sobrevivem

Esse preceito significa que deveríamos ser lembrados pelas coisas que fazemos. Elas importam mais do que tudo. Mais do que aquilo que dizemos ou do que nossa aparência. As coisas que fazemos sobrevivem a nós. São como monumentos que as pessoas erguem em honra dos heróis depois que eles morrem. Como as pirâmides que os egípcios construíam para homenagear os faraós. Só que, em vez de pedra, são feitas das lembranças que as pessoas têm de você. Por isso nossos feitos são nossos monumentos. Construídos com memórias em vez de pedra.
— 

Extraordinário – R. J. Palacio

Deveríamos ser lembrados pelas coisas que fazemos. Elas importam mais do que tudo. Mais do que aquilo que dizemos ou do que nossa aparência. As coisas que fazemos sobrevivem a nós. São como os monumentos que as pessoas erguem em honra dos heróis depois que eles morrem. Como as pirâmides que os egípcios construíam para homenagear os faraós. Só que, em vez de pedra, são feitas das lembranças que as pessoas têm de você. Por isso nossos feitos são nossos monumentos. Construídos com memórias em vez de pedra.
—  Extraordinário.
E ali dentro, cada um vive sua própria vida. Ela foi dormir chorando à noite passada. Aquele lá, o da esquerda, já olhou para baixo e quase sucumbiu à força dos sentimentos contidos dentro de si. Aquela menina ali, já sentou na sacada e se perguntou por andava seu pai. Aquele bebê, ainda não sabe nem o que é uma janela. Mas ali dentro, todos sobrevivem as suas vidas. E chega até ser engraçado, saber que existe milhares de pessoas por aí e algumas vezes só uma parede de concreto separa a nossa dor. O endereço não é o mesmo, mas a gente sabe que é igual de alguma forma. Porém, mesmo assim a gente se esconde e finge um faz de conta. Ah, ele é negro, eu sou gordo, ela é metida, aquele é melhor. Aonde foi parar os espelhos que víamos quando os outros também eram humanos?
—  Amanda Alfaro.
Se você estiver sentindo-se mal perante qualquer coisa, saiba que não é o único. Óbvio que reconhecer isto não é o melhor remédio, mas é bom ter a noção de que, se os outros sobrevivem, por que você não conseguiria? A grande verdade é que o achismos em relação à ideia de estar sem forças não significa realmente estar, pois saiba: você ainda se surpreenderá muito com o pouco que tem.
—  Júnior Souza.
Deveríamos ser lembrados pelas coisas que fazemos. Elas importam mais do que tudo. Mais do que aquilo que dizemos ou do que nossa aparência. As coisas que fazemos sobrevivem a nós. São como os monumentos que as pessoas erguem em honra dos heróis depois que eles morrem. Como as pirâmides que os egípcios construíam para homenagear os faraós. Só que, em vez de pedra, são feitas das lembranças que as pessoas têm de você. Por isso nossos feitos são nossos monumentos. Construídos com memórias em vez de pedras.
—  Extraordinário
Seus feitos são seus monumentos.

Esse preceito significa que deveríamos ser lembrados pelas coisas que fazemos. Elas importam mais do que tudo. Mais do que aquilo que dizemos ou do que nossa aparência. As coisas que fazemos sobrevivem a nós. São como os monumentos que as pessoas erguem em honra dos heróis depois que eles morrem. Como as pirâmides que os egípcios construíam para homenagear os faraós. Só que, em vez de pedra, são feitas das lembranças que as pessoas têm de você. Por isso nossos feitos são nossos monumentos. Construídos com memórias em vez de pedra.

