se importarem

INCERTEZAS

Eu? Ainda procuro me entender. Nessa fase decisiva da minha vida é inadmissível eu ter dúvida, porém é o que mais tenho. Dúvida sobre como será a minha vida daqui a um tempo; dúvida de tomar certas decisões; dúvida sobre mim mesmo, do que eu quero.
Certas horas quero que me entendam, noutras espero que esqueçam de mim. Sim, oscilante. Esse sou eu. Eu acho. Tenho dúvida.
Às vezes, só quero que tudo pare e me deixe respirar por dez segundos. Muita coisa se passa por minha cabeça, principalmente dúvidas.
Tenho medo. Medo de que o que eu sonhe não se realize; medo de me fechar demais; medo de me expor demais; medo de viver o resto da minha vida sem sentido; medo viver.
Não sei o que eu faço. Só faço.
Grito por socorro no silêncio mais árduo que já dei, mas parece que ninguém me ouve, seja pelo silêncio ou por não se importarem.
Nem eu mais me entendendo, simplesmente pela dúvida, pelo medo, que tomaram a frente e não cabem mais num papel.
Torço para que dê certo e para que Deus esteja me ajudando. Não sei o que será de mim e nem como estarei se todo esse meu planejamento de incertezas não ocorrer conforme o planejado.
— JP Boldrin

É eu não sei mais quem eu sou. Eu tenho medo do que as pessoas vão pensar de mim, isso é um fato. Então eu me escondo sendo uma garota inteligente, alegre e bonita. Mas, porra eu queria ficar no meu canto com um ou dois amigos conversando sobre coisas nada a ver e bebendo uma cerveja. Eu não preciso que o mundo inteiro me conheça. Eu quero me sentir acolhida em algum lugar só pelo motivo de gostarem de quem eu realmente sou. Não se importarem se eu gritar uma hora ou outra. Que preste atenção em coisas que eu não demonstro. Eu só queria fugir um pouco da realidade. Às vezés sinto que não sou boa o suficiente pra nada e que todos são melhores que eu. Que por mais que eu me esforçe não vai mudar nada. Eu queria ser admirada e me sentir apaixonada. Conseguir realizar os meus sonhos. Ser capaz de ser médica pra mostrar pra quem duvidou de mim. Mas, eu não consigo nem ficar num lugar com pessoas desconhecidas que eu piro. como eu vou ter coragem pro mundo?
-Ingrid Andrade

Eu só queria conseguir compreender o porque de tudo isso estar acontecendo comigo. Como perdi todas as pessoas que eu pensava se importarem comigo. Eu pensava que sempre teria alguém para conversar quando estivesse triste, que sempre haveria alguém ali, para secar as minhas lágrimas. Me virei e não vi ninguém, do meu lado apenas meu travesseiro que me fez e ainda faz companhia durantes as noites frias que passo chorando. Onde consigo ao menos segurar a dor, tentando sufocá-la. Mas o contrário acontece, aos poucos ela vai me ganhando, me sufocando e eu vou me perdendo. Quem dera fosse realmente efêmero essa dor que ainda habita em mim. Já não tenho esperanças, ela está desaparecendo como o meu verdadeiro eu. Neste dia que passou perdi as contas de quantos “você está bem?” recebi, respondendo com um mentiroso sim em todas. Sou especialista em fingir, deve ser isso mesmo, pois mesmo com os olhos vermelhos e esse nó em minha garganta, as pessoas insistem em acreditar que está tudo bem, que nada está acontecendo. As vezes penso que na verdade elas sabem que estou mentindo, mas fingem que acreditam apenas para não ter de perguntar o porque da minha dor. O porque de eu estar tão afundada em mim mesma e não ver solução para nada. Fingem por não querer ajudar, e sinceramente não quero que eles perguntem, pois ficariam com pena de mim. Boto um sorriso no rosto e saio andando, esse é o meu grande escudo contra o mundo. Mas um dia eu não aguentarei mais e desabarei, sem mais nem menos desabarei. Meus gritos falhos que guardei ecoaram pelas avenidas dessa cidade e todos ouviram como dói ser sempre talvez a invísivel, como dói ser invísivel. Pois a dor deve ser gritada para aliviar aquilo que me fez/faz ser tão desanimada.
—  Pecaveis dividiu palavras com Afogar.

