitei meu cabelo, me olhei no espelho e mesmo com aquele shorts e um moletom qualquer eu estava me sentindo bonita.


Fui até a sala, liguei a televisão e permaneci lá.


Escutei a porta se abrir , Harry entrou com aquela cara de “não fala comigo que eu não estou de bom humor ”.

S/n: Oi meu bem! - falei sorri e ele apenas acenou - Tudo bem? - levantei indo até ele e o abracei

Harry: Estou cansado - disse e foi pra cozinha e eu o segui.


S/n: Trabalho foi cansativo? - comecei a massagear suas costas

Harry: Foi..


S/n: Está estressado amor.. Tá precisando relaxar não é?! - comecei a beijar seu pescoço e pude sentir seu corpo arrepiar - Vamos lá para cima, assim você relaxa e podemos nos divertir um pouco - ele ficou de frente pra mim. Seus braços envolveram minha cintura e ele deu uma leve mordida em minha orelha


Harry: Vamos logo! Estou louco para fazer tudo com você - sussurou no meu ouvido e logo me beijou com desejo . Fazia muito tempo que ele não me beijava desse jeito. Foi ótimo sentir aquela sensação novamente.

O beijo foi ficando cada vez mais intenso, então subimos para o quarto e lá joguei Harry na cama e ele sorriu malicioso. Deitei em cima dele e comecei a beijar seu pescoço. Harry apertava minha bunda e com isso aproveitou e tirou o meu shorts. Eu estava de olhos fechado enquanto o beija e de repente, quando abro os olhos encontrei um beijo de batom em sua camisa branca. Era óbvio que não havia sido eu, até porquê eu não estava usando batom. Quando vi já bateu o desespero.


S/n: Que merda é essa na sua camisa Harry???? - disse saindo de cima dele e sentando na cama

Harry: O que? - perguntou sem entender nada

S/n: Não se faça de idiota. De quem é essa marca de batom na sua gola? - disse já perdendo a paciência

Harry: Seu né S/n! De quem mais seria? - falou como se fosse óbvio


S/n: Eu não estou usando batom Harry! De quem é isso? - disse pela última vez


Harry: Eu não sei! Você deve estar vendo coisa- disse desviando seu olhar, obviamente ele estava mentindo

S/n: Tira essa camisa!


Harry: Não vou tirar merda nenhuma!

S/n: TIRA A PORRA DA CAMISA AGORA! - ele tirou e eu mostrei a ele a tal marca de batom- E AI , EU ESTOU VENDO COISA?? DE QUEM É ISSO?? UMA VAGABUNDA QUALQUER???

Harry: Você nem a conhece e diz que ela é vagabunda? Se liga!

S/n: Ahhhh então existe uma biscate no meio disso!


Harry: Você respeita ela tá me ouvindo? - ele agarrou em meu braço, apertando forte o mesmo e logo largou


S/n: Eu sabia! Você estava agindo diferente á um tempão. Eu desconfiava que estava me traindo.
1 ponto para minha intuição - disse passando as mãos na cabeça - Eu não acredito que você teve coragem de fazer isso! AINDA MAIS VOCÊ STYLES, QUE ODIAVA TRAIÇÃO!


Harry: EU ESTAVA CANSADO DA MESMA COISA SEMPRE! EU ESTAVA CANSADO DE VOCÊ FICAR EM FALANDO DE CRIAR FAMÍLIA, DO NOSSO FUTURO!


S/n: QUE FUTURO?? VOCÊ ACABOU TUDO QUE PODERIA ACONTECER ENTRE NÓS! EU TE AMAVA SABIA?!?

Harry: E VOCÊ ACHA QUE EU NÃO? EU TE AMAVA S/N! MAS TODO DIA ERA A MESMA COISA! EU NÃO QUERO FAMÍLIA, EU NÃO QUERO PENSAR NO FUTURO, QUERO VIVER O PRESENTE! A CADA DIA VOCÊ ME IRRITAVA MAIS! FICAVA ME CRITICANDO POR NÃO ARRUMAR UMA CAMA! ISSO É DEMAIS! PRECISAVA DE ALGUÉM QUE EU PUDESSE RELAXAR !!

