solta dele :((((

Deixa ele ir moça, solta a mão dele de uma vez e segue sua vida, você fez o que pôde, deu o seu melhor só pra ver ele feliz, mas agora ele não precisa mais da sua companhia, muito menos dos seus conselhos. Entenda que não vale a pena forçar ele a ficar, você só vai se machucar ainda mais. Solta a mão dele e deixa ele ir, por mais que doa você vai sentir que foi o melhor, a vida te recompensará com alguém que vale a pena, e você um dia vai ser tão feliz que nem vai mais lembrar do idiota que te fez sofrer.

Sabrina Santana

Pedido: Faz um com o Zayn em que a (S/n) fica bêbada e o provoca e rola um hot – Anônimo

*Aqui nesse link http://hot-1d-imagine.tumblr.com/pedidos vocês podem ver quais e a ordem que em os imagines vão ser postados, se o seu não estiver na lista é porque infelizmente não chegou, vou estar sempre atualizando a lista*

***

Imagine HOT Zayn

Eu tinha acabado de brigar com o Zayn, o meu namorado, o motivo foi que uma das milhares de primas dele estava se oferecendo descaradamente para ele na minha frente e o Zayn não fez nada para impedir, e depois da nossa briga ele vem dizer na minha cara que isso era coisa da minha cabeça. Por isso estou aqui, na minha casa totalmente puta da cara.

Escuto o meu celular tocar e vejo que é a minha melhor amiga Kate.

- Oi, amiga, marquei de sair hoje com um amigo quer vir junto? – Ela pergunta.

- Para onde? – Pergunto.

- Para uma balada maravilhosa que inaugurou ontem – Kate diz e eu respiro fundo.

- Eu nem estou na animação, você nem sabe que o Zayn fez… – Conto tudo para ela e Kate fica indignada.

- Mais um motivo para você vir comigo, vamos lá, mostra pra ele que você não depende de homem nenhum – Kate diz e eu dou um sorriso maligno.

- Tem razão, eu vou, ligo quando estiver pronta – Falo e desligo.

***

Depois de me arrumar, Kate chega e juntas saímos do prédio

— Agora vamos ficar bêbedas - Kate diz destravando o carro e eu dou um sorriso.

Chegando lá, nos duas entramos na área VIP, já que o namoradinho da Kate é amigo do dono e descobri que ele é um dos amigos de Zayn, fiquei meio desconfiada, mas tudo bem, eu e ela subimos umas escadas de neon e ficamos em um espaço que não tem muitas pessoas e lá de cima dá para ver todo mundo dançando, bebendo e se pegando. Tem dois brutamontes na porta de saída e de entrada local, pelo menos o lugar parece seguro.

Começamos a beber alguns drinks.

— (S/n), VAMOS DANÇAR? – Kate grita por causa da música.

— CLARO – Respondo gritando também.

Descemos as escadas e vamos para a pista de dança, começa a tocar uma música com uma batida sensual e eu começo a rebola de acordo com a batida levando alguns homens a me olhar assim como alguns olham pra Kate também. Ficamos um tempo dançando e bebendo muito, eu já estava ficando muito bêbada, até que eu sinto uma mão segurar meu quadril. Me viro e vejo um homem de cabelos extremamente loiros e olhos verdes incrivelmente lindos. Dou um sorriso para ele e retiro delicadamente a mão dele da minha cintura.

- Desculpa, tenho namorado – Digo e o homem sorri.

- É uma pena, ia adorar passar o resto da noite com você – Ele diz.

- Se eu fosse solteira, quem sabe – Digo sorrindo e dando um gole no meu drink.

- Bom, meu nome é Jackson – Ele diz se aproximando para um cumprimento, mas antes que eu possa sequer falar meu nome me vejo sendo puxada para longe da pista por um homem completamente fora de si. Fico assustada de inicio até perceber que é Zayn Malik me puxando.

