somos nada

Todas aquelas pessoas. O que estão fazendo? O que estão pensando? Todos nós vamos morrer, que circo! Só isso deveria fazer com que amássemos uns aos outros, mas não faz. Somos aterrorizados e esmagados pelas trivialidades, somos devorados por nada.
—  Charles Bukowski.
Quiero encontrar otro camino ponerme mi vestido y salir a caminar contigo, quiero decirle al mundo que no somos amigos, decirle a la tristeza que no se cruce en mi camino
—  Manuel Medrano
Olha, eu realmente não sei mais o que somos, se somos amigos, conhecidos, colegas, ficantes, amantes, namorados, casados, ou isso tudo junto, mas talvez não somos mais nada. Eu não sei. A única coisa que eu sei é que eu gosto de você, mas não é um sentimento comum, não é um “eu te amo” ou “eu te adoro”, vai muito além disso. É um “eu gosto de você” com uma intensidade tão grande que eu não consigo escolher uma palavra pra descrever a força desse sentimento. Eu nunca fui de ficar com esse papo de sentimentos, esse estilo romance melodramático nunca foi a minha praia, você sabe disso, mas também eu nunca menti sobre o que eu sentia, sempre fui sincero, não te enganei, pois todas às vezes que eu respondia “eu não sei” é porque eu realmente não sabia, desculpa. Sinto muito. Mas, agora eu sei. Eu sei que gosto de você. E gosto de verdade. Se isso não for amor, eu não sei o que é.
—  Meus dilemas.