S/n: AHHH E A ÚNICA OPÇÃO FOI A TRAIÇÃO?????


Harry: VOCÊ QUER QUE EU FALE A VERDADE? ENTÃO EU VOU FALAR! EU PROCUREI ALGUÉM PARA ME DIVERTIR, JÁ QUE VOCÊ NÃO QUERIA SABER MAIS DE SEXO! E FALANDO NISSO, ESTÁ CAMA JÁ FOI O LOCAL DE ONDE EU E ELA FIZEMOS TUDO QUE TÍNHAMOS DIREITO, ALÉM DO MAIS ELA BEM
MAIS GOSTOSA QUE VOCÊ E MUITAS OUTRAS QUALIDADES - quando ele me disse a verdade minha vontade era de estrangular esse imbecil . As lágrimas começaram a escorrer pelo meu rosto, eu poderia matar os dois!

S/n: AHH É ! QUE ÓTIMO - fui até o armário, abri e peguei sua mala - ENTÃO VAI SER FELIZ COM A SUA NOVA “AMIGUINHA” E DESAPARECE DA MINHA VIDA- joguei a mala no chão, desci a escada, peguei a chave do meu carro e sumi dali.

Era um turbilhão de emoções que estava sentindo. Não sabia para onde ir, o que fazer! Apenas queria que tudo isso fosse deletado da minha mente.


Fiquei dando voltas e mais voltas com o carro, chorando, me xingando, xingando o imbecil do Harry e a vagabunda que ele pegava.

Eu realmente pensei que nós pudéssemos viver juntos pra sempre…


Fui em direção a minha casa e quando cheguei o carro dele não estava mais lá, provavelmente ele já havia ido embora. Entrei e subi as escadas.
Me doeu o coração ver o armário sem suas roupas, tudo o que era dele ele levou, deixando apenas a aliança em cima da mesa.


Comecei a chorar descontroladamente! Eu o amava tanto, mas tanto e ele teve coragem de acabar com o nosso amor.

~6 meses depois ~

Gemma veio ontem aqui em casa.
Fiquei surpresa em ver ela.

Gemma me disse que Harry estava em um estado deplorável.

Não saia do quarto, estava triste há várias semanas .

Ele ficou com a nova “namoradinha” por 3 dias.


Disse que sentiu minha falta e sabia que não iria o aceitar de novo.

Ela me disse que ele estava mal.


Eu fiquei triste em saber disso, mas ele me traiu, ainda está machucado e meu amor por ele.. Não existe mais..

[..]


Estava no horário de almoço e fui almoçar sozinha.


Cheguei no restaurante perto do trabalho e lá na mesa do canto estava o Harry , comendo, com uma cara abatida.


Eu fui até ele. Quem sabe se ele visse se animasse .


S/n: Oi- ele me olhou


Harry: S/n?

S/n: Posso me sentar com você?

Harry: Claro- disse nervoso - O que está fazendo aqui?


S/n: Vim almoçar e te encontrei aqui! Não quer minha companhia?


Harry: Não, não é isso! Sua companhia é o que mais quero nesse momento!- olhou para baixo

S/n: Está tudo bem?

Harry: É, tudo sim..


S/n: Gemma foi lá em casa ontem - toquei no assunto


Harry: Ela foi mesmo??- assenti- O que ela disse é tudo mentira! Eu estou super bem- sorriu fraco , um sorriso bem forçado


S/n: Harry, eu te conheço! Sei que não está bem! Dá para saber isso perfeitamente

Harry: A cada dia me sinto mais idiota, imbecil em ter te perdido- colocou as mãos na cabeça e as sacudiu negativamente - Eu estava no paraíso e não sabia.

S/n: Não fica assim!

Harry: Como não ficar assim?! Eu perdi o amor da minha vida , traí você, eu não consigo acreditar que fiz isso até agora! Eu fui tão troxa! Me desculpe!


S/n: Ei, tá tudo bem! Já passou - coloquei minha mão sobre a sua e ele sorriu

Harry: Você não tem ideia do quanto eu ainda te amo- riu fraco- S/n, me dá uma chance? - ele olhou no fundo dos meus olhos- Me dá uma chance de mostrar que eu mudei, que eu te amo imensamente, que eu NUNCA mais faço o que eu fiz.