É que, bem, eu não caibo em mim. Até tento me prender um pouco, segurar meus prantos e sorrisos do tamanho do mundo, mas não caibo. As minhas pequenas mãos não suportam o peso dos meus sonhos. Os meus ombros retraídos não aguentam tantas perguntas que, sem sucesso, tento responder. Eu sinto muito. E sinto muito por sentir tanto assim. Porque toda e qualquer situação me atinge em cheio na boca do estômago e eu não tenho como fugir. Porque a saudade me esmaga todos os dias e a vontade de fugir dessa rotina me comove e engasga. Eu quero muito. E sinto muito por isso. Porque o querer não move as portas sozinho. E não cabe tanta força em mim. É que eu sou inteira feita de sonhos, desejos e coisa que vi e senti. E não tenho tempo para todas elas. Eu sinto muito. E não posso sentir. Porque a vida pede razão e eu devolvo a ela toda a minha alma de flor. Mas flores não sobrevivem no asfalto. Se alguém for, eu murcho. Se o vento bater, eu quebro. Se me admirarem, vibro. Se me arrancarem, morro. Morro, porém não mudo. É que eu não caibo em mim. Mas não me importo se eu transbordar.
—  rio-doce
Hoje de manhã quase pisei em uma borboleta com a asa quebrada. Ela estava bem no centro da passagem. Mais tarde pareceu-me um sinal, como se ela quisesse que eu a enxergasse, como se fosse para ser. Agachei instintivamente para pegá-la do chão e coloquei no galho de uma árvore. Parecerá loucura, mas senti que ela estava agradecida por isso. Digo, por não ter sido esmagada por alguém. Parecia que ela queria muito sobreviver. Meu primeiro pensamento foi: ‘’A vida é tão cruel que nem os bichos escapam!’’. Mas minutos depois, me dei conta de que eu só pensava o quão cruel a vida era porque eu possuo o dom da razão, mas que de uma forma aterrorizante, é apenas o ciclo natural da vida para aquele inseto. Afinal, por que estou tão impressionada com a seleção natural? Aprendi isso nas aulas de biologia e por tantos anos achei que compreendia. A vida está sempre selecionando, eu sei. No entanto, isso também é valido para nós. É tão óbvio, mas sinto que descobri o Brasil! É horripilante me dar conta de que realmente os mais fortes e bem adaptados sobrevivem e a morte envolve os mais fracos. Ora, afinal, para quê serve uma borboleta quando ela não pode voar? Sua asa não irá consertar, não importa o quanto o bicho queira viver. Não importa o quanto eu queira que vivesse. Se eu pudesse, eu consertaria sua asa para que ela continuasse vivendo sua vida, mas não sou Deus e tudo possui um percurso natural e eu jamais poderia interferir. No entanto, me questiono, se a borboleta pudesse falar, será que ela pediria para que eu a matasse de uma vez por todas ao invés de viver seus últimos momentos presa na realidade de sua invalidez? É mórbido perceber que isso se encaixa em aspectos da vida. Não podemos impedir a morte de um ente querido, não importa o quanto queiramos, não importa o quanto a pessoa afetada quisesse viver por x anos. Não podemos arrancar a dor crônica da alma de alguém, só porque não queremos vê-la sofrer. Não podemos consertar alguém que é diagnosticado com câncer terminal, não importa o quanto queiramos, não importa o quanto a pessoa queira. Se nem ao menos podemos controlar nossas células de se multiplicarem quem dirá o ciclo natural da vida? Portanto, não posso me curar desse transtorno, não importa o quanto eu queira, não importa o quanto as pessoas queiram. E então me vejo com apenas duas escolhas: Posso acabar com o sofrimento de uma vez por todas ou viver minha realidade. Parece-me que a vida está tentando me descartar a todo custo e eu continuo lutando contra a correnteza. Até o momento que eu cansarei e simplesmente aceitarei as coisas como elas são. E a borboleta continua aqui com sua asa quebrada, bem de baixo do meu nariz. E ela parece tão frágil! E agora, mesmo indefesa, não podendo voar, ela causou um efeito em mim. Fez-me enxergar que eu não posso impedir a vida de se manifestar, mas eu posso lutar.
—  95259 em ‘’Possíveis conclusões sobre o Efeito Borboleta às 4:00 da manhã’’
Não importa: a saudade arde. Mas serve para nos mostrar como o outro é importante. Serve para mostrar como pequenas coisas fazem falta. A saudade faz a gente prestar mais atenção no outro. E, principalmente, a saudade mostra o que é de verdade. Porque só os amores guerreiros sobrevivem ao tempo e à distância.
—  Clarissa Corrêa

eu descobri que eu existo sem tu, m.

