sentimentos estranhos

Insuficiente seria a melhor palavra para me descrever, e é como me sinto todos os dias. É aquele sentimento estranho de não fazer nada para te ajudar, de não ser o suficiente para você ficar feliz e sorrir para mim todas as manhãs. Dentre milhões de pessoas, é você. E só desejo ter você para abraçar e passar as madrugadas frias, enquanto eu viver todo o amor do mundo estará dentro de mim, todo esse amor que sinto por você. Desejo ser capaz de cuidar de você, de arrancar alguns sorrisos e risadas durante o dia, e principalmente ser capaz de você enxergar uma vida inteira ao meu lado, imaginar cada linha da nossa história. Desejo que seja eu a pessoa que você quer ter para sempre, que queira dividir a cama, o cobertor e o travesseiro. Que seja eu a pessoa que você brigará por ter comido o último biscoito, pela toalha molhada em cima da cama, pelos cabelos no chão do quarto ou pela bagunça do guarda-roupa. Que seja apenas eu porque sou egoísta o suficiente para te desejar somente para mim, eu quero ser o suficiente para você, para que fique, que ame, que seja feliz e para que supere tudo isso que pesa dentro do seu peito. Almejo que seja só eu que te faça feliz porque meu amor, é só você que me tira o juízo, que me ama, me cuida, me protege e me faz querer ter uma vida maravilhosa com você ao meu lado.
—  Enquanto esperava você.
Queria ser auto-suficiente, viver sem precisar verdadeiramente da interação humana, sem que meu peito fosse regado com sentimentos estranhos, olhar para relacionamentos e ver apenas tempos improdutivos. Sempre dizem que é bom sentir… É bom pra quem?
—  Expressados.
Eu não entendia como aquilo funcionava. Era tudo novo. Aquele sentimento bom e, estranho ao mesmo tempo, era diferente de tudo. Eu não sabia como administrar, eu fiz errado, errei feio e, me fodi por isso.
—  Julio, sobre o amor.

Você já se sentiu como se nada e nem ninguém pudesse te entender? Nem você mesmo?

È um sentimento estranho è uma mistura de confusão, alívio e aflição. É possível sentir alívio e aflição ao mesmo tempo? Se não for, olha ai meu coração desafiando a ciência.

Eu acho que oque todos nos precisamos è de um tempo sozinho, longe de todos e todas as redes sociais. Tirar um tempo para você mesmo, ir para a beira da praia apenas observar as ondas ir e vir sem nenhuma razão específica pra isso, você só quer se desligar um pouco dos pensamentos que fazem confusão na sua mente. É bom, tentar esquecer o te aflinge e oque te incomoda, pensar só que ali naquele momento você está ali por si mesmo, só pra relaxar e se deixar levar pelo vento que sopra e as ondas que não param.

As vezes é disso que a gente precisa, se desligar para depois voltar a viver.

é um sentimento estranho quando você não faz mais parte da vida de alguém que um dia te completou. É um gosto amargo na parte de trás da língua, é um caos de pensamentos estranhos com dores intensas, você não vai mais acordar com bons textos sobre a manhã com aquele sorriso contagiante e você vai rir com seus amigos para fingir que eles não impactou na sua vida também, fingir que você está bem, fingir que você não está lutando para respirar e de alguma forma permanecer com esses sentimentos confusos por tempo indeterminado.

Eu tenho me sentido estranho, talvez meio longe, talvez meio perdido. Tenho tentando levar os dias com mais calma, tenho tentando dormir sem tanto peso. Aceitar as coisas como ela são é realmente difícil, afinal a gente sempre quer um pouco mais e isso talvez seja da natureza humana. Mas não sei, me sinto o erro, ou talvez eu me importe demais com os pequenos detalhes. Realmente sou complicado, tenho muitas dúvidas, tenho muitas perguntas e mal sei como agir diante da vida, mas to tentando levar, seguir em frente e deixar que a vida mostre o caminho certo.