S/n: Harry… Eu…- ele me interrompeu


Harry: Foi um momento de fraqueza! Eu estou completamente arrependido, não tenho mais motivos para ser feliz sem você ao meu lado. Me arrependo de todas as coisas erradas e ruins que fiz pra você nesses últimos anos! Me desculpe por tudo! Eu vou ser diferente, só preciso de uma chance- ele segurou minha mão e começou a acaricia-la.


S/n: Eu não tenho aquele mesmo sentimento que tinha a seis meses atrás por você - disse baixinho e pude ver sua expressão de expectativas cair e a tristeza o dominou de novo - Você me machucou muito! Eu realmente não esperava isso de você.. Desculpa

Harry: Não, tudo bem! Eu te entendo . Eu que peço desculpas novamente - abaixou a cabeça


Ele me amava ainda.. E eu não sei o que sinto por ele. Não vou mentir que sinto sua falta, de quando ele era o meu Harry, carinhoso, engraçado, amoroso!


S/n: Harry.. Olha pra mim.. - ele olhou- Me promete que você vai ser aquele Harry de antes? De quando nós nos conhecemos? Que não vai me deixar de lado como fez?

Harry: Prometo!! Eu mudei! Pode ter certeza!


S/n: Então podemos tentar - sentei ao seu lado . Ele me agarrou e me beijou com tanto desejo

Harry: Não vou te decepcionar meu amor! Que isso fique bem claro! Obrigada por voltar pra mim princesa!


—————-

Gentee me desculpem pela demora, essa semana foi bem
Complicada e semana que vem piora🙄.

Mas enfim, não tive tempo de revisar o imagine então desconsiderem os erros. Espero gostem!!

Beijos💜💜

Ju

Em Seus Olhos - Cap 31

Ouvi o som da companhia, abri os olhos, o céu já tinha escurecido, olhei no relógio quase nove da noite me levantei. Vanessa também havia acordado.

Estávamos descendo as escadas de mãos dadas, e encontramos minha mãe subindo-as

- Querida, eu estava indo chamar vocês, o jantar está pronto.

Quando aparecemos na mesa de jantar, encontramos meu irmão, tia Dora, irmã do meu pai e sua filha, minha prima Cecília, elas moravam aqui, e eu não as via há muito tempo também.

- Oh! Querida Clara, venha aqui – minha tia levantou-se e veio me abraçar, ela não era parecida com meu pai, ela era baixa, acima do peso, seus cabelos eram pretos, talvez a única coisa parecida, e seus olhos eram castanhos, ela geralmente usava roupas fora de moda, de décadas passadas, eu acredito que ela faça comprar somente em brechós, abracei-a com um braço, pois minha outra mão estava na mão de Vanessa.

- Tia, essa é Vanessa, minha namorada.

- Como vai Cecília? – dei um aceno para ela que estava olhando distraidamente para Vanessa.

-Sua mãe estava me contando, eu ainda tinha esperança que você namorasse com alguém daqui, eu pensei ate no meu Alex, mas essas coisas nós não podemos prever não é mesmo?

Meu irmão estava na parte de trás da sala, e começou a fazer gestos obscenos, mas dando risada, Vanessa abriu um sorriso, mas tentou para olhando para fora, quando minha mãe, surgiu Junior parou com suas graças.

- Vamos jantar sim? – meu irmão se sentou ao lado de Vanessa, eu sabia que ele iria fazer isso, e então vi que Ana estava aqui, eu tinha me esquecido que ela já tinha chegado, ela estava ajudando minha mãe a nós servir, acredito que ela tenha dado folga para sua empregada, eu sorri para Ana, e Vanessa acenou para ela.

- Como vão os negócios Clara?

- Muito bem, tudo como deveria estar.

- Imagino que você já esteja cansada daquela loucura de Miami sim? Quando pretende voltar para cá? Nada como a terra da gente não acha Rose? Minha mãe deu  um sorriso desconfortável para tia Dora, mas não respondeu. Minha tia se virou para mim e esperou uma resposta.

