seteminutosnoparaiso

É totalmente comprovado que tudo o que é perigoso é “mais gostoso”. O proibido nos atrai. Quando dizem “Não faça isso”, você faz. “Não diga isso”, você diz. “Não pode fumar aqui”, você fuma. “Não ouça o que ele diz”, você ouve. “Não grite”, você grita. “Não vá para lá”, você vai. “Não se apaixone por ele(a), não vale a pena”, e você se apaixona. (seteminutosnoparaiso)

Uma coisa que eu deveria fazer? Namorar comigo mesma. Ficar comigo mesma. Me beijar, me amar, me dar atenção, me dar carinho. Comprar chocolates para eu mesma quando estiver de TPM, deitar no meu próprio ombro quando eu quiser chorar e assistir um filme romântico, e até mesmo mandar flores para eu mesma no dia dos namorados. Eu me faria cócegas, discutiria sobre a melhor pizza para pegar ou até mesmo teria uma DR comigo mesma. E eu nunca, nunca ficaria sozinha. Nem me abandonaria. (seteminutosnoparaiso)

É aquele negócio: viver com medo. Não medo de escuro, não medo do bicho-papão, não medo do monstro do armário. É aquele medo que controla a sua vida. A minha vida. Quero fazer algo, mas tenho medo das consequências. Quero poder dizer a verdade, mas tenho medo da reação. Quero poder fazer tudo o que sempre quis fazer, mas tenho medo do que possa acontecer depois. Quero poder ir para um lugar especial e poder encontrar uma pessoa especial, mas tenho medo do que pode acontecer quando eu voltar, ou quem sabe, não voltar.Quero poder dizer tudo o que sinto por você, meu amor, mas tenho medo de ouvir a resposta. (seteminutosnoparaiso)

Ei, vem cá, me responde uma coisa: o que acha de ficarmos juntos pelo resto de nossas vidas? Não precisamos necessariamente casar, mas sim, apenas ficarmos juntos. Você me tem, eu te tenho, nós nos temos e tudo está bem. Não precisamos de mais nada nem ninguém, apenas tendo um ao outro já vai ser o suficiente. E aí, me diz, o que é que você acha? (seteminutosnoparaiso)

Garota, o que é isso? Que diabos você está fazendo? Quantos anos você tem, quinze, dezesseis? Céus. Pare com isso já. Levanta dessa droga de cama e vá lavar o seu rosto. Chega de chorar; há tanta gente no mundo com a vida mil vezes mais fodida com a sua e está seguindo em frente, enquanto você fica aí se martirizando por causa de um coração partido. Vamos, levante, saia dessa fossa. Se tiver que beber dez garrafas de tequila, beba. Mas enfrente tudo isso. Levante a cabeça, siga em frente, dê a sua cara à tapa. Supere. Enquanto você está aí, a outra pessoa está pouco se fodendo para você. Se não foi, é porque não era para ser e ponto final. Há muita gente melhor no mundo, tanta gente que combina perfeitamente com você. Pode demorar, mas a pessoa certa vai te encontrar. Porque, no fundo, não é você que está procurando alguém; e sim, é alguém que está procurando por você. (seteminutosnoparaiso)

  • — Eu costumava gostar de você.
  • — Desde quando?
  • — Sempre.
  • [...]
  • — Como aconteceu?
  • — O quê?
  • — Isso. De você gostar de mim.
  • — Não sei. Simplesmente aconteceu. Tem coisas que não dá de explicar.
  • [...]
  • — Quando foi a primeira vez que você me viu?
  • — Há uns seis anos. Eu estava no carro, esperando meus pais. Aí vi você passar. Andando de bicicleta, com os joelhos ralados e os olhos estreitos. Concentrado até demais para uma criança de doze anos. Quando vi você passar, eu pensei “nossa... que bonitinho. Imagina se ele volta...”, porque você já tinha ido. E no mesmo momento, você voltou. E eu olhei para o seu rosto. (pausa) Sabia que eu nunca vi olhos tão azuis como os seus?
  • — ... Não.
  • — Pois é.
  • (Silêncio)
  • — Quando minha mãe falava que ia para tal lugar, onde ficava exatamente do lado da sua casa, eu ficava doida para ir, pensando que ia ver você de novo. Foram raras as vezes que realmente vi você de novo. Depois de um tempo, passou a ser frequente; eu via você voltando do colégio, ou indo para qualquer outro lugar. De pé ou com aquela sua bicicleta, que mais tarde foi substituída por uma maior. E você estava sempre do mesmo jeito; concentrado, de olhos estreitos, os cabelos louros bagunçados e os olhos azuis brilhando. Sempre assim. Sempre lindo. Mas você nunca me viu... acho que nem sabia da minha existência, para falar a verdade. E ninguém daria bola para uma garota de cabelos tão cacheados e armados que pareciam vassouras.
  • (Silêncio)
  • — E olha, eu sempre quis saber o seu nome. E um dia descobri. Sempre fui de ficar fuçando todos os lugares possíveis, atrás de algumas coisas. E você foi uma dessas “coisas” em que fui atrás. Encontrei você em uma das redes sociais que participo. Tive certeza que era você, porque encontrei seus olhos nas fotos e reconheci imediatamente. Eles são lindos, além do mais. Meu coração acelerou quando vi você, quando soube seu nome de verdade... Para mim você sempre foi M... Sempre imaginei que seu nome fosse M, na realidade. Você tem cara de M. Mas quando descobri que era L, não me importei — combina com você do mesmo modo. E eu sei, estou tagarelando...
  • — Está mesmo.
  • (Sorriso)
  • — Desculpe.
  • (Silêncio)
  • — Eu tenho namorada.
  • — Eu sei.
  • — Então por que está dizendo isso? Espera que eu termine com ela para ficar com você?
  • — Não. Só precisava dizer isso tudo de uma vez. Dizer que queria ter conhecido você antes. Ter criado coragem para falar com você, mesmo que fosse apenas para ter amizade. Porque eu sempre achei você muito especial. Sempre quis conhecer você. Ser sua amiga. Falar algumas besteiras. Invejei todas aquelas pessoas que são próximas de você, que estão nas fotos com você, podendo estar do seu lado e rir das suas piadas. Quem sabe até te abraçar e bater fotos com a sua câmera e ter que esperar a sua boa vontade de me mandar.
  • — Por que está...?
  • — Falando isso. Eu sei. É loucura. Mas eu simplesmente preciso que você saiba. É algo que estava preso na minha garganta. Queria ao menos ter a certeza de que você sabe quem eu sou, meu nome, o que eu sentia. Não pretendo ficar totalmente marcada na sua memória. E meus sentimentos. Não sei como eles se transformaram sem eu ao menos conhecer você direito. Mas é isso. Apenas quero que você saiba quem eu sou. Agora. Apenas isso.
  • — E quem você é?
  • — A garota que costumava gostar de você.
  • — E essa garota não gosta mais?
  • — Não. Ela parou de gostar.
  • — E agora ela odeia?
  • — Não. Agora ela ama.
  • (seteminutosnoparaiso)

“Meu amor, você não entrou na minha vida pra nada. Você entrou nela para que eu pagasse por todos os meus pecados, por todos os erros e deslizes que cometi até hoje; porque não é possível que eu ame tão louca e intensamente uma pessoa, esse sentimento não ser nem um pouco correspondido e não ter nenhuma razão para isso que não seja quebrar meu coração como fiz com outras pessoas.” (seteminutosnoparaiso)