— Zayn? – Pergunto meio grogue.

Ele não responde apenas me guia para fora do local. Nós saímos pelas portas dos fundos e finalmente Zayn me solta.

— O que faz aqui? – Pergunto respirando fundo para ver se para a minha tontura.

— Como assim o que eu faço aqui? Meu amigo me ligou dizendo que você estava tomando todas e estava sendo comida pelos olhares de outros homens, (S/n) você sabe que eu não me importo em deixar você se divertir mas saber que tem outros homens te cobiçando e pensando coisas imorais com você, isso me deixa louco – Zayn diz controlando o tom de voz.

- Agora pelo menos você sabe como eu me senti quando aquela nojenta da sua prima ficava dando em cima de você na minha frente, ela, com certeza, também pensava em coisas imorais com você – Digo com raiva.

- Me desculpe, eu não queria que você ficasse com raiva – Zayn diz e eu apenas cruzo os braços.

- Se me dá licença, irei voltar para a festa – Digo e saio cambaleando.

- Não, você não vai, olha seu estado, está totalmente bêbada, nós vamos para casa – Ele diz e me puxa delicadamente.

Zayn me guia em direção ao R8 que está parado naquele lugar e abre a porta para mim.

— Entre – Zayn diz e eu, derrotada, entro.

Ele dá a volta no carro e entra no lugar do motorista.

Pego o meu celular e mando uma mensagem para Kate avisando que já fui embora.

Zayn dirige calado até o apartamento dele.

Ele para o carro na garagem e logo desce e abre a porta para mim.

— Venha – Zayn ergue a mão e para me ajudar a sair do carro.

Chegando no apartamento dele, Zayn me reboca até o quarto dele.

- Você tem que tomar um banho gelado para tirar o efeito da bebida, vamos – Zayn diz.

- Não quero tomar um banho frio agora, estou cansada – Falo fazendo birra e correndo em direção a cama dele. Mas antes que eu consiga dar alguns passos, Zayn me puxa pela cintura colando meu corpo em suas costas, sinto seu peitoral. Começo a respirar com mais dificuldade. Até que ele me puxa e me coloca dentro do box e liga o chuveiro na água gelada. Assim que a água gelada toca em minha pele, parece que estão enfiando agulhas em mim, dou um grito.

- Fique calada – Zayn manda.

- Já basta me fazer tomar esse banho ainda quer que eu fiquei calada? Ah me poupe, né Zayn, eu ainda estou puta com você, agora ainda mais – Digo e cruzo os braços e viro de costas pra ele.

- Ainda está com raiva de mim? Pois eu sei muito bem como para-la – Zayn diz e entra dentro do box junto comigo, ele retira toda a minha roupa, que infelizmente molhou toda, e retira minhas peças intimas, eu encaro ele e o vejo se ajoelhar na minha frente.

- Zayn… – Falo e ele dá um sorriso malicioso.

- Irei parar a sua ira – Ele diz e no segundo seguinte sinto a língua dele tocar o meu clitóris, solto um gemido alto e minha mão vai parar nos cabelo macios dele.

Ele começa a me chupar com força e a dar leves mordidas no local. Eu solto gemidos altos e tento me segurar na parede e no box, Zayn levanta uma das minhas pernas e coloca em cima do ombro dele para facilitar o aceso a minha intimidade. Ele suga e lambe meu clitóris e em seguida enfia dois dedos em mim, solto um grito quando ele começa os movimentos de vai e vem dentro de mim.

- Zayn… eu – Tento dizer mas acabo gozando gloriosamente na boca dele.

Ele se levanta e eu noto que sua boca está um pouco brilhante por conta de seu gozo e isso me deixa mais excitada.

- Eu preciso ter você agora – Zayn diz e desliga o chuveiro e me pega no colo, ele sai do banheiro e me joga na cama dele. Zayn retira toda sua roupa molhada e fica apenas de boxer.