— O Contador
Imagine Zayn Malik

Pedido: “Oii, adoro o tumblr de vocês. Bom eu queria um imagine com o Zayn em que ele é a s/n são casados e ela descobre que está grávida e o Zayn adora a notícia e quer que seja um menino, mas na ultrassom eles descobrem que é uma menina, aí ele fica bravo e rejeita, mas quando ele vê mãe e filha juntas ele se arrepende.” - Anônimo.

******


Quando eu contei para o meu marido que eu estava grávida foi a maior comemoração. Eu não imaginava que ele ia ficar tão feliz quanto ele ficou. Ele ficou super empolgado.

Mas tudo mudou no meu sétimo mês de gestação, quando finalmente conseguimos descobrir qual o sexo do bebê e vimos que é uma menina.

Zayn mudou dá água para o vinho. Ele passou a me ignorar, rejeitar a mim e a criança. O por que? Porque é uma menina, e não um menino; como ele sempre quis. 

Quando íamos ao ultrassom, nunca conseguíamos ver o sexo, pois ela sempre estava com as perninhas fechadas. Quando eu completei meu sétimo mês, fomos ao médico e fizemos outro exame. E nesse, finalmente, conseguimos ver. O médico nos olhou sorrindo e disse as palavras que mudaram drasticamente minha vida: “Parabéns, vocês terão uma menina!”. Zayn fechou a cara e ficou bravo. Eu não entendi o motivo, e quando fui perguntar, ele brigou comigo. Como se a culpa fosse minha.

A partir dai ele começou a me evitar, ignorar e se afastou de mim. E não olhou mais na minha cara, não falou mais comigo. Simplesmente rejeitou a sua própria filha. Nem parecíamos um casal, e muito menos uma família.

Quando minha bolsa estourou, quando fui para o hospital quase morrendo com as contrações, quando fui para a sala de partos, quando minha filha nasceu, quando a peguei no colo pela primeira vez, quando a amamentei pela primeira vez ele não estava lá. Em nenhuma dessas ocasiões. 

Foi como se meu coração tivesse se despedaçado. Meu casamento foi para o lixo, junto com toda minha felicidade e empolgação de aumentar a minha família. 

E agora, Luma está com 3 meses. E como está a situação aqui? Do mesmo jeito, se não pior. Ela é linda, e lembra muito o pai. É um amor de bebê. Zayn nem ao menos chegou perto dela, nunca. Nunca a pegou no colo, nunca fez nada. 

Agora, sentada na minha casa e vendo uma foto do nosso casamento e pensando em tudo que está acontecendo, deixo as lágrimas escorrerem livremente; me perguntando o porquê disso estar acontecendo. 

Escuto um chorinho que me faz me recompor e correr até o quarto na frente do meu. 


***

Zayn Point Of View.

***


Escuto um choro de criança no andar de cima e sinto meu estômago embrulhar e eu reviro os olhos. Mas logo tudo fica silencioso novamente.

Ao ver que nada passa na TV, subo para tomar um banho. Ao passar pelo corredor dos quartos, escuto vozes vindo de um quarto e a porta está entreaberta. Para o olho para dentro. 

Meu coração dispara, eu fico ser ar, começo a tremer e meus olhos ficam marejados. Eu vejo S/N com Luma no colo. Essa é a cena mais linda que eu poderia ver na minha vida. S/N brincando com ela, conversando e sorrindo. E o bebê em seu colo está rindo, mostrando sua banguela. 

Eu fico admirado e espantado com a semelhança dela comigo. Ela é também parecida com a mãe. É a mistura perfeita entre eu e S/N. Ela é linda.

No mesmo instante que a alegria e comoção pela cena me consomem, o remorso toma conta de mim. Um ódio súbito de mim me domina, e me arrependo por ter feito tudo que eu fiz. Eu briguei com a S/N, mesmo ela não tenho culpa nenhuma. Eu a ignorei, eu a abandonei. Eu rejeitei minha própria filha. Deus, que merda que eu fui fazer. 

Lágrimas quentes escorrem pelo meu rosto e eu permaneço ali, quieto e parado admirando as duas juntas. S/N conversa, canta para ela, diz que a ama, que ela é a menina mais linda desse mundo. Diz que ela é a sua princesa. E nesse momento eu fungo alto, e acabo chamando a atenção dela. Ela me encara e permanece em silêncio. 