que mesmo depois de pancadas e murros e sufoco

eu tô aqui

para mostrar que eu faço a diferença para mim mesmo e que eu moldo o mundo com a minha presença.

não te uso mais como referências e a vida se tornou mais harmoniosa com a tua partida.

coisas desmoronam e se constroem sem você ao meu lado. e que bom.

que bom que nossos corpos sobrevivem sem a alimentação e sucção de energia mútua que aconteciam durante anos.

uma revolução está ocorrendo aqui e espero que aí também esteja.

eu te amo, m. mas não hoje. não mais.

m.

Amar de longe não é fácil. É complicado não acordar com aquele cheiro, aquele calor do corpo, aquele abraço. É doloroso não ter aquela voz no ouvido, aquele colo, aquela risada boa e boba. Pode ser logo ali, naquela cidade que fica a quarenta e cinco minutos de avião. Pode ser lá longe, em outro país. Pode ser em outro estado. Pode ser do outro lado do oceano. Não importa: a saudade arde. Mas serve para nos mostrar como o outro é importante. Serve para mostrar como pequenas coisas fazem falta. A saudade faz a gente prestar mais atenção no outro. E, principalmente, a saudade mostra o que é de verdade. Porque só os amores guerreiros sobrevivem ao tempo e à distância.
—  Clarissa Corrêa.
Eu não sei o que faria sem você. Suas palavras são como sussurros, sobrevivem. E contanto que você esteja comigo hoje à noite, eu estou bem.
—  Nightingale - Demi Lovato.
Vem, deixa eu te mostrar o meu mundo florido, pode ser que você não goste do colorido, só que é só o que eu tenho a oferecer no momento.
Vem, segura a minha mão que eu te levo até o paraíso. Vamos sentar juntos, olhar o mar e tomar uma água de coco, conversar um pouco sobre essa vida que só pelos loucos sobrevivem e eu quero essa loucura pra gente, porque eu sei que nesse mundo sobreviver à dois é muito melhor, então vem, senta aqui do meu lado vamos conversar, ver o mar, sorrir e se amar.
—  Once was written&Florejus
ah meu bem, mas a vida é exatamente isso de “quero-que-dê-certo-mas-não-dá”, não adianta planejar, o inevitável acontece, as coisas simplesmente seguem seu próprio percurso independente do que a gente deseja, e o mundo? ah, o mundo é de quem tem estômago para montanha-russa, cheia de altos e baixos, que é a vida, é para os corajosos — e não me refiro aos que arriscam a vida enfrentando o perigo iminente apenas por (alto) vangloriação e chamam isso de coragem, isso não é coragem — digo os que têm um buraco dentro de si (que nem eles mesmos sabem exatamente aonde é) tão profundo, tão escuro, tão cheio — e paradoxalmente vazio — que os leva ao extremo do precipício quase a cair e mesmo assim levantam da cama e seguem para mais um dia incerto que pode levá-los para dentro do abismo, esses, que enfrentam a luta interna diária, agressiva e que muitas vezes deixa marcas, e ainda têm fôlego para enfrentar a luta externa e voltar para casa sabendo que no dia seguinte poderá ser a mesma coisa, esses são os corajosos, merecedores do mundo e que honram a vida, esses que vivem diariamente com a morte batendo na porta (da mente e da casa), e ainda assim sobrevivem esperando o viver, esses que apesar de inúmeros motivos para desistir persistem, é desses o mundo, a vida, e o respeito
—  só queria que eles soubessem.
É fácil dizer que devemos seguir em frente quando não são os outros que sobrevivem dia após dia com uma terrível dor, sendo ela pelo motivo que for. É fácil falar, banalizar algo que não se sente, difícil mesmo é saber exatamente como que o outro está se sentindo, tentando aproveitar-se dos mínimos momentos para achar pelo menos um motivo para sorrir.
—  Júnior Souza.
Darwin tinha razão!