Me sento na cama e passo a mão pelo membro duro dele. Zayn solta um gemido.

Abaixo a sua boxer e ele sorri com isso, ele retira totalmente a boxer e a joga em algum canto e eu encaro o membro grande e totalmente duro dele.

— Agora eu vou lhe mostrar quem eu realmente desejo – Ele diz e me faz abrir as pernas e se encaixa lá, ele passa lentamente a cabeça de seu membro pela minha abertura totalmente molhada e eu gemo baixinho. Zayn está cara a cara comigo e observa todas as minhas expressões.

- Eu desejo e amo você, sempre irei te amar, nenhuma mulher no mundo irá me fazer mudar, eu só quero você – Zayn diz e me penetra devagar, e eu sinto ele me preenchendo por completo, solto um gemido baixo e mordo o lábio.

Zayn sorri lascivamente e começa a se mexer dentro de mim, dando estocadas fortes e duras, ele beija o meu pescoço e eu passo as mãos pelos braços dele. Gemo alto a cada estocada que Zayn dá e ele geme toda vez que eu me aperto em volta dele.

— Ah, você é tão apertada, (S/n), oh Deus – Ele diz com os dentes cerrados e logo depois gemendo junto comigo.

— Oh Zayn… – Solto um gemido alto quando ele entra dentro de mim com mais força.

Zayn não para de dar estocadas. Sinto aquela sensação ótima começar a vir e mordo os lábios.

— Venha, Baby, goze junto comigo, goze – Zayn diz e eu não consigo me controlar e gozo ao redor de Zayn.

Zayn também goza junto com comigo se derramando dentro de mim, sinto os jatos quentes de Zayn me preencher e isso me deixa mais saciada. Ele cai por cima de mim e eu passa as mãos carinhosamente por suas costas.

— Ainda com raiva? – Zayn pergunta e se deita ao meu lado.

Dou um sorriso.

- Não, não mais, eu te amo – Falo o beijando com carinho e Zayn me recebe e me abraça.

- Depois desse nosso sexo maravilhoso, eu acho que gostaria de deixar você mais vezes com raiva – Zayn diz e eu dou um tapa no ombro dele.