- Ela é linda! - digo entrando no quarto. - Por Deus, S/N, me perdoe. - vejo seus olhos se encherem d’água. - Você não sabe o quanto eu estou arrependido por tudo que eu fiz. - suspiro e ela coloca a criança no berço com uns penduricalhos. - Eu fui um idiota, infantil. Não deveria nunca ter te culpado, ter me afastado de você, principalmente no momento que você mais precisou; e nem ter rejeitado ela. Você não tem ideia do quanto eu estou me odiando e me culpando.

- Zayn… - ela secou uma lágrima. - Eu sei que quando não conseguimos uma coisa que queremos muito, nós ficamos decepcionados. Eu sei que você preferia que fosse um menino, mas a culpa não foi minha. - ela disse entre soluços.

Eu me bati mentalmente me culpei ainda mais. Eu a fiz sofrer. Eu a machuquei. Justo eu, que odeia vê-la chorar e sofrer, causei seu maior sofrimento. 

Me aproximei dela e a abracei com força.

- Eu sei, eu sei. A culpa é minha. - suspirei. - Eu me arrependo muito de tudo que eu fiz. Não tem justificativa. Eu errei, e muito. Quando eu vi vocês duas juntas eu senti algo que nunca senti antes. Um sentimento estranho. Mas um sentimento bom, bonito. Vontade de entrar e abraças vocês, de voltar no tempo e fazer tudo diferente. Mas eu não posso, infelizmente. - a encarei. - Eu só quero o seu perdão, só quero uma chance. - acariciei seus rosto. - Me perdoa? - ela assentiu e eu beijei seus lábios com calma, coisa que não fazia há tempos. Céus, como eu senti falta. - Eu te amo!

- Eu também te amo! - ela sorriu. Encarei o berço ao nosso lado e vi a criança linda que estava ali. 

- Posso pegar? - S/N sorriu grandemente e assentiu. Peguei ela com delicadeza e ela sorriu pra mim. - Oi, filha! - falei e ela soltou um resmungo. Beijei sua bochecha gorda e puxei S/N para o abraço.

Um primeiro abraço em família. O primeiro de muitos.


[…]

“Hoje é uma das datas mais linda que existe no calendário, hoje é o seu aniversário meu amor. Eu daria tudo o que eu tenho e mais um pouco poder passar esse dia tão especial do teu lado, faria qualquer coisa pra lhe ter aqui comigo, mesmo que seja por um simples segundo, pra mim poder te ver, te abraçar e te dizer o quanto eu te amo, já serviria.. Sabe, eu gostaria de ter o dom de expressar em palavras tudo o que eu sinto por você, mas infelizmente, não sou uma poeta, mas as vezes acho que nem mesmo se eu fosse uma poeta conseguiria explicar para você esse meu sentimento. É tão estranho essa coisa de amar uma pessoa sem nunca ter visto, tocado ou abraçado, você ter se tornado tão especial na minha vida enquanto esses inúmeros quilômetros nos separam, ver que você me fazer sorrir feito boba sem ao menos estar aqui sem ao menos estar aqui, é estranho eu precisar de você dessa maneira. O tempo eu tenho medo de te perder.. Te perder pra alguém melhor, por alguém que não fique dando ataques de ciúmes, alguém que não fique triste de uma hora pra outra, alguém que não seja assim tão mimada como eu sou. Talvez seja egoísmo meu, egoísmo de te querer só pra mim, bom eu não sei. As vezes não consigo dormi só pensando em nós, em como seria se você estivesse aqui ao meu lado. Eu sei que pode demorar até o dia em que nos encontrarmos, mas eu não me importo com o tempo desde que no final eu esteja com você. Você é a melhor parte de mim, a minha vida e eu não vejo a hora de te encontrar, e quando esse dia chegar, será só eu e você. Eu amo você, cada pedacinho, cada coisinha em você é simplesmente perfeito, sem tirar nem por nada, amo até seus defeitos, eu amo tudo em ti, as vezes eu acho que você é um anjo que Deus enviou pra mim, e eu só tenho que agradecer a ele por ter te colocado na minha vida, eu preciso de você, eu não me imagino mais sem você do meu lado. E enquanto eu Deus permitir que eu fique do teu lado, vou te fazer o menino mais feliz do mundo, me perdoa, ta? Me perdoa, se eu te fiz alguma coisa que não tenha gostado ou qualquer outra coisa do tipo, quero que tu saiba que eu sempre estarei aqui, que eu sou mais que a sua namorada, sou tua amiga, e você pode contar comigo qualquer hora. E você querendo ou não eu vou cuidar de ti, mesmo que não esteja precisando. Quero te fazer sorrir, te contar sobre meu dia, meus sonhos, meus micos, quero cuidar de você. E se for a sua vontade, te farei companhia, hoje e sempre, porque “eu não tenho mais forças para viver longe de você”. Parabéns meu amor, felicidades pelo seu aniversário, que venham mais e muito mais anos de vida que possamos comemorar juntos, mesmo longe ou perto um do outro, que os seus sonhos e desejos possam tornar-se realidade, principalmente se eu fizer parte deles.. Eu te amo príncipe.. Feliz aniversario”

