socorro

Não sei o que é pior, se é sangrar, se é sentir cólica ou se é ficar irritada por um motivo desconhecido. Sabe? Se ele não me responde, me irrito, se ele responde rápido, me irrito. Se ele é fofo, me irrito, se ele é ignorante, me irrito. Nada tá bom. Preciso de um psicólogo.
Me diz que isso é só um pesadelo. Me diga que quando eu acordar, vou te ver do meu lado. Me diga que ainda vamos morar em uma fazenda. Por favor, venha até aqui e me fale que a nossa futura filha vai se parecer comigo. Me acorde desse pesadelo e diz que iremos viver um sonho juntos.
—  Amparas.
Eu fechei meus olhos com tanta força, que chegou a doer. Respirei bem fundo e soltei o ar lentamente. E a cada lagrima que escorria pelo meu rosto, era um desejo de paz, uma suplicação em cada gota. Uma menina implorando para os problemas e o medo sumirem. Uma angustia de me ver sem saída e sem esperança de continuar. Era meu corpo dizendo que cheguei ao meu limite.
—  Alguém me ajude? Bia Maria.