Espero que tenham gostado, se sim, deixem uma ask me contando

*Os favoritos são importantes, então se gostou deixa seu fav lindo aí ;D

Andei pensando sobre na liberdade e prisão que todos estamos a mercê. Direito de ir e vir é o parágrafo mais vicioso ao meu ver da nossa constituição, mas por algum jeito isso não se limita apenas a mudar de país, no âmbito pessoal é algo bem válido. Vivemos com um colete controlado pelo governo ou pela nossa própria índole/consciência, a liberdade é uma viagem com paradas obrigatórias. Como o seu cachorro que você leva para passear, ele está desfrutando da liberdade, mas mesmo quando não há ninguém por perto e você o solta, a coleira dele ainda o prende.  Estamos numa fluência de acordo com uma maré que uma hora irá nos colocar entre dois leitos e é nossa opção escolher qual leito iremos desfrutar. Namorar ou ser solteiro, atirar ou não atirar ou até mesmo não fazer nada, permanecer no lugar onde estamos simplesmente “ habituados ”. O problema é que a mesmice me incomoda, ser pequeno ou ficar apenas no “ básico ” é algo tão banal que me pergunto se o ser humano sabe do poder que ele tem nas mãos. Não apenas de mudar o pais com um voto, mas de melhorar a vida das pessoas com um riso sendo capaz de abandonar aquele olhar congelado diário das pessoas. Fazemos tão pouco com o muito que temos e como somos humanos me coloco nesse meio. Ser livre não é apenas um direito, é uma obrigação de você se libertar perante as coisas mais banais que te atrasa, inclusive pessoas. Veja como o tempo voa, ate ele é livre pra voar e fazer a sua hora, por que não fazer o mesmo ?
—  s-olenidade
Eles eram estilo Eduardo e Mônica
— Aprenda para de ser idiota, ai tu fala comigo. — Ela vira as costas sai andando deixando ele, ele corre até ela puxa pelo o braço, olha no olhos dela.
— Eu idiota? Olha só garota tu diz que me ama mas vive me machucando, que amor é esse?
— É meu jeito de ser, to me protegendo de me machucar, eu amo você, mas não acredita problema é teu. — Ela se solta da mão dele, e sai andando.
— Está vendo, você sempre faz isso, foge de mim como se eu fosse uma doença como se eu fosse pior coisa do mundo!!. — Neste momento ela para de andar se vira.
— Você quer sabe motivo pelo qual fujo de você? — Ela anda até ele, fica de frente pra ele, perto o bastante para beija-lo. — Por que você minha doença, eu longe de você fico maluca, isso me assusta, você me tem fácil, por isso te trato mal é meu jeito de dizer que você é tudo pra mim, mas tenho medo de você ir embora, por isso eu fujo pra vê se aprendo ficar sem ti, mas eu não consigo. — Ele sorri, ela fica irritada. — Por que está rindo acha isso engraçado?
— Sim, por que você diz que sou idiota mas quem ta sendo idiota aqui é você. — Ele segura rosto dela delicadamente. — Eu nunca vou te deixa, por que você é minha cura, sem você sou apenas um inútil.
— Você é inútil.
— Sim, complemente inútil, mas sou teu e ninguém pode me tirar de você.
— Nem suas amiguinhas? Aquelas putas que ficam dando em cima de você, um dia eu as matos. — Ele a beija. — Nunca mais tira sua boca da minha, ouviu idiota?
— Nunca. — Ele a beija de novo.
—  Juntos, lembra? (fixwe)

Pedido: Faz um do Liam em que ela é filha do Capitão América (ou de algum outro herói) e ele é filho do Loki (ou de algum outro vilão). - serial-killer-de-colheres

*Aqui nesse link http://hot-1d-imagine.tumblr.com/pedidos vocês podem ver quais e a ordem que em os imagines vão ser postados, se o seu não estiver na lista é porque infelizmente não chegou, vou estar sempre atualizando a lista*

Eu escolhi ela sendo filha do Batman e ele sendo filho do Joker (Coringa)

***

Imagine do Liam:

Mais um dia em Gotham City, eu estava me vestindo para ir ao colégio, estou terminando o ensino médio finalmente e já estou de olho na faculdade principal de Gotham, meu pai Bruce Wayne é dono da corporação Wayne Enterprises, ou seja, eu sou herdeira do império dele. Eu vivo junto com meu pai e Alfred, porque eu nunca conheci a minha mãe, ela me abandonou na frente dos portões da mansão de Bruce junto com uma carta, meu pai nunca precisou fazer exame de DNA em mim porque quando fui crescendo foi notado de maneira visível minha semelhança com o mesmo. Alfred sempre fica surpreso em como eu me pareço com meu pai, tanto fisicamente como na maneira de agir.

Eu sei que meu pai é o Batman, descobri isso quando ele chegou extremamente machucado depois de uma luta terrível com o Joker e o filho desse palhaço psicopata. Ele chegou vestido ainda com a roupa do Batman, confesso que não fiquei tão surpresa, meu pai vivia saindo durante a noite e voltava sempre com algum machucado e isso me levou a ter duvidas do que ele fazia. O que me deixava preocupada era se um dia o Joker e o filho dele matarem o meu pai, eu ficaria sem chão. O filho desse psicopata já aprontou muito em Gotham, igual o pai dele, o que sabemos que ele é conhecido por seu nome Dealer, que significa traficante, uma das coisas que ele faz pro pai dele, ninguém sabe o seu nome verdadeiro, ele tem 21 anos, e já matou metade da policia de Gotham, já entrou em luta com meu pai, fez as pessoas do Banco de Gotham de reféns por quase um dia, causou uma chacina em parque publico.