Pedido: “ S/n alta!Queria um imagine que a S/n namora o Harry e é alta, não mais que ele porém alta! hahahaha Por favor eu queria muito, porque é realmente difícil achar algo com esse assunto! beijossss ”

Mil desculpas à pessoa que fez esse pedido pela demora para atender/ escrever ele. Eu não consegui pensar em uma situação mais “criativa”, mas mesmo assim, espero que todas vocês gostem do imagine Xx

IMAGINE COM HARRY STYLES

Ajeitei-me mais uma vez a minha posição na cadeira ao mesmo tempo que suspirava entediada ao observar a festa por aquele ângulo. Estávamos na festa de casamento de um amigo de infância do Harry, era em uma casa de campo, estava tudo perfeito, a decoração em tons de branco e lilás, os arranjos de flores de lavanda, o tradicional bolo branco com os noivinhos no topo, a dama de honra e o pajem carregando as flores e as alianças até os noivos.

As crianças corriam felizes pelo gramado, sem se importarem da bronca que receberiam de seus pais ao verem as roupas sujas de terra. Por outro lado, os adultos conversavam e bebiam os seus drinques.

Encontrei Harry há alguns metros de distância, conversando em uma rodinha com alguns amigos. Assim que ele me viu, fez sinal para que eu aproximasse e com calma fui caminhando até eles, equilibrando a cada passo em razão dos saltos alto que não tinha costume de usá-los. Envolvi meus braços na sua cintura, abraçando-o de lado e  beijei os seus lábios. Harry sorriu fraco para mim, colocando um dos braço sobre os meus ombros, acariciando minhas costas nuas devido ao decote na parte de trás do vestido.

Eles estavam relembrando dos velhos tempos de escola e eu me divertia com algumas histórias que contavam sobre Harry na adolescência. Certo momento, ia apoiar a minha cabeça no peito dele, como quase sempre fazia quando estava abraçando-o, mas me senti desconfortada pela postura e logo percebi o porque.

Eu não era mais alta que o Harry, pelo contrário, era até uns cinco centímetros mais baixa, mas por conta do salto alto, que eu estava usando especialmente para a festa, tinha me deixado mais alta do que ele.

Eu estava incomodada com isso agora. Tentava disfarçar dobrando um pouco o joelho e jogando o meu peso para a outra perna, abaixava um pouco a cabeça, mas isso parecia não ajudar.

— Está tudo bem? — Harry perguntou me puxando para um canto percebendo a minha inquietação e eu assenti sorrindo fraco. — O que aconteceu?

— Não aconteceu nada Harry. — Disse sentando na beirada de um murinho que havia atrás de mim. “Isso vai fazer parecer que sou mais baixa”, pensei comigo mesma.

Sabia que ele não estava acreditando, ele me olhava sério esperando eu finalmente falar o que estava me incomodando naquele momento.

— Fala — Pediu num sussurro com os nossos rostos próximos e acariciando meus lábios com o polegar.

— Droga Harry, eu sou alta demais. — Ele pareceu não entender e rolei os olhos ficando em pé na sua frente. — Olha para mim! Eu estou mais alta que você, isso é tão… tão… estranho. Eu fico parecendo uma vara ambulante andando com esses saltos.

