sentimentosind2

Antes de terminar tudo, eu queria esclarecer algumas coisas. Acabou, chega. Chega de se fingir de cega e muda quando a minha vontade é de gritar bem alto o quanto você é estúpido. Que outra garota trocaria uma balada pra ficar com você? Que outra garota, além de mim, faria o possível e impossível pra ficar do seu lado pelo simples fato de gostar da tua companhia? Que outra garota perdoaria todas suas idiotices? Nenhuma. Eu duvido que você ache alguém como eu por aí. Porque eu me fazia de idiota. Idiota, cega, surda, muda. Eu me fiz de boba esse tempo todo só para não ter que te deixar ir. Porque te deixar ir era o mesmo que ver a melhor coisa do mundo ir embora. Eu tentei te fazer feliz, tentei fazer nós dois darmos certo, mas cansei de tentar sozinha, entende? Não ia funcionar. Não com você sendo meu só quando estava comigo e de todas as outras o tempo todo. Acontece que querendo te fazer bem, eu tava me fazendo mal. Eu nunca me declarei pra você, mas não é como se você não soubesse que de todos os outros, eu escolheria você. Mas, você me escolheria? É por isso que agora te deixo livre pra ser oficialmente de todas as outras o tempo todo. Tô caindo fora.
—  Bianca D.
Você é todo errado. Eu tô aqui, sabe? Aqui tentando fazer esse nosso romance-vai-e-vem dar certo de algum maneira. Tô aqui ajeitando essa bagunça só pra você vir e bagunçar novamente. E esse é meu erro, cara. É fazer tudo pensando em como vai ser quando você reaparecer. Eu vou pra longe, já com a esperança de que você me pegue pra ti novamente. E você sempre pega. De alguma maneira você me acostumou mal. E lá vem minhas amigas dizendo que “você não presta e a gente nunca daria certo mesmo”, e lá vai você dizendo para seus amigos que “a gente não dá certo mesmo, então vamos pro bar beber”. Eu sei que é difícil recordar quem éramos e mais difícil ainda imaginar quem somos, mas, não tá na cara que tudo era melhor quando éramos nós dois juntos? E mesmo que seja tarde demais pra tentar, nunca é tarde demais para conseguir. E sim, você é errado demais pra mim. Errado no jeito de pensar e agir, errado no jeito de falar e andar, errado até mesmo no teu jeito de gostar. E apesar de tudo, ou talvez por tudo, você é o errado mais certo pra mim.
—  Bianca D. 
Foi só uma recaída, eu nem gosto de você. Não gosto de você quando me liga as três da manhã com essa sua voz rouca dizendo que me quer, ou quando tu me manda mensagens só pra mostrar que estava pensando em mim. Não gosto, eu juro que não gosto. Não gosto de você porque você tem que reafirmar de cinco e cinco minutos o quanto você está feliz sem mim, e mesmo dizendo até para o carteiro que isso não me afeta nem um pouquinho, só eu sei o quanto isso me mata por dentro e me faz pensar que eu não passei de mais uma de suas conquistas. E é por isso que eu não gosto de você. Porque você contraria todos minhas vontades e desejos, você mata toda esperança de que algum dia a gente fosse da certo. Não gosto de você, mas não chega perto, não me manda mensagem, não me liga. Bagunçar o que está arrumado é fácil, mas não pense que é fácil arrumar toda a bagunça que tu faz quando vem. É massacrante olhar para o lado e perceber que você não tá mais ali, e de novo, eu me vejo limpando a sujeira que você fez. Então não me culpe quando não atendo suas ligações. Eu odeio você quando algum amigo pergunta se sinto sua falta, ou se ainda estamos juntos e saio gritando para todo mundo ouvir que não sinto tua falta, nem um pouquinho, como se isso fosse fazer eu parar de sentir. Eu não gosto de você porque todo esse tempo em que estivemos juntos eu tive mais decepções que surpresas. E se eu não gosto de você, quem é que gosta? Uma tequila e três vodkas? Tudo não passou de uma recaída. Eu sempre gosto do sujo, do que não pode e não deve, mas de você? De você eu não gosto.
—  Bianca D.