Ele tem a pele branca como papel, seu cabelo é verde apenas nas pontas, diferente do seu pai, sua boca não é tão vermelha mas é mais vermelha que o natural, seu corpo é cheio de tatuagens e ele é forte, e eu tenho medo porque Dealer sabe que o Batman vive atrás de me proteger, porque certa vez ele e o Joker atacaram minha escola e o Batman ficou louco quando o próprio Joker apontou a arma para mim, eu tinha apenas 14 anos na época e o Dealer tinha 18 anos.

Desço as escadas e chego à sala, Alfred me esperava com uma maçã na mão.

- Você está atrasada, terá que ir comendo no caminho – Ele diz e me entrega a maça.

- Desculpa, eu fiquei pensando em muitas coisas e acabei me atrasando – Digo e ele me dá um beijo na testa e eu saio correndo pelas ruas e me recuso a ir com o motorista e escuto os gritos de Alfred, ele está com raiva porque irei a pé pro colégio, mas eu preciso pensar sobre o que está acontecendo ao meu redor, preciso digerir ainda que o Batman é o meu pai.

Enquanto andava eu comia a minha maçã com calma, meu colégio é próximo da minha casa, ou melhor, mansão. Estava indo atravessar a rua quando vejo uma Lamborghini roxa vindo na minha direção em alta velocidade, eu não estava preocupada se ela ia me atropelar, eu estava preocupada com quem estava dirigindo o carro, só sei de uma coisa, eu estava muito ferrada.

O carro para a pouquíssimos centímetros de mim cantando pneus, eu respiro fundo, pelo menos não fui atropelada, a porta se abre devagar e vejo Dealer sair de dentro do carro, ele está usando um robe de couro roxo que chega até seus calcanhares e não usa blusa nenhuma o que deixa suas tatuagens amostra, ele está com uma calça preta e vejo que tem uma arma em sua cintura. Ergo meu olhar para seu rosto e vejo um sorriso imenso psicótico estampado na sua cara e seus cabelos estão penteados para trás, mas eu consigo ver o verde nas pontas. Algo que eu não posso negar é que Dealer é lindo, ele é muito bonito mas o que tem de bonito tem de louco psicopata, acho que foi a convivência com o pai e com a mãe dele, Harley Quinn.

- Olha o que temos aqui – Ele diz caminhando calmamente na minha direção com os braços abertos – A protegida do Batman – Ele agora está na minha frente, meu rosto bate em seu pescoço de tão alto que ele é, ergo meu olhar e encaro os olhos deles.

- Não sou protegida de ninguém – Digo com a voz firme e me surpreendo por isso.

- Ah não… – Dealer diz fazendo um bico e sorrindo largo depois, ele toma a maçã da minha mão mordendo um pedaço e joga fora e anda até ficar atrás de mim – Então ele não vai se importar se eu levar você comigo – Dealer diz e em seguida me dá uma coronhada na cabeça e eu caio desmaiada.

***
Quando acordo vejo que estou deitada em uma cama de casal bastante limpa, na verdade o quarto todo é muito bonito e arrumado, acho estranho pois afinal eu fui sequestrada pelo filho do Joker e estou em um lugar que não parece que estou sendo mantida em cativeiro.

Me levanto rápido e sinto minha nuca doer, maldito psicopata.

Ando até a porta e abro a mesma e vejo que tem um cara guardando a porta.

- Ei, você, volte para dentro agora, o chefe mandou eu ficar de olho em você putinha – O homem diz rude e eu o encaro com raiva.

- Foda-se você – Digo e no minuto seguinte recebo um tapa na cara, o homem me bateu.

- Oh, não acredito no que meus olhos viram – Escuto a voz rouca do Dealer – Eu vi você batendo nela? Ele bateu nela, Harry? – Ele pergunta pro segundo cara que está do lado dele.

