se-DIFERENTES

Me gustan las personas que te hacen bien, que no intoxican, que conversar con ellas se siente diferente, como si valiera la pena, el amor, la vida, todo.
Os amigos não precisam estar ao lado para justificar a lealdade. Mandar relatórios do que estão fazendo para mostrar preocupação. Os amigos são para toda a vida, ainda que não estejam conosco a vida inteira. Temos o costume de confundir amizade com presença e exigimos que as pessoas estejam sempre por perto, de plantão. Amizade não é dependência, submissão. Não se têm amigos para concordar na íntegra, mas para revisar os rascunhos e duvidar da letra. É independência, é respeito, é pedir uma opinião que não seja igual, uma experiência diferente. Se o amigo desaparece por semanas, imediatamente se conclui que ele ficou chateado por alguma coisa. Diante de ausências mais longas e severas, cobramos telefonemas e visitas. E já se está falando mal dele por falta de notícias. Logo dele que nunca fez nada de errado! O que é mais importante: a proximidade física ou afetiva? A proximidade física nem sempre é afetiva. Amigo pode ser um álibi ou cúmplice ou um bajulador ou um oportunista, ambicionando interesses que não o da simples troca e convívio. Amigo mesmo demora a ser descoberto. É a permanência de seus conselhos e apoio que dirão de sua perenidade. Amigo mesmo modifica a nossa história, chega a nos combater pela verdade e discernimento, supera condicionamentos e conluios. São capazes de brigar com a gente pelo nosso bem-estar. Assim como há os amigos imaginários da infância, há os amigos invisíveis na maturidade. Aqueles que não estão perto podem estar dentro. Tenho amigos que nunca mais vi, que nunca mais recebi novidades e os valorizo com o frescor de um encontro recente. Não vou mentir a eles, “vamos nos ligar?”, num esbarrão de rua. Muito menos dar desculpas esfarrapadas ao distanciamento. Eles me ajudaram e não necessitam atualizar o cadastro para que sejam lembrados. Ou passar em casa todo o final de semana e me convidar para ser padrinho de casamento, dos filhos, dos netos, dos bisnetos. Caso encontrá-los, haverá a empatia da primeira vez, a empatia da última vez, a empatia incessante de identificação. Amigos me salvaram da fossa, amigos me salvaram das drogas, amigos me salvaram da inveja, amigos me salvaram da precipitação, amigos me salvaram das brigas, amigos me salvaram de mim. Os amigos são próprios de fases: da rua, do Ensino Fundamental, do Ensino Médio, da faculdade, do futebol, da poesia, do emprego, da dança, dos cursos de inglês, da capoeira, da academia, do blog. Significativos em cada etapa de formação. Não estão em nossa frente diariamente, mas estão em nossa personalidade, determinando, de modo imperceptível, as nossas atitudes. Quantas juras foram feitas em bares a amigos, bêbados e trôpegos? Amigo é o que fica depois da ressaca. É glicose no sangue. A serenidade.
—  Fabrício Carpinejar.
Cara eu realmente nasci na época errada, não me encaixo nesse mundo onde o que mais importa é quantas bocas foram beijadas na noite passada, ou por quantas pessoas diferentes você se apaixonou nesse mês. E o romantismo onde está? Talvez tenha sido esquecido em alguma sarjeta por aí, atualmente as pessoas escolhem o mais fácil. O que importa é a quantidade e não o conteúdo, raramente dá-se importância a uma boa conversa, ou uma troca de olhares sinceros, um pôr-do-sol ao lado de alguém importante, ou uma crise de riso até a barriga doer. Hoje as pessoas esquecem dos detalhes e levam a sério apenas a aparência, esquecendo-se da essência.
—  Último suspiro do caos.
Le haces el amor,
te la coges,
te la das,
¿y qué sigue?
Sigue cada uno cambiarse de ropa,
tomar una ducha
porque aún hueles a piel ajena.
Si es motel, cada uno por su lado.
Si es tu casa, toca tender las sábanas.
Si la quieres,
le preparas el desayuno.
Si aún no la quieres,
síguetela cogiendo,
eventualmente le tomarás cariño.
Si aún no sabes cómo le gusta el café,
cómo le gustan los besos,
sus zonas sensibles,
si no sabes
esos problemas que la acogen,
sus miedos más profundos
o sus sueños,
en definitiva, aún no te la coges lo suficiente.
Si se va de madrugada
o en la mañana,
no te confundas,
no lo hace por protocolo
o porque esté ocupada,
simplemente no tiene ganas de quedarse.
Si compartes cama con una mujer
y no vuelve,
algo estás haciendo mal
y no tiene nada que ver
con el tamaño de tu miembro
o cómo coges,
sino quizás no la comprendes,
no la escuchas,
no la haces reír
o no se siente segura contigo.
Es que así es,
hasta las que se autodenominan putas
tienen al menos una cama
a la que siempre regresan,
una casa donde pueden despertar
con su desayuno favorito,
un café,
una sonrisa
y la seguridad de que ahí,
siempre será bienvenida.
A las mujeres siempre hay que tratarlas con cariño,
aunque digan que no le gustan esas cosas,
aunque se las den de muy cabronas.
La cosa va así,
te la coges como si la odiaras,
pero despiertas como si la amarás,
pregúntale cómo le gusta el café
y pídele que se quede,
que hay mucho tráfico,
que afuera está lloviendo
o yo qué sé.
Invéntate una excusa cualquiera,
ofrece una de tus camisas como pijama,
recuéstate a su lado,
dale su café,
mírala a los ojos
y hazle preguntas hasta que te canses.
Te puedo asegurar,
que una vez que empiece,
no vas a hacer que se calle,
porque siempre se la habían cogido y ya
ningún hombre se preocupó por la mañana.
Eventualmente tendrá que irse como todo lo bueno que llega a nuestra vida,
y se irá con los ojos brillando,
con una sonrisa que no se la aguantará nadie.
Regresarás a tus hábitos,
a tus quehaceres,
a tu vida que ahora se siente diferente,
pero no pasará mucho tiempo,
tu teléfono vibrará
y será ella en forma de mensaje,
un mensaje que las cabronas no mandan:
“Te extraño ”,
así
a secas,
y no sabes cuánto le costó escribirlo.
Entonces tiendes tu cama,
preparas la cafetera
y sonríes
porque es inevitable
no quererla,
aunque sea un poquito.
—  Carlos Cortés.
É triste, estar rodeado de pessoas e ainda assim se sentir só. Mais triste ainda é ver que as mesmas pessoas que te rodeiam, são apenas mais do mesmo. Eu quero estar com pessoas de verdade, que se importam, que façam a diferença e não pessoas vazias ou que se mostrem interessadas, dizem coisas lindas em uma noite e no dia seguinte somem. Preciso de pessoas que fiquem, que se mostrem diferentes das outras e realmente sejam diferentes das outras, porque de pessoas vazias eu já estou cheio.
—  Diego Castro.
Nunca sei se as despedidas são uma bênção ou uma maldição. Às vezes me sinto amaldiçoado com a saudade e a dor da perda, mas depois de um tempo começo a pensar no quanto tudo seria diferente se algumas coisas tivessem simplesmente permanecido. Quantas chegadas teriam deixado de acontecer se não fosse aquela partida?
—  João Pedro Bueno, Sabedorias.