- Bom, não tenho planos de voltas, meus negócios estão em Nova York, e futuramente Miami então estarei bem ocupada entre esses dois lugares – enquanto isso eu podia ouvir Junior conversando e dando risada com Vanessa.

- Vocês namoram a muito tempo? – Alex havia resolvido falar, eu estava tentando comer o bolo de carne, baixei o garfo mais um vez.

- Estamos juntas há dois meses e nos conhecemos há uns cinco meses quase.

-Oh! É muito recente, imagino que nada serio então? – minha tia comentou, eu coloquei minha mão na mão de Vanessa.

- Dora, esse não é o tipo de comentário necessário, e eu acredito que seja sério, muito serio, minha Clara está muito feliz, e todo relacionamento precisa de um começo não é? – eu olhei com olhos agradecidos para minha mãe, Vanessa passou os dedos nos meus, isso era tranqüilizado.

- Sim tia, como mina mãe disse, nosso relacionamento é serio, muito mais serio talvez do que eu possa explicar a você -  ela torceu um pouco a boca, e eu consegui dar algumas garfadas. Eu estava achando muito estranho que Junior não estivesse feito da situação um momento para fazer suas costumeiras piadas. Fomos para a sala de estar, eu estava torcendo para que minha tia e Alex fossem embora, mas eles se sentaram conosco.

- E você Vanessa? O que você faz? – Vanessa estava sentada ao meu lado, estávamos ainda de mãos dadas mas ela estava rindo com alguma coisa que meu irmão havia dito, mas voltou sua atenção a pergunta da minha tia.

- Eu no momento sou acionista, eu tinha uma loja de produtos de beleza no meu pais, na verdade em um deles, eu não paro quieta, mas meu sonho sempre foi viajar e conhecer o mundo, então eu vendi minha loja, eu já era acionista antes de vender, eu comecei a fazer negócios e dinheiro com a experiência que consegui nesse tempo, vivo de ações e outras aplicações – nem eu sabia disso, eu me senti uma completa entranha com a declaração dela, se eu soubesse que ela responderia, eu já teria perguntando, mas eu sempre tive medo de afastá-la, por ela nunca querer falar muito sobre si, e agora descubro do que ela vive, eu  nunca a via falando de negócios, como será que ela fazia isso? Eu senti uma pontada de tristeza por amá-la tanto, mas não saber quase nada sobre ela,minha tia ergueu a sobrancelhas, mas eu sabia que minha tia queria chegar ao ponto de colocar Vanessa na parede provavelmente acusando-a de querer alguém rico, no caso eu, mas como ela ouviu que Vanessa não precisa de dinheiro isso deve ter feito com que ela ficasse sem argumentos ofensivos.

- De que pais estamos falando exatamente?

-Brasil.

-Hey! Eu sempre quis conhecer o Brasil – meu irmão falou se interessando na conversa, minha tia franziu a boca em desgosto, ela era muito nacionalista e sempre achou que família devera se manter em Londres, ela não aceitaria Vanessa mesmo que ela fosse de Nova York.

- Você provavelmente terá que voltar para o seu pais logo eu suponho – minha tia era realmente desagradável, mas eu também não havia pensando nisso, se Vanessa não tivesse um trabalho registrado ou não fosse casada ela não poderia residir aqui, e meu coração afundou, eu só senti essa tristeza no dia em que Vanessa foi embora.

- Ah!  Mas há maneiras dela ficar aqui, inúmeras maneiras, e tenho certeza que isso não será problema – minha mãe disse olhando para mim, tentando me acalmar, minha cara deve ter me entregado.

- Claro, isso é o de menos, e ate você pode ir para o Brasil se você quiser Clara, o que seria uma boa Idea, assim eu poderia ficar hospedado uns tempos com você por lá, e quem saber a titia também? – Junior gostava de provocar, mas agora eu não ligava, eu estava com a cabeça no visto de Vanessa, quanto tempo mais, quando que ela ia falar isso comigo? Porque eu não pensei nisso antes?

- Acredito que não, eu não gosto de praias e bichos por todos os lados – minha tia disse com voz de desdém.

