segura forte

Sabe quando você precisa de um abraço, e não ver ninguém que possa te abraçar? E de repente, uma pessoa que você nem imagina, chega e te abraça, do nada, como se soubesse que você estava precisando daquilo. Acredito que esse tipo de gente são anjos enviados por Deus, e eu pude sentir Deus me abraçando naquele momento. Ou melhor me segurando, sustentando algo que estava prestes a cair. Posso dizer que eu ainda estou assim, sendo sustentada, porque a qualquer momento eu sei, que se o Senhor me soltar, eu desabo, literalmente. Então Pai, te peço, me segura forte, me amarra a Ti, me abraça, me acalma, me limpa, me restaura, me quebra e me refaz, minha vida está em Tuas mãos.
—   Curastes, em mais uma conversa com Deus
Levanta dessa cama garota. Anda! Sei que tá doendo, mas levanta. Coloca uma roupa. Passa a maquiagem. Arruma esse cabelo. Ajeita a armadura. Segura o coração. Sai por aquela porta. Enfrenta o vento. Sorri pro sol. Segura o coração. Olha pra ele. Passa reto. Não caia. Não caia. Engole o choro. Finge de morta quando ele falar com você. Seja fria. Continue andando. Enfrente seus problemas de cara. Reaja. Vai. Tá pensando que é só você que sofre? Tá enganada. Anda menina. Para de ser infantil. A culpa não é de ninguém…Se apaixonou agora segura. Anda. Seja forte. Seja feliz. Seja uma mulher. 👊😍👋
Caos

Dizem que eu sou forte, insensível, segura… Quando na verdade está tudo desmoronando, quando eu sou uma pessoa tão frágil, tão carente e tão insegura. Ninguém me conhece ao certo, todos têm uma visão plena de mim, enquanto aqui dentro plenitude é uma palavra extinta. Mais baixos do que altos, recaídas o tempo todo. Pensamentos e sensações ruins ao longo de todo o dia. O que aconteceu com a minha luz? É, se esvaiu junto com as lágrimas, e não a vejo a muito tempo, estou ficando sem forças e sem entusiasmo dessa vida.

B.

Gosto de olhar pro horizonte com você. É tão infinito, mas tão incerto, que eu quase confundo com o seu nome. Porque na imensidão de tudo ou na imersão do nada, você está ali, aqui, em mim. E segura forte a minha mão, como se fosse quebrar os meus dedos em trezentos e cinquenta pedaços miúdos. Mas eu gosto da dor. Quando dói, sabe, quer dizer que eu tô sentindo e que você está sentindo junto. Dói porque se não doesse eu fugiria. Mas não fujo… E respiro calma ao seu lado, como se os nossos pulmões fossem um só e os nossos corações batessem em sintonia. Eu não fujo porque quero esperar o sorriso que você vai estampar no meu rosto depois de me arrancar lágrimas. A verdade é que você me arranca de mim pra me tornar parte de você. E eu gosto disso, de tudo que envolve juntar o meu pouco no seu tudo e fazer um ser só, mas não sozinho. Se o horizonte não tem fim, eu queria que o horizonte fôssemos nós. Porque de todas as coisas do mundo, eu juro, tudo o que eu queria era que isso durasse. E que o pôr do sol não acontecesse pra que o sol não deixasse de nos iluminar nunca, nunca, nunca. Porque de todos os sentimentos do mundo, eu juro, tudo o que eu queria era que essa paz ficasse e se fixasse aqui. Então você me abraça e parece que o universo conspira ao nosso favor, em todos os sentidos, assoprando amor pelos cantos e encantos do mundo, da vida, de ti. E o horizonte sorri, ainda que em linha tênue, pra você e pra mim.
—  Capitule

você não gostaria de conhecer a minha vida sem você. custaria a acreditar que essa mulher forte e segura de si existe quando você não está do lado. você jamais aceitaria esse jeito impulsivo de me atirar nas coisas de cabeça sem planos e preocupações, por acreditar que a essência que você conheceu nunca se cansaria de ser feita de idiota. você faria careta se me encontrasse em algum bar rindo entre uma cerveja e outra e contaria pros amigos alguma conversa furada de que as cervejas eram só pra tirar você da cabeça, inconformado com a mulher que está diante dos teus olhos determinada a viver a vida livre e feliz que merece. você não me reconheceria com essa nova cor de cabelo que me faz sentir incrível, com o rímel perfeitamente intacto ou com o batom vermelho que preferia que eu usasse só pra você e que agora se borra com outros gostos que não são o seu. mas se a gente se esbarrasse de verdade em alguma dessas esquinas, eu não pediria desculpas. talvez o meu jeito de me consertar não seja nada do que você já esperou de mim, mas os meus pedaços estão juntos de novo e pela primeira vez, você não faz mais parte desse todo. e quando eu pensava estar vivendo o maior pesadelo, pude perceber que a minha dor não se comparava a que você sentiria ao acordar do seu transe e enxergar o quanto eu posso ser inteira sem você. a garota com o coração inocente e os olhos pelos quais você se apaixonou, descobriu que não há nenhum problema em se entregar, quando a gente se entrega pelas pessoas certas. a mulher que te entregou o melhor de si mesma, é a que agora tem bolhas nos pés e pela primeira vez, não é mais de correr por você, mas de dançar até o dia amanhecer.

