se-eu

bm1246  asked:

Jakei-senpai, você fala português(BR)? ^^

Eu posso entender a língua, mas eu não posso falar isso, é engraçado. Eu nem mesmo sei se o que eu escrevo é bom porque eu uso google translator ;w;

notas jogadas - I

o desespero de não saber o que fazer
o peso do fardo que sou
a procura desesperada por qualquer coisa
que não está aqui
meu grito morre no vácuo
é o fim do riso
tenho pensado muito em acabar com tudo isso
as dores inteiras
correntezas pintadas de carmim
arte moderna 
na parede do quarto
e as memórias e os medos e os sonhos
e as angústias e os débitos e as culpas
e o pib da grécia
e os crimes de guerra
e as noites sem fim
seriam pautas de outras insônias
de outros ataques
a outras pessoas
se eu não estivesse
aqui

soube que você anda meio distraído, sem foco e com uns planos de querer sumir.
tu ainda morre de rir com a teoria dos macacos loucos que invadem os apartamentos?
soube também que não quer mais relacionamentos, que isso é perda de tempo, que no mundo não tem mais amor.
eu ainda estou contigo.
nos rastros, nas fotos, no teu peito.
eu sei que parece que ando meio sumido, mas é só impressão tua. eu ainda fico meio balançando quando tu questiona se eu ainda leio Bukowski, mas é uma pena que por aqui não vende literatura suja. a maioria dos livros são sobre o amor e sobre como o mundo é ótimo - não leio esse, já que não lembro de muita coisa dai.
não esquece de mim, tudo bem?
eu ainda te abraço no frio, cochicho uns conselhos no teu ouvido enquanto tu dorme e afasto tudo e qualquer coisa que tente te fazer mal.
eu não quero que isso pareça ser uma carta de despedida, ou um texto melancólico de alguém que já não está mais entre vocês, sonhadores vívidos. eu quero te mostrar que mesmo depois da morte, ainda sou capaz de carregar o amor que tive tão ardentemente enquanto vivo.
o mundo pode ser cruel às vezes, mas vai ficar tudo bem quando a dor passar, quanto você finalmente entender que as pessoas partem e tudo bem.
observe mais o horizonte, deixe-se tocar pelas gotas de chuva. Pois eu juro, de alma - sem corpo - que eu estarei escorregando por entre o teu corpo em cada gota, e te fazendo me sentir vivo de novo em você.
com amor, n.

Queria que alguém me tirasse esse medo que tenho de crescer, porque crescer dói, a responsabilidade me dói. Sei que isso parece uma bobagem, mas ao mesmo tempo que possuo uma vontade de me provar, me retraio pela suposta consequência. E se depois eu não souber arcar com isso? E se eu não souber administrar meu sucesso? E se eu não souber mais aproveitar os meus dias sozinha? Eu tenho medo de dar errado, mas acho que tenho mais medo ainda de dar certo.
—  Thaís Padilha

Sabe, já fazem três meses e eu não consigo negar que está sendo a pior fase da minha vida. Antes disso existiam apenas dois acontecimentos que eu considerava realmente tristes que foram a separação dos meus pais e a morte do meu avô. Mas hoje percebo que quando o ocorrido não se dá por fatalidade, ou por necessidade o sentimento que fica é amargo e invencível. Quando meu vôzinho se foi eu conseguia pensar que tudo bem, todo mundo tem sua hora e que ele deixava aqui os melhores sentimentos do mundo. E eu fico me perguntando porque eu não consigo apenas continuar a viver depois do assassinato do meu tio. Sempre que tento enfiar goela abaixo de mim mesma que as coisas as vezes acontecem, entro em uma terrível questão de o quanto vale a vida. E finalmente sempre me pego pensando que nada.

Quando tiraram a vida de um homem por desavenças e latrocínio cruelmente, me ensinaram que realmente não há nada que seja suficiente. Não é sabedoria, não é sucesso profissional e não é família que nos tornam passíveis de engrandecimento. Nada é. O mundo, as pessoas, tudo tem parecido pra mim nada mais que um rastro de crueldade e desperdício de tempo. Queria pedir desculpa a todos envolvidos em minha vida, já que eu não ando sendo a melhor pessoa do mundo. Desculpa por eu não conseguir ser gentil e presente esses tempos, e desculpa aos que me pegaram em pranto as vezes. Sei que de alguma forma esse sentimento vai passar. Mas agora eu estou passando por uma descaracterização de personalidade complicada de lidar. Eu realmente não sei quem sou, e não consigo identificar quem eu deveria ser. Meus sonhos se encontram frágeis, e até mesmo o que escolhi pra minha vida profissional agora parece um erro.

Desculpe se eu deixo transparecer que não quero nada na vida, que eu não me importo com vocês, e que eu não ligo. Sinto muito por ter me tornado uma figura que em casos de sanidade eu repudiaria. Não é que eu não possa viver sem meu tio. É que eu não consigo viver com a ideia de que o mundo é ruim suficiente a ponto do que aconteceu. Os que me conhecem bem sabem da minha sensibilidade em relação a essas coisas, e como passei até a evitar os jornais já que sempre que me deparei com casos de violência o sentimento de desesperança era inevitável. Eu sei que se eu quero algo melhor que isso eu preciso lutar por ele. É assim que se constrói um mundo melhor. Mas eu ainda não tenho forças. Eu ainda não sei nem se quero tentar, eu ainda nem sei se sou cabível disso.

Então se me ver por ai, e parecer que estou fugindo saiba que estou mesmo. Não é de você, talvez seja de mim mesma, talvez seja desse sentimento, e talvez seja desse mundo. Espero que possam ter paciência e quem sabe um dia me encontrem um pouco menos desestabilizada. Espero que exista um Deus amparando meu tio e o coração de toda minha família. E espero que isso tudo seja parte de algum destino, ou algo do tipo. Não consigo acreditar mais na capacidade do homem em moldar alguma história. Imagino que tudo que seja cabível a nós seja uma tragédia. E então, também me desculpem por isso.

F2