Você já parou para reparar na quantidade de cobranças diárias que existem sobre seus ombros ? Pior, já percebeu que aqueles que cobram tanto de você, muitas vezes também não alcançaram o que imaginavam ?

Talvez você tenha completado seus 15 anos, arredondado na casa dos 20 ou até mesmo ultrapassado tais números e já tenha fios grisalhos brotando timidamente aos poucos. Quem se importa?

Todos os dias levantamos no piloto automático, já desgastados com a rotina maçante e idealizando que o dia chegue ao fim, só para simplesmente colocar a cabeça no travesseiro e lamentar a vida miserável que teve até aqui. Você vem reclamando de mais, agradecendo de menos e fazendo pouco para mudar tal cenário.

Você passou na faculdade?

Conseguiu o(a) namorando (a) dos sonhos ?

Está ganhando bem?

Comprou um apartamento e um carro bacana ?

Está conseguindo fazer uma viagem ao ano?

Bom, acho que as respostas são: NÃO. Mas e daí? Quem está aqui para julgar ?

Você não é fracassado. Não ter alcançado nada disso não te torna melhor ou pior que ninguém; aliás, te torna humano. A vida simplesmente colocou alguns empecilhos no caminho- isso não significa que você não pode conquistar tudo que sempre sonhou.

Somos um grão de areia diante de todo esse mar chamado vida. Não é porque as coisas não saíram como o planejado que todo o resto dará errado. Veja, até mesmo a lei de Murphy pode ser reversível, não é porque uma coisa tende a dar errado que ela permanecerá assim eternamente. Basta que você acredite, que você tenha a capacidade de olhar para o espelho e gostar do que vê, aceitar que suas falhas e derrotas são necessárias para o tornar um ser ainda maior e mais forte. Você tentou, e isso importa, que se dane a opinião alheia

É aquele lance da seleção natural, só os mais fortes sobrevivem. Logo, seja mais bem adaptado as situações corriqueiras e tenho certeza que vai tirar de letra todo o resto.

Depois da tempestade sempre vem o arco-íris, isso sim é uma verdade incontestável a ser seguida.

O que é seu está guardado e ninguém tira, pode demorar para acontecer, mas vai acontecer. Acredite em você.

-EuGirassol


Originally posted by d-m-trip

O que sei?

Sei poucas coisas sei que ler
é uma coreografia
que concentrar-se é distrair-se
sei que primeiro se ama um nome sei
que o que se ama no amor é o nome do amor
sei poucas coisas esqueço rápido as coisas
que sei sei que esquecer é musical
sei que o que aprendi do mar não foi o mar
que só a morte ensina o que ela ensina
sei que é um mundo de medo de vizinhança
de sono de animais de medo
sei que as forças do convívio sobrevivem no tempo
apagando-se porém
sei que a desistência resiste
que esperar é violento
sei que a intimidade é o nome que se dá
a uma infinita distância
sei poucas coisas

Ana Martins Marques, em “O livro das dessemelhanças”. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

🌸Status para Amigas!!👭🌸

A amizade é um laço que tempo não destrói e a distância não desata!🎁🎀

Se para ter sua amizade é presciso lutar….tchau , estou indo a guerra!💪👊

O verdadeiro amigo é aquele que chega qnd todos se vão….❤

Ter um amigo(a) é saber que tem uma pessoa que podemos contar nas horas difíceis!👭

Fique velha , fique caduca mas nunca esqueça da sua amiga maluca!!😂😉💋

Corta se a raiz da flor 🌸
Corta se a raiz da árvore 🌳
Mas não há Machado que corte a raiz da nossa amizade!!❤👭🎀🙈

Os verdadeiros amigos são aqueles que sobrevivem ao tempo!!👊

Amiga vc é que me faz feliz mesmo qnd a vida me faz triste…😊😘

A verdadeira amizade não pode ser encontrada ela é uma cortesia de Deus e sempre aparece na hora certa!👌💙

A Amizade é igual saudade nunca nos damos conta do seu verdadeiro valor até que perdemos!😢

Espero de gostem!!❤💋