Não costumava me exaltar, brigar ou discutir. Sempre obedecia as ordens que me eram dadas, sem murmurar. Vivia com um sorriso no rosto, mesmo chorando por dentro. Me mostrava forte e segura, mas no fundo eu sabia que não era, sabia que era só medo. Para mim, esse era o sentido da vida, ser submetida a exercer as vontades dos terceiros.
—  Black Swan.
Encontrei no teu colo um refúgio para tudo que há de ruim no mundo. Encontrei nos teus abraços meu lar, um aconchego que não existe em nenhum outro lugar. Encontrei nos teus olhos, doces e serenos, a paz que todo mundo deseja encontrar, pelo menos uma vez na vida. Encontrei nas tuas mãos, fortes e seguras, o meu destino. Um destino que nós dois sabemos que é cheio de incertezas, mas, curiosos como somos, estamos prontos para desvendar cada mistério, descobrir cada parte que nos é reservada. Encontrei em você tudo que eu sonhava encontrar em alguém. Suas peças completam o meu quebra cabeça. Você me complementa, me transborda. E sempre cabe mais.
—  Para Sempre Nós
Às vezes

Às vezes me sinto um pouquinho solitário, me sinto um pouquinho cansado de ouvir os sons das minhas lágrimas. Às vezes fico um pouco nervoso de ver a velocidade com a qual o tempo passa. Às vezes eu fico um pouco apavorado, agitado… às vezes me sinto um pouco desamparado e querendo ficar deitado como uma criança em seus braços. Às vezes fico um pouco irritado e me vem a necessidade de sair e chorar. Às vezes eu desabo, mas eu sei que você está sempre do meu lado para me segurar… e com você “às vezes” não existe… simplesmente você me segura e eu fico forte!

Sávio Jr.

Minhas mãos escorregam das tuas e você as segura forte, já sabe que não estou resistindo, que está doendo, mas mesmo assim quer tentar mais uma vez, quer me ver feliz contigo. Respiro fundo, porque sei que essa batalha é árdua e continua, e fecho os olhos para confiar totalmente em você. Eu queria lhe poupar disso tudo, porque sei que não é fácil tentar manter um sentimento vivo, tão quente, quando um coração já está gelado demais pra isso. Você tenta preencher um coração furado, sempre vai derramar, vai sobrar pouco no fundo. Você tenta remendar as paredes, mas qualquer chuva leva isso embora, é difícil ficar. E você não desiste e insiste em me falar “Não dá pra abandonar aquilo que chamamos de lar”. 

Gabriela Giacomini.

lactância

Escuta, ó alma miserável que pranteia vagando,
Tu que choras despencando-lhe as pálpebras,
Por noites e noites, no desolado penar naufragas,
Rastejas pelas valetas violentas, a esmo, sangrando,
E nenhum vento morno te sopra as velas do viver.
Ajoelha-te; repousa as têmporas em meu regaço…
Escuta bem! Segura forte minha mão, criança…
De esperanças frágeis não te vivas. Vais padecer!
Folhas verdejantes secam e vão no soprar do vento
Raízes apodrecem no verbo cantigar do tempo
Vergônteas adoecem e reclinam e viram poeira.
Destarte, criança, não te sejas mais arvoredo!
Não te plantes assim, como a morte às covas semeia.
Não te paires esperante sobre quaisquer rochedos.
Tenhas a leveza sábia das entardecidas ventanias
Transpassa, andaluz, pelos lascados penhascos.
Seja brisa, o fôlego ofegante da existência!
Acalante a palidez de um céu que não dorme.
Só não mais te chores como tens chorado…
Agora te levantes os tornozelos, criança, e voa!
Pra longe daqui! Nas alamedas e arranha-céus,
Grita, e pra liberdade te ecoa! Ressone!
Como se teus sonhos fossem uma caverna escura!
Vai além dos versos rimantes do papel; suma!
Enterra teus lábios nas nuvens prenhes e cinzentas.
Adormece no tango dum nimbo que te desenhe
Sonha fundo nos corais ébrios do infinito
Ateia fogo - nunca fátuo - nos desejos mais íntimos
E deixa fumegar! Não vês? O incêndio é lindo!
Mas não te chores, criança. Não. Não mais.
Te desmembres em pétala e cor e perfume
Corre pras brumas de urano, não olhe mais pra trás!
Não te pendure a nuca em cirros de azedumes
Te tatua com o caos. Abraça-o. Fuja da ordem.
E voa! Incendeia! Canta! Sonha, borboleta…!
Que tu ainda aqui estás, aninhada e guardada
em meu colo. E teus olhos quase já dormem…

Annd Yawk