Sabe o que é estranho nessas retrospectivas de fim de ano?
A gente percebe a quantidade de pessoas que passaram pela nossa vida e que se perderam no tempo. Pessoas que já estiveram do nosso lado em momentos importantes e que hoje nem lembramos o nome. É uma sensação de perda, mas ao mesmo tempo uma sensação de dever cumprido.
—  Alvidorie

São quase dois anos que “a gente” acabou, mas dentro de mim é como se tivesse intacto todo esse sentimento, o que é estranho porque eu me senti destroçada em mil pedacinhos quando tudo aconteceu. Você me dizia pra eu superar e esquecer, e hoje em dia você não sabe, mas eu sou a gente ainda, nas minhas musicas, nos meus livros e em tudo. Digo que não superei porque sei, porque quando alguém deita na cama à noite pra dormir a única coisa que vem na cabeça é o nome de quem poderia acabar com toda aquela solidão.
Te vejo sorrindo pra alguém que não sou eu, vivendo coisas que significam mais pra você do que tudo que já tivemos juntas, é aí que eu paro e penso o que que eu sou depois disso tudo?
Eu não sei que nome dar pra ferida que você deixou em aberto na minha história.

O eterno

É como uma estrela
Por mais longe que esteja
Por mais que seu calor não nos aqueça
Ainda sim é possível que seu brilho floresça

E assim como a bussola sempre aponta para o norte
Meu sentimento sempre será forte
É estranho falar isso
Com tão pouco tempo de início
Mas quando uma estrela nasce
Ela não espera pra poder mostrar o seu brilho

O seu amor quero sempre ter por perto
É como o eterno
Complicado, mas fascinante
E a cada dia quero mais vivenciar
Ficar sem, seria perturbante
Porque sei que do teu lado é o meu lugar

Vivencie o eterno
Porque ele vive dentro de você
Não aquele moderno
Mas aquele amor que não se sabe o porque

Todos precisam do amor para viver
Assim como eu preciso das palavras para escrever
Do mesmo jeito que sem ele não faria sentido
Sem elas, minhas poesias não fariam nenhum sentido

O amor corre em minhas veias
Esperando a hora certa de sair
Não se preocupe, elas estão todas cheias
Todas querendo fugir

O eterno é generalizado
O eterno é descartado
O eterno é ignorado
Porque tudo isso é ocorrido ao eterno
Se oq ele quer é apenas ser notado?

Are You Mine? - Capítulo 2

Saio de minha casa e Park Jimin me espera na calçada, lhe dou um sorriso torto, ainda não superei o fato de meu melhor amigo não ter me contado sobre a sua suposta namorada. Desde quando perdi o ônibus, ele vem à minha casa para irmos juntos à escola, isso já faz uns quatro dias. Ele olha pra mim sorrindo e faz um carinho em minha cabeça, bagunçando meu cabelo.

-Faz dias que você tá com essa cara emburrada. Quer falar logo o que está acontecendo?

