sabedorias2

Vontade de te transformar em um texto pra te eternizar nas páginas, pra eu poder te ler quando você parecer longe. Vontade de te dizer que eu nunca achei graça nas suas piadas, mas que eu ria sempre porque gostava de ouvir o teu riso junto com o meu. Vontade de te contar das vezes que eu fiquei em silêncio depois de uma indireta porque minha mente gritava um “sim” mais alto do que eu podia emitir. Vontade de escrever aqui sobre o quanto eu amo o som da tua voz e o jeito como você pronuncia cada palavra. Vontade de ter todas as suas músicas preferidas em uma pasta pra eu ouvir lembrando de você e de passar a saber mais sobre suas bandas do que você mesmo só pra te irritar. Vontade de te agradecer pelos momentos em que você ficou do meu lado mesmo quando não tínhamos mais o que dizer, por ter feito questão de marcar presença mesmo em meio à todos os nossos silêncios. Vontade de ter gravado todas as nossas conversas escondido pra ficar tentando buscar algum detalhe perdido, ou só pra ver como eu me sinto bem em contato contigo. Vontade de te transformar em um texto, mas além disso: vontade de que não fôssemos apenas vontade. Vontade de que deixássemos de ser vontade e passássemos a ser coragem.
—  João Pedro Bueno, Sabedorias.
Caramba … Mas que diabos está havendo comigo? Não estou me entendendo, me sinto mal, sinto um vazio no peito, me sinto incompleta. E nunca achei que isso seria tão ruim … Nunca achei que seria tão doloroso ser tão só, aliás já era acostumada com isso, era rotina as pessoas entrarem na minha vida e logo saírem. Era. Porque agora tá doendo, e não sei o que faço com essa dor.
—  Thalía Mello.   (via heroinade-vidro)