socam

Certas madrugadas destroçam.
Te queimam a alma, comprimem o pulmão, socam o estômago, brincam de comprimir e soltar com a mão na tua garganta. Não há fármacos, música ou choro que desate o nó que se deu. Não há.

Dói pensar que eu sou como um degrau para as pessoas, uma forma delas se sentirem melhor. Ignoram minhas lágrimas, tapam os ouvidos para os meus soluços e socam meu coração com toques suaves.
—  Vomitei Borboletas Mortas.