-Nada não- Olho pro lado disfarçando -Eu só acho engraçado eu ser sua melhor amiga e você nunca ter me contado da fulaninha.

Ele dá um riso doce -S/N, a gente nunca fez isso. Você mesma já teve seus casos antigamente e nunca foi de contar.

-Mas eram casos! Namoro é diferente.- Falo manhosa.

-S/N, ela era só um caso, ai tentamos namorar ano passado mas não deu muito certo. Ela teve que se mudar para a casa da avó que estava doente, a gente deve ter namorado uma semana pessoalmente e uma virtualmente. Ai depois terminamos.

-Verdade?- Não sei o porquê mas meu corpo se enche de alegria com essa notícia. Não deveria, mas isso me deixou muito feliz.

Meu amigo pega em minha mão e me puxa para caminharmos para o ponto de ônibus que ficava uns 5 minutos andando. Ele não a solta até que cheguemos nele. Isso me causa sentimentos estranhos, não consigo explicar. Mas é algo bom. Totalmente diferente dos quais estou acostumada. Isso me deixa um pouco envergonha, por que estou com vergonha do meu melhor amigo?Estranho. Mas o que mais me marcou nisso tudo foi o sentimento de segurança, de alívio, eu sabia que Jimin ainda me pertencia e isso me aliviou por algum motivo.

O mais velho faz sinal para o ônibus e após entrarmos escolhemos nossos lugares perto da janela, nós dois gostamos de sentir o vento no rosto.

-S/N, que tal irmos ver algum filme hoje?

Eu o encaro sem entender muito. A pergunta foi totalmente aleatória e sem contexto. Ele quer que ao invés de ir pra escola nós vamos ver filme? Que loucura! Ainda é primeira semana de aula e ele já quer se meter em confusão.

-Quer dizer não estou falando pra a gente matar aula ou algo do tipo!- Ele se exalta o que me faz cair na gargalhada. Ele leu minha mente? Sai daqui Park! -Mas, depois da aula…

-Não sei…ainda não completei minha mudança para escola. Preciso terminar de levar minhas coisas pra o dormitório.

Nossa escola tinha diversos dormitórios para que se os alunos dormissem lá. Fazia parte da política deles incentivar os estudos até o último minuto e com os aluno morando lá isso se tornaria um hábito. Eles iriam acordar, estudar, almoçar, estudar e dormir. O que seria perfeito para a politicagem deles. Eu realmente abomino esse tipo de pensamento, estudos não são tudo na vida, é importante, mas não tanto quanto viver sua própria vida. Vou apenas me mudar por questões financeiras, fica bem melhor pagar o aluguel de um quartinho do que gastar dinheiro com passagem todo dia.

-Você vai morar lá ? -Meu amigo se exalta de novo, aumentando o tom de sua voz e arregalando os olhos – Você não me disse!

-Shiii você vai chamar atenção das outras pessoas do ônibus. E eu te disse sim Park! Eu disse para você e o Jeon no primeiro dia de aula no intervalo.

-Ahhhhhh…eu deveria estar pensando em outra coisa na hora.- Ele olha para o lado e vai diminuindo o tom de sua voz, meio como se tentasse acabar com o assunto.

-Lerdo.- E assim nós seguimos viagem.

••••••●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●••••••••••••●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●••••••

Assim que chegamos na escola Park Jimin vai em direção a uma figura loira e esbelta, me deixando para trás. Ele a chama e ela o abraça forte, eu vou em direção a eles. Já tenho ideia do que me espera dessa conversa. Quando me aproximo do casal eles me lançam sorrisos simpáticos, já minha reação não é das melhores, só os encaro com indiferença.

-S/N, essa daqui é a minha amiga Hana…aquela que falei que poderia fazer o trabalho com a gente. Ela aceitou!

-Não é como se eu pudesse negar muitas coisas pra você né jimin?!- Ela ri. Isso é tão desconfortável.

-Jungkook tá nos esperando Chim, vamos?- Tento convencer ele a ir comigo.

-Daqui a pouco eu vou! Tenho que resolver uns assuntos antes.