— Não fala assim. — Harry levantou o meu rosto e beijou a minha testa num ato de carinho. — Eu gosto de você assim, não importa a sua altura ou o seu peso, quantas

‘dobrinhas” ou marcas de nascença que tenha pelo seu corpo,  elas formam você perfeitamente. E eu amarei para sempre. — Harry juntou os nossos lábios mais uma vez num longo selinho. Quando o beijo foi partido, o encarei e pude ver um sorriso se formar em seu rosto. — E veja pelo lado positivo: podemos aproveitar o fato de nós dois ter a mesma altura e tentar “coisas” novas na cama também.

— Harry! — Gritei incrédula beliscando o seu braço, vendo-o rir da minha reação. Os convidados próximos à nós, sorriam nos vendo.

— Você quer tirar os sapatos? — Harry perguntou quando percebeu que eu estava mais calma.

— E eu vou ter que andar descalça?

— Ninguém vai perceber, o seu vestido é longo vai cobrir seus pés.

Ele estava certo e sua proposta parecia tentadora demais. Me livrar dos saltos que me incomodavam, ficar na minha altura normal, me sentir confortável, poder abraçá-lo e deitar minha cabeça em seu peito.

Harry fez com que eu me sentasse novamente no murinho e se agachou na minha frente, levantando a barrinha do meu vestido para poder desfivelar o fecho das sandálias e tirá-las dos meus pés.

— Estou me sentindo a Cinderela sem os sapatinhos de cristal, é  claro — Harry riu terminando de tirar o meu salto. — Obrigada, eu amo você — Sussurrei no seu ouvido e finalmente podendo abraçá-lo e deitar a minha cabeça em seu peito ouvindo o seu coração bater contra o meu rosto.

Sim. Me apaixonei de verdade. Me entreguei como se o mundo fosse terminar amanhã. Senti algo que há muito tempo não sentia. Me apaixonei por tudo em você. Seu cabelo, seus olhos, suas mãos. Seu cheiro, sua voz, seu olhar, seu toque frio quase congelante. Fiz planos, construí sonhos, realizei desejos. Olhei no fundo dos seus olhos e declarei todo o meu amor por você e com uma simples frase você sabia o que eu sentia: ‘Eu te amo’. Larguei antigos sonhos, desejos passados e corri ao seu lado. Esquecemos amigos e enfrentamos nossa família pois sabíamos o quanto eramos fortes. Vivemos o sonho de muitas pessoas, que com medo de serem felizes e se importarem com que os outros pensam, não o realizaram. Viramos idolas de pessoas que nem sabíamos que existiam. Crescemos e aprendemos juntas o desafio da vida. Caímos diversas vezes, mas com a ajuda uma da outra, hoje estamos aqui. Você formada em Publicidade e Propaganda, eu, em Direito. Moramos num pequeno apartamento só nosso, temos um cachorro mais lindo de todos chamado Batman e adotamos uma linda menina que é amada por todos independente do preconceito, independente de sermos um casal diferente. Sim, vencemos na vida, vencemos o medo, o preconceito, a exclusão da sociedade. Hoje não dependemos de mais ninguém. 

Só espero que essa história se torne realidade amanhã. Esses são os nossos planos para um futuro bem próximo. Um futuro que lutamos hoje para ser realizado amanhã. Não desista do seu sonho assim como eu não desisti do meu.

—  Carol Linhares 
To cansada do modo como a gente vive, como as pessoas só te consideram inteligente se você for bom em exatas, como as pessoas acabam com seus sonhos, cansada de ficar o dia todo em casa, de todos os dias serem iguais e as pessoas só se importarem apenas com elas
as vezes eu acho que as pessoas acham que eu nao tenho sentimentos porque nao é possível se importarem tão pouco antes de fazer algo comigo
  • Kate: Oi
  • Pit: Oi
  • Kate: Tudo bem?
  • Pit: Sim
  • Kate: Está mentindo.
  • Pit: Que diferença faz se estiver bem ou não. As pessoas não se importam com a dor alheia, são egoísta demais para se importarem. Então que diferença fará se eu disser que não está tudo bem?