Ainda bem que existe outras galáxias. outros planetas. outras estrelas. o mundo é muito maior do que tudo que os nossos olhos conseguem ver e que nossa pele pode tocar. nossos caminhos ainda se cruzaram por acaso ou destino, e a cada canto e lugar uma forma diferente de se perder.

Estar só não é vantagem, mas também não chega a ser uma desavantagem. Estar só é uma evolução. Imagine que você está saindo do seu casulo, procurando se conhecer, tirando um tempo para você. Mesmo que você pareça um bichinho indefeso, mesmo que você pareça estranho, não deixe que te rotulem, que te taxem como trouxa ou como estranho… Você é apenas diferente. Se descobrir e tirar um tempo para si não é pecado algum. Liberte-se, evolua, crie suas teorias, não seja apenas mais uma cabeça guiada pela sociedade e pelo que ela lhe impõe. Todos somos capazes de criar nossa própria estrutura, basta apenas querer e ter força de vontade. Estar só muitas vezes é ser você mesmo, é ser o seu melhor amigo, seu próprio companheiro. Estar é só se entender para que um dia outros possam lhe entender e quem sabe aprender com você, coisas que ninguém foi capaz de lhe ensinar.
—  Diego Castro.
equação do coração

você peca em achar que amor é só dizer eu te amo.
amar é mais.
é mais carinho,
mais cuidado,
mais sentimento.

uma pena eu ser mais, e você menos.
pra quem entende de matemática sabe que quando se trata de sinais diferentes, o resultado é sempre negativo.

hiago gomes

La casualidad de poder vernos se escapa,
somos diferentes cielos en un mismo mapa.
Échale sal al café, no está mal ir a probar,
tenemos la misma sed con distinto paladar.

