sh: e

Entreolhos Quadrúpede

o amor
bateu na porta e entrou
olhando de soslaio
querendo um troco qualquer
um cigarro, um peito morno à meia luz
num horizonte vasto ao entardecer.

o amor
deitou na cama e sussurrou
as mais doces e belas sandices
na pele escreveu com seus beijos
sem saber que o eterno acaba
querendo morrer junto com a noite e as estrelas.

o amor
apagou a luz deixando os olhos entreabertos
e as mãos se despedindo e sussurrando
num gozo indecente e maduro
sobre a língua sorridente e faminta
na infinitude da pele quente

o amor
dormiu voando alto e sorrindo
misturou-se à escuridão do quarto
plainando no fim pela janela
virou a fumaça de cigarro
virou estrelas na imensidão.

Elisa Bartlett

  • Lui: Tu credi nel per sempre?
  • Io: No, credo che sia una cosa stupida. Credo nei giorni infiniti, che un giorno smetteranno di esserci. Solo che non sappiamo quando e non possiamo calcolarlo. Così..ti va di vivere con me i miei giorni infiniti?
  • Lui: Vivremo insieme i nostri giorni infiniti