- Sim, chefe, ele bateu na (S/n) – Harry responde.

- Sabia que eu não estava enganado – Dealer retira a arma da cintura e vejo o homem que me bateu tremer de medo ao meu lado.

- Por favor, chefe, não me mate, ela mandou eu ir me foder eu fiquei com raiva foi instintivo – Ele diz suplicando e escuto a risada psicopata do Dealer.

- Parece que minha menina tem a boca suja, eu gosto – Ele diz sorrindo largo e no segundo seguinte atira na cabeça do homem e ele cai morto ao meus pés, eu encaro o cadáver e não consigo digerir aquilo, o sangue dele se aproxima dos meus pés e eu me afasto e encaro o psicopata.

- O que você quer comigo? – Pergunto séria e ele abre um sorriso e vai se aproximando de mim e me puxa para dentro do quarto.

- Garanta que ninguém nos incomode, Harry – Ele manda e o tal de Harry assente. Dealer fecha a porta e a tranca. – O que eu quero de você? Bom, eu quero muitas coisas, Sweet, eu quero seu corpo, quero você inteira, mas também quero pegar o Batman, sabe? Eu sei que vocês tem uma ligação e espero que não seja uma ligação romântica porque eu sou bastante ciumento com as coisas que me pertencem – Ele diz próximo ao meu ouvido e eu me arrepio.

- Eca não, eu não tenho nada com o Batman, não o conheço e nunca falei com ele, e quem te disse que eu vou me entregar para você? Eu não sou sua, você nunca terá meu corpo – Falo e ele ri alto do meu lado, e anda até ficar próximo a mim.

- Sim, você vai ser minha – Ele diz e me joga na cama e sobe e fica por cima de mim – Eu venho te observando desde os seus 14 anos, (S/n), sei que é filha do Bruce Wayne, mora em uma mansão foda, conheço todos os seus amigos e sei onde eles moram, sei onde seu pai trabalha e sei também que o Alfred sai todo dia para comprar mantimentos para a casa, seria uma pena se as pessoas que você ama morressem em um trágico acidente não é mesmo? Que pena seria, mas você pode mudar tudo isso apenas parando de mentir e me falando o que você e o Batman tem juntos… – Ele diz quase colando sua boca na minha, minha respiração fica acelerada.

- Eu já falei que não conheço o Batman, nunca mais o vi desde quando o seu pai apontou a arma na minha cabeça, ele nunca fez contato comigo, Dealer – Digo o encarando com raiva.

- Ah, você falando o meu nome me deixa arrepiado, mas prefiro que me chame de Liam – Ele diz e o encaro surpresa – O que? Achou estranho alguém como eu ter um nome comum? Foi ideia da minha mãe – Liam diz – Tudo bem, entendo que não tenha nada com o Batman, mas será que você resiste a mim? Sua boca parece tão macia, me deixa com vontade de prová-la – Ele diz e no segundo seguinte está me beijando de maneira selvagem, eu solto todo o ar de meus pulmões e tento me livrar dele, mas acabo cedendo ao seu beijo e o retribuo com vigor. Passo minhas mãos pelo seu cabelo meio verde o desarrumando e arranho o couro cabeludo dele que solta um gemido na minha boca – Se você continuar assim eu irei tirar sua preciosa virgindade e acredite, eu quero muito fazer isso, quero estar dentro de você, mas agora quero testar o meu plano, quero saber se o Batman realmente se importa com você – Liam se levanta e me puxa, eu percebo a sua ereção e ele sorri malicioso pra mim – Vamos, Sweet.

Ele me puxa com força e me dá mais uma coronhada e eu apago.