Y tú aquí, y yo allá,
y yo aquí, y tú allá.

—  Desencuentro - Residente.
É um sentimento que a gente não consegue ignorar, não consegue explicar, não consegue identificar o momento exato que começou mas que, quando vê, já está ali. Sorrindo no cantinho, timidamente, puxando e se balançando no nosso coração, acelerando ele todinho de uma forma desenfreada quando vê a pessoa. É algo que não nos deixa desistir de lutar. Não nos deixa mentir. É fazer algo de errado, ainda que coisa pequena, sentir-se horrível por ter deixado o outro triste e correr pro abraço no mesmo instante. Sem orgulho. Sem mágoas. Só dando prioridade ao que o coração tá pedindo. Amor é pensar que tudo tá horrível, que não há saída e ainda assim, achar meios de haver possibilidades e maneiras diferentes de se resolver tudo. Amor é não depender da reciprocidade, apesar do que é pregado hoje em dia. Não. Amor é o ato de amar da forma mais pura e inconveniente, até. Não há controle. É escancarar o coração como um alvo, mesmo tendo a noção de que ele pode ser atingido brutalmente a qualquer momento. É não saber o que fazer, às vezes. É ter confiança e uma fé inexplicável de que, de alguma forma, tudo irá dar certo e que a felicidade se encontra “naquele” sorriso. É acordar pensando se a pessoa amada sobreviveu a noite. Se está feliz. Se está bem. É saber calar, é saber ouvir. É se doar. Dizem que quem ama não vai, mas em alguns casos, o amor requer isso. Requer entender que às vezes precisamos dar espaço para novas conclusões também. E se ele for verdadeiramente, o amor pra vida toda, uma hora ou outra as coisas se encaixarão. O amor é tudo e dentre tantos tipos diferentes de amor - que aqui não citei - devo destacar que o próprio também é muito válido. A gente vira insano, às vezes, mas é essencial que não nos esqueçamos de nós mesmos. Que nos abracemos de vez em quando e nos lembremos que há muito o que vale nosso esforço, mas que se você já tiver tentado de tudo que pôde, então não se diminua por algo que não tem certeza. Se é amor, a gente sofre, mas o alívio vem logo adiante. Se esse alivio não se achegar a ti, então é melhor pular do barco e esperar a pessoa certa te resgatar. E ela vem. Porque amor é saber. É sentir que não há nada que aconteça que possa abalar esse sentimento. É dar tudo de si. Dentre tudo isso, não acho necessário acrescentar mais. É mesmo um sentimento amplo, puro, inexplicável e, apesar de tentarmos, indescritível.
—  Débora Souza.
Es insegura, la mayoría de cosas de la sociedad le afectan, es depresiva, y también llora por casi todo…pero tiene algo que la hace especial, no para el resto pero para mi si que lo es, ella es de esas chicas que las encuentras con miedos por dentro, y es por eso que temen entregarse por completo a alguien, pero tiene algo en la mirada que solo yo puedo entender, aunque tiene un rostro HERMOSO no es por su físico lo que me atrajo a ella, fue su manera de ver las cosas de la vida aunque todo eso sea difícil en su día a día, fue su ternura y la forma de hacer las cosas para poder sacarme una sonrisa…
( aunque sea en hojas de papel) tiene muchas metas por cumplir y lo va a lograr por que me tiene a mi, que hasta ahora he podido ser su pilar fundamental, su novio, su amigo, su amante…¿Saben? Quiero estar en primera fila, observandola triunfar y recordarle que todo lo que alguna vez creyó imposible ahora es realidad, su realidad
(ella es fantástica)
