sobrescrever1

Se você quer isso então vá, sorrindo ou chorando, mas tente. Antes que você diga que foi tarde demais, e que bata aquele arrependimento. E se tiver algo a perder talvez isso seja necessário, quem tem medo de perder algo acaba perdendo tudo, e assim vai aos poucos deprimindo, achando que nunca é capaz, que a montanha a ser escalada é sempre metros e metros a mais do que realmente é.
—  João André, Sobrescrever.
E tudo que eu queria agora era só sair correndo por ai, sem rumo, pegar essa estrada, à pé, que seja, quero ir pra longe, longe de todos esses problemas, quero ir pra onde haja conforto, quero ser bem mais que um idiota que finge mal saber o que se passa ao seu redor. Essa rotina está me matando, é muita pressão, me sinto só as vezes. Chorei, chorei muito hoje, como nunca mais havia chorado, feito a criança que um dia fui, mas são outros motivos, não é mais um tropeço que me fez ralar o joelho, nem o medo de levar uma surra da mãe. Eu cresci, meus problemas cresceram também, só que continuo uma criança, quero me isolar no meu canto, dormir e sonhar com tudo melhor, mas não, não é bem assim que as coisas são, é um mundo selvagem – que clichê isso – que não admite atrasos, muito menos irresponsabilidades, que faz você rir por uns cinco minutos e depois se lamentar pelo resto do dia pelas coisas que poderia ter feito, pelos trinta minutos que você poderia ter acordado mais cedo e visto o quão belo é o nascer do sol, pelas palavras de amor que não foram ditas, pelas críticas contidas, pelo ódio que você tem daquela pessoa, por tudo. Lamentamo-nos por tudo, ou melhor, por tão pouca coisa. Deveríamos admitir logo: não é e nunca foi fácil pra ninguém; mas é bem mais simples e prático ficar ali, naquela cama, esperando a lembrança de qualquer compromisso inadiável pra poder levantar-se.
—  Clichê demais pra ser eu, João André.