- O Brasil não é uma praia, e muito menos uma selva, temos cidades litorâneas como vocês aqui, e a cidade que nasci esta entre as dez maiores e mais ricas cidades do mundo, sua falta de informação e pobre noção geográfica devem ter feito você pensar assim. -  Vanessa disse em tom educado mas ao mesmo tempo provocativo, eu deveria saber que ela não daria a mínima ou se sentiria intimidada pela língua afiada da minha tia, percebi que minha tia tinha ficado vermelha, minha mãe olhou com um pequeno sorriso nos lábios, e Junior estava fazendo sinais, como se dizendo essa sim, essa é das minhas, boa escolha Clara, eu ate ficaria feliz, mas o visto vinha sempre a minha mente.

- Eu não tenho pouca noção de geografia minha querida, eu só não tenho interesse em outros países, principalmente os de 3º mundo.

- Bom, e eu não tenho interesse em conversar com pessoas desorientadas. -  eu nunca havia visto ninguém responder assim a minha tia, e ela sempre foi assim com todos, mas sempre tentávamos ignorá-la, parecia que ela tinha comido algo estragado, Alex se manteve em silencio, só observando, ele conhecia a mãe que tinha.

- Veja Clara querida, a pessoa que você esta se envolvendo, você acha que seu pai aprovaria isso?

- A pessoa que estou me envolvendo é a melhor pessoa que eu já conheci em toda a minha vida, mas acredito que isso não seja da sua conta, e sim, meu pai aprovaria Vanessa, em todos os sentidos.

- Assim como eu aprovo- minha mãe disse, olhando muito serio para minha tia, ela nunca havia gostado muito da irmã do meu pai, ela havia tentado terminar o casamentos dos meus pais inúmeras vezes, mas minha mãe sempre foi muito paciente, e ela conhecia meu pai, sabia que ele não se influenciaria por ela, mas agora ela estava mexendo com seus filhos, eu pude ver um brilho nos olhos de minha mãe, raro de se ver.

- Ela já é da família para mim – Junior disse piscando para ela, o que fez minha tia ficar vermelha de raiva.

- Bom, eu vou indo, nos vemos amanha, boa noite. Venha Alex, vamos embora agora -  eles se levantaram, minha tia ainda foi ate minha mãe e lhe deu um beijo no rosto, ouvimos a porta fechar com certa força, Junior estava se acabando de rir.

- Me desculpem, eu sinceramente não queria essa situação, mas eu não suporto esse tipo de coisa.

- Desculpa? Se você não fosse namorada da minha irmã, eu te dava um beijo agora! Ninguém responde assim a ela, só eu tenho essa coragem – minha mãe deu um tapinha no braço do meu irmão, eu sabia como ele era,e não me senti ofendida, eu sabia o que ele queria dizer.

- Não se desculpe querida, ela é uma pessoa desagradável, sempre foi, e eu achei digno se sua parte, não se culpe, ela mereceu.

- Vocês podem me dar licença por um minuto, por favor? – levei-a em direção a cozinha, saímos pela porta dando para o jardim de traz, onde haviam bancos, sentemos em um.

- Clara, me desculpe, de verdade, mas eu não vou me desculpar com a sua tia.

- Vanessa, eu quero que minha tia exploda, ela precisava que alguém falasse umas verdades para ela alem dos meu irmão, mas eu estou aqui para falar com você sobre a sua estadia – ela mudou sua expressão e seus olhos perderam o brilho, ela estava olhando para suas mãos, com um suspiro ela começou a falar.

- Eu andei pensando nisso alguns dias atrás, acho que você notou que eu não estava muito sorridente, e esse era o motivo Clara, quando eu decidi viajar, eu tive que fazer inúmeras entrevistas, consegui o comprovante de entrada, e uma extensão de estadia de um ano – e eu senti que meu mundo estava desabando de novo.

- Há quanto tempo você está fora?

- Há cinco meses, você me conheceu uma semana depois que cheguei em Miami, eu realmente queria ter falado com você, mas acho que eu não queria pensar no assunto também. -   eu a abracei e dei um beijo em sua cabeça.