Somos muy diferentes lo se y me quiere demasiado que hasta a veces llego a pensar que no es posible que una persona quiera y se entrege por completo y más aún de esa manera, a alguien, y aunque no me lo crean estoy tan feliz de que ella exista, con momentos malos, con momentos de tristeza, con todo eso que la caracteriza siendo mujer, ella al mirarse a un espejo quizás se odie la verdad no lo se, pero lo que si se, es que ¿si ella se odia así mismo que puede esperar de la sociedad? Ama, sonríe, perdona y olvídate de los problemas y continúa que la vida es una, no es una modelo de Victoria Secret y ¿qué? Si! tiene unas libras de más y ¿qué? Así es HERMOSA. PERFECTA. PRECIOSA EN TODO EL SENTIDO DE LA PALABRA…Y saben ¿porque? Porque la amo…esto es para ella, si, la de los ojos color cafés, sonrisa tímida…y alma pervertida.
—  Poema: Para Ella por Gabriel Yunga.
Le haces el amor,
te la coges,
te la das,
¿y qué sigue?
Sigue cada uno cambiarse de ropa,
tomar una ducha
porque aún hueles a piel ajena.
Si es motel, cada uno por su lado.
Si es tu casa, toca tender las sábanas.
Si la quieres,
le preparas el desayuno.
Si aún no la quieres,
síguetela cogiendo,
eventualmente le tomarás cariño.
Si aún no sabes cómo le gusta el café,
cómo le gustan los besos,
sus zonas sensibles,
si no sabes
esos problemas que la acogen,
sus miedos más profundos
o sus sueños,
en definitiva, aún no te la coges lo suficiente.
Si se va de madrugada
o en la mañana,
no te confundas,
no lo hace por protocolo
o porque esté ocupada,
simplemente no tiene ganas de quedarse.
Si compartes cama con una mujer
y no vuelve,
algo estás haciendo mal
y no tiene nada que ver
con el tamaño de tu miembro
o cómo coges,
sino quizás no la comprendes,
no la escuchas,
no la haces reír
o no se siente segura contigo.
Es que así es,
hasta las que se autodenominan putas
tienen al menos una cama
a la que siempre regresan,
una casa donde pueden despertar
con su desayuno favorito,
un café,
una sonrisa
y la seguridad de que ahí,
siempre será bienvenida.
A las mujeres siempre hay que tratarlas con cariño,
aunque digan que no le gustan esas cosas,
aunque se las den de muy cabronas.
La cosa va así,
te la coges como si la odiaras,
pero despiertas como si la amarás,
pregúntale cómo le gusta el café
y pídele que se quede,
que hay mucho tráfico,
que afuera está lloviendo
o yo qué sé.
Invéntate una excusa cualquiera,
ofrece una de tus camisas como pijama,
recuéstate a su lado,
dale su café,
mírala a los ojos
y hazle preguntas hasta que te canses.
Te puedo asegurar,
que una vez que empiece,
no vas a hacer que se calle,
porque siempre se la habían cogido y ya
ningún hombre se preocupó por la mañana.
Eventualmente tendrá que irse como todo lo bueno que llega a nuestra vida,
y se irá con los ojos brillando,
con una sonrisa que no se la aguantará nadie.
Regresarás a tus hábitos,
a tus quehaceres,
a tu vida que ahora se siente diferente,
pero no pasará mucho tiempo,
tu teléfono vibrará
y será ella en forma de mensaje,
un mensaje que las cabronas no mandan:
“Te extraño ”,
así
a secas,
y no sabes cuánto le costó escribirlo.
Entonces tiendes tu cama,
preparas la cafetera
y sonríes
porque es inevitable
no quererla,
aunque sea un poquito.
- Carlos Cortés -
Ela não é o tipo de mulher fácil de conquistar, não se entrega a qualquer um e nem se deslumbra com meia duzias de palavras bonitas. Tem que ter atitude, tem que demonstrar a que veio, tem que ser insistente. Não pense que depois que conseguir despertar seu interesse, terá tudo de bandeja. Tem que lutar para conseguir um espaço no seu coração, se mostrar diferente, alguém digno de receber seu amor. Tem que fazer ela se sentir segura para ir se desarmando, segura para dar o próximo passo. É meu amigo, ela é um quebra cabeça de 500 mil peças, se você esperou algo mais fácil, veio no lugar errado.
—  Nanda Marques.

“hello, Marco”

hola chicos!!! , hoy me decidí por dibujar el diseño de janna ya como reina del inframundo y esposa del Rey Tom Lucitor 

quería ponerle un estilo de cabello diferente, no se, pero vi en internet este estilo y me pareció perfecto para janna XD, ya despues dibujare el nuevo diseño de tom :3

espero les guste chicos!! , los amo mucho .

tengan una linda noche!! :3