Espero que tenham gostado, se sim, deixem uma ask me contando

*Os favoritos são importantes, então se gostou deixa seu fav lindo aí ;D*

Eu ficava brava porque ele nunca escreveu uma música pra mim. Adam mesmo sendo músico alegava que não era muito bom com músicas bobinhas que falam de amor:
– Se quer que eu escreva uma música para você, vai ter que me trair ou alguma coisa desse tipo – dizia ele, já sabendo muito bem que isso não aconteceria.
E agora, fico me perguntando se conseguiria sentir o toque dele. Adam solta a minha mão – a minha mão do corpo desacordado – e dá um passo à frente para me olhar. Ele está tão pertinho de mim que quase consigo sentir seu cheiro (…) Adam começa a murmurar alguma coisa. Com a voz bem baixa. Ele não para de repetir: por favor. Por favor. Por favor. Por favor. Por favor. Por favor. Por favor. Por favor. Por favor. Por favor. Por fim, ele para e olha bem para o meu rosto:
– Por favor, Mia – implora. – Não me faça escrever uma música.
— 

Se Eu Ficar -

Gayle Forman

Moça(o), eu sei que essa dor é só sua e que eu jamais saberia o que você sente, sei que cada um de nós sente numa intensidade diferente. Mas diante dessa situação quero lhe dizer para não desistir, não é fácil resistir, eu sei. Mas se apoia nos braços do Senhor, não solta dEle não, moça(o).
—  Raila Caroline

Ícaro e Kaiane estão deitados em uma cama de casal. Os travesseiros amontoados sobre a cama parecem torná-la ainda mais confortável, o cobertor sossegado em cima de seus corpos parece aquecê-los, e o colchão a qual estão deitados em cima parece tão macio que é como se estivessem dormindo em uma nuvem. Talvez fosse a presença dele que tornava esta pequena cama tão aconchegante toda sexta à noite, a aquela garota de cabelos cor de mel e os olhos verdes, ou fosse próprio da cama realmente. A questão é que, pra ela, ele estar aqui torna tudo tão agradável e cômodo.

Kaiane olha para a mão de Ícaro deitada no colchão, e apoia a sua mão em cima da dele. Ela vira o seu rosto para encará-lo, olhando profundamente nos olhos de seu amado, e sorri para ele. O brilho em seus olhos é tão nítido, como se o amor tomasse conta desse momento, como se nesse momento seus corações falassem mais alto do que qualquer outra coisa no mundo.

Ícaro abre os dedos de sua mão, e entrelaça-os sob os dedos de sua namorada, apertando-os fortemente.  

- Só quero que se sinta segura comigo.

- Eu nunca me senti tão segura com alguém, do jeito que eu me sinto quando estou com você. - Disse Kaiane, apertando mais fortemente agora a mão de Ícaro. 

O vento, lá fora, bate levemente na janela. Kaiane vira seu rosto para encará-la por um segundo, e perde-se em pensamentos. Do seu lado havia um criado-mudo aonde um relógio bate os ponteiros a cada instante demonstrando as horas, e uma foto sua e de Ícaro comemorando o dia dos namorados. Kaiane, na foto, segurava um boque de flores vermelhas, enquanto Ícaro atrás dela colocava seus braços em volta do corpo de sua amada, abraçando-a, os lábios dele colados na bochecha dela com um sorriso simpático, sorriso este que vinha do rosto de ambos. Ela sorri ao lembrar-se daquele dia, como se estivesse vivenciando-o rapidamente em sua mente agora. 

Kaiane e Ícaro se conheceram a um ano e cinco meses atrás, e nunca tiveram uma briga sequer. Ela ainda lembra-se da primeira vez que o viu em seu skate desfilando pelas ruas de sua cidade, com sua toca na cabeça, calças largas e uma camiseta do Guns N'Roses, ele era exibido naquela época, e ela agradece até hoje por ele ter sido assim, principalmente naquele dia. Enquanto Kaiane vinha cheia de livros na mão que acabara de comprar na livraria, Ícaro não tão longe dali desfilava pela rua movimentada e subia algumas vezes as pressas nos corrimões das escadas, descendo com seu skate, e rindo com os amigos. Kaiane carregava seus livros em seu colo, como se estivesse levando uma criança em seus braços, com todo cuidado e carinho. Ela havia visto uns skatistas desfilando logo a frente, e sem olhar direito, mas crente de que havia ido pro lado certo e desviado de quem quer que estivesse prestes a acertá-la, segue ainda com seus livros tapando seu rosto. Eis que é rapidamente surpreendida por Ícaro, este em seu skate, que a derruba no chão junto com seus livros.