- eu sei, mas você deveria ter me falado, eu nunca namorei uma estrangeira, então ..bom então eu ano pensei sobre isso, mas Vanessa, eu não posso perder você, eu vou dar um jeito nisso, vou falar com Luis amanha, e ver o que pode ser feito nesse caso.

- Clara, na verdade, não há o que ser feito, eu tenho uma vida lá também, negócios, família.

- Você está me dizendo que … que você quer ir embora? – parecia que eu tinha levado um soco na boca do estomago.

- Não, não é isso, eu não quero ir embora, eu também não quero ficar sem você, mas eu não posso simplesmente largar tudo lá, e vir para cá.

- Você disse lá dentro que tem negócios, ações e investimentos, e bem, eu também queria falar com você sobre isso, porque eu não sabia disso? Mas você me explica depois, o que eu quero dizer é que como acionista você pode manter suas ações mesmo morando aqui.

- Eu suponho que sim.

- Claro que você pode, por favor, pense nisso, quanto mais cedo você pensar e me der uma resposta mais cedo eu posso falar com o Luis, você não precisa se mudar para cá ou Miami definitivamente, mas nós podemos conseguir para você uma nacionalidade, algo como um passe livre, sem burocracias e tempo de estadia, entendeu? – ela fez que sim com a cabeça, e parece ter pesado minhas palavras, ela estava um pouco menos tensa.

- Tudo bem, veja com Luis -  ela me disse com um sorriso sincero.

- mesmo? – ela fez que sim com a cabeça -  Eu iria fazer isso mesmo que você dissesse não Vanessa, eu não vou mais ficar sem você, entendeu? E posso saber porque eu não sabia o que você fazia? Alias Vanessa, acho que nós precisamos conversar sobre muitas coisas, eu quero te entender, te conhecer, foi duro hoje, eu me senti uma estranha uma desconhecida, me senti como se estivesse conhecendo você hoje.

- Eu sei Clara, desculpe-me, entendo o que você quer dize, mas o que você tem que entender de verdade é que ainda é duro falar sobre mim, eu tenho medo, me sinto extremamente insegura em relação a isso.

- Mas hoje você não se sentiu ou sentiu?

- Acho que fico confusa com o que contar ou não.

- Eu respeito seu limites, e você sabe disso, mas por favor tente se abrir mais -  ela fez que sim e encostou sua cabeça no meu peito -  Então quer dizer que você tem dinheiro? E por isso se irrita quando eu quero pegar as coisas?

- Na verdade eu me irrito porque eu não gosto de ser bancada por ninguém, eu acho isso.. não sei.. parece ser coisa de gente aproveitadora, e o fato de eu ter dinheiro é mais um motivo para que você não fique me pagando nada também.

- Entendo, mas Vanessa desista você tendo dinheiro ou não, eu vou continuar pagando as contas, essa é uma batalha perdida para você, não tire isso de mim, é só um gostinho, é algo a mais, algo que faz com que eu me sinta sua mulher entendeu? – ela bufou, mas sorriu em seguida – senti ela tremer um pouco.

- Vamos entrar, está muito frio aqui. Fomos para a sala de estar, onde minha família estava, minha mãe tinha feito chocolate quente par nós.

- Clara me disse que vocês se conheceram em uma tempestade em Miami.

- Mas é só o que tem em Miami – meu irmão disse, dando de ombros.

- Sim, foi isso mesmo, eu estava na chuva, e Clara ficou preocupada comigo, veio ver se eu estava bem – meu irmão bufou e deu risada.

- E você acreditou? Ela achou você bonita e foi correndo atrás arriscar a sorte – eu revirei meus olhos para ele.

- Brincadeira! Clara jamais sairia na chuva acabando com esse cabelo dela, só por causa de um rostinho bonito.

- Junior! Você é uma peça rara – Vanessa estava rindo dele, era bom o fato que ela entendia o senso de humor dele, muitas pessoas não entendiam.

- Continuando, então ela me arrastou para o hotel que ela estava hospedada, e pediu que eu me secasse um pouco, me ofereceu um chocolate quente com conhaque, e pediu que eu esperasse a chuva passar, e nesse meio tempo ficamos conversando no restaurante do hotel. Foi nesse dia que a minha vida mudou completamente.