-ah sim…okay- Saio sem me despedir. Que tipo de assunto ele tem que resolver? Deve ser com ela. Meu coração dói ao pensar nisso, balanço a cabeça tentando distrair meus pensamentos mas a constante imagem de meu amigo com a menina Hana se fixa na minha mente. Eu não consigo me concentrar dessa forma. Preciso fazer algo, ocupar minha mente.

Minhas conversas internas me fazem perder a noção do tempo e quando percebo já estou na sala, jungkook está sentado na cadeira do lado da que e costumo sentar, em cima de sua mesa está uma caixa grande. Eu me sento e aponto para ela com uma cara de interrogação.

-Ah, eu estou terminando de me mudar para os dormitórios. Só faltava essa caixa.

-OMO! Você vai morar aqui? Eu também! Ahhh me sinto tão bem de não estar sozinha nessa escola. Ia ser assustado.

-Então vamos ser vizinhos- Nós fazemos um high five em comemoração. O ter perto de mim vai fazer bem, vou me sentir menos sozinha nesse colégio. A presença dele vai me trazer segurança, vamos se divertir bastante.

Ao passar da aula eu penso sobre Jungkook. Não vou negar que tive um pequeno crush nele no primeiro dia de aula. Mas quanto mais intimidade ganhávamos mais esse sentimento ia embora. Espero que mesmo morando juntos, ele continue assim. Tenho medos efeitos que ele pode ter sobre mim.

-E ai S/N? Cinema depois da aula?- Jimin se vira para mim, o professor já foi embora, as horas passaram e eu nem percebi. Será que estou dormindo de olho aberto? Faço uma cara confusa até recompor todos os meus sentidos. As aulas acabaram.

-Sim, sim. Jungkook vai me ajudar a terminar de arrumar meu quarto aqui na escola, então vou ter todo o tempo do mundo para você.

Ele dá um sorriso envergonhado até fechar a cara. Achei que ele iria ficar feliz por eu ir com ele. Esse menino me deixa confusa.

Meu amigo parece em estado de transe.

-Chim?- Eu estalo o dedo na frente de seu rosto -Vamos?

Ele sai de sua inércia.

-Vamos.

Status: Forfun

Caminharemos lado a lado, uma questão de afinidade.

Minha criança, minha joia, minha vida, meu amor.

Alegria compartilhada é alegria redobrada.

Entrego, confio, aceito e agradeço.

Perto de toda positividade.

Muito se fala, pouco se escuta.

Ah, se você descobrisse o que eu sinto por você.

Shoppings lotados, bibliotecas vazias, liberdade confundida com pornografia.

E nada é mais eficaz que o pensamento positivo amplificado.

E agora vem dizer, morena. Que você não quer ser mais a minha pequena.

É longa a caminhada, mas a vitória eu sei será de goleada.

Sentimento estranho, frio na barriga, acho que me apaixonei.

Por mais que a chuva venha, sempre tem um céu azul.

Um abraço forte, bem melhor agora. Gira e tudo muda de lugar.

Enquanto o tempo passa eu espero que, um dia a gente suba no altar.

Hoje tenho a vida que sempre quis, mas será que sou feliz? Acho que nunca saberei.

Eu quero mais é que se dane tudo.

Tá chovendo dentro dela quase que um temporal.

Invoco a calma e a coragem nas tempestades que enfrento.

Amigos vão sem se despedir.

Nada é pra sempre e muito menos por acaso.

Embriagada no egoísmo que lhe embaça a visão…

Antes tarde do que mais tarde.

Fartura, paz, amor, respeito, fé e compaixão.

Mas no fundo já sabia que eu não valia nada.

Veja o que um sorriso faz…

O tempo é quem vai te mostrar, tem coisas que não vão mudar.

A gente não devia ter perdido tanto tempo assim…

Mas se não der, por mim tá tudo bem. Eu sigo meu caminho, siga o seu também.

Vem pra cá, eu hoje não quero mais nada, só você pra me abraçar…

O bom da vida não tem preço.

Paciente, confiante, intuitivo.

Faça sol ou chuva um lindo dia vai nascer, no céu em degradê.

Reblog ou dê like se gostar! ♥