- Você está bem?

Kaiane ainda deitada no chão coloca a mão em sua testa e a desliza até a sua cabeça, fecha os olhos ainda com uma de suas mãos apoiada na cabeça, e faz careta demonstrando a dor que estava sentindo no momento. As pessoas ao redor pareciam estar tão ocupadas que nem pareceram ligar para o que acontecera, e seguiam sem olhar pra trás.

Ícaro oferece a sua mão a Kaiane, para que esta se apoiasse nele pra levantar-se. Ele toca a mão dela e a pressiona em sua roupa, para que ela segure-se bem nele enquanto ele juntava os livros do chão.

- Vou leva-la até o hospital agora. Segura-se em mim, e não solte.

Kaiane apenas balança a cabeça afirmando que fará o que Ícaro dissera a ela. 

Após caminharem um pouco, eles entram a um hospital. Ícaro era quem falava, e parecia estressado demais para que a atendesse o quanto antes. Após a enfermeira dizer a ele pela quinta vez para que aguardasse, ele senta-se ao lado de Kaiane, e coloca sua mão suavemente na cintura dela. Ela apoia a sua cabeça no ombro dele. Ele coloca sua mão agora mais próximo do corpo dela, e a abraça, dando um beijo na testa.

- Tudo ficará bem. Eu estou aqui com você. 

Após uns minutos, ela é examinada e medicada. E Ícaro a vê novamente, agora ela também o vê da mesma maneira que ele. Ela agradece-o com um abraço pela preocupação, e insinuasse para pegar os seus livros. Ele nega, e insinua que irá levá-la para casa, só assim sentirá que ela estará totalmente segura. Ela concorda. E depois de meia hora de caminhada, ela despede-se dele no portão e pega os livros de volta.

- Em que está pensando?

Ícaro balança a mão de sua namorada, esta que ainda estava em cima da sua. 

- Na primeira vez que nos conhecemos.

Ele solta uma risada, como se achasse graça do incidente. Mas Kaiane já o conhece o bastante para saber que ele só estava rindo por lembrar-se da sorte que teve aquele dia, o dia que ela entrou pra valer em sua vida, e o marcou tão rapidamente.

- Em que parte especificamente? - Ele vira a cabeça ao olhar para ela.

- Na do hospital. Nas palavras que você me disse. – Ela olhava para o teto, tentando lembrar-se das palavras.

- Só espero que eu tenha dito algo bacana a você. Eu não era muito gentil naquela época.

Ele sorri e olha para ela fixamente. Kaiane olha para ele, e ri.

- Para ser sincera, você era um exibido.

- Exibido? Tá, eu mereço isso. Mas deixei todo esse meu lado para cuidar de você aquele dia.

Ela sorri agora para ele, feliz por ele ainda lembrar. E aperta fortemente a mão dele.

Ícaro solta a mão dela e estende seus braços até a cabeça dela, que estava apoiada no travesseiro, e insinua para que ela deite em seu ombro e adormeça. Kaiane aproxima-se de lado, coloca sua cabeça apoiada no peito de seu amado, e coloca seu braço apoiado na barriga dele. Ícaro mexe nos cabelos de Kaiane, enquanto a vê fechando os olhos lentamente. E sussurra para ela, as cinco palavras que mais a dão segurança – Eu estou aqui com você. E move a sua cabeça, dando um beijo na testa dela.

Daiane Ribeiro (Sonhos Desperdiçados)